Kosta de Alhabaite

Nortenho, do Condado Portucalense

Se em 1628 os Portuenses foram os primeiros a revoltar-se contra o domínio dos Filipes, está na hora de nos levantarmos de novo, agora contra a colonização lisboeta!

Labaredas

Ainda hoje não sei porque motivo o FCPorto tem um sujeito com incumbência de ligação ao jornalixo. Tantas e tantas as ocasiões para "meter" a boca no trombone e nada. Labaredas, outro adjectivo do Clube para "mandar" umas bocas, fá-lo quase sempre muito mal e quando o faz é a despropósito. Vem esta introdução de encontro à última charada. Conforme relata o Reino do Dragão:


ACUSAÇÕES
A pergunta seguinte, efectuada por um dos repórteres da Benfica TV, incidiu nas supostas ameaças feitas a Hugo Cadete no final do encontro. João Gabriel desmentiu que o jornalista tenha sido confrontado por elementos do Benfica, criticando a linha editorial da Media Capital. Fonte da TVI garantiu ao i que houve uma ameaça embora não a tenha identificado. O nosso jornal está em condições de garantir a existência da tal ameaça, que começou à saída da sala de imprensa do Municipal de Aveiro e terá continuado já em plena auto-estrada.



É, na realidade, mais um caso que demonstra a forma de acção terrorista daquele clube lisboeta. Mais, é um exemplo da impunidade que aqueles dirigentes sulistas beneficiam. Mas o FCPorto, o Labaredas não se deviam meter no assunto, pelo menos sem antes ter denunciado o que vemos a seguir:

Golo em fora de jogo, com influência no resultado final


Agressão de Maniche a Moutinho... nem amarelo levou!

Maicon nem falta faz!

Invencível Armada Azul-e-Branca

Depois da chapa 5 aplicada pelos nossos irmãos da Catalunha sobre o centralista Real Madrid do outrora-odiado-hoje-amado-treinador-português, o Manchester perdeu para a Taça inglesa. Assim, embora o jornalixo lisboeta passe ao lado da "coisa", aqui fica o registo. Vale o que vale, mas imaginem se tal fosse um feito de uma certa equipa lisboeta...Era a masturbação total


(imagem do Blogue Super Porto)

O beneficiado da jornada

Nesta pretérita jornada, 2 clubes do Norte foram claramente prejudicados pela arbitragem: FCPorto e V.Guimarães.
Na realidade, nesta altura do campeonato, são dois clubes que incomodam um outro; vocês sabem de quem estou a falar... mas para quem não sabe, basta dizer que se trata do clube do regime.

Irreconhecível 1ª parte, mas...

Pedro Sousa:
arbitragem tendenciosa e com influência no resultado... São portuenses de trampa, como este, sempre a espreitar o favorzinho sulista, que desonram a nossa Nação Nortenha.
Que tenha uma morte dolorosa...


Faltas e mais faltas, a maior parte forçadas e forjadas pelo teatro leonino... Miserável e ardilosa arbitragem, principalmente na 2ª parte...

Mais um golpe do colonialismo lisboeta: Arbitragem fiscal vai ficar centralizada em Lisboa

David Ferreira, Tax Director da Sonae, em declarações recentes ao "Jornal de Negócios" punha o dedo na ferida: "É suposto que os árbitros sejam pessoas que conheçam da matéria, senão voltamos às reclamações ou às acções judiciais em que os juízes muitas vezes não sabem o que é que estão a dirimir."


Cada vez mais o país fica esmagado à sede centralista e colonizadora da capital, lisboa. A podridão alastra, a corrupção agiganta-se e o país definha à custa da sede devoradora de uma capital corrupta e esbanjadora, governada por biltres e sanguessugas...

O colonialismo lisboeta ataca o Teatro Nacional S.João do Porto

Adeus Teatro S. João
Por causa deste afã persecutório, intriguista, maledicente... em que vivemos a propósito das crise e do OE (quanto é que ele ganha, para que é que serve, o que faz...) ninguém se apercebeu das consequências do PRACE2 (Programa de Reforma da Administração Central do Estado). Na sua fase inicial os organismos autónomos com autonomia existentes fora de Lisboa ou foram extintos ou foram transformados em direcções de serviços na dependência das Direcções-Gerais em Lisboa, num dos maiores movimentos centralizadores de que há memória.
O PRACE 2 chegou e numa das suas medidas emblemáticas procedeu à fusão do Teatro Nacional S. João com o Teatro Nacional Dª Maria.
Como é sabido o S.João procede à sua própria programação, bem como à do Teatro Carlos Alberto e ao Mosteiro de S. Bento da Vitória, com grande sucesso. Como é sabido os seus custos são substancialmente inferiores ao Dª Maria, Como é sabido, ao contrário do teatro da capital, o S. João não dá prejuízos nem tem problemas laborais assinaláveis. O que não é sabido são as sinergias que se vão criar com esta fusão. O que não é sabido são as "gorduras" que vão ser extraídas com esta fusão. porque elas, evidentemente, não existem.
O que existe, isso sim, é mais um passo iniciado na anterior legislatura, de centralizar em Lisboa todas as estruturas existentes pelo território.
Já agora, porque é que as vozes do Norte continuam caladas?
Via Douro Litoral

Estudantes recuperam prédio vazio

A ideia vem de Viena, na Áustria. Um grupo de artistas decidiu transformar um dos inúmeros edifícios devolutos do Porto em habitação económica para universitários. Caberia aos estudantes fazer a recuperação do imóvel em troca de uma casa barata por sete anos.
O grupo WochenKlausur foi convidado a desenvolver um projecto artístico na cidade pela Culturgest, no âmbito da exposição "Quando os convidados se tornam anfitriões".
A beleza da arquitectura dos edifícios na Baixa portuense, assim como o estado de abandono de muitos imóveis, não passaram despercebidos aos artistas austríacos, que não ignoram também o facto dos estudantes universitários representarem mais de 10% da população residente.
Ainda assim, faltam "oportunidades de alojamento economicamente acessíveis". E é isso que os WochenKlausur se propõem a dar a, pelo menos, sete universitários. Em troca da renda mensal de um euro, cada inquilino terá de recuperar o prédio onde residirá por sete anos.
Os artistas de Viena levaram a ideia à Câmara do Porto, que se prepara agora para ceder o imóvel nº218/220 de quatro andares na Rua de António Cândido, em Paranhos, e o terreno contíguo sem construções que será convertido no jardim da habitação.
60 euros mensais pela cedência.
A principal condição para a escolha deste prédio foi não estar demasiado degradado, "visto que os estudantes não possuem as licenças necessárias para realizar trabalhos especializados. Contudo, podem melhorar e restaurar soalhos, paredes, janelas e, mais importante do que isso, comprometem-se a manter o 'seu' edifício em bom estado de conservações", lê-se na proposta dos artistas austríacos, feita à Câmara.
Porém, antes da entrada dos estudantes na casa, será necessário limpar o entulho e fazer intervenções especializadas, como a reparação do telhado e dos sistemas de electricidade, de canalização e de esgotos. O resto do trabalho ficará a cargo dos futuros ocupantes. Ao todo, estima-se que a recuperação do prédio custará 84 mil euros. O grupo garante que, se toda a reabilitação fosse concretizada por profissionais, a factura subiria para 100 mil euros.
O contrato de cedência ao grupo WochenKlausur, que prevê que os artistas paguem 30 euros por mês pelo edifício e mais 30 pelo terreno vazio, será votado, terça-feira, na próxima reunião da Câmara do Porto.
O acordo deverá vigorar por sete anos, podendo ser renovado. Caso a Autarquia necessite do prédio para outro fim nesse período, o grupo é obrigado a entregá-lo sem direito a indemnização. Findo o prazo de cedência, o imóvel na Rua de António Cândido será entregue recuperado ao Município.

Carta de Henrique Raposo a Jorge Coelho

Caro Dr. Jorge Coelho, como sabe, V. Exa. enviou-me uma carta, com conhecimento para a direcção deste jornal. Aqui fica a minha resposta.
Em 'O Governo e a Mota-Engil' (crónica do sítio do Expresso), eu apontei para um facto que estava no Orçamento do Estado (OE): a Ascendi, empresa da Mota-Engil, iria receber 587 milhões de euros. Olhando para este pornográfico número, e seguindo o economista Álvaro Santos Pereira, constatei o óbvio: no mínimo, esta transferência de 587 milhões seria escandalosa (este valor representa mais de metade da receita que resultará do aumento do IVA). Eu escrevi este texto às nove da manhã. À tarde, quando o meu texto já circulava pela internet, a Ascendi apontou para um "lapso" do OE: afinal, a empresa só tem direito a 150 milhões, e não a 587 milhões. Durante a tarde, o sítio do Expresso fez uma notícia sobre esse lapso, à qual foi anexada o meu texto. À noite, a SIC falou sobre o assunto. Ora, perante isto, V. Exa. fez uma carta a pedir que eu me retractasse. Mas, meu caro amigo, o lapso não é meu. O lapso é de Teixeira dos Santos e de Sócrates. A sua carta parece que parte do pressuposto de que os 587 milhões saíram da minha pérfida imaginação. Meu caro, quando eu escrevi o texto, o 'lapso' era um 'facto' consagrado no OE. V. Exa. quer explicações? Peça-as ao ministro das Finanças. Mas não deixo de registar o seguinte: V. Exa. quer que um Zé Ninguém peça desculpas por um erro cometido pelos dois homens mais poderosos do país. Isto até parece brincadeirinha.
Depois, V. Exa. não gostou de ler este meu desejo utópico: "quando é que Jorge Coelho e a Mota-Engil desaparecem do centro da nossa vida política?". A isto, V. Exa. respondeu com um excelso "servi a Causa Pública durante mais de 20 anos". Bravo. Mas eu também sirvo a causa pública. Além de registar os "lapsos" de 500 milhões, o meu serviço à causa pública passa por dizer aquilo que penso e sinto. E, neste momento, estou farto das PPP de betão, estou farto das estradas que ninguém usa, e estou farto das construtoras que fizeram esse mar de betão e alcatrão. No fundo, eu estou farto do actual modelo económico assente numa espécie de new deal entre políticos e as construtoras. Porque este modelo fez muito mal a Portugal, meu caro Jorge Coelho. O modelo económico que enriqueceu a sua empresa é o modelo económico que empobreceu Portugal. Não, não comece a abanar a cabeça, porque eu não estou a falar em teorias da conspiração. Não estou a dizer que Sócrates governou com o objectivo de enriquecer as construtoras. Nunca lhe faria esse favor, meu caro. Estou apenas a dizer que esse modelo foi uma escolha política desastrosa para o país. A culpa não é sua, mas sim dos partidos, sobretudo do PS. Mas, se não se importa, eu tenho o direito a estar farto de ver os construtores no centro da vida colectiva do meu país. Foi este excesso de construção que arruinou Portugal, foi este excesso de investimento em bens não-transaccionáveis que destruiu o meu futuro próximo. No dia em que V. Exa. inventar a obra pública exportável, venho aqui retractar-me com uma simples frase: "eu estava errado, o dr. Jorge Coelho é um visionário e as construtoras civis devem ser o Alfa e o Ómega da nossa economia". Até lá, se não se importa, tenho direito a estar farto deste new deal entre políticos e construtores.

___________________



Henrique Raposo tem todo o meu apoio, são procedimentos de denuncia pública desta natureza, que todos devíamos assumir

19 novos provérbios

1. Em Janeiro sobe ao outeiro; se vires verdejar, põe-te a cantar, sevires o Sócrates, põe-te a chorar
2. Quem vai ao mar avia-se em terra; quem vota Sócrates, mais cedo se enterra.
3. Sócrates a rir em Janeiro, é sinal de pouco dinheiro.
4. Quem anda à chuva molha-se; quem vota em Sócrateslixa-se.
5. Ladrão que rouba a ladrão tem cem anos de perdão; parvo que vota emSócrates, tem cem anos de aflição.
6. Gaivotas em terra temporal no mar; Sócratesem São Bento, o povinho a penar
7. Há mar e mar, há ir e voltar; só vota em Sócratesquem se quer afogar.
8. Março, marçagão, manhã de Inverno tarde de Verão; Sócrates, Soarão, manhã de Inverno tarde de inferno.
9. Burro carregando livros é um doutor; burro carregando o Sócratesé burro mesmo.
10. Peixe não puxa carroça; votar em Sócrates, asneira grossa.
11. Amigo disfarçado, inimigo dobrado; Sócratesempossado, povinholixado.
12. A ocasião faz o ladrão, e de Sócratesum aldrabão.
13. Antes só que mal acompanhado, ou com Sócratesao lado.
14. A fome é o melhor cozinheiro, Sócrates o melhor coveiro.
15. Olhos que não vêem, coração que não sente, mas aturar o Sócrates, não se faz à gente.
16. Boda molhada, boda abençoada; Sócrateseleito, pesadelo perfeito.
17. Casa roubada, trancas na porta; Sócrateseleito, ervas na horta.
18. Com Sócratese bolos se enganam os tolos.
19. Não há regra sem excepção, nem Sócrates sem confusão.

Rico ou Pobre

Estava há dias a falar com um amigo meu nova-iorquino que conhece bem Portugal.
Dizia-lhe eu à boa maneira do “coitadinho” português:
Sabes, nós os portugueses somos pobres ...
Esta foi a sua resposta:

Como podes tu dizer que sois pobres, quando sois capazes de pagar por um litro de gasolina, mais do triplo do que pago eu?
Quando vos dais ao luxo de pagar tarifas de electricidade e de telemóvel 80 % mais caras do que nos custam a nós nos EUA?
Como podes tu dizer que sois pobres quando pagais comissões bancárias por serviços e cartas de crédito ao triplo que nós pagamos EUA?
Ou quando podem pagar por um carro que a mim me custa 12.000 US Dólares (8.320 EUROS) e vocês pagam mais de 20.000 EUROS, pelo mesmo carro? Podem dar mais de 11.640 EUROS de presente ao vosso governo do que nós ao nosso.
Nós é que somos pobres: por exemplo em New York o Governo Estatal, tendo em conta a precária situação financeira dos seus habitantes cobra somente 2 % de IVA, mais 4% que é o imposto Federal, isto é 6%, nada comparado com os 20% dos ricos que vivem em Portugal. E contentes com estes 20%, pagais ainda impostos municipais.
Além disso, são vocês que têm " impostos de luxo" como são os impostos na gasolina e gás, álcool, cigarros, cerveja, vinhos etc, que faz com que esses produtos cheguem em certos casos até certos a 300 % do valor original., e outros como imposto sobre a renda, impostos nos salários, impostos sobre automóveis novos, sobre bens pessoais, sobre bens das empresas, de circulação automóvel. Um Banco privado vai à falência e vocês que não têm nada com isso pagam, outro, uma espécie de casino, o vosso Banco Privado quebra, e vocês protegem-no com o dinheiro que enviam para o Estado. E vocês pagam ao vosso Governador do Banco de Portugal, um vencimento anual que é quase 3 vezes mais que o do Governador do Banco Federal dos EUA...
Um país que é capaz de cobrar o Imposto sobre Ganhos por adiantado e Bens pessoais mediante retenções, necessariamente tem de nadar na abundância, porque considera que os negócios da nação e de todos os seus habitantes sempre terão ganhos apesar dos assaltos, do saque
fiscal, da corrupção dos seus governantes e autarcas. Um país capaz de pagar salários irreais aos seus funcionários de estado e da iniciativa privada.
Os pobres somos nós, os que vivemos nos USA e que não pagamos impostos sobre a renda se ganhamos menos de 3.000 dólares ao mês por pessoa, isto é mais ou menos os vossos 2.080 €uros. Vocês podem pagar impostos do lixo, sobre o consumo da água, do gás e electricidade. Aí pagam segurança privada nos Bancos, urbanizações, municipais, enquanto nós como somos pobres nos conformamos com a segurança pública.
Vocês enviam os filhos para colégios privados, enquanto nós aqui nos EUA as escolas públicas emprestam os livros aos nossos filhos prevendo que não os podemos comprar.
Vocês não são pobres, gastam é muito mal o vosso dinheiro.

recebido por e-mail

A verdadeira paridade do parlamento

Eis um jornalista português bem informado! *Daniel Oliveira* de seu nome...

Abaixo os organismos de cúpula, vivam os orgasmos de cópula
por Daniel oliveira


Um episódio está a aquecer o Parlamento. Nada tem a ver com os deputados. A semana passada um colaborador do grupo parlamentar do PSD foi apanhado em flagrante delito, às sete da manhã, em pleno acto com uma amiga que não trabalha na Assembleia. A coisa pode parecer apenas interessante contada assim. Mas é muito mais do que isso. O acto aconteceu na sala do plenário.
Infelizmente, a interrupção não terá permitido ao arrojado casal levar a fantasia até ao fim. Há sempre um empata.
Antes que a coisa saia na imprensa e comecem as condenações morais, quero deixar clara a minha admiração pelos pecadores. Porque respeito quem faz tudo para cumprir uma fantasia. Porque deram um contributo para a
dessacralização do poder, aproximando assim aquele órgão de soberania das verdadeiras preocupações dos cidadãos. E porque, por uma vez, aconteceu qualquer coisa realmente interessante naquela sala (infelizmente não
consegui saber qual foi a bancada escolhida). Só lamento que, como de costume, quando realmente alguma coisa de construtiva começa ali a ser feita, seja deixada a meio. O meu abraço aos dois. Próxima aventura: Palácio de Belém?
Parabéns ao intrépido casal porque:
a) Por uma vez que seja, a AR foi verdadeira e matematicamente paritária;
b) Demonstrou cabalmente que neste País a política é fodida. E que de deputado a de putedo pode ir, literalmente, um pintelho, pese embora não ter sido esse aparentemente o elenco desta (des) feita; ) Às sete da matina já exibiam um ritmo e um grau de actividade que os mais dos deputados habitualmente nem às sete da tarde atingem;
d) Demonstraram que poder é bom enquanto dura, mas há que saber sair de cima quando o tempo de outrem sobrevém ao nosso;
e) Depois de lhes reprovarem o acto na generalidade, tiveram a decência e o bom-senso de passar à especialidade em sede mais recatada;
f) Forneceram o exemplo acabado de como, em Democracia, quaisquer coitados podem aceder sem restrições ao órgão máximo da representação popular (Coito dos Santos novamente na Educação, já!);
g) Demonstraram ainda, para gáudio de uns e vexame de outros, que naquela vetusta sala continua a haver quem use mudar de posição conforme as conveniências do momento.
Tenho dito.

Contra-mão

Por Joaquim Letria

SÓCRATES parece daqueles velhinhos que se metem pelas auto estradas em contra-mão, com o Teixeira dos Santos no lugar do morto, a gritarem que os outros é que vêm ao contrário.
De rabo entre as pernas, fartinhos de saberem que estavam errados, não conseguem agora disfarçar o mal que nos fizeram. Ainda estão a despedir-se, agradecidos, do Constâncio, e já dão a mão a Passos Coelho, que lhes jura que conhece uma saída perto e sem portagem.
Estamos bem entregues! Vão-nos servindo a sopa do Sidónio, à custa dos milhões que ainda recebem da Europa, andam pelo mundo fora sem vergonha, de mão estendida, a mendigar e a rapar tachos, tratados pelos credores como caloteiros perigosos e mentirosos de má-fé.
Quando Guterres chegou ao Governo, a dívida pouco passava dos 10% do PIB. 15 anos de Guterres, Barroso, Sócrates e de muitos negócios duvidosos puseram-nos a dever 120% do PIB.
Esta tropa fandanga deu com os burrinhos na água, não serve para nada e o estado do próprio regime se encarrega de o demonstrar. Falharam todas as apostas essenciais. Todos os dias se mostram incapazes. Mas com o Guterres nos refugiados, o Sampaio nos tuberculosos e na Fundação Figo, o Constâncio no Banco Central e o Barroso em Bruxelas, a gente foge para onde?

Casa dos Degredos - "bufas" e Júlia Pinheiro

Numa altura em que precisamos de cérebros para ajudarem o país a sair do buraco, a TVI juntou um conjunto de acéfalos que dificilmente conseguiriam sair juntos de um elevador. Mesmo com a porta aberta. Tiago Mesquita (www.expresso.pt)

Júlia Pinheiro, ex-libris do "apresentadorismo" nacional, afirma que "a Casa é o retrato do país". Pensei que estivesse a falar da sua própria casa. A preocupação começou quando percebi que se estava a referir à casa onde a TVI juntou um conjunto de pessoas que conseguiriam transformar em dez minutos o campus da Universidade de Cambridge no Jardim zoológico de Lisboa. Com mais bichos, barulho, lixo e confusão.
Submeti-me a três ou quatro sessões do programa. E apesar de gostar de esquilos, não quis ficar com o QI de um. Decidi parar. Não queria que viessem dar comigo agarrado ao sofá a salivar pelo canto da boca em estado semicomatoso. Não seria bonito e sujava as almofadas novas.
Já me tinham avisado, e passo a citar, pedindo desculpa pela rudeza do meu amigo: "nunca tinha visto tanto atrasado mental junto no mesmo espaço físico, e todos na minha televisão". "Deve ser esse o segredo" - respondi-lhe. "No fundo é uma reunião de retardados anónimos e eles não fazem a menor ideia". Mas São Tomé fez-me esperar pelo especial da noite com a menina Poeiras e o mini Bettencourt dos cabelos alourados - ou "Dr. Granger" - como lhe chamou Pedro Santana Lopes num comício.
E sou obrigado a discordar quando Júla Pinheiro diz que aquele conjunto de indivíduos é o retrato do país. Em primeiro lugar, o país é habitado por pessoas que na sua maioria fala português (coisa que ali não vi). Conseguindo por isso manter uma conversa durante dois minutos sem que 95% do que lhes sai da boca seja mer&#. Duas esfregonas villeda a falarem entre si comparadas com esta rapaziada parecem Sir. W. Churchill e F. Roosevelt em amena cavaqueira num banco da New Bond Street.
Refeições inteiras de óculos escuros e boné na cabeça. Chimpanzés e galinhas com o cio. O aldeão de serviço. Choradeira como tivesse morrido um familiar porque acabou o tabaco ou porque o não sei quantos foi expulso ("como é que o gajo se chamava? ele cheirava tão mal...porra"). Uma "senhorita" não sabia o significado da palavra "celibato" (porque será?). Outra abordou um colega da casa e saiu-se com um ternurento... "vou-me peidar". Sintomático. Não optou pela tradicional bufa, utilizou o chavão hardcore do mundo da flatulência. Bonita educação. Qualidade televisiva.
Por estas e por outras Sra. Júlia, e por muito que queira, esta casa não é retrato de país algum. É um grupo bastante "rasca" escolhido a dedo num casting onde estou certo que Vexa participou, que garante a boçalidade, pobreza de espírito, ignorância, conflito, sexo explícito fruto de paixões assolapadas de cinco minutos e se possível verborreia, insultos, polémica e pontapés que caracterizam este género de programas imbecis.
Num ponto concordamos: infelizmente o país gosta de ver. É só espreitar as audiências. Nem por isso passa a ser o país. Eu também gosto de ver um bom jogo de râguebi e não faço "placagens" aos vizinhos quando me cruzo com eles no hall do prédio. Ou desato a gasear com ou sem pré-aviso quem viaja comigo no elevador. A estupidez também é entretenimento. E a TVI sabe disso.

Amigos

Fernando Pessoa


"Um dia a maioria de nós irá separar-se.
Sentiremos saudades de todas as conversas atiradas fora,
das descobertas que fizemos, dos sonhos que tivemos,
dos tantos risos e momentos que partilhámos.

Saudades até dos momentos de lágrimas, da angústia, das
vésperas dos fins-de-semana, dos finais de ano, enfim...
do companheirismo vivido.
Sempre pensei que as amizades continuassem para sempre.

Hoje já não tenho tanta certeza disso.
Em breve cada um vai para seu lado, seja
pelo destino ou por algum
desentendimento, segue a sua vida.

Talvez continuemos a encontrar-nos, quem sabe... nas cartas
que trocaremos.
Podemos falar ao telefone e dizer algumas tolices...
Aí, os dias vão passar, meses... anos... até este contacto
se tornar cada vez mais raro.

Vamo-nos perder no tempo...
Um dia os nossos filhos verão as nossas fotografias e
perguntarão:
Quem são aquelas pessoas?
Diremos... que eram nossos amigos e... isso vai doer tanto!

- Foram meus amigos, foi com eles que vivi tantos bons
anos da minha vida!
A saudade vai apertar bem dentro do peito.
Vai dar vontade de ligar, ouvir aquelas vozes novamente...
Quando o nosso grupo estiver incompleto...
reunir-nos-emos para um último adeus a um amigo.
E, entre lágrimas, abraçar-nos-emos.
Então, faremos promessas de nos encontrarmos mais vezes
daquele dia em diante.

Por fim, cada um vai para o seu lado para continuar a viver a
sua vida isolada do passado.
E perder-nos-emos no tempo...
Por isso, fica aqui um pedido deste humilde amigo: não
deixes que a vida
passe em branco, e que pequenas adversidades sejam a causa de
grandes tempestades...
Eu poderia suportar, embora não sem dor, que tivessem
morrido todos os meus amores, mas enlouqueceria se morressem
todos os meus amigos!"



(Obrigado Pinto da Costa)

O barbeiro

Certo dia um florista foi ao barbeiro para cortar seu cabelo. Após o corte perguntou ao barbeiro o valor do serviço e o barbeiro respondeu:
- Não posso aceitar seu dinheiro porque estou prestando serviço comunitário esta semana.
O florista ficou feliz e foi embora. No dia seguinte, ao abrir a barbearia, havia um buquê com uma dúzia de rosas na porta e uma nota de agradecimento do florista.
Mais tarde no mesmo dia veio um padeiro para cortar o cabelo. Após o corte, ao pagar, o barbeiro disse:
- Não posso aceitar seu dinheiro porque estou prestando serviço comunitário esta semana.
O padeiro ficou feliz e foi embora. No dia seguinte, ao abrir a barbearia, havia um cesto com pães e doces na porta e uma nota de agradecimento do padeiro.
Naquele terceiro dia veio um deputado para um corte de cabelo. Novamente, ao pedir para pagar, o barbeiro disse:
- Não posso aceitar seu dinheiro porque estou prestando serviço comunitário esta semana.
O deputado ficou feliz e foi embora. No dia seguinte, quando o barbeiro veio abrir sua barbearia, havia uma dúzia de deputados fazendo bicha para cortar o cabelo.

Moral da história:
Essa história ilustra bem a grande diferença entre os cidadãos do nosso país e os políticos que o administram. Políticos e fraldas devem ser trocados com frequência pelo mesmo motivo!!!

Portugal, os boys socialistas e o Titanic

Gatos, quem não gosta

Os miseráveis deputados eleitos pelo Norte

Apenas dois deputados pediram fiscalização das portagens nas SCUT

Apenas dois deputados corresponderam ao pedido dos autarcas do Vale do Sousa e da Maia para requererem ao Tribunal Constitucional a fiscalização do diploma que introduziu as portagens na SCUT do Grande Porto.
Segundo revelou hoje à Lusa o presidente da Câmara de Paços de Ferreira, Pedro Pinto, só os deputados Adriano Rafael e Raquel Coelho, ambos do PSD e residentes no Vale do Sousa, acederam ao pedido dos municípios da região, apresentado em Outubro.

Com este resultado, constata Pedro Pinto, não pode avançar para o Tribunal Constitucional (TC) a pretensão dos autarcas, que só seria viável se pelo menos 10% dos deputados (23 parlamentares) subscrevesse o pedido de fiscalização.

"Foi para nós uma decepção, porque não solicitávamos que tomassem uma posição política sobe as portagens, mas apenas que solicitassem ao TC que verificasse a legalidade da introdução de portagens naqueles termos", afirmou Pedro Pinto.

Para o autarca social-democrata, está-se "mais uma vez perante um caso em que a alegação do interesse do país é distinta do interesse regional e da vida das pessoas e das empresas".

Entretanto, o Tribunal Central Administrativo do Norte está ainda a apreciar a providência cautelar apresentada em Outubro pelos municípios do Vale do Sousa e da Maia para impedir a cobrança de portagens na antiga SCUT do Grande Porto.

Segundo Pedro Pinto, os autarcas e os representantes do Estado já se pronunciaram sobre o diferendo naquele tribunal, aguardando-se agora a decisão final.

A antiga SCUT do Grande Porto (A41/A42) estabelece a ligação entre o Vale do Sousa, em Lousada, e a área Metropolitana do Porto, na Maia. Desde 15 de Outubro que nessa auto-estrada são cobradas portagens.

Só para que os encornados jamais esqueçam o massacre...

Recebi inúmeras mensagens de encornados incomodados com o baile que levaram (e continuam a levar) a propósito do desmembramento da equipa que usurpou o título da época passada prepretado pelo Grandioso FCPorto. Quer o "aj", quer o "tirano" e os outros marmelos encornados não me assustam, nem tão pouco me tiram do sério. Apenas o ministro suiço é que não consegue conter o riso... Ha ha ha

Escândalos republicanos, socialistas e lisboetas

Escândalo 1

«Um jovem de 26 anos, sem currículo profissional nem formação de nível superior, foi contratado, em Dezembro, como assessor técnico e político do gabinete da vereadora socialista Graça Fonseca na Câmara de Lisboa (CML).
Remuneração mensal: 3950 euros ilíquidos a recibo verde.
Desde então, o assessor - que estava desempregado, fora funcionário do PS e candidato derrotado à Junta de Freguesia de Belém - acumulou esse vencimento com cerca de 41.100 euros de subsídios relacionados com a criação do seu próprio posto de trabalho.
Filho de um funcionário do PS que residiu até 2008 numa casa da CML com uma renda de 48 euros/mês, Pedro Silva Gomes frequentou o ensino secundário e entrou muito novo para os quadros do partido.
Em 2006 foi colocado na Federação Distrital de Setúbal, onde se manteve até meados de 2008, ano em que foi reeleito coordenador do secretariado da secção de Santa Maria de Belém, em Lisboa. Entre os membros deste órgão conta-se a vereadora da Modernização Administrativa da CML, Graça Fonseca.»




Escândalo 2

Secretário de Estado nomeou ex-sócios para os CTT
Paulo Campos, Secretário de Estado, nomeou dois antigos sócios, numa produtora de espectáculos (a Puro Prazer), para cargos na administração dos CTT.
A informação foi avançada na manhã da última terça-feira, pela Rádio Renascença, que adianta que Paulo Campos empregou os seus antigos sócios numa empresa de produção de espectáculos, constituída em 1994 e só dissolvida em Dezembro de 2008.
O primeiro a ser nomeado para um cargo na administração dos CTT, empresa sob tutela directa do secretário de Estado adjunto das Obras Públicas, foi Marcos Afonso Batista, em Junho de 2005. Além de um cargo na administração dos CTT, o ex-sócio de Paulo Campos foi também nomeado administrador de outras cinco empresas do grupo.
À data da nomeação, Paulo Campos e Marcos Batista eram sócios-gerentes da referida produtora "Puro Prazer".
Luís Pinheiro Piteira, que também fazia parte da sociedade, foi nomeado, em Abril de 2009, pela administração dos CTT, para a EAD, empresa participada dos CTT.
Actualmente, é também administrador de outra empresa do grupo, a "Payshop".
Ainda segundo o site da Renascença, o CDS-PP vai interpelar o Governo sobre estas nomeações.
O Jornal de Notícias contactou a secretaria de Estado das Obras Públicas e aguarda, ainda, respostas às perguntas colocadas.

A bofetada de Hulk a Luís Filipe Vieira

por Tiago Mesquita no Expresso

«Demorou mas chegou e a estalada foi grande. Hulk esperou um ano e respondeu às perguntas dos jornalistas que estes não têm coragem de ir fazer ao presidente do Benfica. Embrulhe Sr. Vieira.

É certo que a vingança se serve fria e que Hulk até tem nome de super-herói da BD, mas a luva branca a bater cinco vezes na face de Luís Filipe Vieira foi sentida em todo o lado. E desde que o clube da luz saiu de rabo entre pernas do estádio do Dragão que ninguém houve um pio do presidente do Benfica. O tal que adora cantar de galo sempre que lhe dão oportunidade, ou as que o próprio cria com entradas intempestivas em programas de televisão em directo.

Houvesse coragem no jornalismo desportivo, que não existe salvo raras e honrosas excepções, pois escreve tendenciosamente para o mesmo lado e com a mesma cor de tinta na pena, e a pergunta a fazer a Luís Filipe Vieira no final do jogo em que este viu a sua equipa ser esmagada por 5-0 seria a óbvia: já consegue identificar ou reconhecer Hulk se o vir na rua, na paragem do autocarro, ou até a jogar futebol? E já agora saber se a opinião que tem sobre este jogador, e que partilhou com o mundo no passado ano (com aquele ar de intelectual das câmaras-de-ar) se mantém?

Mas não. Os jornalistas preferem andar a bajular o senhor por terras de Angola, como se de uma visita papal se tratasse, a confrontá-lo com as suas próprias afirmações. É o jornalismo desportivo que temos, e são seis milhões dizem eles, há que fazer pela vida. Compreendo.

Hulk é o jogador que Vieira considerou "vulgar e que apenas se distinguia no campeonato português por ser o jogador que mais bolas perdia dentro de campo". Disse ainda na altura, com a bazófia habitual, "não entender tanta polémica em relação ao castigo (a Hulk), pois considerava não ser este um jogador fundamental para a equipa do Porto".

Pois é, Hulk foi castigado na época passada da forma que sabemos. Castigo que cumpriu na íntegra e afastou o FC Porto definitivamente do título. Castigo que mais tarde se veio a revelar mal aplicado por instâncias superiores às que haviam tomado a patética decisão em qualquer parte do mundo onde se pratique futebol. Desde que Hulk voltou aos relvados, ainda decorria a época transacta, o FC Porto não mais voltou a perder. Nem um jogo sequer.

E agora finalmente a chapada de Hulk, com a mão bem aberta, e com os cinco dedos à mostra, após o jogo de domingo passado: "Se ele (L. F. Vieira) não me conhecia, vai abrir o jornal e eu estarei lá. Só eu sei o que passei e sofri por ficar três meses sem jogar. É muita coisa para um jogador. Se na temporada passada tivesse jogado teria ajudado mais... Foi uma injustiça, mas é passado" Hulk

Nada a acrescentar. Não ouvi qualquer declaração do presidente do Benfica em relação ao jogo ou a Hulk em particular. Deve ter engolido uma bola de pelo. Batam-lhe nas costas, não vá o homem ficar verde. E não o queremos sufocado, só mesmo pela pressão de ver o FC Porto voltar ao lugar de onde nunca devia ter saído, sem nada poder fazer. Na frente. Até ao fim.»

Momento musical

Vida tão Estranha do "enorme" Rodrigo Leão

UE proíbe Governo de desviar fundos do TGV Porto-Vigo para Lisboa

A União Europeia não tem dúvidas da importância de uma linha de TGV entre Porto e Vigo e proibiu o Governo português de fazer desvio das verbas comunitárias do projecto de alta velocidade lusogalaico para a linha Lisboa-Madrid.


A importância da linha, segundo a União Europeia (UE), é inquestionável. O trajecto Porto-Vigo também parece ser rentável, aos olhos da UE, pelo que é necessário pôr a obra nos carris, o "mais rápido possível, tendo em conta as condicionantes actuais das finanças públicas".

Por escrito, Bruxelas fez chegar aos governos de Portugal e Espanha uma carta a exortar Sócrates e Zapatero "a pensar em iniciar a obra o quanto antes, dada a importância que lhe é atribuída pela UE" no eixo de comunicações comunitário, escreve o jornal "La Voz de Galicia".

Segundo aquele diário galego, o Comissário Europeu dos Transportes, o estónio Siim Kallas, disse "recusar taxativamente qualquer desvio das ajudas comunitárias outorgadas à linha lusogalaica para outros projectos do TGV, como pretende o governo do primeiro-ministro luso, José Sócrates, partidário de concentrar esforços e orçamentos no eixo ferroviário Lisboa-Madrid".

Em resposta a uma pergunta do deputado europeu do PSD José Manuel Fernandes, o comissário Kallas voltou a contrariar o Governo português, que apoiado pelo PSD suspendeu o TGV para reapreciação, ao abrigo das medidas do Pacto de Estabilidade e Crescimento (PEC) III. "Note-se que o projecto garante um forte efeito de alavanca do investimento público que pode estimular a economia nacional e local, durante a execução e após a entrada ao serviço" do TGV, disse o comissário.

A posição de força da UE surge dias depois da suspensão da linha de TGV Lisboa-Madrid, para reavaliação, ao abrigo do PEC III, e para reenquadramento economicamente mais vantajoso, aproveitando fundos destinados à linha luso-galega.

Por escrito, Kallas recorda aos governos de Lisboa e Madrid que foram atribuídos 214,14 milhões de euros à linha Porto-Vigo, considerado como o segundo mais importante projecto, atrás do troço Évora-Mérida, para a coesão europeia na Penísula Ibérica, ao abrigo da Rede Transeuropeia de Transportes.

O eurocomissário, diz aquela publicação galega, assegura não ter recebido qualquer pedido do Governo português para desviar dinheiro da linha Porto-Vigo e mostra-se disposto a escutar os motivos do executivo de Sócrates. Disponível para analisar o uso de outras ajudas, como as do Fundo de Coesão, Kallas sublinha que os apoios da Rede Transeuropeia de Transportes "não podem ser transferidos
para outros projectos".
(via Jornal de Notícias)

Depois dos vampiros, as piranhas

A Bola errou!

Cá está: a Bola confunde um dos clubes da 2ª circular lisboeta com Portugal.
Reparem no símbolo do clube encornado!
É costume lá para as bandas centralistas pensarem assim.
É também por isso que este país está no buraco...

Anedota

O Manuel, alentejano de gema, dono de uma mercearia em Beja, leva a sua mulher ao ginecologista, para saber por que apareceram umas pintínhas azuis na virilha dela. Depois de a examinar, o médico chama o Manuel e pergunta:
- O senhor pratica regularmente sexo oral com a sua mulher?
- É claro, doutôri... Ela gosta, muitíssimo, óh se gosta!
- Então nas próximas vezes, lembre-se de tirar a caneta da orelha!

Olha que pena!

Os humoristas (?) José Diogo Quintela e Ricardo Araújo Pereira decidiram pôr fim às respectivas crónicas semanais que assinavam no jornal “A Bola”.
Mas eles escreviam crónicas sobre futebol ou entretinham-se apenas a dizer mal do FCPorto, do Miguel Sousa Tavares e do Rui Moreira?

Crimes, castigos e branqueamentos

  1. Ambos agrediram, um à cotovelada outro a pontapé, mas Luisão (encornado) foi suspenso por um jogo e Maniche (lagarto) recebe dois. Para cada agressão o seu peso. Ou será, para cada clube o seu castigo?
  2. 4200 euros de multa ao FC Porto, por mau comportamento dos adeptos.
    Uma agressão (chamam-lhe cachaço) num árbitro-auxiliar perpretado por um adepto encornado uns dois mil e quinhentos euros? Porreiro, pá!
  3. Apesar do erro grosseiro em Alvalade, o presidente do CA admite existirem atenuantes para que o aquele se tenha efectivado: "A primeira é o facto de as luvas do Nilson serem brancas... Como a bola bate na barra e depois vai às luvas, ele pode ter visto o branco das luvas e confundiu. O outro facto é a substituição do árbitro, porque entrou a frio e aquele lance aconteceu no chamado 'período de adaptação'", Estas são afirmações proferidas sem que o homem esboçasse sequer um sorriso. Deve ter sido difícil. Assim não percebemos o branqueamento ... das suas palavras...
  4. Vieira, essa enguia que escapa da justiça à demasiado tempo, desta vez foi apanhado e multado pela Liga. Motivo: copiando o seu director desportivo, acostumado a andar em locais proíbidos, tais como cabinas dos árbitros e túneis, foi multado em 250 paus por ter andado, em pleno estádio do Dragão (e sem ser sequer ter sido incomodado pelos "bárbaros" do Norte) em locais proíbidos. Estaria a aguardar pelo árbitro ou pelo Hulk?
  5. Uma das multas aplicadas ao FCPorto referentes à partida com os encornados, deve-se ao facto de não terem respeitado as regras das bandeiras no estádio. Segundo o regulamento, deverão ser hasteadas as seguintes bandeiras: Portugal, FPF, Liga e dos dois clubes em disputa. Parece que alguém se esqueceu de hastear uma das bandeiras. Acho que não preciso dizer qual delas foi. He he he. Boa!

Nuno Cardoso e dirigentes do F. C. Porto absolvidos

E o Rio perdeu! Novamente!

O ex-presidente da Câmara do Porto, Nuno Cardoso, e os vice-presidentes do F. C. Porto Adelino Caldeira, Angelino Ferreira e Eduardo Tentúgal Valente, foram hoje, quarta-feira, absolvidos nos Juízos Criminais do Porto da acusação por crime de participação económica em negócio.

O ex-presidente da Câmara do Porto, Nuno Cardoso, e os vice-presidentes do F. C. Porto Adelino Caldeira, Angelino Ferreira e Eduardo Tentúgal Valente, foram hoje, quarta-feira, absolvidos nos Juízos Criminais do Porto da acusação por crime de participação económica em negócio.

O processo diz respeito a uma permuta de terrenos com a autarquia do Porto, mandada efectuar com urgência pelo então presidente em Março de 2000, de que, segundo a acusação do Ministério Público teria resultado um prejuízo de 2,5 milhões de euros para os cofres públicos.

A juíza do processo entendeu não ter ficado provado tal prejuízo para o património municipal, com empolamento das avaliações dos terrenos entregues pelo clube (antes comprados à família Ramalho), e nem concluio entre Nuno Cardoso e o F. C. Porto.

Absolvidos foram também Almeida Lopes e Reis Pinto, dois engenheiros da autarquia do Porto que intervieram nas comissões de avaliação dos terrenos em causa.

A notícia da absolvição era praticamente garantida depois do Ministério Público, pela voz do Procurador Carlos Santos ter dito que: "acusação através de uma permuta de terrenos nas Antas, terem lesado os cofres públicos em 2,5 milhões contra Cardoso é balão sem ar".

Nas alegações finais do julgamento em que, a par daqueles responsáveis, dois engenheiros da Câmara do Porto são também acusados de crime de participação económica em negócio, o procurador foi além de considerar não ter sido feita prova para condenar: atacou a Inspecção Geral de Finanças, cujo relatório sustentara a acusação.

"Perguntei ao perito avaliador se ele sabe que consequência tem o facto de o F. C. Porto ter utilidade pública. Ele disse que sim. Mas não sabe", acusou.

Isto para sustentar como principal argumento do magistrado para a absolvição o facto de ao clube portista ter sido atribuída, desde o Estado Novo, "utilidade pública", o que lhe afastará a qualificação de "terceiro", num crime de "participação em negócio", que visará evitar promiscuidade entre os sectores público e privado.

O procurador foi cáustico até com a própria acusação e pronúncia do Tribunal de Instrução Criminal do Porto, que se refere a um "conluio" entre Nuno Cardoso e os dirigentes do F. C. Porto, Adelino Caldeira, Angelino Ferreira e Eduardo Valente. Leu, até, trechos do documento e classificou-os como "ficções". "Não posso pedir condenações com base em ficções... É um balão sem ar".

O actual autarca do Porto, Rui Rio, também não escapou às críticas, nomeadamente por ter-se referido a um prejuízo, para o erário público, de "seis milhões" de euros, contando com os direitos de edificabilidade que viriam a ser doados ao clube, depois do negócio de permuta dos terrenos da família Ramalho com lotes da frente urbana do Parque da Cidade e já na execução do Plano de Pormenor das Antas."O F. C. Porto recebeu duas vezes, mas neste julgamento só está em causa a permuta, pois o MP arquivou. O dr. Rui Rio, de direito não sabe nada; não pode falar de cátedra!".

O autarca do Porto - que exige uma indemnização de 2,5 milhões de euros aos arguidos, o valor estimado pela Inspecção Geral de Finanças como prejuízo, resultante da diferença de valor entre os imóveis permutados - foi também alvo de Gil Moreira dos Santos, advogado de Nuno Cardoso."Rui Rio é que deu os milhões ao FC Porto. Quem está acusado, não deu nada...", argumentou.

Já Sandra Martins Pinto, defensora dos engenheiros que avaliaram os terrenos em causa, acusou Rio e a Câmara de "descaramento" e "litigância de má-fé", ao manter pedidos de indemnização contra os funcionários, que nunca quis punir em termos disciplinares.

O Francisco José Viegas acertou na mouche

No arranque do campeonato, o benfiquismo (as primeiras páginas de A Bola e do Record) fabricou um bode expiatório — Roberto. Castigando e humilhando Roberto salvava-se o Benfica: retire-se Roberto da baliza e temos a pureza virginal do Benfica, a que era apenas preciso acrescentar umas alas mais eficazes. Depois, Roberto defendeu um penalti e ganhou confiança — era o novo herói do Benfica, o vértice luminoso de um polígono de glórias destinado a subir pela tabela e atacar o título. A partir de agora, o benfiquismo (as primeiras páginas de A Bola e do Record) encontrou uma nova desculpa: Jesus, o homem que se limitou a desviar David Luiz para a faixa de Hulk, a fim de parar o tufão que no ano passado foi impedido de jogar. Humilhando Jesus, que no ano passado pôs o Benfica a jogar como não acontecia há vinte anos, salva-se o Benfica. É toda uma doutrina sobre danos colaterais.

E dizer, com clareza e simplicidade, que o FC Porto ganhou o jogo de ontem porque foi superior? Está quieto. Melhor é inventar um novo bode expiatório.

De salvador a besta

(Clique na foto para ampliar)
O até há pouco ídolo das massa encornadas é agora alvo de ultimatuns e já se fala inclusive em despedimento. Brilhante esta alegoria do «Jesus da Amadora» no jornal «I».

Primeiro as flores, só depois ... o golfe

Soube pela blogosfera que um blogue dos "nossos" se propunha a receber os encornados com flores. Ao saber disto, confessei em tertúlia que era assim mesmo. Flores primeiro, até para não terem argumentos, e goleada depois. O meu desejo transformou-se em realidade. Das palavras internáuticas, passaram aqueles bloguistas aos actos. Ei-los aqui a dar uma demonstração de grande fair-play ao saudar a chegada dos encornados... O resto (a goleada) ficou ao cuidado dos nossos valorosos atletas... Muito bem! A todos!

O JN a seguir as pisadas lisboetas

Numa jornada em que o golo foi rei (30 golos), o JN alinha na teoria negativista de lisboa, ou seja, em vez de destacar o sumo desse nobre desporto, os golos, o irreconhecível Jornal de Notícias alinha pela negativa. Se não vencemos, o futebol é uma porcaria, não atrai espectadores. Ou como quem diz, isto só é desporto se os encornados vencem... Assim, lemos coisas como estas:

Francamente...

Podiamos ter ganho sem humilhar? Poder, podiamos, mas nao era a mesma coisa

e fizeram-lhe a vontade:

E depois acordamos assim...

...com esta música nos ouvidos

If it isn't Portugal, then it must be the European Union

Artigo de 02/10/2010 do Jornal Pravda.ru, escrito por Timothy Bancroft-Hinchey (e copiado do Tal e Coiso)


Draconian measures were taken this week in Portugal by the "Socialist" (only in name) Government of José Sócrates, yet another right/centre right Government asking the Portuguese people to make sacrifices, a plea repeated time and again as this long-suffering, hard-working nation slips a few cogs further back into the quagmire of misery.

And it is not because they are Portuguese. Go to Luxembourg, which tops all the socio-economic indicators, and you will find that twelve per cent of the population is Portuguese, the people who built an Empire stretching across four Continents and who controlled the coastline from Ceuta on the Atlantic coast, round to the Cape of Good Hope, the Eastern coast of Africa on the Indian Ocean, the Arabian Sea, the Gulf of Persia, the Western coast of India and Sri Lanka.

This week, Prime Minister Socrates launched another wave of his austerity packages, cutting salaries and increasing VAT, more cosmetic measures taken in a climate of laboratory politics by haughty academics devoid of any contact with the real world, a mainstay in the Portuguese elitist political class in the PSD/PS see-saw of political mismanagement which has plagued the country since its Revolution in April 1974.

The aim? To reduce the deficit. Why? Because the EU says so. But is it just the EU?

No, it is not. The wonderful system that the European Union has allowed itself to get sucked into is one in which the Rating Agencies Fitch, Moody's and Standard and Poor's, based in the USA (where else?) virtually and physically control the fiscal, economic and social policies of EU member states through the attribution of credit ratings.

With friends like these agencies and Brussels, who needs enemies?

Let us be honest. The European Union is the result of a Pact forged by a frightened and trembling France, terrified of Germany after its troops marched into its territory three times in seventy years, taking Paris with ease not once, but twice and by a crafty Germany eager to reinvent itself after the nightmare years of Hitler. France got the agriculture, Germany got the markets for its industry.

And Portugal? Look at the brands of new cars (these seem to be immune to spending cuts) driven by private motorists to ferry around armies of "advisors" and guess which country they come from? No, they are not Peugeot or Citroen or Renault. They are Mercedes and BMWs. Top-of-the-range, of course.

Successive Governments formed by the main two parties, PSD (Social Democrats, right) and PS (Socialist, centre-right), have systematically sold Portugal's interests down the sewer, destroying its agriculture (Portuguese farmers are paid not to produce) and its industry (gone) and its fisheries (Spanish trawlers fish Portuguese waters), in return for what? What have the trade-offs they negotiated brought, except for the total annihilation of any possibility to create jobs and wealth on a sustainable basis?

Anibal Silva, now President but formerly Prime Minister for a decade between 1985 and 1995, the years when billions were pouring through his hands from the EU structural and development funds, is an excellent example of one of Portugal's better politicians. Elected fundamentally because he is held to be "serious" and "honest" (in the land of the blind, he who sees is King), as if that was a reason to elect a leader (which only in Portugal it is) and as if most of the rest were/are a bunch of useless leeches and parasites (which they are) he is the Father of the Public Deficit in Portugal and the champion of public spending.

His "concrete policy" was well conceived but as usual badly planned, the result of an inept, uncoordinated and at times non-existent Spatial Planning department, second, as usual, to vested interests which suck the country and its people dry. A huge part of the EU funds were channelled into building bridges and motorways to open up the country, facilitating internal transportation and constructing industrial parks in the interior cities to attract the population back from the coastline, where the vast majority resides.

The result was that the people now had the means to flee from the hinterland and reach the coastline even faster. The industrial parks were never filled and those industries which were set up have in many cases closed.

A large percentage of the EU taxpayers' money vaporised into phantom companies and schemes. Ferraris were bought. Hunting trips for wild boar were organized in Spain. Private homes were developed. And Anibal Silva's Government sat back and watched, in his first term, as the money was squandered. In his second term, Anibal Silva himself stood back and watched as his Government lost control. Then he tried desperately to distance himself from his own party.

And he is one of the better ones. After Anibal Silva came the well-meaning, well-intentioned and humanitarian António Guterres (PS), an excellent High Commissioner for Refugees and a perfect candidate for UN Secretary-General but a black hole in terms of financial mis-management. He was followed by the excellent diplomat but abominable Prime Minister José Barroso (PSD) (now President of the EU Commission) who created more problems with his discourse than he solved, passed the hot potato to Pedro Lopes (PSD), who basically never had a chance to govern, resulting in the two-term sinister horror or horrors, José Sócrates, a competent Minister of the Environment, but...

The austerity measures presented by this...gentleman... are the result of his own ineptitude as Prime Minister in the run-up to the world's latest crisis of capitalism (the one in which the world's leaders came up with three trillion dollars from one day to the next to bail out irresponsible bankers, while nothing was ever produced to pay decent pensions, healthcare programs or education projects).

And just like his predecessors, José Sócrates demonstrates an absence of emotional intelligence, allowing his ministers to practise laboratory politics and implement laboratory policies which are bound to be counter-productive. Pravda.Ru interviewed 100 civil servants whose salaries are going to be reduced. Here are the results:

They are going to cut my salary by 5%, so I will work less (94%)

They are going to cut my salary by 5%, so I will do my best to retire early, change jobs or leave the country (5%)

I agree with the sacrifice (1%)

One per cent. As for increasing taxation, the knee-jerk reaction will be for the economy to shrink even more as people start to make symbolic reductions, which multiplied by Portugal's 10 million population, will affect jobs and send the economy further back into recession. The mentally advanced idiot who dreamed up these schemes has results on a piece of paper, where they will stay. True, the measures are a clear sign to the ratings agencies that the Portuguese Government is willing to take strong measures, but at the expense, as usual, of the Portuguese people.

As for the future, the Portuguese opinion polls forecast a return to the PSD, while the parties on the Left (Left Block and Portuguese Communist Party) fail to convince the electorate to vote for excellent ideas and concrete proposals. In the case of the PCP, it is higher salaries, greater production, the diversification of the economy and basically, respect for the people who have supported this nonsense for decades. An excellent product devoid of a successful sales department.

Only Portugal's elitist political class (PSD/PS) could be capable of punishing a people for daring to be independent. They have sold Portugal's interests down the drain, they have asked for sacrifices for decades, have produced nothing and continue to massacre their people with further punishments. These traitors are leading more and more Portuguese to question whether they should have been assimilated by Spain centuries ago.

How sickening and how inviting that Portuguese saying "Those who do not feel well should move". Right, the hell away from Portugal, as everyone who can, is doing. What a pitiful comment on a wonderful country, a fantastic people, and a telling statement on an abominable political class from the centre, rightwards.

Casa de Vieira alvo de buscas ... e só agora, 7 meses após é que se soube! Porquê?

PJ fez buscas a casas de Luís Filipe Vieira

Luís Filipe Vieira é suspeito de ter participado numa alegada burla ao Banco Português de Negócios (BPN).
Na manhã de 30 de Março deste ano, elementos da Polícia Judiciária e do Departamento Central de Investigação e Acção Penal fizeram-lhe buscas às suas duas casas (uma situada em Oeiras, outra em Corroios) e à sede do grupo Inland/Promovalor, que lhe pertence.
Os investigadores foram ainda ao Estoril, onde está localizada a residência particular de Almerindo Duarte, o homem de confiança de Vieira e sócio-administrador do seu vasto império empresarial.

Coordenada pelo procurador Rosário Teixeira, a operação judicial insere-se em mais um dos processos que compõem a megainvestigação do caso BPN.
O inquérito em causa (que a SÁBADO apurou ainda não ter arguidos constituídos) partiu de uma queixa ao Ministério Público (MP) e investiga indícios de burla e falsificação de documentos, no âmbito de um empréstimo bancário destinado a adquirir acções da Sociedade Lusa de Negócios que pertenciam ao líder benfiquista. O banco terá sido lesado em pelo menos 14 milhões de euros."

Nem Luís Filipe Vieira nem o seu sócio Almerindo Duarte responderam às questões


Esta notícia só foi do conhecimento público 7 (SETE) !!! meses depois. E ainda assim, de forma sorrateira e quase camuflada. PORQUÊ????

Supertaça de Basquetebol

Dizem todas as crónicas, que foi um jogo equilibrado.
Mas que diabo, se foi equilibrado, porque motivo a equipa de arbitragem assinalou 23 (VINTE E TRÊS) !!!!lances livres contra o FCPorto e apenas 3 (TRÊS) a favor.
Já me esquecia, os árbitros eram de lisboa e a equipa adversária também.
Já agora, o jogo foi em território neutro, que é como já vem sendo hábito, no Algarve...

Depois da neve, o dilúvio...

... mas a podre comunicação social lisboeta é sempre a mesma trampa...

O FCPorto, ÚNICA equipa portuguesa a vencer a Taça de Campeão do Mundo (e por duas vezes), já triunfara, precisamente uma daquelas taças, em condições atmosféricas infernais, ou melhor, enregeladas, sob um manto imenso de neve... É, pois, um Clube habituado a vencer sob quaisquer condições. No passado fim de semana, sob um dilúvio épico, conquistou uma vitória feita de muito querer. Querer vencer contra todos os atributos: o tempo, a arbitragem vergonhosa de um lisboeta, e, claro, a equipa adversária.

Como era de prever, a imprensa lisboeta desvalorizou essa vitória (volto a repetir, só possível a uma equipa como a do FCPorto), e ainda por cima mas deu sinais de fragilidade onde ela não existiu ('Porto salvo pela trave'). Basta ver esta capa:

Para ajudar ao recital de ódio e menorização do FCPorto, tivemos de ouvir um palhaço, de seu nome Pedro Neves de Sousa, certamente um adepto encornado

no final do jogo, no denominado flash interview, a tecer comentários e a procurar que jogador e treinador da Académica fizessem críticas à arbitragem. Não há mais pachorra para aturar estes animais.

Nota: hoje, os encornados, depois de estarem a vencer por 4, em 15 minutos levaram 3 petardos que deixaram aqueles que assitiram ao jogo a rezar para que a partida acabasse rapidamente. Uma vergonha e uma falta dgritante de qualidade e competência. Mas o mesmo pasquim que acima demos à estampa, 'esquece' tal desastre e dá destaque à "magnífica" actuação de um bacano que terá feito uns passes "porreiros"... Pois é, digam lá se o pasquim não é uma trampa jornalística...

Centralismo lisboeta


Ora aqui está um exemplo do fascismo/centralismo/colonialismo lisboeta, (ou quando a televisão do estado confunde Portugal pelo cú de lisboa)...
(este vídeo também pode ser visto no
Blogue Regiões<> )

Dasex do Dariz


Em dia de Fieis Defuntos