Kosta de Alhabaite

Nortenho, do Condado Portucalense

Se em 1628 os Portuenses foram os primeiros a revoltar-se contra o domínio dos Filipes, está na hora de nos levantarmos de novo, agora contra a colonização lisboeta!

Porto Wine Fest


A segunda edição do Porto Wine Fest volta à Ribeira de Gaia, entre 4 e 8 de Setembro de 2013, reunindo o vinho do Porto e a gastronomia num cenário deslumbrante, onde se poderá assistir e participar em várias ações, como as Provas Comentadas, os Enólogos Inesperados, os Duelos de Chefs, os Chefs Inesperados, Demonstrações de Culinária, Aulas Práticas, Histórias com Porto, Concurso de Fotografia, Sunset Happy Hour, Animação, Cocktails a cargo do IVDP, entre outras surpresas. 
Estarão presentes as seguintes marcas de vinho do Porto: Graham’s, Kopke, Burmester, Cálem, Barros, Ramos Pinto, Poças, Borges, Porto Cruz, Taylor’s, Real Companhia Velha, Quinta do Noval, Quevedo, Offley, Porto Ferreira, Sandeman, Maynard’s, Barão de Vilar, Feuerheerd’s, Van Zellers, Senhora do Convento, entre outros. 
Nas acções gastronómicas temos alguns dos seguintes chefs: Nuno Inverneiro, Vítor Matos, Hélder Martins, Álvaro Costa, Pedro Sequeira, João Pupo Lameiras, António José Vieira, Flávio Morganti, Joana Quinta, Sílvio Martins, Manuel Almeida, entre outros. 

Preço: 7,5€/dia, com direito a copo oficial do Porto Wine Fest, 5 senhas de provas de vinho do Porto nos stands oficiais das marcas, a 1 prova comentada, a 1 demonstração culinária e a 1 aula prática 

Dias 4, 5, 6: 16h00-24h00 | 7: 11h00-24h00 | 8: 11h00-21h00 

Mais informações em: www.portowinefest.com

O Porto em imagens (6)


Férias

Em memória dos slows das festas de garagem

Porto d'outros tempus

Praça D. João I (anos 60)

O Porto em imagens (5)


O verdadeiro herói

O Porto em imagens (4)

(fotografia de Manuel Veloso)

Férias

Scottish Higlands

Em memória dos slows das festas de garagem

Três de cada vez

Que apetitosas....

Porto d'outrus tempus


Praça da Liberdade e Avenida dos Aliados, no inícios dos anos 30 
Fotografia de Domingos Alvão



O Presidente da República (de lisboa) deve homenagear as pessoas que tudo deram pelo país...


... mais uma vez fica mal na fotografia...

Porque as autárquicas estão à porta e faltam argumentos...

Justiça? Em Portugal? Ha ha ha ha





Deve ser porque cada delinquente custar perto de 40 euros ao estado centralista e colonialista de lisboa

Gorduras de Estado Centralista e Colonialista


Parece, repito, parece, que a decisão sobre os candidatos autárquicos e sobre a requalificação dos funcionários públicos, que tem de ser conhecida até 9 de Setembro, será tomada não pelos 13 juízes, não por 12 nem por 10, mas pasme-se - por 7 juízes do Tribunal Constitucional, Sim, sete , metade mais um.

E porquê?

Porque as férias dos meritíssimos se prolongam até ao dia 14 de Setembro e, pelos vistos jamais podem ser interrompidas .

Apocapypse now


Há por aí grandes cemitérios de escândalos à espera que a miséria e o desespero do país se transforme em raiva e os desenterre. Os regimes morrem assim. Se a população não conserva o mais leve vestígio de confiança na autoridade, governar é impossível. E esse momento não está longe.

Vasco Pulido Valente, Público

Now my feet won't touch the ground

Alguém anda a copiar as minhas (piores) piadas

Jorge "jejum" Jesus considerado 7.º melhor treinador do Mundo
PELA "FOOTBALL COACH WORLD RANKING"

Vieira: o presidente dos encornados é como um canivete suiço

Vieira, o treinador:

===> que se dane a opinião do técnico; "eu sou o treinador", "eu é que mando" - bem me parecia que há muito dedo do presidenta pneumático na elaboração da equipa...

Vieira, o psicólogo:

===> que tal adoptarem um cão?

Vieira, o negociador:
Fariña: "Estava referenciado e foi comprado numa parceria. É um jogador com potencial. Através da tal parceria com um clube do Dubai, recebemos uma proposta irrecusável, uma região onde o Benfica quer estar. Posso dizer que o custo do jogador foi coberto em 40% por esse empréstimo".

===> que rico negócio fizeram os árabes; O Baniyas já observava o jogador há longo tempo e vai daí, como não tinha dinheiro para o comprar, deixou que o Benfica o fizesse e, zás, aluga o passe, fica mais barato! 


Vieira, o pacificador:
«Cardozo nunca faltou ao respeito a ninguém no Benfica» 

===> bem me parecia que Jesus anda a trabalhar pelo outro lado; no fim o presidente vai juntar o Jesus e o Cardozo e obriga-os a darem um beijinho de pazes
Vieira, o embaixador:
«O Dubai é uma região de grande interesse para o Benfica»

===> então não é? aquilo é um filão de brutais jogadores. Ou será pelos negócios pessoais e imobiliários que por lá tenho em vista? Ou será pelos camelos?

Vieira, o vidente:
«Em 2014/2015 as pessoas vão começar a notar algo de novo no Benfica»

===> então esta época não conta? como papoilas saltitantes vão passar a jogar de licras e fatinhos de ballet para chamar a atenção e/ou para os adversários morrerem de tanto rir?

Vieira, o Rei Midas:
«Este é o último ano em que vamos precisar de vender jogadores»

===> mantemos o contrato com os tais 114 jogadores e não vendemos ningém porque:
  1. ninguém os quer...
  2. vão usar os jogadores excedentários nas obras do presidente...
  3. porque vão descobrir petróleo na Luz....
Vieira, o aluno cábula:
«Não estou arrependido. O futuro do Benfica passará pelo sucesso deste canal. Os 150 mil assinantes já cobrem os 22 milhões oferecidos pela Olivedesportos»

===> ora vamos lá fazer as contas: 150.000 vezes 9,9 euros dá, portanto, é só fazer as contas...

Em memória dos slows das festas de garagem

Coimbra

Muda de Cenário na Praia de Moledo

Gibraltar e a moral castelhana


Que moral tem o governo de Madrid para falar de Gibraltar, quando é a própria Espanha a manter enclaves no norte de África ?

Cleptomaníacos famosos


O menino rico e a jornalista panaca


O herdeiro é mimado, mas afinal a sua futilidade e o dinheiro esbanjado em festas certamente faz mais pela economia portuguesa do que a colecção de sapatos da jornalista, Judite de Sousa, agora na TVI, que não percebeu que foi ela a usar de forma ignominiosa os recursos que nunca fez por merecer: os salários milionários que recebeu da RTP ...

Proteger a Costa Vicentina


A Quercus está a angariar fundos para impugnar judicialmente a intervenção imobiliária em Rede Natura, na Costa Vicentina. Muitos contributos de cinco euros podem fazer a diferença!
A página de Internet tem um procedimento de contribuição. Existe um NIB para transferência bancária:
NIB: 003502390001844793078
Titular: Quercus
Destino: campanha para impugnação de projecto turístico Costa Vicentina
O recibo da contribuição pode entrar no IRS/IRC e terá de ser pedido , nesta modalidade de transferência bancária, para quercus@quercus.pt.
(por sugestão de ACP)

Pavia

Na imagem ao lado podemos observar a Anta-Capela de Pavia, monumento funerário pré-histórico, com mais de 5000 anos de idade, adaptado a templo católico durante a Idade-Média. Tudo aponta para que durante o domínio árabe também ali tivesse funcionado um espaço de oração. Classificado como Monumento Nacional, a Anta-Capela de Pavia foi o primeiro monumento megalítico referenciado na bibliografia histórica. Manuel Severim de Faria (séc.XVI), na sua obra “Notícias de Portugal”, já mencionava a anta-capela de S. Dinis ou S. Dionísio, como também é conhecida, e que se localiza no centro histórico da vila alentejana de Pavia.

Galiza

Em memória dos slows das festas de garagem

A Canção do Mar

"Canção do Mar" é uma canção portuguesa da autoria de Frederico de Brito e Ferrer Trindade. Foi cantada por Amália Rodrigues em 1955, no filme "Os Amantes do Tejo" sob o nome de "Solidão".

Em 1987, Anamar lança o álbum "Almanave", onde incluiu uma nova versão de "Canção do Mar".  Dulce Pontes gravou depois, também, uma versão da música no seu álbum "Lágrimas", de 1993. Esta tornou-se a mais conhecida versão, sendo incluída nas bandas sonoras dos filmes americanos "A Raiz do Medo" ("Primal Fear"), no qual Richard Gere (que quis pessoalmente, que esta música fosse incluída) contracena com Edward Norton e "Atlantis: O Continente Perdido" ("Atlantis: The Lost Empire"), da Disney.
Outras artistas internacionais também se renderam a esta música, cantando as suas próprias versões em outras línguas, tal como: Hélène Segara ("Elle, tu l'aimes", 2000, com o videoclipe filmado no Alentejo e com Ricardo Pereira), Chenoa ("Oye, Mar", 2002) e Sarah Brightman("Harem", 2003).
No Brasil, a "Canção do Mar" foi gravada inicialmente por Agostinho dos Santos em 1956, e no ano seguinte, foi gravada por Almir Ribeiro. Esta música também foi usada como tema de abertura de uma telenovela, que é  uma adaptação do romance "As Pupilas do Senhor Reitor", de Júlio Dinis.
Interpretado por Dulce Pontes, este tema tornou-se um dos maiores êxitos da música portuguesa de sempre. É, provavelmente, a canção portuguesa mais conhecida fora de Portugal, interpretada até hoje pelo mundo fora por vários artistas.
Veja agora  dois vídeos: um com a Canção do Mar cantada em português, russo e tártaro e outro com a cantora portuguesa Dulce Pontes, que transformou este tema, num hino. 

Fui bailar no meu batel
Além no mar cruel
E o mar bramindo
Diz que eu fui roubar
A luz sem par
Do teu olhar tão lindo
Vem saber se o mar terá razão
Vem cá ver bailar meu coração
Se eu bailar no meu batel
Não vou ao mar cruel
E nem lhe digo aonde eu fui cantar
Sorrir, bailar, viver, sonhar...contigo     




E agora ouça a cantora portuguesa Dulce Pontes, a interpretar a Canção do Mar. Não há palavras, para descrever as emoções que transmite. 



Ricardo Afonso: uma voz portuguesa

Férias

Porto d'outrus tempus

ROMARIA DO SENHOR DA PEDRA (1912)


Portugal, 1912 Género: documentário Duração: 00:03:10, 16 fps Formato: 35 mm, PB, sem som AR: 1:1,33 Descrição: Imagens não montadas. ID CP-MC: 2008357-002-00.33.52.02

Quem defende os Cristãos do Egipto?


A perseguição as cristãos atingiu no Egipto níveis sem precedentes na Era Moderna. A bandeira da al-Qaeda foi hasteada em várias igrejas, o papa copta teve que se esconder sob ameaça de morte, um padre foi morto em frente `sua igreja, outro foi decapitado, as crianças têm sido raptadas, não passa um dia sem que uma igreja seja incendiada ou atacada, os graffiti do ódio cobrem as paredes das casas e das igrejas cristãs.

E porque é que a perseguição chegou a estes níveis? Porque Mohamed Morsi, líder da Irmandade Muçulmana, foi deposto numa revolução em que 30 milhões de egípcios, a maior parte deles muçulmanos, assim exigiram nas ruas.

Mas a Irmandade recusa-se a admitir que a maioría de muçulmanos não esteja do seu lado, e prefere usar a já perseguida minoria cristã como bode expiatório, apontando-a como a responsável pela queda de Morsi, Toda a Irmandade Muçulmana, desde o seu líder operacional, Mohammed Badie, ao seu pai espiritual, o Sheikh Yusif
al-Qaradawi
, apontaram os cristãos coptas como responsáveis pela revolução e acusam-nos de terem morto muçulmanos.


Assim, a fúria anti-cristã tomou proporções de genocídio. Recentemente, antes desta ofensiva de queima de igrejas, um muçulmano líbio chamado Tamar Rashad, afirmou na TV: "Tenho boas notícias para o (papa Copta) Tawadros - Se Alá quiser, está próximo o dia em que nem um cristão pisará mais o solo egípcio, e não haverá nem mais uma igreja de pé. Não permitiremos que as igrejas existam". Quando o apresentador protestou contra tais afirmações, Rashad interrompeu-o dizendo: "Já está decidido! Peguem nas vossas câmaras e vão para as igrejas ver o que vai acontecer, se Alá quiser".
Leia o artigo completo no site de Raymond Ibrahim.

Deusa Fortuna: hoje bem que me podia visitar ...


Carl Orff

A cantata

O compositor alemão Carl Orff musicou alguns dos "Carmina Burana", compondo uma cantata homônima. Com o subtítulo "Cantiones profanae cantoribus et choris cantandae", a obra, por suas características, pode ser definida também como uma "cantata cênica". Estreou em junho de 1937, em Frankfurt e faz parte da trilogia "Trionfi" que Orff compôs em diferentes períodos, e que compreende os "Catulli carmina" (1943) e o "Trionfo di Afrodite" (1952).

A cantata é emoldurada por um símbolo da Antiguidade — a roda da fortuna, eternamente girando, trazendo alternadamente boa e má sorte. É uma parábola da vida humana exposta a constante mudança, mas não apresenta uma trama precisa.

Orff optou por compor uma música inteiramente nova, embora no manuscrito original existissem alguns traços musicais para alguns trechos. Requer três solistas (uma soprano, um tenor e um barítono), dois coros (um dos quais de vozes brancas), pantomimos, bailarinos e uma grande orquestra (Orff compôs também uma segunda versão, na qual a orquestra é substituída por dois pianos e percussão).

A obra é estruturada em prólogo e duas partes.
No prólogo há uma invocação à deusa Fortuna na qual desfilam vários personagens emblemáticos dos vários destinos individuais. Na primeira parte se celebra o encontro do Homem com a Natureza, particularmente o despertar da primavera - "Veris laeta facies" ou a alegria da primavera. Na segunda, "In taberna", preponderam os cantos goliardescos que celebram as maravilhas do vinho e do amor(“Amor volat undique”), culminando com o coro de glorificação da bela jovem ("Ave, formosissima"). No final, repete-se o coro de invocação à Fortuna ("O Fortuna, velut luna”).

"Wikipédia"

Seguro confia em Óscar Cardozo, lol

O estranho (?) silêncio do franciú da UEFA

Multiplicam-se as situações:  jogadores com contratos firmados por várias épocas de vinculação aos seus clubes são subitamente atacados pela febre dos milionários. Inicia-se assim uma desestabilização sem precedentes, na vida daqueles e dos clubes que são donos dos seus passes desportivos. Contratos de valores estratosféricos são acenados por súbitos milionários endinheirados, cuja fortuna assenta, não poucas vezes em sangue e tráfico de armas e/ou droga. 
Estes novos-ricos que caem no futebol estão a matá-lo. A tal história do fair-play financeiro imposto pelo sr que jogou na selecção francesa e que por agora é o "dono" da UEFA é uma farsa. 
Para nós, ingénuos e românticos adeptos do futebol, que não mudamos de camisola e amamos as nossas cores, ficamos chocados com o mercenarismo de alguns cepos, descobertos em clubes esconsos e distantes, que de um ano para o outro se acham merecedores de, no melhor estilo de Vale e Azevedo, rasgarem contratos firmados e imporem a frase assassina: "quero sair". Empresários gananciosos e milionários suspeitos estão a destruir o desporto do mundo. A UEFA e o cretino calam-se: não impoem regras de transparência e de equidade. Nada. Miseráveis: os que se deixam aliciar e os que vergam a cerviz ao cifrão dos poderosos...




Onde param os profetas da desgraça?

Economia portuguesa cresce 1,1% no segundo trimestre


Correndo os canais de televisão lisboetas, por estes dias, não é possível encontrar um único dos comentadores televisivos que ainda há bem pouco prediziam as maiores desgraças neste país assolado pela crise. 
Os que prediziam com solene gravidade ainda há pouco mais de um mês que a crise de dimensões colossais poderia fazer o poder cair na rua, que profetizavam o segundo resgate, a saída de Portugal do euro e a fragmentação da Europa, estão a banhos certamente.
As doutas e "parvas" iminências estão ausentes, quiçá no Algarve soalheiro a salvar o cenourinha e a beber umas bejecas (porque o dinheiro é pouco e as avultadas avenças pagas pelas televisões não chegam para dar um salto até um atol qualquer no Pacífico), estendidos numa toalha ao sol impiedoso, procurando o bronze que vão orgulhosamente ostentar no regresso ao ecrans em Setembro.
Assim, mesmo com uma notícia que não sendo de estrondo pelo menos é um indício que algo pode ter sido bem feito, teremos que nos resignar com a ausência destas sumidades
Sem estas "suinidades", as televisões lisboetas voltaram a um passado pictórico e platónico: as praias da moda, a romaria da província, os festivais gastronómicos e as feiras medievais... 
Em Setembro, as tais "suinidades" regressarão ainda mais empenhadas em fazer soar o trovão do apocalipse: "Portugal atravessa uma crise da qual muito dificilmente sobreviverá"; "Isto chegou ao fundo dos fundos"; "Assistimos ao apodrecimento das instituições".
E se ficassem lá pelo Reino dos Algarves?

Limitação de mandatos é uma lei democrática?

Esta lei é restritiva de dois direitos fundamentais: 

  • Quando estamos a impedir um cidadão de se candidatar, estamos a impedir o povo de votar nele; 
  • Há o direito fundamental de um cidadão, em condições de igualdade, de eleger e de ser eleito para todos os órgãos do Estado. 

Quando a Constituição limita direitos, tem de ter uma interpretação restritiva desses limites. A única coisa que a Constituição permite é que o legislador possa estabelecer limites de mandatos para garantir a liberdade de escolha dos eleitores: é esse o princípio constitucional que está em causa. Ora os eleitores são aqueles, não são outros.
Por isso, a única interpretação conforme à Constituição e respeitadora dos direitos fundamentais é no sentido de a restrição dos direitos ser a menor possível. Em caso de dúvida da aplicação dos direitos fundamentais, de acordo com o artigo 118º da Constituição, opta-se pela liberdade e não pelo proibicionismo.

Não pode haver nenhuma restrição constitucional a que alguém se possa candidatar numa determinada circunscrição perante cidadãos que nele nunca votaram.

Angola: uma lição de democracia


A visão colonialista e centralista do ministro da administração interna

Miguel Macedo

Elaborar OE2014 é como "meter Rossio na Betesga"

Mocidade Portuguesa Feminina

Os apoiantes de Morsi são muito engenhosos: Pallywood no Egipto

O nosso Douro

Momento Musical

Férias

Momento Musical

Em memória dos slows das festas de garagem

20ª Supertaça fica, pelo 5º ano consecutivo, com o FCPorto


A época 2013/2014 não podia começar melhor para o futebol português. 
Estádio cheio e vibrante, respeito e apoio constante de ambas as partes da barricada. Fair-play dos vencidos e vencedores, respeito mútuo e o futebol foi bem jogado. A superioridade do FCPorto foi confirmada em campo e o Vitória de Guimarães está a reconstruir-se com juventude e o futuro deles poderá ser risonho, como risonho já é o caminho que o FCPorto promete trilhar na época agora iniciada.



O que nunca muda: as capas dos panfletos desportivos da capital e os comentário depreciativos da imprensa, nomeadamente das televisões e rádios. Para eles, os triunfos do FCPorto são sempre minimizados pela fraqueza dos adversários. A meritocracia não faz parte do vocabulário desses pseudo-jornalistas, ou melhor, o mérito só existe quando o vencedor é de outras latitudes, ou como quem diz, de cores encornadas. Por outro lado, a habitual "simpatia" dos árbitros às verdadeiras agressões sem punição perpetradas pelos adversários do FCPorto. Por fim, Jackson, a ser verdade, "está muito bem mas não fecha a porta". Sinceramente, não gostei e é inoportuna a afirmação. Que eles façam pela vidinha, nada a opor, (veja-se a felicidade de Lisandro Lopez que 'nunca gostou tanto de um clube como do Lyon, - onde apenas venceu uma Taça; no Porto venceu muito mais coisas - ), mas que diabo, têm um contrato e ponto final. Começam a irritar-me estes mercenários do futebol e os seus empresários.

(ex) Sanatório Marítimo de Francelos


O ex-Sanatório Marítimo de Francelos está de cara lavada. Este edifício emblemático acolhe agora o novo Centro de Reabilitação do Norte (CRN). Equipamento, destinado a reabilitar doentes portadores de deficiências e incapacidades. Terá também uma vocação formativa e de investigação, bem como uma vocação social, de interacção com as famílias, as associações de doentes e a comunidade em geral.

"Inaugurado em 1917, o Sanatório Marítimo do Norte, em Francelos, Vila Nova de Gaia, acolheu mais de três mil doentes até á morte do seu fundador, Joaquim Gomes Ferreira, 61 anos depois. O espaço foi então doado ao Estado, sendo vontade do benemérito que continuasse a ter utilidade social." in JN.

Roteiro das minas e pontos de interesse mineiro e geológico de Portugal

Observações políticas

EQUIDADE, SABEM O QUE É?

TRAFULHICES NA CAPITAL


Afinal, o que é essa coisa dos SWAPS ?


Imagine que pediu um empréstimo ao banco para comprar uma casa. Ou seja, contraiu um crédito à habitação. Esse empréstimo, na maior parte das vezes, é acordado tendo por base uma taxa de juro variável. E que sobe ou desce consoante a variação da Euribor.
Agora imagine que acredita que os juros vão subir muito nos próximos anos. O melhor, seria fixar essa taxa, travar essa subida. É exactamente isso que um contracto de 'swap' permitiria que fosse usado num crédito à habitação.
Como a própria palavra indica, 'swap' é uma troca. Neste caso uma taxa de juro variável por uma fixa.
O pior é se ao contrário do que pensava as taxas de juro em vez de subirem, descerem. Então nesse caso fica a pagar o valor fixo.
Imagine 5%, quando no mercado o preço do dinheiro já só custa 2%. Foi exactamente isso que aconteceu no caso de algumas empresas públicas. Acordaram contratos numa altura em que as taxas de juro estavam a subir, pensando que iriam subir ainda mais e tentaram trancar essa valorização.
Mas a realidade nem sempre é o que nós pensamos que vai ser. E neste caso não foi. As taxas de juro desceram e agora as perdas potenciais podem chegar aos 3 mil milhões de euros.
No fundo é como no casino. Apostamos no vermelho mas às vezes sai o preto. Há sempre alguém que ganha.

Quinta do Poços - Vindima

Lousã - caminhada pelas Aldeias do Xisto

Porto d'outrus tempus

PORTO - SÃO MAMEDE DE INFESTA (1930)



André Pereira de Moura - Realizador Portugal, 1930 Género: documentário Duração: 00:10:45, 18 fps Formato: 35 mm, PB, sem som AR: 1:1,33 ID CP-MC: 2002460-002-00.28.52.01

Estados de Alma

Milhares de tunisinos pedem a ‘cabeça’ do governo islâmico

Protestos e mais protestos. Desde há duas semanas que esta tem sido a realidade na Tunísia. Milhares de pessoas saem às ruas em protesto, pedindo a cabeça do Governo presidido pelo fundamentalista islâmico Moncef Marzouki. «Vamos continuar a lutar e continuar a isolar o Ennahda, seja qual for o projecto que apresentem a seguir. Apelamos à ocupação das ruas em todas as regiões», contou um jovem tunisino citado pela Euronews.

De barba rija

Em memória dos slows das festas de garagem

Galegos querem aproximação com países de língua portuguesa

"O caminho está, portanto, aberto. Agora é preciso também que portugueses e brasileiros voltem os olhos para esta velha nação em que, há já mais de mil anos, nasceu a sua e nossa língua", diz político galego.

No mês de Setembro, o Parlamento da Comunidade Autónoma Espanhola da Galíza deverá votar a Iniciativa Legislativa Popular Vicente Paz-Andrade, que tem 17 mil assinaturas, com três artigos prevendo a incorporação progressiva do ensino do português na grade curricular e futura exigência em concursos públicos; a recepção aberta em rádio e televisão de programação falada em português; e a participação formal da Galiza em eventos e em instituições internacionais que tenham o português como língua oficial.
A proposta foi apresentada em Maio de 2012 e admitida em Abril deste ano, com apoio de todos os partidos do parlamento – desde os que defendem a independência da Galiza até os de linha não nacionalista. Há razões políticas, culturais e económicas para o consenso da província espanhola.
Ao estimular a disseminação do português [que teve origem no galaico-douriense, língua então falada na região da Galiza e Douro], os galegos resguardam o próprio idioma,  que é a origem da língua lusitana e anterior à formação de Portugal (século 12), e assim ajudam a fortalecer o galego diante do avanço do castelhano (idioma que os brasileiros habitualmente chamam de espanhol).
Além do resgate histórico, a aproximação pode render dividendos financeiros. O interesse económico é destacado na exposição de razões para a aprovação da lei.  (...) Também os países africanos de língua portuguesa, e em particular Angola, mantém algumas das economias que crescem de forma mais pronunciada nos últimos anos. (...) A vantagem competitiva que para as pessoas da Galiza representa a língua não se limita à potencialidade de estabelecer novas relações comerciais ou culturais directas, mas ter um estatuto mediador entre blocos geográficos e linguísticos". O Produto Interno Bruto dos oito países lusófonos fechou a última década em cerca de US$ 2,5 trilhões.
Néstor Rego, membro da executiva do partido Bloco Nacionalista Galego (BNG), que tem representação no parlamento da Galiza, salientou que "nas relações económicas, o factor da afinidade linguística, junto com outros, como a proximidade e a complementaridade, ganham importância. Com Portugal, podemos explorar os dois primeiros...". Além de apoiar a lei de iniciativa popular, o BNG apresentou ao parlamento galego a proposta de que a Comunidade Autónoma da Galiza peça a incorporação oficial à Comunidade de Países de Língua Portuguesa (CPLP).
Os galegos já tentaram por duas vezes aproximação formal com a CPLP. Em ambas ocasiões a tentativa foi frustrada. A primeira vez foi em Julho de 2011 quando Angola, ocupando a presidência pro-tempore da comunidade, propôs na 16ª Reunião Ordinária do Conselho de Ministros da CPLP (realizada em Luanda) a candidatura da Fundação Academia Galega de Língua Portuguesa (entidade particular) como observadora consultiva. O pedido foi aceito inicialmente e publicado na internet. Posteriormente, o nome da entidade galega foi retirado. 
Cerca de 20 dias após a reunião do Conselho de Ministros, a mesma fundação apresentou candidatura como observadora consultiva do Instituto Internacional da Língua Portuguesa (IILP), durante a 6ª Reunião Ordinário do Conselho Científico do Instituto. Segundo registo publicado no Boletim da Academia Galega da Língua Portuguesa (nº 5, de 2012), o pedido deveria ter sido submetido ao Conselho de Ministros da CPLP, que se reuniu este mês em Maputo (Moçambique) mas não apreciou a proposta.
O Brasil e outros seis países da comunidade são favoráveis à participação galega. Em Portugal, há preocupação de que o apoio à participação possa eventualmente alimentar espírito separatista na Galiza e contrariar o governo central da Espanha, principal parceiro comercial de Portugal. Na CPLP, a assessoria de imprensa informou que "não dispunha de informações".

Apesar da indefinição diplomática, Néstor Rego salienta que há colaboração entre a Galiza e os países da CPLP e que estão disponíveis, por exemplo, ferramentas eletrónicas de revisão de texto e auxílio à escrita nas diferentes variantes do galego-português. "O caminho está, portanto, aberto. Agora é preciso também que portugueses e brasileiros voltem os olhos para esta velha nação em que, há já mais de mil anos, nasceu a sua e nossa língua".

Momento Musical

Quintero: ouro puro


Férias

PRAIA DE ALBANDEIRA - Porches - Lagoa - Algarve - Portugal

Fiat 147: uma história verdadeira :-)

Bafio de Cascais

Helena Sacadura Cabral: "O que o meu filho sofreu de Setembro até agora só eu e ele é que sabemos[daqui]

A "tia" de Cascais a apaparicar o menino. Isto é tão ridículo e bafiento...

Minuto 92: até em França é notícia

KELVIN, 92 REPRÉSENTE


Parmi la myriade de pépites que compte le FC Porto dans ses rangs, il y en a une qui compte une petite longueur d’avance : Kelvin. Paradoxe, l’ailier brésilien a su gagner sa place dans l’histoire du club avant même de gagner une place de titulaire.
C’est l’histoire d’un jeune brésilien totalement inconnu que le FC Porto a dégoté de nulle part pour en faire une star. Un grand classique. Reperé au sein du modeste club brésilien de Paranà, Kelvin Mateus de Oliveira débarque en 2011 dans le Nord avec des valises remplies de promesses. Crête à la Neymar et gueule de Robinho, son jeu de jambes et sa technique y ressemblent aussi. Selon son entraîneur à Paranà, « son pied gauche a été touché par la Grâce de Dieu ». Rien que ça. Les supporters « tripeiros » demandaient à voir, deux ans après ils l’ont vu. Après un prêt anecdotique à Rio Ave (22 matches, 0 buts) et une saison guère folichonne en équipe B, le petit meneur de jeu a su se réveiller à temps.

FCPorto: aqui está uma ideia a copiar


Jogadores convidados para assistir a um concerto de música clássica são surpreendidos...

O Anadolu Efes, principal equipa de basquetebol da Turquia, foi surpreendida durante um concerto de música clássica. Vários jogadores foram convidados para assistir ao concerto, e embora se tenham vestido a rigor não conseguiram esconder algum aborrecimento a assistir ao concerto. Até que de um momento para outro o espectáculo animou... 
Confira acima a enorme surpresa que estes jogadores tiveram! 

PS: A música que é tocada na surpresa chama-se «Senden Daha Güzel» e está associada à equipa do Anadolu Efes há algum tempo.

Cidade do Porto: cinema fora do sítio

Ao ar livre e com entrada gratuita há “Cinema Fora do Sítio” todos os sábados e domingos de 3 de Agosto a 1 de Setembro, pelas 22 horas, a decorrer em diversos sítios da cidade.

PROGRAMA:

3 Agosto - Praça das Cardosas : “O Grande Gatsby” 
4 Agosto - Monte Aventino : “Argo” 
10 Agosto - Jardim do Passeio Alegre : “Os Estagiários” 
11 Agosto - Gruta dos Jardins do Palácio de Cristal : “A Noite dos Mortos Vivos” 
17 Agosto - Rua Cândido dos Reis : “Django Libertado” 
18 Agosto - Av. Vimara Peres (junto à Ponte D. Luís) : “Hitchcock” 
24 Agosto - Praça do Metro da Trindade : “Die Hard” 
25 Agosto - Praça D. João I : “A Ressaca” 
31 Agosto - Praça Carlos Alberto : “Lincoln” 
1 Setembro - Praça da Ribeira : “Batalha do Pacífico

Porto d'outros tempus

Postal da Avenida dos Aliados, início anos 70
A beleza que a vereação do execrável Rui Rio destruiu

Douro Património Mundial: turismo

Rui Rio, essa coisa abjecta e putrefacta

Rui Rio, sem dúvida o pior presidente que a Câmara do Porto já teve, jamais recebeu o FCPorto nos Paços do Concelho Municipal. A tradicional presença dos vencedores do campeonato e de títulos internacionais nas varandas da edilidade para receberam os aplausos do povo portuense sempre foi negada. Até as congratulações do município tiveram um quê de suspeito. 
Rui Rio, dizem, foi bom de contas. Pessoalmente ainda estou para ver. O que dizem também, à boca pequena, é o favorecimento a alguns boys and girls e a empresas de consultores e advogados (olhem os ajustes directos). A Cidade continou a definhar, não evoluiu, as obras e os melhoramentos só conheceram uma faceta: as Torres do Aleixo. O resto da história todos sabem.
Afastou o investimento, não impediu a erosão da população, eliminou a amarfanhou o nosso orgulho. Foi e é  pérfido na sua aversão do FCPorto. Afinal, de quantos sucessos colectivos se pode orgulhar a Cidade do Porto? 
A promiscuidade que segundo ele existia entre as vereações anteriores e o FCPorto acabou com ele. Logo de seguida foi e é muito aplaudido pelos mouros da capital, os mesmos que recebem os clubes de lisboa quando, ocasionalmente vencem algo que por distracção o FCPorto deixa escapar....

O Presidente da maior e mais democrática Nação do Mundo, o Sr. Presidente Barack Obama, dos Estados Unidos da América, recebeu e confraternizou com a equipa dos San Francisco Giants que venceram o campeonato nacional de basebol.  Os gestos simples definem os miseráveis velhacos dos líderes. Rui Rio é um reles e a história esquecerá rapidamente o seu legado bafiento de inimigo do Porto!



O jogo do prego; lembram-se?

Agora digam-me, costumavam brincar ao jogo do prego na praia? 
Confesso que não era muito bom naquilo... e agora que penso nisso, não era lá muito seguro.

A'gosto no Porto


Festival da Francesinha no edifício da Alfândega do Porto até 11 de Agosto, das 11 às 24h 


Evento no âmbito do "A'gosto no Porto - Festival Gastronómico". Além de um palco para actuações musicais, este festival inclui uma feira popular, com carrosséis e outros divertimentos para os mais novos. E para refrescar do calor do Verão o festival conta também com uma piscina, bem como diversas áreas lounge. O A’gosto no Porto tem ainda uma área com artesanato e produtos regionais portugueses, bem como uma zona de venda de roupa e de acessórios, assim como de ... automóveis!!!