Kosta de Alhabaite

Nortenho, do Condado Portucalense

Se em 1628 os Portuenses foram os primeiros a revoltar-se contra o domínio dos Filipes, está na hora de nos levantarmos de novo, agora contra a colonização lisboeta!

:-(( Era um prazer ter eliminado a Espanha...

1ª Conclusão: tirem a braçadeira ao madeirense...
2ª Conclusão: volta e meia deixem-no no banco; pode ser que a humildade lhe faça bem...
3ª Conclusão: que Ricardo Costa (que diabo de nome, faz-me lembrar o nome da "besta") nunca mais jogue pela Selecção. Já no FCPorto me envergonhava da sua violência gratuíta....
4ª Conclusão: Sabrosa estava a dormir na marcação "às costas o Villa"? Não aprendem nada estes bananas? Apenas uma desculpa: o castelhano não estava fora de jogo?
5ª Conclusão: sempre achei muita fruta ao optismo dos jogadores: Campeões do Mundo, diziam eles ser possível. Pois, mas falta-lhes um "bocadinho assim"... Chamem-lhe estofo...
6ª Conclusão: naturalizamos brasileiros para quê?
7ª Conclusão: dois defesas direitos e metem aquele arruaceiro?
8ª Conclusão: grande Guarda-Redes!
9ª Conclusão: o Cabo continua a ser o das Tormentas: até uma Villa espanhola derrota um ... País!


...mas até os russos gozam com Simão...

...mais la manque d'ambition du Portugal dans le jeu et l'absence de soutien offensif leur a été fatal...

É sempre um prazer eliminar a Espanha :-))

Euro 2004: há 6 anos Portugal eliminou a Espanha...

Desobediência Civil: BASTA BASTARDOS!


Norte à beira de se poder revoltar a sério

Rui Rio mete-me nojo! Agora que despontam movimentos de cidadãos a fazerem o trabalho daqueles que foram eleitos para, julgava-se, nos defenderem, aparece este BILTRE de bicos de pés a dizer aquilo que o Povo do Norte está a aguentar: a REVOLTA!
Estes palhaços, seja Rio, seja a Junta Metropolitana do Porto, que até agora se configuraram como autênticos lacaios do poder centralista lisboeta, vendo-se ultrapassados pelos acontecimentos, vêm colar-se ao movimento de utentes, neste caso, e até ao movimento Pró-Partido do Norte, tentando ganhar protagonismo. AGORA NÃO PRECISAMOS NEM QUEREMOS ESSES PALHAÇOS!

Assim como Cavaco, aquando das comemorações do 25 Abril (penso eu) veio falar e chamar a atenção para o governo dedicar "algo mais ao Porto", este pateta já percebeu que esta Região está prestes a explodir. Só precisa da gota final. São décadas a sermos esbugalhados e vilipendiados, décadas a sofer do racismo imposto por uma capital com tiques colonialistas...
Está a chegar a hora. Afinal quem é que quer vergar a cerviz? A Invicta jamais!

A notícia tem origem no


O presidente da Junta Metropolitana do Porto, Rui Rio, alertou hoje, segunda-feira, o Governo para o facto das pessoas da região Norte estarem "à beira de se poderem revoltar", apelando ao chumbo dos chips para "acalmar" a situação das SCUT.

Em declarações aos jornalistas após uma reunião entre a Junta Metropolitana do Porto (JMP), as Comissões de Utentes contra as portagens nas SCUT, a ANTRAM, a Associação Empresarial de Viana do Castelo e o presidente da Câmara da Maia, Bragança Fernandes,
Rui Rio afirmou que a questão das SCUT foi "a gota de água" no "tratamento discriminatório" de que a Região Norte tem sido alvo.

"Este tratamento discriminatório é, em minha opinião e pela leitura política que eu faço, muito perigoso para o Governo. Estamos à beira das pessoas se poderem revoltar a sério e com razão", alertou o também presidente da Câmara do Porto.

Segundo Rio, o Governo "deveria ponderar muito bem aquilo que está a fazer" e "optar por responder e por dialogar e ouvir os argumentos sérios" dos vários intervenientes.

"Está nas mãos da Assembleia da República, não só dos deputados da maioria como dos deputados da oposição, a possibilidade de acalmar e nós não corrermos riscos maiores do que aqueles que estamos a correr", afirmou o presidente da JMP, apelando à revogação dos chips na próxima quinta feira.

Rui Rio considera que "a Junta Metropolitana tem a obrigação e o dever político de apoiar as manifestações feitas pelos movimentos" contra a introdução de portagens nas SCUT.

"Eu tenho esperança que na quinta feira tudo isto possa acalmar com a revogação dos chips e depois haja um clima de diálogo que possa conduzir tudo isto a bom porto", disse o autarca.

Questionado pelos jornalistas sobre o que o levaria a ter esperança no diálogo se ele nunca aconteceu nesta matéria, Rio foi peremptório: "o senhor ministro das Obras Públicas não tem experiência política que eu tenho mas
o Primeiro-ministro tem, talvez mais até do que eu, e talvez consiga perceber que não estamos a falar de uma brincadeira, estamos a falar de toda uma região que está à beira de se poder revoltar".

O presidente da câmara garantiu que "se tivesse no Governo tinha muito cuidado a tratar todos por igual", considerando que "estão a lidar muito mal com os sentimentos das pessoas do Norte".

Hoje, é com a Coreia do Norte essa ditadura desconhecida mas perigosa



Mentiroso compulsivo e escatológico

Os motoristas de Sócrates

Em Inglaterra é assim:
Os ministros deixarão ter um motorista particular para conduzir o seu carro, salvo em "circunstâncias muito excepcionais". O secretário do Tesouro britânico, David Laws, que quando assumiu o cargo abdicou do seu Jaguar com motorista, disse mesmo esperar que os ministros vão para o trabalho "a pé ou de transporte público sempre que possível".

Mas neste luxuriante jardim à beira mar plantado, a coisa passa-se deste modo:
Recebido por e-mail:

"Despacho n.º 8346/2010. D.R. n.º 96, Série II de 2010-05-18
Presidência do Conselho de Ministros - Secretaria-Geral
Requisita à empresa Deloitte & Touche, Lda., António José Oliveira Figueira, para exercer funções de motorista no Gabinete do Primeiro-Ministro

Despacho n.º 8347/2010. D.R. n.º 96, Série II de 2010-05-18
Presidência do Conselho de Ministros - Secretaria-Geral
Requisita à Associação dos Bombeiros Voluntários de Colares Rui Manuel Alves Pereira, para exercer funções de motorista no Gabinete do Primeiro-Ministro

Despacho n.º 8348/2010. D.R. n.º 96, Série II de 2010-05-18
Presidência do Conselho de Ministros - Secretaria-Geral
Requisita ao Sindicato dos Trabalhadores de Escritório, Comércio, Hotelaria e Serviços Vítor Manuel Gomes Martins Marques Ferreira, para exercer funções de motorista no Gabinete do Primeiro-Ministro

Despacho n.º 8349/2010. D.R. n.º 96, Série II de 2010-05-18
Presidência do Conselho de Ministros - Secretaria-Geral
Designa o agente principal da Polícia de Segurança Pública Augusto Lopes de Andrade para exercer funções de motorista no Gabinete do Primeiro-Ministro

Despacho n.º 8350/2010. D.R. n.º 96, Série II de 2010-05-18
Presidência do Conselho de Ministros - Secretaria-Geral
Requisita à empresa Companhia Carris de Ferro de Lisboa, S. A.,Arnaldo de Oliveira Ferreira, para exercer funções de motorista no Gabinete do Primeiro-Ministro

Despacho n.º 8351/2010. D.R. n.º 96, Série II de 2010-05-18
Presidência do Conselho de Ministros - Secretaria-Geral
Designa o assistente operacional Jorge Martins Morais da Secretaria-Geral do Ministério da Cultura, para exercer funções de motorista no Gabinete do Primeiro-Ministro

Despacho n.º 8352/2010. D.R. n.º 96, Série II de 2010-05-18
Presidência do Conselho de Ministros - Secretaria-Geral
Designa o assistente operacional Jorge Orlando Duarte Vouga do Instituto de Gestão Financeira da Segurança Social, I. P., para exercer funções de motorista no Gabinete do Primeiro-Ministro

Despacho n.º 8353/2010. D.R. n.º 96, Série II de 2010-05-18
Presidência do Conselho de Ministros - Secretaria-Geral
Designa o agente principal da Polícia de Segurança Pública Jorge Henrique dos Santos Teixeira da Cunha para exercer funções de motorista no Gabinete do Primeiro-Ministro

Despacho n.º 8354/2010. D.R. n.º 96, Série II de 2010-05-18
Presidência do Conselho de Ministros - Secretaria-Geral
Designa a agente principal da Polícia de Segurança Pública Liliana de Brito para exercer funções de apoio administrativo no Gabinete do Primeiro-Ministro

Despacho n.º 8355/2010. D.R. n.º 96, Série II de 2010-05-18
Presidência do Conselho de Ministros - Secretaria-Geral
Designa o agente principal da Polícia de Segurança Pública José Duarte Barroca Delgado para exercer funções de motorista no Gabinete do Primeiro-Ministro

Despacho n.º 8356/2010. D.R. n.º 96, Série II de 2010-05-18
Presidência do Conselho de Ministros - Secretaria-Geral
Designa o agente principal da Polícia de Segurança Pública Manuel Benjamim Pereira Martinho para exercer funções de motorista no Gabinete do Primeiro-Ministro

Despacho n.º 8357/2010. D.R. n.º 96, Série II de 2010-05-18
Presidência do Conselho de Ministros - Secretaria-Geral
Designa o agente principal da Polícia de Segurança Pública Horácio Paulo Pereira Fernandes para exercer funções de motorista no Gabinete do Primeiro-Ministro

Despacho n.º 8358/2010. D.R. n.º 96, Série II de 2010-05-18
Presidência do Conselho de Ministros - Secretaria-Geral
Designa o agente principal da Polícia de Segurança Pública Custódio Brissos Pinto para exercer funções de motorista no Gabinete do Primeiro-Ministro"

Afinal Green defendeu a bola....

Histórias dos Gamanços Centralistas contra o Porto (I)

O VAPOR ITALIANO “EUDORA” SOFRE UM INCIDENTE QUANDO DE SAIDA DEMANDAVA A BARRA


A 19/05/1931, pelas 17h30, o vapor Italiano EUDORA vindo rio abaixo, ao passar no lugar dos Arribadouros, a amarra duma das bóias prendeu-se no seu hélice, acabando por rebentar. De imediato o piloto José Jeremias dos Santos mandou lançar o ferro de estibordo, cuja amarra partiu. Não perdendo tempo mandou largar o ferro de bombordo e então o vapor fez-se ao ferro, virando proa a Leste.
Suspendendo, foi desandar de proa à barra ao lugar do Bico de Sobreiras, auxiliado pelo rebocador MARS 2º, que se cruzava com aquele vapor na ocasião do incidente e às 18h15 passava a barra, contudo para evitar demoras, não foi desembarcar o piloto da barra ao largo do porto de Leixões, levando-o para o porto de Lisboa.
A 03/07/1931, pelas 08h00, a draga de sucção Portuguesa PORTO principiou a dragar as areias junto da restinga do Cabedelo por imposição da Corporação dos Pilotos da Barra, visto aquele local se encontrar bastante assoreado e como tal dificultando a passagem de embarcações de grande calado.


Vapor EUDORA – 93m/2.263tb/9,5nós; 24/08/1895 entregue por Blohm Voss, Steinwerder, como KURT WOERMANN `Woermann Linie, Hamburgo; 1919 KURT WOERMANN, entregue ao Governo Francês como reparação de guerra; 1924 LAGOS, Woermann Linie, Hamburgo; 1927 EUDORA, Navigazione Neptunia, Génova; 1937 SIDAMO, Servizio Italo Portoghese SA. Di Navigazione, Génova; 27/03/1943 torpedeado e afundado pelo submarino HMS SAHIB na barra de Milazzo, Sicilia.
Draga PORTO – 60m/825tb. Construída na Alemanha em 1913 sob encomenda da Junta Autónoma das Obras da Cidade/Associação Comercial do Porto, que então e por muitos anos foi a Autoridade Portuária dos Portos do Douro e Leixões, sendo depois substituída pela actual APDL/Porto de Leixões.

A finalidade da compra dessa draga foi a de servir, exclusivamente os portos do Douro e Leixões, e que fora adquirida por subscrição da população portuense, negociantes, consignatários de navios, etc. Anos mais tarde, sem mais nem menos, levaram-na do Douro/Leixões para o porto de Lisboa, tendo sido integrada na frota dos SH – Direcção Geral dos Serviços Hidráulicos, contra a vontade da cidade do Porto, resultando daí que a barra do Douro e o porto de Leixões ficassem ao abandono, sobretudo no caso de dragagens urgentes.


Aquela draga, com a extinção daquela Direcção Geral em 1978, foi incorporada na Dragapor – Dragagens de Portugal SA., tomando o nome de Procyon e em 25/07/1981 foi posta a leilão em Viana do Castelo, possivelmente para sucata.


Fontes: José Fernandes Amaro Júnior; Miramar
Ship Index e do Piloto Prático do Douro e Leixões

Porque hoje é domingo...

Está aí uma nova corrente: restaurar o Sagrado com a Santa Missa Tradicional

Porque o Verão está aí à porta: queimar a banha

Assine aqui - mais de 62 mil já o fizeram



Veja aqui o volume de banha.:
RESUMO DAS DESPESAS ORÇAMENTADAS DA AR
1 - Vencimento de Deputados ................... 12 milhões e 349 mil Euros
2 - Ajudas de Custo de Deputados................ 2 milhões e 724 mil Euros
3 - Transportes de Deputados ................... 3 milhões 869 mil Euros
4 - Deslocações e Estadas ...................... 2 milhões e 363 mil Euros
5 - Assistência Técnica ........................ 2 milhões e 948 mil Euros
6 - Outros Trabalhos Especializados ............ 3 milhões e 593 mil Euros
7 - SERVIÇO RESTAURANTE,REFEITÓRIO,CAFETARIA.... 961 mil Euros
8 - Subvenções aos Grupos Parlamentares......... 970 mil Euros
9 - Equipamento de Informática ................. 2 milhões e 110 mil Euros
10 - Outros Investimentos ...................... 2 milhões e 420 mil Euros
11 - Edifícios ................................. 2 milhões e 686 mil Euros
12 - Transferências Diversas .................. 13 milhões e 506 mil Euros
13 - SUBVENÇÃO aos PARTIDOS representados na AR 16 milhões e 977 mil Euros
14 - SUBVENÇÕES PARA CAMPANHAS ELEITORAIS ......73 milhões e 798 mil Euros

Isto são, então, ALGUMAS das rubricas do orçamento da ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA! Em resumo e NO TOTAL a DESPESA ORÇAMENTADA relativamente ao ANO de 2010, é : 191.405.356,61 (191 Milhões 405 mil 356 Euros e 61 cêntimos) - Ver Folha 372 do Diário da República nº 28 - 1ª Série , de 10 de Fevereiro de 2010.

Morreu o Torquemada Comunista do Diário de Notícias

Ensinaram-me a respeitar todas as pessoas, vivas ou mortas.
E na morte, respeitar o luto dos vivos, que por remorços disfarçados ou sentida perda choram a passagem, esperando o reencontro noutra vida. Para ajustar contas ou para abraçar a memória.
Claro que esta introdução é para falar do falecimento de Saramago. Muito bem: condolências à família. Ponto final.
Claro que o meu comentário também se deve ao facto de não simpatizar minimamente com o escritor, nem tão pouco com o fulano.
Agora, falando do circo que para aí está montado (há já quem peça o Panteão Nacional...), acho que é uma perfeita idiotice. Não foi ele que terá ameaçado deixar de ser cidadão português? Tendo sido comuna porque se comportava como um biltre fascista que se recusava a pagar impostos em Portugal? É a hipocrisia habitual dos tugas políticos, quiçá preocupados com a Fundação Saramago ou a lisboeta casa dos Bicos...
O que pensarão aqueles desgraçados jornalistas do Diário de Notícias que, nos idos anos 70 do século passado, foram perseguidos e despedidos pelo torquemada ou tirano comunista agora falecido?
Alguém se esqueceu do seu anti-semitismo e das afirmações proferidas em Março de 2002 numa visita a Ramallah? Recordo: comparava os territórios palestinianos a Auschwitz!!!
Como diz António Valdemar, presidente da Academia Nacional de Belas Artes, «julgo que é um escritor razoável e será lembrado por ser o primeiro Nobel da língua portuguesa.»

Centralismos Socráticos (II)

Carta aberta à família Espírito Santo

Percebi desde a primeira hora a razão do ataque ao BCP .

Percebi a necessidade de banqueiros de renome serem substituídos por funcionários governamentais/partidários.

Percebo também porque motivo o BES passa pelo meio das pingas da CMVM e está metido em todos os negócios escuros do governo lisboeta-socialista.

Sempre fui muito inteligente... pena é não conseguir acertar no euromilhões.

Centralismos Socráticos (I)

Adivinha:

Qual era a empresa que não ia ganhar o concurso da linha do TGV por estar em segundo lugar??

A Mota-Engil!

Concidências

O Porto sempre a perder...


Cinemas do shopping Bom Sucesso vão fechar

As salas de cinema do shopping Bom Sucesso, no Porto, fecham até 31 de Julho. A Medeia Filmes vai deixar o centro comercial por falta de condições para renovar o equipamento. A administração confirma e não avança com datas para uma eventual reabertura.

Serão menos quatro salas de cinema numa cidade onde fechou quase tudo nos últimos quinze anos. Sobrevivem o Nun’ Álvares, reaberto no final de 2009, e as salas do Dolce Vita, nas Antas (ler caixa). Em termos de conteúdos, o Cidade do Porto era o único a exibir cinema independente.

A informação sobre o encerramento chegou recentemente aos utilizadores do cartão Medeia Card: a distribuidora vai deixar o shopping e, por isso, não será cobrada a mensalidade de Julho. Os filmes da Medeia passam a ficar concentrados no Teatro do Campo Alegre, que já acolhe algumas sessões, mas passará a ter uma programação mais contínua.

A data de encerramento dos cinemas ainda não está totalmente definida. 31 de Julho é o dia limite para a Medeia sair, mas a última exibição poderá acontecer antes. Na próxima semana deverá realizar-se uma reunião entre a empresa e a administração do shopping Cidade do Porto.

“Precisávamos de investir várias centenas de milhares de euros na digitalização do equipamento. Há quem o faça através de acordos que depois impõem a exibição de blockbusters [cinema comercial]. Não queremos, essa nunca foi a nossa linha, queremos continuar com o cinema independente e europeu”, referiu, ao JN, António Costa, representante da Medeia.

O responsável não precisou o valor do investimento, mas garantiu que seriam precisos “muitos milhares de euros” e que a Medeia não está em condições de o fazer. Aos espectadores fiéis, António Costa deixa uma garantia: “a Medeia não deixará de trabalhar no Porto. Os filmes diferentes que exibimos passarão para o Teatro do Campo Alegre”. A distribuidora está ainda a estudar a hipótese de realizar exibições pontuais em espaços alternativos da cidade.

Contactada pelo JN, fonte da administração do shopping afirmou que o encerramento das salas acontece por acordo entre as partes. Referiu ainda que é intenção da actual administração manter as salas de cinema, mas não avança com datas para uma eventual reabertura.


Nun’Alvares deu pontapé na onda de cinemas encerrados

Foi como uma pedrada no charco. Encerrado durante quase quatro anos, o cinema Nun’ Álvares, na Rua de Guerra Junqueiro, reabriu a sala no final do ano passado. Depois de um investimento de 150 mil euros para dotar o espaço de tecnologia digital e 3D, ficou adaptado às necessidades tecnológicas do cinema moderno e abriu portas no dia 17 de Dezembro.

No primeiro mês, a procura superou as expectativas, com uma ocupação superior a 35%. O responsável pela reabertura da sala, inaugurada em 1959, é um empresário moçambicano com vontade de criar um cinema de proximidade, atrair jovens e trazer para o mercado novidades como o “filme a pedido”.

Elias Macovela está ciente que para o negócio ser rentável é preciso exibir filmes comerciais, mas já manifestou intenção de abrir a sala ao cinema independente. Com a saída da Medeia Filmes das salas do shopping Bom Sucesso a opção pode ganhar força. Certo é que no Porto nem as salas dos centros comerciais têm êxito garantido.
As do Central Shopping fecharam em 2004, a do Brasília (Charlot) em 2000 e as do STOP tiveram o mesmo destino. O Gran Plaza, na Baixa, não chegou a ter os cinemas inicialmente previstos. Restam as nove salas do Dolce Vita.

Direito de resisitr! (*)


1 - Em tempos que já lá vão, um governo achou que o país padecia de estradas muito más e prometeu resolver esse problema. Fez uma rede de auto-estradas e anunciou que os utilizadores não as pagariam. Muitos duvidaram da viabilidade dessa intenção: era uma "ruína financeira", vaticinaram. Que não, garantiam, ufanos, os ministros: "tratam-se de auto-estradas que se pagam a si próprias".

Os anos passaram e cumpriram-se os piores augúrios. Mas os políticos do partido que tinha obrado essas auto-estradas continuavam a afiançar que o modelo estava correcto.

De repente, esses políticos inverteram o discurso. Comunicaram que o país estava a perder muitos milhões devido às auto-estradas que, afinal, não se pagaram a si próprias, e, assim, o Governo do mesmo partido que as tinha feito e jurado a sua gratuitidade quis impor portagens com o mesmo carimbo de responsabilidade governativa com que anteriormente as tinha qualificado como desnecessárias.

Não tiveram qualquer pejo em declarar o contrário daquilo que tinham proclamado. Não pediram desculpas por estarem a desdizer uma das suas promessas eleitorais várias vezes reafirmada. Nem sequer confessaram que se tinham enganado - nada disso. Com a placidez dos que julgam que a política é o reino da impunidade absoluta, o Governo limitou-se a mudar de opinião e a notificar, seca e verticalmente, as suas novas certezas aos autarcas afectados e à população.

Não existe nada de extraordinário em ter portagens numa auto-estrada - em quase todo o Mundo estas são pagas pelos seus utilizadores. Mas a falta de justificação oferecida nesta cambalhota e a sua ligeireza patente, fazem com que este caso se constitua como um exemplo cabal da falta de transparência e do indisfarçável desprezo que os políticos que estão no poder nutrem por quem os elege.

Ainda por cima, só algumas zonas do país é que tiveram a graça de receberem o brinde das portagens por parte do Terreiro do Paço - designadamente, a região entre Aveiro e Caminha (passando por Paredes, Penafiel, Paços de Ferreira e Lousada). Os critérios pretensamente técnicos que o poder central engendrou, uma vez mais, deixaram de fora outras auto-estradas que estão na mesma situação. O rendimento das regiões onde se situam as escolhidas não consente a sobrecarga de taxas, as estradas alternativas só existem no papel porque se converteram em ruas urbanas com semáforos e rotundas, limitadas à velocidade de 50 km por hora.

Os políticos que mandam dizem não querer colocar portagens no interior - porém a Via do Infante, no Algarve, está em pleno litoral e cumula todas as condições para que os seus utilizadores paguem portagens. No entanto, o Governo isentou-a num exercício de hipocrisia política já para além da redenção.

2. Daqui a duas semanas, uma série de auto-estradas que ligam Aveiro-Gaia, Matosinhos-Lousada e Matosinhos-Caminha vão sofrer um sistema de portagens. Estas vias situam-se em áreas sujeitas a uma enorme crise económica e perseguidas por um subfinanciamento crónico por parte do Estado central.

O princípio do utilizador-pagador não pode ser aplicado apenas em parte do país - sobretudo, quando se discriminam as regiões que já estão subjugadas ao critério mais habitual de quem nos tem governado: o do pagador-pagador!

A intenção governamental ofende o princípio da igualdade: os cidadãos são tratados diferentemente em função da região onde vivem e trabalham. É injusta e politicamente insensata, vai agravar a situação económica dos que já são mais prejudicados pela crise.

Quando o Governo de Salazar construiu a ponte da Arrábida também quis portagens. Naquele tempo, apesar da ditadura, as pessoas insurgiram-se e a vontade do Terreiro do Paço não foi adiante.

Hoje, a ditadura não é política - o novo despotismo exibe roupagens técnicas e o linguajar da inevitabilidade das suas deliberações. Mas é igualmente centralista e arrogante.

O dever de cidadania exige que se lute contra as decisões injustas. Quando os cidadãos se opõem como deve ser os Governos são obrigados a ceder.

Se nós o quisermos, as portagens não existirão.
(*) no Jornal de Notícias

Centralismo, o novo colonialismo?

Via Jornal de Notícias, um fabuloso artigo de Paulo Morais.

“Os governos de Lisboa, tendo perdido os territórios ultramarinos, contentam-se agora com colonizar e espoliar o resto do continente. O centralismo é a principal razão da nossa pobreza e maior causa da crise económica que actualmente sofremos.”

Tenho boas e más notícias. As boas: temos ouro. As más: o ouro não chega


Jogo de futebol: a loucura total

Trata-se de um jogo entre o Motherwell e o Hibernian a contar para o campeonato escocês, e que terminou com ambas as equipas empatadas a 6 golos.
O Hibernian chegou a estar a vencer por 6-2 mas o Motherwell operou uma recuperação fantástica até igualar a partida 6-6. Pelo meio ainda permitiu que o guarda-redes adversário defendesse uma grande penalidade. É de ficar sem fôlego...

Manifesto do Mundial

Queridas esposas, noivas, namoradas, filhas, sobrinhas, primas, tias, amigas, colegas ou qualquer criatura do sexo feminino: Divulgamos, com antecedência, as 13 regras para o Campeonato do Mundo de 2010 para que vocês leiam com calma, entendam e não nos perturbem.

1. Durante o Mundial, a televisão é minha, 100% minha, o tempo todo. Sem excepção nem discussão.

2. De 11 de junho a 11 de julho de 2010, deverão ler a secção "desporto" do jornal de modo a manterem-se a par do que se passa em relação ao Mundial, o que vai permitir participar nas nossas conversas. Caso não procedam desta forma, serão olhadas com maus olhos ou mesmo ignoradas por completo. Depois, não reclamem por não receberem nenhuma atenção.

3. Se precisarem passar em frente à TV durante um jogo, nós não nos importamos, desde que o façam a rastejar e sem nos distrair.

4. Durante os jogos nós estaremos cegos, surdos e mudos, excepto nos casos em que nós solicitamos que encham o copo de cerveja ou pedimos a gentileza de nos trazer algo para comer. Estarão malucas se acharem que vamos ouvi-las abrir a porta, atender o telefone ou levantar o bebé que possa ter caído no chão... não vai acontecer.

5. É uma boa ideia manterem sempre, pelo menos, 2 caixas de cerveja no frio, bem como uma razoável variedade de salgadinhos. E, por favor, não façam cara feia para os nossos amigos quando eles vierem assistir aos jogos em casa. Como recompensa, podem assistir TV entre a meia-noite e as seis da manhã, a menos, é claro, que neste período haja a repetição de algum jogo que nós tenhamos perdido durante o dia.

6. Por favor, por favor, pooor faaaavor! Se nos virem contrariados por alguma equipa do nosso interesse estar a perder, NÃO DIGAM coisas como "Ah, deixa isso pra lá, é só um jogo..." ou "Não se preocupe, eles vão ganhar da próxima vez..." Se disserem coisas desse tipo, só nos deixará com mais raiva e vamos amá-las menos. Lembrem-se, jamais saberão mais sobre futebol do que nós e as vossas supostas "palavras de encorajamento" apenas nos levarão a problemas no casamento.

7. Serão bem-vindas a sentarem-se connosco para assistir a um jogo e podem dirigir-nos a palavra no intervalo entre a 1ª e a 2ª parte, mas apenas durante os comerciais e, muito importante, APENAS se o resultado da primeira parte tiver sido do nosso agrado. Favor notar também que especifiquei UM jogo, ou seja, não usem o Mundial como pretexto mimoso para aquela coisa de "passarmos tempo juntos".

8. Os resumos dos jogos são muito importantes. Não importa se já vimos o jogo ou não, nós queremos ver novamente. Muitas vezes...

9. Não nos perturbem nem aos nossos amigos, perguntando sobre as regras do futebol. Vejam o jogo e finjam que estão a perceber. Pulem e gritem quando nós pularmos e gritarmos. Nunca, jamais perguntem como funciona a regra do FORA DE JOGO! Vocês nunca irão perceber!

10. Avisem as suas amigas para no mês do Mundial não darem à luz nenhum bebé ou mesmo promover qualquer evento de qualquer natureza que exija a nossa presença, porque: 1) Nós não vamos; 2) Nós não vamos, e 3) Nós não vamos.

11. No entanto se um amigo nosso nos convidar para ir à casa dele para assistir um jogo, iremos de imediato.

12. Os resumos e debates desportivos do Mundial toda noite na TV são tão importantes quanto os jogos propriamente ditos. Que nem lhes passem pela cabeça dizer coisas como "Mas já viste isso tudo.... porque não mudas para um canal que todos possamos assistir?" Se disserem algo parecido com isto, saibam desde já que a resposta será: "Vejam a regra nº 1 dessa lista".

13. E, finalizando, por favor poupem-nos de expressões como "Ainda bem que só tem Mundial de quatro em quatro anos". Estou imune a manifestações dessa natureza, pois após o Mundial começa a 1ªLiga, depois vem a Liga dos Campeões, o campeonato Italiano, o Inglês, o Espanhol, o Alemão, o Francês, o Belga, o Suíço, o Irlandês, o Dinamarquês, o Búlgaro...

Grato por sua cooperação,
Assinado: Todos os Homens NORMAIS do Mundo!!!

Coisas de mulher...

Ela passou o primeiro dia a empacotar todos os seus pertences em caixas, malões e malas.
No segundo dia, ela chamou os homens da transportadora que levaram a mudança.
No terceiro dia, ela sentou-se pela última vez na bela mesa da sala de jantar, à luz de velas, pôs uma música suave e se deliciou com uns camarões, um frasco de caviar e um garrafa de Chardonnay.
Quando terminou, foi a cada um dos aposentos e colocou alguns pedaços de casca de camarão, besuntados com caviar, dentro das cavidades dos varões das cortinas (aqueles tubos ocos de alumínio).
Depois ela limpou a cozinha e abandonou a casa.
Mais tarde o seu ex-marido chegou com a nova namorada, tudo estava tudo muito bem arrumado, cheirando a limpeza.
Depois, pouco a pouco, a casa começou a feder.
Eles tentaram de tudo: limparam, lavaram e arejaram a casa.
Todas as aberturas de ventilação foram verificadas à procura de possíveis ratos mortos e os tapetes foram limpos com vapor.
Desodorizantes de ar e ambiente foram pendurados em todos os lugares.
A empresa de combate a insectos foi chamada para colocar gás em todos os canos, durante alguns dias, durante os quais tiverem de sair da casa, e no fim ainda tiveram de pagar para substituir o caríssimo carpete de lã.
Nada funcionou.
As pessoas pararam de visitá-los.
Os funcionários das empresas de consertos se recusavam a trabalhar na casa..
A empregada de limpeza demitiu-se...
Finalmente, eles não suportavam mais o fedor e decidiram mudar-se.
Um mês depois, apesar de terem reduzido o valor da casa em 50%, eles não conseguiram um comprador para a casa fedorenta.
A notícia se espalhava e nem mesmo os agentes imobiliários aceitavam a mediação.
Finalmente, eles tiveram de fazer um grande empréstimo no banco para comprar uma casa nova.
A ex-esposa ligou para o marido e perguntou como andavam as coisas.
Ele contou-lhe o martírio da casa podre.
Ela escutou pacientemente e disse que sentia muitas saudades da casa antiga e que estaria disposta a reduzir a parte que lhe caberia do acordo de separação dos bens em troca da casa.
Sabendo que a ex-mulher não tinha idéia de como estava o cheiro, ele concordou com um preço que era cerca de 1/10 do que valeria a casa.
Mas só se ela assinasse os papéis naquele dia mesmo.
Ela concordou e em menos de uma hora, os advogados dele entregavam os documentos à ex-mulher.
Uma semana depois, o homem e sua namorada assistiam, com um sorriso malicioso, os homens da mudança empacotando tudo para levar para a sua nova casa...
Incluindo os varões das cortinas!!!



MANDAMENTOS DA MULHER

- Mulher não mente, e sim omite os factos.
- Mulher não trai, vinga-se.
- Mulher nunca xinga, apenas é sincera.
- Mulher não grita, testa as cordas vocais. (adorei)
- Mulher nunca olha para um homem todo bom, apenas verifica suas formas anatómicas.
- Mulher não sente preguiça, descansa a beleza.
- Mulher nunca sofre por amor, e sim entra em contradições com os sentimentos.
- MULHER NUNCA ENGANA OS HOMENS, PRATICA O QUE APRENDEU COM ELES.

Dá-lhes Quim ...

Um novo instrumento musical

Morreu João Aguiar



João Aguiar foi um dos cultores em Portugal do chamado romance histórico, com “A Voz dos Deuses”, publicado em 1984.

João Casimiro Namorado de Aguiar nasceu em 28 de outubro de 1943 e viveu a infância entre Lisboa, cidade natal, e a Beira, em Moçambique. A mãe ensinou-o a ler para mantê-lo sossegado na cama, durante um longo período de doença, e de leitor interessado passou rapidamente a aspirante a escritor.
Aos oito anos, tentou ditar um livro de aventuras à irmã Maria João mas o sentido crítico dela arrasou-lhe as pretensões. Insistiu com novas obras que foi deitando para o lixo e teve mesmo um “primeiro” livro que só não viu a luz do dia porque a editora faliu antes. Só depois dos 40 anos publicou o primeiro romance, na Perspetivas & Realidades de João Soares: “A Voz dos Deuses”, uma ficção histórica centrada na figura de Viriato.
Seguiram-se duas dezenas de romances que o levaram a estudar a história mais remota de Portugal – regressou aos primórdios para falar de Sertório e publicou até um trabalho não ficcionado sobre o menino do Lapedo. Viajou para Macau com a ficção para escrever “Os Comedores de Pérolas” e “O Dragão de Fumo”.
Pelo meio, João Aguiar criou duas séries destinadas ao público mais jovem – “Sebastião e os Mundos Secretos” e o “Bando dos Quatro”, no qual ele próprio figura na personagem do Tio João. Fez também o libreto para a ópera “A Orquídea Branca” de Jorge Salgueiro, estreada em 2008.
A doença que veio a provocar-lhe a morte impediu-o de concluir o livro que preparava sobre a revolução de 1383-1385.
João Aguiar frequentou em Lisboa os cursos superiores de Direito e Filosofia mas foi em Bruxelas que se licenciou em Jornalismo, profissão que entretanto tinha começado a exercer. Na Bélgica, fez um pouco de tudo, desde lavar escadas a trabalhar no Turismo de Portugal.
De regresso a Portugal, fez o serviço militar e uma comissão em Angola no sector da acção psicológica, produzindo programas de rádio para as tropas.
Considerou-se sempre jornalista, mesmo passados largos anos desde que abandonara a actividade profissional. Começou pela RTP – onde também coordenou uma série da Rua Sésamo - e passou depois por jornais como Diário de Notícias, A Luta, O País. Fez rádio no Canadá, onde trabalhou com Henrique Mendes.
Dizia-se um “monárquico não tradicionalista”, justificava-o “por uma questão pragmática”. O último romance que publicou – “O Priorado do Cifrão” – era uma “charge” ao mundo criado por Dan Brown.
Numa autobiografia irónica que escreveu para o jornal de Letras em 2005, João Aguiar concluía: “A minha vida não dava um livro, e ainda bem. Em compensação, o facto de os meus livros darem uma vida – boa ou má, não importa para o caso – , esse facto devo-o, em grande parte, aos momentos de não-glória que acabo de relatar. E estou-lhes muito grato.”

Como já aqui revelei, conheci a obra deste escritor pela mão do meu irmão José Luis. Este conhecera-o precisamente em Angola, quando aquele o foi substituir na rádio. A obra de "abertura" foi a "Encomendação das Almas". Devorei o livro e de imedito adquiri "O Navegador Solitário". Deliciado, fui comprar a obra mais emblemática daquele que, na minha perspectiva, é o melhor escritor contemporâneo português: "A Voz dos Deuses" de João Aguiar devia ser leitura obrigatória nas escolas. Leiam-no!

Bibliografia:
- Uma Incursão no Esoterismo Português (1983)
- A Voz dos Deuses (romance, 1984)
- O Homem Sem Nome (romance, 1986)
- O Trono do Altíssimo (romance, 1988)
- O Canto dos Fantasmas (contos, 1990)
- Os Comedores de Pérolas (romance, 1992)
- A Hora de Sertório (romance, 1994)
- A Encomendação das Almas (romance, 1995)
- O Navegador Solitário (romance, 1996)
- Inês de Portugal (romance, 1997)
- O Dragão de Fumo (romance, 1998)
- A Catedral Verde (romance, 2000)
- Diálogo das Compensadas (romance, 2001)
- Uma Deusa na Bruma (romance, 2003)
- O Sétimo Herói (romance, 2004)
- O Jardim das Delícias (romance, 2005)
- Lapedo – Uma Criança no Vale (ensaio, 2006)
- O Priorado do Cifrão (romance, 2008)
João Aguiar é também autor de três colecções juvenis: O Bando dos Quatro (Edições Asa), Pedro & Companhia e Sebastião e os Mundos Secretos (Presença). Escreveu guiões para programas de televisão e argumentos para cinema (Rua Sésamo, Inês de Portugal, etc.).

Rui Moreira: discurso memorável

Transcrição do discurso proferido por Rui Moreira por ocasião da visita efectuada pelo presidente do PSD ao palácio da Bolsa

Senhor Presidente do PSD, minhas Senhoras e meus Senhores,

Queria-lhe agradecer por ter aceitado o convite da Associação Comercial do Porto para aqui estar hoje. Naturalmente, os sócios desta casa, e os nossos convidados estão interessados em ouvi-lo e, por isso, tentarei ser breve. Mas, não podia deixar de aproveitar a sua presença para lhe dar conta de algumas das nossas maiores inquietações, num momento grave para o país em que, sem exagero, se pode dizer que estamos confrontados com uma crise que afecta a nossa subsistência enquanto nação soberana.

Por isso mesmo, porque a crise existe e não podia já ser mascarada com operações de maquilhagem, compreendemos que o PSD tenha apoiado algumas das medidas urgentes que o governo português foi forçado a tomar, há algumas semanas. Melhor teria sido, é claro, que a iniciativa tivesse partido do governo. Em vez disso, ao teimar numa política irrealista, Portugal sucumbiu a um ultimato e viu-se obrigado a ajoelhar perante as exigências dos mercados e dos nossos parceiros.
Nessa circunstância, meu caro Pedro Passos Coelho, o seu sentido de Estado só pode ser louvado, ainda que se tenha compreendido que o remédio adoptado, e que o PSD viabilizou para conter essa emergência, não foi aquele que preconizava.

Infelizmente, é pouco provável que essas medidas resultem numa solução durável. E, nos últimos dias, o Governo vai dando sinais que, depois de contar com esse apoio patriótico do PSD, se volta novamente para a esquerda a fim de encontrar apoios para persistir nas políticas que foram, pelo menos em parte, responsáveis pela actual situação das contas públicas e, pior do que isso, pelos problemas estruturais da economia.

De facto, pode-se dizer que o Governo apenas adiou algumas das suas obras faraónicas porque não tinha condições para as financiar, e é inegável também que pouco ou nada pretende fazer para reduzir a despesa pública primária, tendo optado onerar os contribuintes com sucessivos aumentos da carga fiscal. Estamos perante um pacote recessivo, administrado a conta-gotas, em que será o sector privado da economia a pagar a factura, o que é manifestamente injusto e é, também, contrário ao desígnio sempre anunciado e nunca realizado de promover o crescimento económico.

Ora, sem esse crescimento económico, cujos ténues sinais serão certamente abafados por estas medidas, os problemas das empresas vão-se agravar e, se assim for haverá mais desemprego, mais falências e menos receita fiscal. E, se olharmos ao actual clima que se vive na Europa e em particular na zona Euro, é provável que estejamos em vésperas de novas imposições.

Acresce, meu caro Pedro Passos Coelho, que este sacrifício, que é injusto pela razão que expus - porque onera principalmente as empresas e todos aqueles que dependem da economia privada, ou seja, aqueles que criam a riqueza nacional - comporta ainda uma profunda desigualdade.

Estou a falar, naturalmente, da discriminação regional que está presente em todas as opções do Governo no que diz respeito às obras públicas, em que o Norte em particular é muito prejudicado, o que é paradoxal e inaceitável na medida em que tem sido a região do país mais fustigada pela crise estrutural e pelos problemas conjunturais.

Mas, é bom que se diga que não é apenas nas obras públicas, na sua localização e no seu financiamento, que o Norte é mais prejudicado.

Não é apenas na concentração de obras públicas a sul, que serão viabilizadas através dos recursos que deveriam ser alocados a norte ou que deveriam estar disponíveis para as empresas;

Não é apenas nas SCUT, em que a Norte se aplica o princípio do utilizador pagador e a sul se aplica o princípio do utilizador não pagador;

O mesmo acontece com o QREN, que nos vai sendo roubado através de políticas de cariz neocolonial;

O mesmo acontece com as anunciadas políticas de privatização, em particular da ANA, em que as nossas infraestruturas estão condenadas ao papel de mero enxoval;

O mesmo acontece com as políticas de promoção turística, em que se privilegiam outras regiões e se esquece o Norte;

O mesmo acontece com o centralismo, e com a absurda concentração em Lisboa de todos os serviços relevantes do Estado, como foi o caso recente com a AICEP;

O mesmo acontece com os PIN, que por milagre se concentram todos a sul do Mondego;

O mesmo acontece com as políticas energéticas, em que o país beneficia das barragens mas não paga os seus custos ambientais nem devolve às populações locais qualquer vantagem;

O mesmo acontece com as políticas fiscais e com as políticas laborais, que prejudicam e reduzem a competitividade das empresas que produzem bens e serviços transaccionáveis;

O mesmo acontece, até, com as políticas sociais, onde se reduzem os apoios aos desempregados que estão, como se sabe, em maior número a Norte;

Senhor Doutor Pedro Passos Coelho,

Estamos hoje no Salão Árabe, no Palácio da Bolsa, sede da Associação Comercial do Porto. Aqui, entre estas paredes, falamos à vontade, porque não dependemos de subsídios e nem de traficâncias. Aqui, minhas senhoras e meus senhores, não há medo de dizer a verdade.

Por isso, e a bem da verdade, lanço um aviso deste púlpito:

Vive-se no Norte, um ambiente extremamente depressivo. Todos o sabemos, e compreendemos as razões. Por isso, estamos disponíveis para continuar a fazer sacrifícios, a bem de Portugal.

Contudo, engana-se quem subvaloriza esta situação, e ilude-se quem acredita que tudo iremos aceitar com conformismo e resignação. Há hoje um sentimento latente de injustiça, face ao sobrepeso do Estado que se concentra em Lisboa e aniquila as nossas empresas, e um sentimento inequívoco de revolta contra a duplicidade dos políticos, principalmente daqueles que esquecem o interesse dos seus eleitores. Engana-se quem pensa que o Norte vai continuar a pagar a factura da farmácia, se os remédios forem meros paliativos que, por norma, são todos utilizados para benefício da capital.

É, por isso, porque há uma situação de desigualdade gritante e um sentimento de revolta que é preciso contrariar, que aqui faço um apelo para que se tomem medidas urgentes para contrariar essa situação. Por isso, Senhor Doutor Pedro Passos Coelho, compreenderá que aproveite esta sua visita para exortar o PSD a não esquecer esta questão, e a não pactuar com nenhumas políticas do Governo que acentuem, ou não atenuem, estes desequilíbrios e estas injustiças. Não haverá coesão nacional nem uma comunhão de vontades para sobreviver à tormenta e ultrapassar a crise, sem coesão social e coesão territorial.

Muito mais teria para lhe dizer, Senhor Doutor Pedro Passos Coelho, mas é tempo de o ouvirmos, agora.

Muito obrigado.

Alarme: Há mais crianças e velhos pobres no Porto

DORA MOTA, in JN


O Porto é uma cidade com muitas famílias pobres com filhos nos primeiros anos da escola, com muitos velhos a viver sozinhos e quase um quinto da população a viver em bairros da Câmara. Hoje, segunda-feira, à noite, a Assembleia Municipal debate a situação social do concelho numa sessão extraordinária.
O apuro é do Diagnóstico Social do Porto - "Porto Solidário", relatório sobre a situação social do concelho elaborado pela Universidade Católica, por encomenda da Fundação Porto Social, a entidade municipal com a competência da acção social. O levantamento, realizado ao longo de dez meses, até Junho de 2009, revelou que a cidade está ferida pela pobreza e as suas conclusões irão sustentar boa parte do debate que, esta noite, será feito na Assembleia Municipal do Porto.
A sessão extraordinária foi pedida pelos partidos da esquerda - PS, BE e CDU - com o objectivo de suscitar a sugestão de medidas a tomar pelo poder municipal. Que o Porto está a perder habitantes não é uma informação nova - os censos de 2001 já revelaram uma quebra acentuada de população (13% em dez anos). Os números mais recentes, de 2008 (a média de 16 habitantes por dia que saem da cidade) já foram bandeira eleitoral da oposição de Rui Rio na corrida à Câmara.

Falta de espaços
Também que a cidade não tem suficientes espaços de acolhimento para os seus velhos e deficientes a Câmara Municipal já sabia. Mas o Diagnóstico Social revelou outras carências destas populações mais frágeis. Por exemplo, quehá mais analfabetismo e desemprego entre os cidadãos com deficiência que vivem no Porto do que no resto do país.
Tendo o concelho índices de envelhecimento e dependência "muito superiores" à média nacional, alberga um grande número de idosos pobres. Há na cidade 44654 pessoas com 65 anos ou mais e cerca de 15% delas pediram Complemento Solidário para Idosos, sendo 10 % beneficiários desta prestação social.
Quase 80% deles são mulheres. Por outro lado, as pessoas com mais de 65 anos são um quarto dos moradores nos bairros sociais e, em 14% das casas da Câmara, há um idoso a viver sozinho.
60% de crianças com apoio
Para as famílias, a situação actual também é difícil. O número de crianças que frequentam o ensino pré-escolar e o primeiro ciclo que recebem o apoio social mais alto será prova disso (cerca de 60% dos meninos nos primeiros anos da escola está nos escalões A e B, havendo 30% de crianças em cada um deles).
O Diagnóstico Social revela especial inquietação com os duzentos adolescentes e crianças sinalizados como estando fora de qualquer percurso educativo na cidade, sendo "uma ferida social que urge combater". Os dados do Rendimento Social de Inserção (RSI) indicam também que há muitas famílias com crianças a viver em pobreza no Porto, já que um terço dos beneficiários tem menos de 18 anos. Segundo os dados daquele relatório, cerca de 6% da população da cidade recebe RSI (ler texto ao lado).
O elevado número de famílias monoparentais, com uma mãe sozinha na maior parte delas, é um factor de risco de pobreza - são dados de 2001, mas estima-se que 25% das famílias do Porto tenham um só progenitor presente.
A sensível situação dos bairros sociais adivinha-se pelos dados de emprego: apenas 27% dos seus moradores trabalham, estando 25 % reformados. Entre essa população, há ainda 21% de desempregados e 22% de pessoas não activas

O Papa e Datas com História: 23 de Maio de 1179

No ano de 1179, no dia 23 de Maio, finalmente o Papa Alexandre III reconhecia aquilo que na prática começara a desenhar-se em Guimarães, em 1128, e, anos depois, em Zamora, o castelhano reconhecia: que Portugal era um reino independente - fê-lo quando emitiu a Bula Manifestis Probatum

"economês" do dia

"Recessão é quando o vizinho perde o seu emprego,
depressão quando perdes o teu,
e recuperação quando Sócrates perder o dele"

Orçamento republicano (e o povo é que paga)

(chegado por e-mail)

Atentem no valor que o Bolso dos Portugueses terá de suportar para GARANTIR a existência e funcionamento (???) da “nossa” ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA.

Seguem-se algumas das rubricas Existentes no Orçamento que acaba de ser publicado em Diário da República.

Caso queiram consultar essa peça na íntegra só terão de ir ao site WWW.dre.pt e acederem ao Diário da República nº 28 - I série - datado de 10 de Fevereiro de 2010 - RESOLUÇÃO da Assembleia da República nº 11/2010.

Então DELICIEM-SE :

1 - Vencimento de Deputados...................... 12 milhões e 349 mil Euros
2 - Ajudas de Custo de Deputados............ .....2 milhões e 724 mil Euros
3 - Transportes de Deputados ........................3 milhões e 869 mil Euros
4 - Deslocações e Estadas ............................2 milhões e 363 mil Euros
5 - Assistência Técnica (?????) ............. .....2 milhões e 948 mil Euros
(Deve ser para apertar alguns parafusos um tanto desapertados!)
6 - Outros Trabalhos Especializados (???????) ....3 milhões e 593 mil Euros
(Quais ?...e pagos a quem ? )
7 - SERVIÇO REST., REF. E CAFET............961 mil Euros
( Não chega à casa dos milhões !!! Andam a passar fome… )
8 - Subvenções aos Grupos Parlamentares......970 mil Euros
9 - Equipamento de Informática .....................2 milhões e 110 mil Euros
10 - Outros Investimentos (??????) ...............2 milhões e 420 mil Euros
11 - Edifícios ...............................................2 milhões e 686 mil Euros
12 – Transferências (???????) Diversas (????)...13 milhões e 506 mil Euros
13 - SUBVENÇÃO aos PARTIDOS representados na Assembleia da República.16 milhões e 977 mil Euros
14 - SUBVENÇÕES ESTATAIS PARA CAMPANHAS ELEITORAIS .............73 milhões e 798 mil Euros


Isto são algumas das rubricas do orçamento da ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA!!!

Resumindo: no total a despesa orçamentada para "aquela casinha", relativamente ao ano 2010 é apenas de:
191 405 356, 61 Cêntimos (191 Milhões 405 mil 356 Euros e 61 cêntimos) - Ver Folha 372 do acima identificado Diário da República nº 28 - 1ª Série -, de 10 de Fevereiro de 2010.

Nos termos do disposto no Artigo 148º. da Constituição da República Portuguesa:
"(...) A Assembleia da República tem o MINIMO de cento e oitenta deputados e o MÁXIMO de duzentos e trinta deputados, nos termos da Lei Eleitoral (...) ".

Eles são quantos ?????!!!... CLARO CLARO!!!
230 que é o número MÁXIMO!!!

E por aqui me fico.
Façam uma "contita" e vejam quanto pagamos por cada um daqueles “senhores” : 832.197,20 EUROS ( 166.840 CONTOS!!! )
Por cada uma daquelas eminências !!!

Quanto a mais conclusões sobre a “essência” de algumas das rubricas orçamentais…, e quantas mais despesas relacionadas com aquela “casita” não estão incluídas naquele orçamentozito… fica para vocês! ( não pensem muito!!!... cuidado com as nauseas )
Vão mas é todos para o ............ (ao gosto pessoal)
Vão pedir contenção para um sítio que eu cá sei….

Quando é que os PORTUGUESES vão abrir os olhos e acabam com esta palhaçada mandando "trabalhar" estes cretinos todos?

Pena de prisão!


Deu nisto


A super equipa lisboeta, a hiper justiceira morgadinha, a imprensa lisboeta (rádios, televisões e pasquins), o filme do panasca, o livro da puta, os artigos daquela fulana que mais parece um fulano, o ricardinho pavão, as pressões do traficante de pneus enriquecidos a pó.... tanto dinheiro, tanto esforço e, depois das sucessivas absolvições de Pinto da Costa, agora isto...

Louçã e Louçã

Faz o que ele diz…


A licenciada Noémia da Rocha Neves Anacleto Louçã foi hoje nomeada para a categoria de assessora parlamentar do Bloco de Esquerda. Esse partido (ou coisa que o valha) é liderado por Francisco Anacleto Louçã.

Trem de cozinha humanitário

O Estado de Israel é um estado soberano, com direito a proteger-se e defender a sua população. O Estado de Israel está em guerra com o Hamas. O Hamas é um grupo de terroristas, homens improdutivos que apenas conhecem o ódio ao povo de Israel e vivem à custa de ajudas "humanitárias" de uma certa esquerda e de uns crentes distraídos.... Gaza é um território controlado pelo Hamas que vive sob forte bloqueio imposto por Israel. O mesmo é obviamente justificado e é uma natural consequência desse estado de guerra.
Sendo um Estado soberano, qualquer ruptura ou tentaviva daquele citado bloqueio é, claro está, algo de inaceitável. Até porque se sabe o que está por detrás de tais "ajudas"... Os "humanitários" sabiam desde sempre do bloqueio, por isso bastar-lhes-ia dirigir-se a outro qualquer porto e descarregar as suas "ajudas". Estou certo que Israel permitiria que esses bens chegassem a Gaza. E agora vamos lá entender: se a intenção era mesmo a ajuda humanitária, porque não a deram a quem a faz chegar todos os dias a Gaza? E para quê estas armas, senão para aquilo que serviram? E o que seria uma resposta proporcionada por parte das Forças de Defesa Israelita? Facas, correntes e matracas? Deixem-se de tretas. No dia em que vir palestinianos mais preocupados em plantar e tornar o solo arável (como o faz Israel), no dia em que vir os palestinianos mais preocupados com educação geral em vez da educação da morte e do assassínio, poderei ter alguma consideração, até lá, estarei sempre ao lado do Povo e da Nação Israelita!
Deixo estas imagens para meditarem. Afinal, a rapaziada do barco parece tudo menos pacífica...

A Turquia esqueceu-se...

O primeiro-ministro turco, Erdogan, foi ouvido a berrar no seu parlamento ameaças veladas em resposta ao que designou "massacre sangrento" [sic] ocorrido ao largo de Israel. Por sua vez, o embaixador Turco na ONU denunciava os "assassínios praticados por um Estado".
Não deixamos de estranhar estes epítetos contra o Estado de Israel se pensarmos que afinal, os turcos, afinal sabem do que falam. Basta perguntar aos Arménios... E porque não dar uma vista de olhos ao que os turcos fazem no Curdistão? Trata-se do genocídio dos Curdos (mais de 40 mil mortos nos últimos 20 anos). E já agora, vamos falar da invasão e ocupação do norte de Chipre perpretada pelos Turcos? E querem entrar na UE??? Irra, era o que faltava...
E não digo mais nada. Quem pretender saber mais, que investigue nos manuais do genocídio mundial...