Kosta de Alhabaite

Nortenho, do Condado Portucalense

Se em 1628 os Portuenses foram os primeiros a revoltar-se contra o domínio dos Filipes, está na hora de nos levantarmos de novo, agora contra a colonização lisboeta!

E se MCCAIN vencer?

mccain-topper.jpg

Não gosto de certos unanimismos. Assustam-me e fazem-me lembrar o pós 25 de Abril e o que de péssimo trouxe à sociedade portuguesa pela mão dos bolcheviques... Acho que os EUA devem mudar: a sua política e as suas acções no mundo. Acho que os ataques ao candidato Republicano e sua vice são vergonhosos e miseráveis, e que, do lado europeu, só demonstra a (pouca) ética e a (falta de) honra dos esquerdelhos... Assim, gostaria de ver a cara desse aglomerado vermelho caso o senhor da fotografia acima vença...

Depois do Magalhães, a Lurditas

Primeiro foi o Magalhães para o 1º ciclo, agora veio o 'Lurditas' para a 3ªidade.
Pelo que a foto mostra parece que está a ser um sucesso!

Apesar de tudo, a bolsa continua, portanto, em baixo

Vacas

Quando as vacas estavam gordas, ai! que a vida vai mal.
Quando as vacas emagreceram, ai! que é o fim do mundo.
Agora que as vacas morreram, ai! ai! ai!

O cão do futuro...

Para aqueles que, como eu, vão pelos menos duas vezes por dia passear o bicho, bem que era preciso uma colaboraçãozinha daqueles amigos de quatro patas...

Persona non grata.... com muita honra!

Palhaços

Magalhães, o computador feito para as crianças mas que, segundo o "boneco" acima, até os seus colaboradores usam...
Bem me parecia que a inteligência daqueles não ia muito longe...

Segundo a Exame Informática, o governo de Sócrates desperdiçou 15 milhões de euros por ter escolhido material informático da HP, em detrimento da proposta da Acer. Num comunicado, a Acer questiona «se é aceitável que, neste tempo de crise, o Governo português gaste fundos públicos desnecessariamente quando existe uma solução que respeita todos os requisitos técnicos a um custo mais baixo». Quem de direito que explique as razões, mas que ninguém tenha dúvidas que seremos nós (os pobres), a pagar esses 15 milhõezitos extra.

Correio da Manhã: o pasquim sulista

No dia que um tal Vieira comemora 5 anos à frente de um dos clubes do regime socialista e lisboeta, e cujo nome é figura principal num processo entregue na PJ e na Liga de Clubes, e do qual, até hoje nada mais se tenha sabido algo sobre as graves acusações que ali lhe são feitas, o pasquim lisboeta correio da manhã, dedica a sua primeira página aos honorários do Presidente do Único Clube Vencedor deste miserável país centralista e sulista. Esperava-se que fosse feita referência à incrível galeria de triunfos do encarnado homem do pó branco, relembre-se uma taça comprada no jamor através de uma pérfida arbitragem, e principalmente ao campeonado adquirido num armazém algarvio... Mas não. Tentam distrair os que ainda o lêem... Nada que não estejamos habituados, principalmente vindo da mouraria...
(imagem "pedida" aos Bicampeões do Mundo)

FCPorto: as continhas...

Poesia

À mesa do amor


Quero-te para além das coisas justas
e dos dias cheios de grandezas.
A dor não tem significado quando me roubam
as árvores as ágatas, as águas.
O meu sol vem de dentro do teu corpo,
a tua voz respira a minha voz.
De quem são os ídolos, as culpas,
as vírgulas dos beijos?
Discuto esta noite apenas o pudor
de preferir-te entre as coisas vivas.

-
Joaquim Pessoa, À Mesa do Amor

Rui Valente, no seu melhor! O Norte precisa de ti!

Quero que me expliquem - como se fosse muito burro - porque é que eu, como portuense, espectador impotente, do desprezo que tem sido vincadamente atribuído à cidade que deu nome ao país, hei-de continuar a amar e a respeitar esta bandeira:


Rui Valente escreve no magnífico Renovar o Porto

Rui Moreira, no seu melhor! O Norte precisa de ti!

Portugal é o país mais desigual da Europa e, apesar de alguma ligeira recuperação, continuamos a ter uma elevada percentagem da população que vive abaixo do limiar de pobreza. E, se é assim no todo nacional, é muito pior no distrito do Porto e, em geral, no Norte.
Não admira, porque, para além dos problemas do modelo económico, somos governados à distância, por um poder central obsessivo, que nos olha com desprezo e desconsideração, que não só vira as costas às nossas necessidades prementes, como nos rouba as esmolas europeias que nos eram destinadas.
Basta pensar que, do investimento público total previsto para os próximos anos, apenas 6,3% será realizado no distrito do Porto, onde reside 18% da população nacional. No distrito de Lisboa, onde residem 21% dos portugueses, e que por acaso está acima da média europeia, pelo que não pode receber fundos de coesão, serão investidos 35% do total.
Naturalmente, tudo é explicável. Garantir-nos-ão que tudo se passa de forma normal e pensada, que isto sucede por boas estratégias e pelas melhores razões. Convencer-nos-ão que o país só tem a ganhar com uma grande capital, o que, sendo verdade, parece não se aplicar na inversa, já que é lícito suspeitar, em função das políticas reais, que a capital nada ganha em ter um país viável para governar.
O problema do Norte é que é só do Norte. Não está, definitivamente, na agenda mediática. Nem sequer na agenda das elites e dos políticos. Posso testemunhar isso porque, por razões profissionais, tenho estado com maior frequência em Lisboa e ouço os comentários de quem me identifica com o "detestável" FC Porto e com a insensata regionalização. Com maior ou menor elegância, falam do Apito Dourado e dos seus contornos, para me tentarem demonstrar que está provado que o meu clube não teve nenhum mérito que não fosse ilegítimo. Quando se lembram de invocar a questão da regionalização, recordam os caciques que estarão todos a norte e lembram o perigo de se ver o país retalhado. Se resolvem falar da economia, invocam que foram "os da têxtil" que causaram o dano, gastando o fundo social europeu em Ferraris e se lhes lembramos o défice no investimento público, nunca se esquecem que o nosso aeroporto está "às moscas".
É assim que somos vistos e tratados em Lisboa: como gente rude, incómoda e viciosa e perturbada, que vive numa cidade onde grassam os escândalos na noite, no futebol, nos negócios e na política. Não vale a pena, na maior parte dos casos responder, falando-lhes de Vale de Azevedo, perguntando-lhes se, a exemplo do nosso Apito, a pedofilia é o seu problema local, ou recordando-lhes os negócios e carros de luxo da gente e empresas lisboetas que vivem à mesa ou à sombra do Orçamento.
Pouco mais conseguimos então do que cumprir a função de "desmancha-prazeres". Ainda há dias recebi um e-mail de um leitor deste jornal que, agastado com as minhas crónicas, me escrevia: "O Norte está em declínio? Pois está: o baixo preço e a mão-de-obra barata deixaram de render! O que é quer que a gente lhe faça?" Depois, concluía que a culpa de todos os males é "a boçalidade e a tacanhez que grassa num Porto que não percebeu a oportunidade dada pelo 25 de Abril".
Como não pode deixar de ser, a culpa também é nossa, e é por isso que tudo vai continuar na mesma. Por muito tempo. A culpa é nossa, porque deixámos que as coisas degenerassem, porque fomos pouco exigentes, porque fechámos os olhos a muita coisa que era, a todos os títulos, intolerável. A culpa é nossa, porque nos acabrunhámos, porque nos resignamos e esta situação. Basta, aliás, ver o que se passa na política, onde continuamos a tolerar os representantes das políticas centralistas, que nunca protestam e pouco reclamam.
Daqui a um ano, teremos eleições. Em breve vão aparecer por aí os portadores das boas vontades, com os seus discursos preocupados, com as promessas para o futuro. Mais uma vez, votaremos neles e tudo ficará na mesma. Por muito tempo.

Rui Moreira (In Público, 26.10.2008,)

Gatos


Apesar de ter neste momento um cão, gosto imenso de gatos! Muito!
E quem quem tem gatos, sabe que estes funcionam mesmo assim como no filme acima.
A propósito, li algures um comentário sobre a diferença entre cães e gatos.
Dizia:
Os cães olham para nós e dizem: tu tratas de mim, dás-me de comer, uma cama para dormir ...
Tu és deus!
Os gatos olham para nós e dizem: tu tratas de mim, dás-me de comer, uma cama pra dormir ...
Eu sou deus!

Joguinho

Há algum tempo que não postava nada sobre esta matéria. Apesar da minha provecta idade, continuo um ferrenho adepto de jogos de computador... Destes...

Hoje apresente este jogo, que se encontra aqui e desde já aviso que jogar do lado alemão e tentar ganhar é mesmo muito difícil. De reparar nas novidades técnicas do novo armamento que vai surgindo ao longo dos vários níveis. Já agora, fiquem a saber que, neste jogo, aparece no final um total de "liquidações", mortos, portanto...

A sabedoria do "enorme" Francisco José Viegas

O cantinho do hooligan. Questões gerais.
Não percebo o ambiente de catástrofe iminente. O campeonato, a falar verdade, não começou inteiramente, cheio de interrupções absurdas – mais ainda as que aí vêm em Dezembro. Mas os meus amigos benfiquistas rejubilam, aceitando por excelente a hipótese de serem campeões de Outubro com um ponto de vantagem sobre o FC Porto. Seja: o FC Porto está a jogar mal. Por dois motivos essenciais (fora os tácticos): não há diálogo entre o treinador e os jogadores; a qualidade estratégica dos novos jogadores é muito inferior às dos que partiram (Bosingwa, Assunção, Quaresma). Coisas que se arranjam com o tempo, se o projectista insistir – no modelo, no sistema, na estratégia, na táctica, no que for.
Mas, se o FC Porto joga mal (o que não merece discussão), há um aceitável argumento de hooligan para acrescentar: vejam os jogos de ontem em Paços de Ferreira e na Luz. Que rico futebol. De primeira água. De grande categoria – não é?
Muito bem pensado, melhor escrito!

Linóleos e piñas coladas...

Casas que envelhecem virgens

"O sector imobiliário está num momento desolador. Muitas casas não se vendem, muitas não se pagam, muitas não se constroem até ao fim. O ajustamento é feito pelo preço mas a descida do metro quadrado não é ainda suficiente para ajustar a muita oferta à pouca procura.

Os perdedores fazem fila: proprietários que não vendem, promotores que não recebem, investidores que não realizam, imobiliárias que não comissionam, bancos que não cobram, câmaras que não taxam. Todos aqueles que lucraram uma década de prosperidade estão agarrados à cabeça.

Ponto prévio: não há um "crash" imobiliário em Portugal, como há noutros países, e nem é preciso falar dos Estados Unidos. Em Espanha e em Inglaterra há enormes desvalorizações de um sector que estava sobreaquecido, com consequências devastadoras para a economia. Um "crash" imobiliário é mais perigoso que um "crash" bolsista, porque há mais dinheiro das famílias envolvido e porque demora mais tempo a inverter. Safámo-nos disso porque há vários anos deixámos de subir preços, ao contrário doutros países. Os espanhóis e os ingleses, justamente, foram grandes investidores no metro quadrado de Lisboa, Algarve e Alentejo. Agora estão a vender, saltando do prato da procura para o da oferta, desequilibrando ainda mais a balança.

Em crises bolsistas passadas, houve deslocação de dinheiro das acções para os mercados imobiliários. Mas nesta, a queda das acções é uma consequência, não uma causa, de um excesso de negócios montados em cima de crédito, gerando uma procura artificial com subavaliação de riscos, o que aumentou preços em todos os lados, incluindo o imobiliário. Agora, o mercado está ilíquido, com pouca transacção, e quem ficou dono de casas demasiado caras é primo de quem ficou com as acções a preços meteóricos: os activos desvalorizaram. Mãos cheias de nada.

É inútil agora dizer "eu bem avisei", até porque avisámos todos, ao mesmo tempo que assinávamos contratos-promessa. A subida dos preços ficou primeiro no bolso dos investidores, com o tempo passou para a algibeira dos construtores e no final eram já os donos dos terrenos a ficar com o quinhão: os preços foram subindo retroactivamente. Pelo caminho, as câmaras fecharam os olhos às florestas de cogumelos de betão, porque o seu modelo de financiamento depende viciosamente das licenças para construir e dos impostos para adquirir e habitar.

Agora, ou se desce o preço, ou não há mercado. Mas isso significa assumir prejuízos: proprietários venderão mais barato, investidores perderão dinheiro, promotores suspenderão construções.

A alternativa é não vender e assumir os custos de ficar com as "casas que envelhecem virgens", como caracteriza o presidente da associação de promotores imobiliários APEMI. Ele foi, durante anos, o Manuel Pinho do imobiliário: optimista, arauto do sucesso e do "comprem, comprem, comprem", que contribuiu para o "construam, construam, construam" que levou ao absurdo de fogos agora vazios e não transaccionáveis. Ele é um exemplo dos excessos e agora até dá lições de moral aos seus associados: o que os construtores não sabem é construir as casas que as pessoas querem, diz. Eis uma pista: o que as pessoas querem das casas é comprá-las baratas; o que os especuladores querem é vendê-las caras; o que os aflitos anseiam é despachá-las a que preço for. É tão simples quanto inconciliável. Vai demorar anos a inverter. E há milhares de monumentos com uma placa que não nos deixará esquecê-lo: a placa "vende-se"."

artigo da autoria de Pedro Santos Guerreiro (sonegado algures na blogosfera)

Sim senhora...

As mulheres Cristãs e Ninfomaníacas, ou seja com um excessivo desejo sexual pelos seus maridos, já têm um sítio de encontro na www:
«God wants us to be madly in love with our husbands. He wants us to keep that fire burning in our marriage beds!»


Piadinha

ENTREVISTA PARA UMA GRANDE EMPRESA

1º - Candidato formado na Universidade Católica
Director: - Qual e a coisa mais rápida do mundo?
Candidato: - Ora, é um pensamento.
Director: - Por quê?
Candidato:- Porque um pensamento ocorre quase instantaneamente.
Director: - Muito bem, excelente resposta.


2º - Candidato formado na Universidade Clássica
Director: - Qual é a coisa mais rápida do mundo?
Candidato: - Um piscar de olhos.
Director: - Por quê?
Candidato: - Porque é tão rápido que as vezes nem o vemos.
Director: - Óptimo.

3º - Candidato formado na Universidade Lusófona
Director: - Qual é a coisa mais rápida do mundo?
Candidato: - A electricidade.
Director: - Por quê?
Candidato: - Veja, ao ligarmos um interruptor acendemos uma lâmpada a 5km de distância instantaneamente.
Director: - Excelente.


4º - Candidato fazendo curso na Universidade Independente
Director: - Qual é a coisa mais rápida do mundo?
Candidato: - Uma diarreia...
Director: - Como assim? Esta brincando? Explique isso...
Candidato: - Isso mesmo. Ontem a noite eu tive uma diarreia tão forte, que antes que eu pudesse pensar, piscar os olhos ou acender a luz, já me tinha cagado todo...
Director: - O emprego é seu!

CONCLUSÃO:
Fundamento técnico e cálculo não é tudo... Entender de cagadas é o que o mercado precisa!

Comunicado

Este fim de semana...

... notei que os McDonalds têm a maior concentração de pais divorciados com crianças do país.

Chapelada

Freeport, lembram-se?

A polícia inglesa já enviou um conjunto de informações bancárias sobre as pessoas que estão a ser investigadas no inquérito instaurado em 2005 pelo Ministério Público (MP) do Montijo, por suspeitas de corrupção e participação económica em negócio. Segundo o SOL apurou, quando há cerca de dois meses fizeram a proposta de investigação conjunta, os ingleses transmitiram que têm indícios do envolvimento de um político português no caso.
Do lado inglês, estão em jogo milhões de libras da família real britânica que tinha participações no fundo de investimento accionista do Freeport.
Os ingleses propuseram à Procuradoria-Geral da República a criação de uma equipa conjunta para investigar o ‘caso Freeport’. E detectaram fluxos de dinheiro suspeitos para contas bancárias em Portugal.
Na sequência disso foi recolhida informação financeira que aponta para o envio de elevadas somas de dinheiro para um escritório de advogados em Lisboa que se destinaria a personalidades portuguesas com intervenção no negócio ao nível da intermediação. Em Inglaterra e Portugal são investigadas suspeitas de o negócio ter sido viabilizado politicamente mediante o pagamento de elevadas ‘luvas’.
Já o inquérito português tem por objectivo investigar a construção do Freeport de Alcochete (o maior outlet da Europa, com 75 mil metros quadrados) em Zona de Protecção Especial (ZPE) do estuário do Tejo – projecto viabilizado por decisões do Ministério do Ambiente liderado por José Sócrates, em Março de 2002, nos últimos dias do Governo de António Guterres.

A ‘Operação Furacão, a maior investigação em Portugal sobre suspeitas de fraude fiscal e branqueamento de capitais, poderá envolver várias empresas ligadas à construção do Freeport, em Alcochete.

Este é um assunto muito pouco transparente e com muitos "rabos de palha"! Que engraçado... A imprensa não toca muito neste assunto... Porque será? Uhm...

Língua abençoada

"Pois, quem quer amar a vida, e ver os dias bons, refreie a sua língua do mal, e os seus lábios não falem engano" (1 Pedro 3:10).

Há algum tempo atrás, Dr. Albert H. Cantril, professor da Universidade de Princeton, realizou uma série de experiências para demonstrar como os rumores correm rapidamente. Ele chamou seis alunos ao seu gabinete e, pedindo sigilo absoluto, informou que o Duque e a duquesa de Windsor estavam a planear frequentar uma certa aula de dança da universidade. Numa semana, esta história completamente fictícia alcançou quase todos os alunos no campus. As autoridades da cidade telefonaram para a universidade, exigindo saber por que motivo eles não haviam sido informados. As agências de notícias estavam freneticamente a telefonar em busca de detalhes. O Dr. Cantril observou: "E foram rumores agradáveis. Os difamadores correm muito mais rápido."

Aquilo que falamos pode causar sérias consequências na vida de uma pessoa. Quando comentamos de maneira áspera alguma coisa a respeito de alguém, quando desmerecemos seus valores, quando expomos um segredo a nós confiado, quando fazemos comparações que inferiorizam um determinado amigo, podemos estar causando um mal que pode durar longo tempo ou até mesmo para sempre. Uma simples palavra pode destruir completamente uma vida.

Deus espera que de nossa boca saiam apenas bênçãos. Se sabemos que o que falamos pode correr rapidamente por muitos lugares, aproveitemos para falar de amor, para falar de alegria, para falar de fé e esperança, para elogiar os amigos, para semear felicidade. Quando falamos de Jesus, nosso Senhor e Salvador, podemos transformar vidas desesperadas, consolar corações aflitos e desanimados, erguer lares destruídos, mostrar o Caminho aos perdidos.

Se os rumores do que falamos rapidamente estarão nos ouvidos de todos, tratemos de pregar o Evangelho do Senhor e os resultados serão grandiosos para os que ouvirem e também para nós, que cumprimos a vontade de Deus como Seus filhos amados.

Peço desculpa...


...mas não pude resistir.
Esta revista é um conto de fadas. :)

Plágio francês





No sul de França, os vitivinicultores produziram um vinho que baptizaram com um palvrão ('Le Vin de Merde') para aumentar as vendas. E por incrível que pareça, a estratégia está a dar certo. (Sol)

(Chegam tarde e copiam mal!)

A única oposição em Portugal

Não gosto destes mouros, todavia acabam por fazer a única oposição conhecida neste país centralista/lisboeta

Lisboa, a corrupta (II)

Benfia e Sporting sonegam provas comprometedoras...

As cópias de autos de penhoras efectuadas pela Direcção-Geral dos Impostos (DGCI) a vários clubes de futebol, entre os quais o Sporting Clube de Portugal (SCP) e o Sport Lisboa e Benfica (SLB), desapareceram de um envelope selado que se encontrava na gaveta de uma funcionária da administração fiscal e foram substituídas por folhas para reutilizar na impressora.

A informação é dada pela própria funcionária da DGCI no âmbito do processo que decorreu no Departamento de Investigação e Acção Penal (DIAP) de Lisboa no seguimento da queixa do anterior director-geral dos Impostos, Paulo Macedo, relativa às fugas de informação da DGCI.

O desaparecimento dos documentos foi abordado pela primeira vez numa informação enviada em Outubro de 2005 ao então director-geral pelo director distrital de Finanças de Lisboa. Este responsável relata o desaparecimento de autos de penhoras feitas a clubes de futebol e, face à denúncia, Paulo Macedo pede à Judiciária para averiguar a situação.
Mais tarde, já no âmbito da investigação do DIAP, é apresentado um ofício do director distrital de Finanças de Lisboa que não é mais do que o relato feito pela funcionária do fisco a quem alegadamente foram roubados os documentos. A funcionária explica que lhe foi entregue um mandado de penhora em nome do executado SCP e que, no seguimento desse mandato, foram executadas diversas penhoras ao clube. A funcionária diz ainda que fez três cópias do documento. Arquivou uma cópia junto ao processo que decorria naquela direcção de finanças; outra no arquivo mensal da equipa a que pertence; e uma outra num envelope onde já se encontravam cópias de outras penhoras a clubes de futebol, nomeadamente ao SLB. A funcionária garante ainda que o envelope se encontrava fechado com fita-cola.Mas o inesperado aconteceu.

Foi solicitado à funcionária informação sobre as ditas penhoras efectuadas ao Sporting e ao fazer essa informação tentou juntar a documentação. Mas tal não foi possível, porque o processo estava na sua mala pessoal, que tinha, naquele dia, deixado em casa. E foi então procurar o envelope com as cópias que tinha deixado na sua secretária. O envelope estava onde o deixou, mas toda a documentação que lá tinha deixado tinha sido substituída por um volume de folhas já impressas e que se destinavam a ser reutilizadas.

Perante este relato dos acontecimentos, a funcionária foi chamada a depor no DIAP, tendo reafirmado os mesmos factos, acrescentando que não se tinha apercebido que os documentos tivessem sido usados. Disse ainda que não tinha como identificar o autor do roubo porque as suas gavetas estavam abertas e trabalhava num espaço aberto com mais 25 pessoas.

O DIAP concluiu que, apesar de poder estar perante um crime de furto, não havia elementos que possibilitassem a identificação do seu autor e arquivou o processo.


(Público)27.10.2008

Lisboa, a corrupta (I)

Gestores gastam 64 mil euros em almoços
O relatório da Polícia Judiciária sobre a gestão da Gebalis, entre Fevereiro de 2006 e Outubro de 2007, é devastador para a administração de Francisco Ribeiro, Clara Costa e Mário Peças, então presidente e vogais da empresa responsável pela gestão dos bairros sociais da Câmara de Lisboa.

Suspeitos da práticas dos crimes de abuso de mercado, administração danosa, participação económica em negócio e peculato. (
Notícia)

Arquitectura...

Entre as 2 convidadas, em 1º plano e as 2 limousines, em plano recuado, mas anterior aos 2 edifícios em plano de fundo, é possível ver um outro e rigorosamente central - é assim a modos que um marco geodésico - o par... o par de noivos... cada um deles empunhando um copo-d'água...

A arquitectura e a engenharia do vestido da noiva são notáveis...

Na blogosfera

Quando os arquitectos e os construtores se metem nos copos, o resultado é inevitável: Architectural Horrors, Part 3

Top 10:
Os 10 filmes que mais fazem chorar e a lista 10 das listas 10.

Imaginem o que é forrar um móvel inteiro com cassetes antigas. O resultado merece ser visto.

Coysas d'outros tempus


"Eles" surgem sempre nestas (crise) alturas!

É um clássico. Nunca falha! Assim que a vida económica e as crises aumentam logo surgem as notícias dos OVNIs, não há que enganar! É uma manobra de diversão utilizada já desde a Segunda Guerra Mundial....
Ainda por cima notícias vindas de Inglaterra!

Adeus Kikas



I hold it true, whate'er befall;
I feel it when I sorrow most;
'Tis better to have loved and lost
Than never to have loved at all.

Kikas Francisco Costa
22 de Agosto de 1994 - 13 de Outubro de 2008

Estado de Coma ...

... depois do traumatismo ucraniano ...
Irra, já chega de tanta derrota!
Já agora, 10 bolas no poste ao fim de 11 jogos? Não é altura de começarem a acertar nas redes?
E já agora: porque motivo uma equipa remata contra a nossa baliza 4 vezes e acerta 3? Porque não copiamos estes bons exemplos?
Esta época, a equipa do FCPorto é uma equipa nota 10...
10... caracterizada
10... motivada
10... calça
10... iludida
10... troçada
10... concertante
10... governada
10... norteada
10... ligada
Esta equipa, com jogadores fracos, fraquinhos, comprados pelos comissionistas já conhecidos dos portistas, consegue fazer pior ao Clube que todo o processo do apito "organizado" pelo benfica e pelos seus cães e cadelas de fila...

Justiça Divina pode tardar mas...

É interessante constatar que certos jornais de Lisboa (e outros), que tanto destaque deram à "condenação" prematura de Pinto da Costa e tanto publicitaram declarações (duvidosas) de Carolina Salgado (e outros), passem agora ao lado destas notícias (concretas) de absolvições, arquivamentos e indmenizações. Haverá nisto "corrupção jornalistica"? Se há Justiça Divina... alguém pagará a seu tempo...

Pinto da Costa: continua a massacrar os inimigos da Nação Portucalense

'Ridículo' um árbitro vender-se por um bilhete
Juiz critica Ministério Público por acusação sem provas. Pinto da Costa livre de julgamento no "Nacional-Benfica"

O Tribunal de Gondomar justifica o arquivamento do processo Nacional-Benfica para Pinto da Costa pelo facto de a sua ligação ao caso apenas ter acontecido por força de "presunções ou juízos de valor sem qualquer sustentação".
Muito crítico para com o Ministério Público (MP), ao decidir não mandar a julgamento o presidente do F. C . Porto, o líder do Nacional, Rui Alves, o empresário António Araújo e o árbitro Augusto Duarte, o juiz Pedro Vieira refere ser de "difícil compreensão o juízo efectuado [...] no sentido de imputar os factos em apreço ao arguido Pinto da Costa".
O magistrado diz que ouviu todas as escutas e que, "para além das deduções efectuadas pela PJ", não detectou ligação do dirigente aos factos. Designadamente ao primeiro telefonema - "suspeito", admite o juiz - entre Rui Alves e António Araújo, no qual é afirmada a necessidade de "trabalhar o árbitro", para o jogo Nacional-Benfica, da época 2003/04, ganho pelos madeirenses.
Recorde-se que a acusação refere que Pinto da Costa foi posto a par da intenção e aderiu ao plano de corromper Augusto Duarte, com vista a prejudicar o Benfica. Para sustentar esse facto - e à falta de escutas em que o dirigente tenha sido interveniente directo -, foi associada uma conversa escutada de António Araújo com o dirigente do FCP, Luís Gonçalves, segundo a qual o empresário estaria a efectuar um "serviço" importante para Pinto da Costa.
Analisando os factos, o juiz disse (verbalmente, mas não no despacho escrito) que, analisando os factos isoladamente (fora do contexto geral do megaprocesso Apito Dourado), "nem deveria ter havido acusação".
Isto porque não há qualquer indício de uma adesão de Pinto da Costa a um esquema de corrupção sobre o árbitro. Além disso, o FCP não tinha interesse em prejudicar o Benfica (tinha nove pontos de vantagem e os encarnados iam em terceiro lugar). Deu ainda como provável que o "serviço" referido por Araújo e as facturas (constantes em conversa com o administrador da SAD, Fernando Gomes) tivessem, de facto, a ver com negócios e transferências dos jogadores Paulo Assunção e Rossato, do Nacional para o FCP.
Depois, o juiz censura o MP por expressões como "contrapartidas não apuradas e a que não tinha direito" e "em data e local não apurados António Araújo entregou a Augusto Duarte a contrapartida económica acordada", sem "qualquer sustentação probatória".
Sobre a oferta, por parte de Araújo, de um bilhete para o FCP-Manchester, da Liga dos Campeões, Pedro Vieira notou que a primeira referência a tal oferta só aconteceu após o jogo e por "iniciativa do árbitro", o que contraria a ideia de um acordo prévio ilícito. Na comunicação verbal da decisão, o juiz considerou "ridícula" a ideia de que um árbitro possa vender-se em troca de um bilhete. Já na decisão escrita, classificou-a como "irrazoável".

Nuno Miguel Maia in JN

Traumatismo Ucraniano

Dragões: hoje é dia de sermos todos...

DIRE STRAITS - BROTHERS IN ARMS (LIVE)

Imoralidade

Diferença crescente entre ricos e pobres é "injusta e imoral"

O presidente da Confederação Nacional das Instituições de Solidariedade (CNIS), padre Lino Maia, considerou "injusto e imoral" o aumento do fosso entre ricos e pobre em Portugal, segundo um estudo divulgado pela OCDE.
Portugal é um dos países da Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Económico (OCDE) com maiores desigualdades na distribuição dos rendimentos dos cidadãos, ao lado dos Estados Unidos e apenas atrás da Turquia
e México.
No seu relatório "Crescimento e Desigualdades", hoje divulgado, a OCDE afirma que o fosso entre ricos e pobres aumentou em todos os países membros nos últimos 20 anos, à excepção da Espanha, França e Irlanda, e traduziram-se num aumento da pobreza infantil.
Em reacção a este estudo, o padre Lino Maia disse que "já havia a sensação que a situação se estava a agravar" em Portugal.
"Esta tendência tem de ser contrariada não por estar na cauda da OCDE, mas porque é uma situação injusta e imoral", justificou.
Para o presidente da CNIS esta tendência só será contrariada "com medidas correctivas".
O padre Lino Maia considera que a medida mais importante a tomar é a adopção de uma "nova política salarial", que se traduza por uma maior percentagem de aumentos para quem ganha menos e menor para quem aufere salários superiores.
Defende também medidas "urgentes" de apoio às zonas mais deprimidas do país e uma "aposta clara" na educação, que não apenas na escolaridade.
É igualmente necessário promover o "empreendedorismo e uma intervenção clara no ambiente e nas condições em que muitos dos nossos concidadãos vivem", para alterar a situação de desigualdade no país, de acordo com o padre Lino Maia.


Portugal está entre os países mais injustos do Mundo

Portugal é um dos países da Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Económico com maiores desigualdades na distribuição dos rendimentos dos cidadãos, ao lado dos Estados Unidos e apenas atrás da Turquia e México.
No relatório "Crescimento e Desigualdades", divulgado esta terça-feira, a Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Económico (OCDE) afirma que o fosso entre ricos e pobres aumentou em todos os países membros nos últimos 20 anos, à excepção da Espanha, França e Irlanda, e traduziram-se num aumento da pobreza infantil.
Os autores do estudo colocam a Dinamarca e a Suécia à frente dos países mais justos, com um coeficiente de 0,32, e o México no topo da tabela dos mais injustos (0,47), seguido da Turquia (0,42) e de Portugal e dos Estados Unidos (ambos com 0,23).
"Em três quartos dos 30 países da OCDE, as desigualdades de rendimentos e o número de pobres aumentaram durante as duas últimas décadas" - lê-se no relatório.
Todavia, alguns países registaram melhores resultados do que outros: desde 2000, por exemplo, o fosso entre ricos e pobres aumentou sensivelmente no Canadá, Alemanha, Noruega, Estados Unidos, Itália e Finlândia, mas diminuiu no México, Grécia, Austrália e Reino Unido.
Nos países onde as diferenças sociais são mais importantes, o risco de pobreza é maior e a mobilidade social mais baixa, segundo a organização.
"As famílias ricas melhoraram muito a situação" em relação às mais pobres e, por outro lado, "o risco de pobreza deslocou-se das pessoas idosas para as crianças e os jovens adultos".
A OCDE define como situação de pobreza quando os rendimentos são inferiores a 50 por cento da média de cada país.
A pobreza das crianças, que aumentou nos últimos 20 anos, "situa-se hoje acima da média geral" e "deveria chamar a atenção dos poderes públicos", sublinha a OCDE.
"A Alemanha, a República Checa, o Canadá e a Nova Zelândia são os países onde a pobreza das crianças mais aumentou", segundo um dos principais autores do estudo, Michael Foerster.
Em contrapartida, a faixa etária entre 55 e 75 anos "viu os seus rendimentos aumentar mais nos últimos 20 anos", sendo a pobreza entre os pensionistas actualmente inferior à média do conjunto da população da OCDE.
A organização pede aos países membros para "fazerem muito mais" para que as pessoas trabalhem mais, em vez de viverem na dependência das prestações sociais, sendo que a taxa de pobreza das famílias sem emprego é quase seis vezes superior à das famílias activas.
Mas embora o trabalho seja "um meio muito eficaz para lutar contra a pobreza", não chega para a evitar: "mais de metade dos pobres pertencem a famílias que recebem fracos rendimentos de actividade".
A OCDE encoraja a implementação de medidas preventivas, nomeadamente a promoção do acesso a um trabalho remunerado.
"Ajudar as pessoas a inserirem-se no emprego e a converterem-se em cidadãos autónomos tem um papel preventivo que evita o agravamento das desigualdades", considera.
De facto, a organização assinala ser nos países com maiores taxas de emprego que o número de pobres é menor.
"O que importa não é a igualdade das situações, mas a igualdade das oportunidades", afirma-se no relatório, que preconiza também esforços em matéria de educação e saúde para reduzir as disparidades.

no Jornal de Notícias (21Out08)

Guia: Voting for dummies

Apesar de uma esquerda preconceituosa, ela é uma Senhora!

Basta ver este vídeo Sarah Palin no Saturday Night Live

Para quando um novo livro de João Aguiar?

Eu sou um leitor ávido da escrita de João Aguiar. Um dia, por ocasião de um aniversário, o meu irmão mais velho ofereceu-me um livro deste escritor (O canto dos Fantasmas). Conhecera-o em África, onde foram colegas de armas (e rádio) e conhecendo a sua prosa e sabendo dos meus gostos literários, logo pensou que eu também a apreciaria.
Pois este post é para relembar esse escritor contemporâneo português e para (re)clamar uma nova obra que já tarda...


João Aguiar
Nasceu em Lisboa em 1943, sendo licenciado em Jornalismo pela Universidade Livre de Bruxelas. No catálogo da ASA figuram os seus catorze romances (A Voz dos Deuses, O Homem Sem Nome, O Trono do Altíssimo, Os Comedores de Pérolas, A Hora de Sertório, A Encomendação das Almas, Navegador Solitário, Inês de Portugal, O Dragão de Fumo, A Catedral Verde, Diálogo das Compensadas, Uma Deusa na Bruma, O Sétimo Herói e O Jardim das Delícias) e um livro de contos (O Canto dos Fantasmas), além da série juvenil O Bando dos Quatro. Parte da sua obra está traduzida em Espanha, Itália, Alemanha e Bulgária.


Algumas das suas obras:
A Catedral Verde
A Encomendação das Almas
A Hora de Sertório
A Voz dos Deuses
Uma Deusa na Bruma
Diálogo das Compensadas
Inês de Portugal
LAPEDO – uma criança no vale
Navegador Solitário
O Canto dos Fantasmas
O Dragão de Fumo
O Homem Sem Nome
O Jardim das Delícias
Os Comedores de Pérolas
O Trono do Altíssimo
O Sétimo Herói

Macrocefalia lisboeta

Imagens como esta terão que ser afixadas por todas as cidades desta Região em gigantescos Outdoors. Só assim as pessoas serão sensibilizadas para a raiz dos problemas que as afectam.

Publicado no "Norteamos"

... da espera


Amanhece...
Adormece finalmente a noite rubra
que deixaste à minha porta.
O dia é um sonolento jardim
onde dormem as sementes da espera.

Há vida, porém,
neste jardim que dorme
mesmo sob o sol que corre.

Vou viver, enquanto espero
(esperas também, eu sei).

Visto-me de flor aqui, ali.
Quem sabe algum perfume sintas,
no ar, que em mim deixaste
na insone noite de sonho?

O dia é um pêndulo lento
caminhando indiferente
da esperança ao desalento.

Onde estou, onde estás
na tênue passagem do nosso tempo?
Saramar

Imagem: Edvard Munch
(retirado do blogue Abrindo Janelas)

Sr. Quique, o seu benfica pode ser campeão?

Novo CJ da FPF: tudo gente ... séria.

O NOVO CJ É COMPOSTO POR

- 4 elementos LISBOA
- 3 elementos COIMBRA
- 1 elemento AVEIRO
- 1 elemento TOMAR
- 1 elemento PORTO

Ena, ena...o que faz ali aquele tipo do Porto?
Enfim...Tudo como dantes...
OLHA SE FOSSE AO CONTRÁRIO.....

Ainda o Magalhães

A real e verdadeira imagem da chegada do .... Magalhães

Google Blog Search

Segundo a Exame Informática Online, a Google relançou o serviço de pesquisa de blogues, o Google Blog Search, que integra agora o seu próprio motor de busca e identifica na rede os últimos posts sobre os temas mais discutidos a cada momento, agregando-os depois por tópicos num único directório, facilitando a consulta. o Blog Search recorre ainda a gráficos para mostrar quais os blogues mais actualizados e comentados a cada momento.
Experimente procurar por exemplo o seu CANTO favorito
AQUI, ou para uma pesquisa mais personalizada e específica, clique AQUI!.

Consequências do Acordo Ortográfico

A crise vista pelo "The Economist"

Vagueando pela blogosfera

Com o Halloween a chegar, podemos começar a pesquisar umas coisas aqui: máscaras de Morgan.

Um belíssimo portfolio de
sítios abandonados com fotografia HDR.

E já que falamos em fotografia, eis uma galeria de fotografias
feitas no momento certo. Nem um momento antes, nem um momento depois.

Momento Musical

Gabriel o Pensador

A crise e ser idoso em Portugal

Os idosos têm de fazer escolhas: ou compram remédios ou fazem duas refeições por dia
(mais
aqui)

Súbitamente, nos EUA, unbelievable!

Caras Amigas e Amigos,

Estou nos E.U.A. onde a grande, a enorme, novidade do dia é esta....

Absolutamente inacreditável...

Unbelievable, dizem uns...... Amazing, dizem outros. Perfeitamente normal, digo EU!

Vejam
aqui

Depois do Magalhães o ... iPhoda.se

Observação: o conteúdo deste vídeo contém afirmações consideradas obscenas...

Born in USA - piadinha americana e racista

E em frente aos portões celestais, aparece um jovem de boa aparência, tez negra, ao que é interpelado pelo guardião máximo quando tenta entrar no recinto da escolha final:
- Quem sois? - pergunta São Pedro ao recém chegado.
- Sou Barak Obama, o primeiro presidente preto eleito pelo povo nos Estados Unidos da América ...
- Preto, primeiro presidente preto dos Estados Unidos da América!? Não sabia de nada, quando é que você foi eleito!?
- Há meia-hora atrás ...


A justiça da UEFA e a justiça do Ricardinho

Por cá uma invasão de campo e uma agressão a um árbitro, SÓ PORQUE FOI NO CAMPO DO BENFICA!, levou o afiliado da liga, um tal Ricardinho, a aplicar uma multinha...
Mas
A UEFA interditou o estádio do Atlético de Madrid por três jogos, com o terceiro suspenso por cinco anos, na sequência dos incidentes aquando da recepção ao Marselha, que os madrilenos venceram por 2-1, referente à segunda jornada da fase de grupos da Liga dos Campeões. Para além desta decisão, o clube espanhol terá ainda de pagar uma multa de 150 mil euros e o seu treinador, Javier Aguirre, não poderá sentar-se no banco nas duas próximas partidas. Assim, os dois encontros que se seguem na Liga dos Campeões, que deveriam ser disputados no Vicente Calderón, com o Liverpool, no próximo dia 22 e o PSV, a 26 de Novembro, serão jogados noutro estádio a não menos de 300 quilómetros de Madrid. A suspensão de Aguirre, no parecer da UEFA, fica a dever-se a “comportamento anti-desportivo”. O técnico fica proibido de orientar a sua equipa contra o Liverpool e o PSV, este a 4 de Novembro, em Inglaterra, não podendo mesmo ir aos balneários. O Atlético de Madrid poderá recorrer desta decisão até ao próximo dia 17.

Não aprenderam...

AIG e Fortis ‘estoiram’ dinheiro em luxo depois de saírem da falência

Depois de os dinheiros estatais terem salvado o mercado, a seguradora AIG gastou 330 mil euros em banquetes, partidas de golfe e massagens num resort da Califórnia. Já o Fortis levou 50 distribuidores a Monte-Carlo e pagou-lhes um pequeno-almoço de três mil euros por pessoa

Mais
aqui (Sol)

Cuidadinho com o Imperialismo Russo

"A Islândia, sem forças militares, pertence à NATO.
A sua importante posição estratégica, entre a Groenlândia e a Grã-Bretanha, fecha a passagem dos submarinos nucleares russos que podem sair de Murmansk para o mar aberto do Atlântico Norte, através do Mar da Noruega.Durante a Guerra Fria, os EUA controlavam este trânsito a partir da sua base islandesa de Keflavic, que abandonaram em 2006.
A crise financeira atingiu de tal modo a Islândia que o seu primeiro-ministro, face à ameaça de bancarrota e não conseguindo apoio de nenhum aliado ocidental, voltou-se para a Rússia, com quem negoceia um empréstimo de 5,43 mil milhões de dólares, e para o FMI.
Setecentos e cinquenta mil milhões de dólares de fundos de reserva poderão fazer com que a Rússia passe a exercer um certo grau de influência sobre países que estejam aflitos em termos financeiros. E não faltam países nesta situação, que lhe interessem estrategicamente."

Ó pra eles à procura da solução para a crise

Filme dos tempos que correm

O Natal chegou hoje pela manhã a Leça da Palmeira

Hoje, quando me dirigia ao local onde habitualmente tomo o pequeno almoço, bem no centro de Leça da Palmeira, dei pela sua chegada... Já! Vinha pela "mão" dos habituais "Castros"...

Apito Encarnado

Retirado do Magnífico Renovar o Porto

Alguém sabe dizer em que pé, ou melhor, em que mão(s) é que ficou a investigação da PGR em relação a esta denúncia noticiada na SIC? Da Procradoria, até hoje, não se ouviu nem leu nada. Para quem pretende lutar pela ética desportiva e contra a corrupção, não se pode dizer que esteja a ser muito convincente na isenção e no rigor...

Não casarás, disseram eles...

Vamos mudar este mundo?

Subprime for dummies

Para quem não entendeu ou não sabe bem o que é ou gerou a crise americana,
segue breve relato económico para leigo entender...
É assim:
O Ti Joaquim tem uma tasca, na Vila Carrapato, e decide que vai vendercopos"fiados"aos seus leais fregueses, todos bêbados, quase todosdesempregados. Porque decide vender a crédito, ele pode aumentar umpouquinho o preço da dose do tintol e da branquinha (a diferença é o sobrepreço que os pinguços pagam pelo crédito).
O gerente do banco do Ti Joaquim, um ousado administrador formado em cursomuito reconhecido, decide que o livrinho das dívidas da tasca constitui,afinal, um activo recebível, e começa a adiantar dinheiro aoestabelecimento, tendo o "fiado" dos pinguços como garantia.
Uns seis executivos de bancos, mais adiante, lastreiam os tais recebíveisdo banco, e os transformam em CDB, CDO, CCD, UTI, OVNI, SOS ou qualqueroutro acrónimo financeiro que ninguém sabe exatamente o que quer dizer.
Esses adicionais instrumentos financeiros, alavancam o mercado de capitaise conduzem a operações estruturadas de derivativos, na BM&F, cujo lastroinicial todo mundo desconhece (os tais livrinhos das dívidas do TiJoaquim).
Esses derivativos estão sendo negociados como se fossem títulos sérios,com fortes garantias reais, nos mercados de 73 países.
Até que alguém descobre que os bêbados da Vila Carrapato não têm dinheiropara pagar as contas, e a tasca do Ti Joaquim vai à falência. Etoda acadeia sifu...deu.
Viu... é muito simples...!!!

Piadinha Política

O director da Penitenciária, com ajuda de um megafone, diz aos presos no pátio:
- Atenção! Chega de preguiça! Chega de bandalheira! Quero toda a gente a varrer e a limpar esta porcaria! Amanhã chega o primeiro-ministro José Sócrates.
Um dos presos comenta com outro:
-Caramba! Custou, mas prenderam o gajo...

Enviada pelo meu Amigo Pinto da Costa

O colega do lado (*)


(*) por Maria João Lopo de Carvalho

Gramamos a família porque a hereditariedade nos impõe, gramamos o marido (ou a mulher) porque o escolhemos de livre vontade, mas gramamos os colegas de trabalho porque nos calham na rifa e temos de levar com eles em cima, a bem ou a mal, na melhor das hipóteses, oito horas por dia. Ou seja: a família, quando muito, aos domingos e feriados; o marido e os filhos, duas, três horas por dia, no máximo (metade das quais a ver televisão ou a partilhar tarefas domésticas); e os outros, para os quais não fomos ouvidos nem achados, dispõem de mais tempo e de mais espaço do que toda a nossa vida somada. É com eles que rimos, choramos, que nos irritamos, que amuamos, que lixamos ou somos lixados, que vamos à bica e às compras, é a eles que avaliamos, que ajudamos, são eles os nossos carrascos e cúmplices, os nossos amigos ou, pior, os nossos principais inimigos. É no trabalho, acho eu, que revelamos as nossas grandes capacidades e virtudes, mas também, e como há tempo para tudo, o pior que o ser humano tem: a inveja, o rancor, a gula (roubo todas as caixas de chocolates onde os meus olhos vão parar), a vaidade, a intriga, o orgulho, a luxúria (enfim, todos sabem como e porquê. ‘Ai, você hoje está linda...', 'Acha dr?', 'Não acho, tenho a certeza, brilha como a lua).O ambiente de trabalho é assim, muitas vezes, uma impiedosa arena do circo romano onde se mata quem é fraco, sobrevive quem é forte. É esta a tragédia da questão. Competitividade e matança são armas letais de significado idêntico - desafie-se o poder! Mas como perder ninguém quer, ligamos a competição à ambição (a longo prazo) e à ganância (a curto prazo), tudo em circuito fechado, para que a via-sacra da matança seja forte demais e excitante demais para a conseguirmos abafar. (...) Há sempre um gajo porreiro em que nós escudamos e que, de facto, não nos quer tramar às primeiras; um gajo que tem dias e que ora amanteiga para a direita, ora amanteiga para a esquerda - é o gajo que quando a coisa corre bem foi ele próprio que a fez (é 'muita bom'), quando corre mal, fomos nós, pobres inexperientes e ele até se fartou de nos avisar, infelizmente não acreditámos no seu teatro.

Adoro a tribo dos manteigueiros frenéticos: aqueles que só saem depois do chefe nem que fiquem a jogar paciências no computador, que nos desfazem em strogonof pelas costas, que controlam as nossas entradas e saídas de cena, bichanam com os seus superiores e ajustam contas com as secretárias e o pessoal, a quem com tanta alma chamam 'menor', baralhando sem pudor humilhação com humildade. Prefiro o folclore dos que gritam como ovelha a ser degolada mas que depois se redimem ao acrescentarem uns parágrafos triunfais na 'porra' do dossiê. Nós os portugueses adoramos reunir. Podemos não fazer a ponta de um corno, mas reunir tem de ser. Basta reunir e já está! Não é nunca o ponto de partida, é sempre o ponto de chegada. E antes de reunir gostam de planear a estratégia para tramar o parceiro. Pode não haver estratégia para mais nada, mas para tramar o colega do lado aqui vai disto. Agressividade quanto baste é a metodologia (odeio esta palavra) para chegar ao poder.

Todos conhecem a cartilha, a cru ou disfarçada de fada boa. Em suma, os portugueses acham que para serem melhores têm de arranjar alguém para mau da fita, é a teoria dos vasos comunicantes em todo o seu esplendor. É com 'vasos' destes - que à partida não são nem amigos, nem filhos, nem marido, nem sequer os escolhemos num menu - que temos de partilhar o cheiro, a voz, e o génio; das ramelas, à barba por fazer; das malhas na meia ao rímel esborratado, todas as horas, todos os dias, todos os anos. É tudo uma questão de 'ambiente' no trabalho!

É preciso ânimo


Louis Armstrong

Essa é que é essa

É sabido que as elites que em Lisboa dominam o Estado há muito têm o projecto de transformar a sua área metropolitana numa região com “dimensão europeia”. Isto é, transformar Lisboa numa urbe com mais de 5 milhões de habitantes a curto prazo. Para isso não se incomodam em sacrificar o país em prol dos seus interesses. A coesão nacional não os comove e nunca os comoveu. Só nós aqui é que, em nosso prejuízo, continuamos a nos preocupar com isso.

Alfinetada futebolística

... e à 5ª jornada, o FC Porto mais medíocre dos últimos tempos, com um jogo bom, outro assim, assim e o resto medíocres e já depois de ter ido a casa dos dois principais rivais está no 1º lugar. Raio de vício. Tudo fazemos para dar competitividade ao campeonato da cerveja, mas nem assim eles lá vão...e mais curioso é que nem com os Lucílios, Olegários conseguem...

Ocidente

Com duas mãos - o Acto e o Destino -
Desvendámos. No mesmo gesto , ao céu
Uma ergue o facho trémulo e divino
E a outra afasta o véu.

Fosse a hora que haver ou a que havia
A mão que ao Ocidente o véu rasgou,
Foi alma a Ciência e corpo a Ousadia
Da mão que desvendou.

Fosse Acaso, ou Vontade, ou Temporal
A mão que ergueu o facho que luziu,
Foi Deus a alma e o corpo Portugal
Da mão que o conduziu.


Este poema da Mensagem não é dos mais conhecidos mas é um daqueles que merece ser destacado e lido por ser muito bom.
Segundo a opinião de Luis Neves, o poema refere o descobrimento do Brasil por Vaso da Gama , que abriu os trilhos nos mares e descobriu um novo Ocidente.
"Com duas mãos Desvendámos" , uma representa o Acto a outra o Destino ; uma que Conduz iluminando com um facho, outra mão que desvenda que Rasga o véu da ignorância.
Quem iluminou o mundo na descoberta desse novo Ocidente, foram os Portugueses em corpo, mas foi com Alma ou seja pela "vontade" de Deus. Considera Pessoa que há uma predestinação divina dos Portugueses, que fomos os "eleitos", os escolhidos por Deus para o fazer.
Mas tendo Vasco da Gama iniciado a Viagem com o intuito de ir até às Indias Orientais, então a dúvida permanece no primeiro verso da última parte;
Teria sido um Acaso?
ou foi por Vontade, com intenção de ludibriar o Rei de Castela?
ou terá sido consequência de um Temporal que desviou as naus da sua rota?

Chamam-lhe religião da paz...

Entre as muitas restrições a que estão sujeitas as mulheres na Arábia Saudita poderá juntar-se mais uma: quando saírem à rua, se não usarem um lenço que lhes oculte todo o rosto, só poderão mostrar um olho.
A revelação dos dois olhos encoraja as mulheres a usar maquilhagem [que é proibida] e atrai demasiada atenção, o que é um comportamento corrupto, em conflito com os princípios islâmicos”, “Quando forem às compras, as mulheres poderão retirar totalmente o pedaço de tecido que tapa um dos olhos para poderem usar os dois... num limitado período de tempo.” Mais
aqui.
« Porto Canção »


Neste Porto todo em bruma
que cobre as águas do rio
passeia um deus que se esfuma
nas águas em desvario.

Neste Porto em que me deito
sonho noites de ternura
sorvendo-o me deleito
em cálices de amargura
depois deito-me adormeço
numa cama de granito
e já nem me reconheço
nos sonhos em que me agito.

Ao chegar a madrugada
espreguiça-se a cidade
respira o ar da nortada
banha-se na claridade.
Neste Porto me levanto
com gestos de lentidão
entorpecido no canto
dos passos da multidão.
E saio por aí fora
disfarçado em burburinho
como quem sabe onde mora
este Porto em desalinho
vou sorvendo o labirinto
em frenética ansiedade
neste Porto em que me sinto
um Ícaro em liberdade.

E mergulho na corrente
coloco a Foz como rota
dirigindo-me ao poente
nas asas duma gaivota
busco o mar que me alicia
com as lendas marinheiras
com ondas de melodia
a embalar as traineiras.

Neste Porto todo em bruma
que se alaga sobre o rio
passeia um deus que se esfuma
nas águas em desvario:
- é Neptuno carpindo
os seus ciúmes e mágoas
ao ver o Porto sorrindo
sobre o espelho das águas.

FERNANDO PEIXOTO

E lá se foi o estado de graça


Cá temos o regresso à normalidade! Ou seja, o FC Porto à frente, com 2 pontos de vantagem sobre Benfica e Sporting, prontinho para cavar o fosso antes do bacalhau e das rabanadas.
No Mar, o habitual benfica, medíocre, portanto, embora a imprensa lisboeta o visse já como indiscutível (ex) futuro campeão... Havendo justiça, só o Leixões mereceria sair vencedor. Lá se vai o estado de graça... He he he

Lucílio "Calabote" Batista - o empregado do BES (e do Sporting)

Um Dragão JAMAIS esquece!

Mesmo vencendo, é obrigatória a denúncia, é obrigatório insistir e desmascarar que alguns árbitros não são honestos. Este é um deles. De longa data.
Como disse Miguel Sousa Tavares, este é o mesmo árbitro que "decidiu que uma mão pousada nas costas é penalty, mas que a entrada por trás do benfiquista Karagounis a partir a perna a Anderson, romper-lhe os ligamentos e arrumar com ele por 6 meses, nem falta assinalou".
Não nos calaremos. Jamais!