Kosta de Alhabaite

Nortenho, do Condado Portucalense

Se em 1628 os Portuenses foram os primeiros a revoltar-se contra o domínio dos Filipes, está na hora de nos levantarmos de novo, agora contra a colonização lisboeta!

Adeuzinho bifes

Os sem-abrigo crescem que nem cogumelos

Quatro anos de Geringonça. Quatro Orçamentos de Estado aprovados pela maioria de Esquerda. Quatro anos com um crescimento de 157% dos Sem-Abrigo. Estamos mesmo a ficar uma Venezuela.

Mais um caso que comprova o polvo da corrupção benfiquista

“Como explica a "coincidência" de um juiz receber no seu email um processo quase 3 meses antes desse mesmo processo lhe ser sorteado!!?

O canalha que absolveu José Veiga em 2013, recebeu o recurso do empresário no seu mail quase 3 meses ANTES desse processo lhe ser oficialmente distribuído!!!!!!!


É no tribunal de Loures, mas começando a perceber o nível de podridão e corrupção dos juízes, pode ser em qualquer tribunal deste país de canalhas


Nos dias que correm: uma dúvida prevalece na política lisboeta


A república "popular" da china.nos dias que correm


Rui Pinto, doa a quem doer!


Ponto de vista: O 31 de Janeiro e a inspiração na Revolução de 1820

O 31 de Janeiro e a inspiração na Revolução de 1820

A 31 de Janeiro de 1891, o Porto foi abalado por uma Revolta, a última do seu vasto e glorioso património revolucionário, inspirada pela Revolução Liberal de 1820, a primeira das manifestações revolucionárias que procuraram implantar a República em Portugal e que atingiram o seu remate final na Revolução de 5 de Outubro de 1910.
Importa assim detectar o significado que a Revolta de 1891 teve para o Porto e avaliar o património que a mesma legou a Portugal. No que diz respeito à cidade, apesar de Oliveira Martins, Basílio Teles, Sampaio Bruno, Alves da Veiga, António Claro e Teófilo Braga pensarem que a revolução só poderia sair do Porto, a verdade é que o 31 de Janeiro encerra o ciclo revolucionário do Porto oitocentista, ou melhor, da burguesia oitocentista portuense. Diríamos até que essa revolta esgota as potencialidades revolucionárias do Porto. Tal não impediu que a data de 31 de Janeiro de 1891 depressa fosse incorporada no imaginário colectivo da cidade do Porto como um símbolo de liberdade. Durante o Estado Novo, é sob a tutela desse facto histórico que os democratas vão reavivar a oposição ao regime, reivindicando, novamente, a República democrática, que veio a ser instaurada a 25 de Abril de 1974.
No plano nacional, importa referir que a Revolta do Porto, em primeiro lugar, mostrou aos republicanos o caminho para terminar com a Monarquia e instaurar a República, isto é, o 31 de Janeiro constituiu o primeiro e o mais importante antecedente do 5 de Outubro, demonstrando assim que era, não pela evolução, não pelo sufrágio eleitoral, mas sim através da revolução, que o Partido Republicano podia conquistar o poder.
Em segundo lugar, a Revolta do Porto sacralizou as cores da bandeira e do hino, que se vieram a transformar em símbolos nacionais. Com efeito, a bandeira partida (de verde e encarnado), a denunciar a sua origem maçónica na divisão vertical, apresenta as cores adotadas na Revolta de Janeiro de 1891, as cores da bandeira do Centro Republicano Federal do Porto, que foi hasteada então na Câmara Municipal do Porto. Após o 5 de Outubro de 1910, quando estalou a polémica que dividiu tanto monárquicos como republicanos quanto às cores da bandeira nacional, acabou por prevalecer a tese das cores verde e rubra, porque tinha sido justamente sob a bandeira vermelha e verde que os revoltosos do Porto tinham combatido e morrido. Por outro lado, "A Portuguesa", marcha patriótica gerada na indignação que o Ultimatum britânico de 1890 suscitou, rapidamente entoada por todo o país, foi o hino ao som de cujos acordes os revoltosos de 1891 marcharam, tornando-se a partir daí o hino do Partido Republicano Português. Proibida pela Monarquia, "A Portuguesa", após o 5 de Outubro de 1910, irrompeu de novo pela voz popular, consagrando-se, definitivamente, em 1911, como hino nacional.

Só para relembrar: em 2011 era a céu aberto...


De-puta-da de que nação?

  • Disse que Portugal é um pais neo colonialista.
  • Diz que não existe racismo contra brancos.
  • Comemora a sua eleição para o parlamento português  com a bandeira da Guiné.
  • Pede que objectos em museus sejam devolvidos a África.
  • Não gosta de Portugal.

portugueses que ficam ofendidos se alguém a mandar para a sua terra...


Hoje tivemos aqui na tasca um exercício de simulacro de fogo...

No Parlamento uns cortam as unhas outros dormem. Estamos bem servidos.


Chupem


Digam lá se este "braga" não é uma cópia foleira do corrupto benfica


O lisboeta 'correio da manhã' avança que CCTV ficou inoperacional três minutos antes de adeptos terem acendido tochas numa bancada

O sistema de videovigilância (CCTV) do Estádio Municipal de Braga esteve uma hora em baixa na final da Taça da Liga, no sábado, em que o Sp. Braga venceu o FC Porto por 2-1. Ao que o Correio da Manhã apurou, o CCTV ficou inoperacional cerca de três minutos antes de adeptos dos bracarenses terem acendido tochas numa bancada superior, arremessando-as para o nível inferior.

Tânia Laranjo: além de má jornalista é uma (alcoólica) potencial criminosa na estrada

ALERTA CM, ALERTA CM Parafraseando alguém que devia estar preso, “fizeram-me chegar isto”, o que permite finalmente perceber duas coisas: 
a) o porquê das notícias que assina terem tantos problemas com a verdade. 
b) o inusitado movimento dos postes.
 Agora vou ver a CMTV, à espera 
(by FJM in Twitter)




Rui Oliveira de Matosinhos não tem qualidade para árbitro!

A criatura da patada fez 10 faltas, 2 ou 3 para amarelo antes deste lance. Aqui já tinha amarelo e o árbitro nada lhe mostrou. Clara a sua … "inclinação". 
Não presta! Está claramente identificado com o que lemos em certos leaks "maus"...






Já matar adeptos ao Sporting não tem custado nada, certo?

Relembrar: o adepto do corrupto benfica que assassinou o adepto do sporting continua à solta e viu o seu julgamento adiado por 2 vezes - quem sabe à espera da prescrição - 


Jornalixo lisboeta


Coronavirus


Verdade desportiva? Leaks bons e leaks maus? 18 vitórias seguidas fora de casa? É isto!




Para que conste, seus iletrados bananas


Justiça no divã


Santos da casa

Convém lembrar que António Costa reuniu com Isabel dos Santos antes de avalizar a sua entrada no capital do BCP e que a CGD a financiou em 125 milhões de euros para que pudesse comprar acções da ZON.

O caso é grave — confesso, e coloca em risco a minha vida conjugal. Ele é arritmias, insónias, suores frios e, quase que juro, até acordei a murmurar o nome dela. Não fosse o cônjuge ter sono pesado e, a esta hora, bem podia estar nas urgências, confiando que o INEM tivesse chegado a tempo. Saí de fininho e no banho até me questionei: “Será amor isto que sinto?”. O que é estranho, já que, à excepção daquelas covinhas no rosto, não acho especial piada à senhora. Até pensei que fosse alguma reminiscência de um namoro de juventude que, com ela partilhava as graças e a pele trigueira. Só a dose de cafeína ao pequeno almoço, me colocou o cérebro funcional. (Atenção que o funcional é segundo os meus critérios e não os vossos!).

A princesa de África – e aqui abro parêntesis porque não é uma princesa de um reino. Já que goza do título, então que seja em grande, e vai de perfilhar todo um continente! – tem(-me) entrado [e julgo que a vós também], dia e noite, pela casa. Invade-me os olhos, esbulha-me os ouvidos e até me tira o sono. Em bom rigor, antes ela que o Trump, verdade seja dita, que sempre torna a coisa mais aceitável…
Mas, apesar de relativamente perleúdo quanto a esta matéria, continuo a não perceber o básico: qual foi, afinal, o crime de Isabel dos Santos que nós não soubéssemos ou não desconfiássemos?
Para os mais desatentos, lembro que a frase não acaba em qual foi o crime de Isabel. Impõe-se a leitura da restante frase, na qual, aliás, coloco o acento tónico. Foram necessários 120 jornalistas, centenas de gigabytes e programas de descodificação xpto para que, da noite para o dia, ganhássemos uma consciência crítica quanto à fortuna da mulher mais rica de África, só por acaso filha dilecta daquel que foi Presidente de Angola durante 38 (!) anos?

Isabel dos Santos tem razão quando diz que se trata de um processo de intenções, de perseguição política. Não porque não tenha cometido os crimes que lhe são imputados (os quais, curiosamente, ela não negou), antes porque, todos aqueles que antes estiveram ao seu lado e a receberam de braços abertos, hoje lhe apontam o dedo e se demarcam como se ela fosse cão com sarna. Enquanto Isabel foi útil, ninguém questionou a proveniência dos seus milhões. Enquanto Isabel vestiu a pele de investidora e de filha do Presidente, foi a Santa Rainha que ajudava a economia dos países e estreitava relações comerciais e políticas. Agora que é só dos Santos, salgam-se as lágrimas. Agora que é arguida, destilam-se autos vicentinos, de quem embarca apenas nos epítetos judiciais. Os silêncios multiplicam-se a resguardo de epítomes tão palicianas quão vãs: “o segredo de justiça”; “os não comentários aos casos judiciais”; “a matéria sob investigação”; “o respeito pela soberania do poder judicial”, e demais quejandos que nunca comprometem quem os profere.

A despeito, convém lembrar que Costa reuniu com Isabel dos Santos, antes de avalizar a sua entrada no capital do BCP; que a CGD financiou Isabel dos Santos em 125 milhões de euros para que esta pudesse comprar acções da ZON e que, Cabral dos Santos (responsável máximo da DGE naquele banco) se desdobrou em explicações para justificar tal operação; que Augusto Santos Silva sublinhou a importância do estreitamento de relações com Angola, desde 2015 (quando o pai da Isabelinha ainda sentava o rabiote na cadeira da presidência); que Carlos César discursou no congresso do MPLA, desfazendo-se em encómios a José Eduardo dos Santos, o qual apelidou de “figura referencial da história angolana e da emancipação africana”, depois de garantir que o “MPLA e o PS têm feito um caminho comum”; que Marcelo afirmou a sua preferência por ser Isabel dos Santos a comprar a PT, considerando que o acordo entre a CaixaBank e a Santoro não teria sido possível sem a intervenção de privados, entidades reguladoras e poder político; que Teixeira dos Santos não percebeu que em 15 dias, saíram mais de 72 milhões de euros da conta que a Sonangol tinha no BIC; que os supervisores e os reguladores estiveram ausentes e em parte incerta durante todos estes processos; que, coincidência ou não, a PGR foi substituída quando estava a investigar os negócios angolanos; que há processos crime, relacionados com Angola, abertos há 10 anos e sem arguidos constituídos; que o “irritante” como foi apelidado, foi enviado para Angola e lá continua parado há quase 2 anos…

Ao invés de dedicarmos horas a saber quais os imóveis de Isabel dos Santos, quanto é que a mesma gastou em decoração ou qual o tamanho do iate, não deveríamos questionar o porquê destes negócios terem sido autorizados e permitidos. Quem deles beneficiou? Quais as contrapartidas?

Lembro que, há vários anos que as aplicações de dinheiro angolano foram proibidas em diversos países. Que, já em 2014, o Barclays recusou financiar a Amorim Energia porque a Sonangol era um dos investidores. Mas por cá, continuámos a financiar todo e qualquer negócio da terra dos kwanzas, do petróleo e dos diamantes. Não questionámos na altura, pelo que o papel de virgens ofendidas agora não nos assenta.

A revolta do povo angolano é legítima e justificada. Eles foram espoliados dos seus bens, dos seus recursos, em benefício de uma elite oligárquica que roubou ao Estado em benefício próprio. Compreendo a nossa solidariedade, a nossa indignação, mas não compreendo os seus limites territoriais. Não compreendo que a mesma não se estenda à Venezuela, quando uma população inteira morre à fome e se sabe que Maria Gabriela Chavez, a filha de Hugo, tenha, aos 39 anos, uma fortuna avaliada em 3 mil milhões de euros; ou ao Brasil de Lulinha, também ele um (muito) bem-sucedido empresário de gado, dono de fazendas de milhares de hectares e de jactos privados; à maior parte dos países africanos liderados por musculosas ditaduras, cujos líderes têm avultadas contas pessoais no estrangeiro.

Não compreendo uma solidariedade a pessoas, a regimes, mas não a causas. E, sobretudo, não compreendo que Angola nos tire o sono quando, por cá, muito há que perceber sobre as fortunas de Berardos, de Salgados, de Sócrates. Não compreendo a passividade dos (meus) patrícios, quando a denúncia de Rui Pinto de que tem provas do desvio de 600 milhões de euros do BES (o qual todos pagamos) caia em saco roto, quando os Panama papers, que a SIC de Ricardo Costa diz ter em seu poder, continuem encerrados num véu opaco ou quando a notícia de um jornal espanhol que António Vitorino se encontra ligado a um desvio de milhões da petrolífera Venezuela não encontre eco na comunicação social portuguesa… Isto sim, preocupa-me, indigna-me e revolta-me, porque não há um oceano a separar-nos, apenas umas barreiras invisíveis de interesses obscuros que a poucos aproveitam. Mas, já se sabe: santos da casa…

Confiando que as televisões não deixarão tão cedo a Isabelinha em paz, vou acender uma velinha, para que ela apareça nas fotos com aquelas covinhas sexys…

Zooplus: "Uma amiga comprou uma cama para a patuda, na Zooplus. Percebeu que era pequena demais e contactou-os para fazer devolução. Esta foi a resposta "


É do Porto: maestro José Eduardo Gomes

O maestro portuense, José Eduardo Gomes conquistou o primeiro prémio do European Union Conducting Competition, concurso de direcção de orquestra que decorreu na Bulgária e tinha em competição cerca de 300 maestros de todo o mundo.

ESMAE Orchestra

Beethoven   Symphony 4

José Eduardo Gomes - Conductor

Casa da Música - Porto

Os esquecimentos habituais da TVI quando toca a dar mérito ao FC Porto

"O que é isto de namorar a juíza?" para ajudar o corrupto benfica

Eu sou do tempo em que havia lágrimas nas finais: de alegria. Hoje é isto...

Um jogo que podia limpar feridas, reequilibrar as emoções, mostrar um sinal, mesmo num troféu já conquistado pelo Setúbal e Moreirense, acabou por transformar-se na tempestade que sabíamos 1 dia acabaria por acontecer.

Aguentas 8 de uma vez?


É pra ver o quão bem se come naqueles lados...


Uma curiosidade: a primeira vez que se falou do VAR - num roubo de igreja comentado pelo Presidente Francês e cujo beneficiado foi ... o corrupto benfica


Carago! Agora já vale expor e-mails? É por a Isabel ser mulher, angolana e negra? E se fosse do corrupto benfica?

Tudo provocado por uma pessoa de má índole que acedeu ilicitamente a documentos privados cometendo um crime horrível de acesso ilegítimo. Vamos concluir que Isabel é claramente inocente e aqueles documentos foram truncados.



Estratégias


Rui Santos: um vigarista!

Só para relembrar como "funcionam" os juízes adeptos do corrupto benfica

"Luís Pina terá atropelado mortalmente Marco Ficini, arrastando o corpo por 15 metros e imobilizando o carro só depois de ter passado completamente por cima do corpo da vítima, descreve a acusação, acrescentando que o arguido abandonou o local "sem prestar qualquer auxílio".

Luís Pina continua em liberdade !!!! sendo que o julgamento tem sido sucessivamente adiado (quem sabe se até á prescrição das provas irrefutáveis)

Canalhas do futebol: Os contributos de Ivo Vieira para o futebol português consoante o adversário!


HÁ 3 JUSTIÇAS EM PORTUGAL, que podem ser duas se a 2ª for igual à 3ª


# uma justiça para os portugueses
# uma justiça para os corruptos
# uma justiça para os benfiquistas

Nuremberga: ter juízes Nazis a julgar criminosos Nazis: ainda a manutenção do juíz benfiquista fanático


Entretanto nos EUA os cães democratas, travestidos com o que a pior esquerda europeia representa...


Nuremberga: imaginem colocar JUÍZES NAZIS a julgar criminosos NAZIS. Juíz benfiquista, 50 anos de sócio e accionista vai julgar o ... corrupto benfica

Juiz benfiquista continua 
no caso dos e-mails 


O presidente do Tribunal da Relação do Porto manteve o juiz Eduardo Rodrigues Pires como relator dos recursos da ação cível que opõe o Benfica ao F. C. Porto, no caso da divulgação dos emails dos encarnados.



Nuno Ataíde das Neves entende que as circunstâncias de o magistrado ser adepto e sócio há dezenas de anos, bem como accionista do clube da Luz em nada interfere com a sua isenção e imparcialidade enquanto juiz.


Isto porque, segundo o responsável máximo do Tribunal da Relação do Porto, "apesar daquelas circunstâncias objectivas, resultantes de o Juiz ser adepto do clube há dezenas de anos, o Juiz frequenta o Estádio com total anonimato, não conhece pessoalmente qualquer representante dos órgãos societários ou desportivos do Clube, assim como nenhuma destas pessoas o conhece, inexistindo qualquer proximidade ou vínculo de natureza pessoal, seja de amizade ou de inimizade, que possa afetar minimamente a sua isenção e imparcialidade".
Frisando que o juiz desembargador Eduardo Rodrigues Pires é um "simples e anónimo adepto, um cidadão desconhecido do clube, relacionando-se com este apenas pela mera circunstância de ser sócio já veterano e ter decidido adquirir lugar cativo para assistir aos jogos, como qualquer outro sócio pode fazer", e mesmo "sendo um ferveroso adepto do Clube, chorando as suas derrotas e rejubilando com as suas vitórias", Ataíde das Neves entende que "o Juiz, que não se sente por isso afetado na sua isenção e imparcialidade com que sempre norteou a sua carreira com mais de 30 anos, não reúne condições subjetivas para que seja dispensado da intervenção no processo, já que tal não o perturba, nem confere qualquer estado de perplexidade ou desconforto".
O requerimento do desembargador, pedindo escusa de participação enquanto relator nos recursos do caso em que o F. C. Porto foi condenado a pagar indemnização de cerca de dois milhões de euros, justifica-se apenas "por uma questão de transparência pessoal" que o juiz "sempre assumiu ao longo da sua carreira, e de protecção da boa imagem e do bom funcionamento da justiça".
Acrescenta Ataíde que "o convite dirigido àquele juiz pelo clube, para visitar as suas instalações, feito após atribuição do processo ao juiz, também não constitui motivo sério e grave para que o juiz possa ser dispensado do processo", pois "tal convite não foi mais do que, assim o considerou o Juiz, um 'sinal da sua [do Juiz] ligação ao clube' e um 'convite natural face à sua longa filiação clubística'".
Quanto à propriedade de 250 ações da SAD do Benfica por parte do juiz desembargador Eduardo Rodrigues Pires, o presidente da Relação do Porto responde que tal também não é motivo para aceitar o pedido de afastamento do processo, "até porque a decisão de compra das ações foi do juiz, 'com o propósito de ajudar o clube aquando da constituição da SAD e da sua entrada em Bolsa'".
Nuno Ataíde das Neves sublinha que "o juiz é, por natureza e por vocação, íntegro, imparcial e isento no exercício da sua função de julgador" e que "é isto que o cidadão médio, atento, crítico, inteligente e informado, sem preconceitos espúrios, seguramente compreende, a especificidade ético-funcional de um Juiz, a sua capacidade e profundidade de carácter, estruturante da sua missão, a limpeza de alma que lhe confere o são distanciamento pessoal dos interesses cuja ponderação lhe é solicitada, uma postura que, mais do que uma forma de estar, é uma forma de ser".
Por último, decisivo para a decisão de rejeição do pedido de escusa, é o facto de, nos tribunais superiores, ao contrário dos tribunais de primeira instância, vigorar a regra da decisão por coletivo de juízes, "que confere maior credibilidade e dignidade ao Acórdão proferido, porque sujeito a debate prévio entre três Juízes, intenso e aturado, uma discussão que seguramente se verificará de forma emprenhada e sabedora entre o Senhor Juiz e os Juízes Adjuntos, todos sendo inteira e igualmente responsáveis pela adequação, pelo acerto, pela legalidade e integridade do Acórdão que vier a ser proferido".
(daqui)

Nota pessoal: O desembargador Ataíde das Neves é o mesmo que mandou prender o pai de um juiz director da PJ do Norte a pedido do juiz Adelino Salvado? Se for, está explicado o despacho!

Outra Nota pessoal: "Fomos" todos enganados pela má fé do magistrado, a quando do seu pedido de escusa. Pois para quem não se recorda, foi na condição de benfiquista/águia de ouro/accionista da SAD do benfica que, o mesmo julgou e condenou o FC Porto no caso dos emails.

"A palavra benfica foi fatal para a forma como se olha para o Football Leaks"

Já se pode falar da fraude das reversões de António Costa e do castigador “sucesso” da governação socialista?


Denunciar!? Para acabar como Rui Pinto?

Se tiver alguma denúncia a fazer, sobre algum caso de Corrupção que envolve gente poderosa do país, pode por favor carregar no botão vermelho e como recompensa da justiça portuguesa, pode apanhar até 25 anos de prisão, como o Rui Pinto! 
Canalhas socialistas!



Jorge de Sousa: é uma canalha persecutório anti-FC Porto. Mais nada!

Ora portanto. O pé do Soares está por cima, mas é penalty para o Vitória. 
O canalha decide sempre contra o Porto.



Vejam o ar de raiva de Jorge de Sousa, 
antes de ser chamado pelo VAR. 
Pela leitura dos lábios reparem o ódio com que diz "não há falta nenhuma, nenhuma…"


E isto, não é penalty a favor do FC Porto?



E isto, não é expulsão?




Olha olha


Isabel dos Santos? Quando a triste realidade da corrupta justiça em Portugal é o que se vê!


"Unir o sporting", segundo o padrinho filipe vieira

Mesmo lendo ( ou não saberão ler?) ainda há sportinguista q não percebem o caminho ate Alcochete.


Antes de casar / Depois de casar

 

Num call center perto de si


Do mamar

Onde é que já vi isto? Rui Tavares foi eleito deputado europeu pelo BE, demitiu-se do partido e não de deputado, mamou na teta enquanto a vaca deu leite e criou um partido. 
Joacine aprendeu a lição e segue a tradição da esquerda. Mamar!


Não quer nada com aqueles meninos...


À conta de uma esquerda nojenta e de um "mamadou" qualquer, é isto que se passa em Portugal no que aos agentes de autoridade diz respeito

Mamadou Ba, dirigente do SOS Racismo, pretende que se limite a divulgação de vídeos com testemunhos que possam colocar Cláudia Simões, a mulher do recente vídeo da PSP na Amadora, em causa.


O balanço de Manuel Queiroz à primeira volta do campeonato

À partida, este campeonato parece o mais desinteressante dos últimos largos anos: grande vantagem da melhor equipa, ainda por cima suportada numa estrutura sem problemas de dinheiro; o segundo também está muito longe do terceiro; e o último, pelo menos até ao fim de semana passado, também estava mais ou menos desenganado.
O benfica fez 16 vitórias em 17 jogos, ganhou todos os jogos longe da Luz desde que Bruno Lage chegou ao comando - dois registos únicos em si, tanto mais que, na Europa, não tem sido nada assim, como se sabe. Tirando o buraco em que se meteu com o FC Porto na Luz (0-2), conseguiu ganhar mesmo os jogos maus.
E teve vários, em casa e fora, que ultrapassou com golos nos minutos finais. E é a melhor defesa, embora não dê uma ideia de solidez assim tão grande (sofreu golos em cinco dos seis jogos da Champions). Mas consegue ter boas narrativas até nos falhanços - como RDT (Raúl de Tomás), que entrou e saiu em seis meses, quase sem marcar golos mas dando dinheiro ao clube...
O FC Porto tem sete pontos de atraso depois de ganhar na Luz e em Alvalade - é isso que torna a sua primeira volta quase ilegível, tal como os jogos europeus, em que foi muitas vezes demasiado frágil. É meia equipa nova (Marchesín, Uribe, Nakajima, Luis Díaz, sem falar em Marcano, no postergado Saravia, mais Baró), com demasiados casos em meia época, sinal de que a estrutura já foi mais forte. Ou seja, quando precisa de se relançar, tem vários problemas em casa, a começar pelo financeiro. Não será difícil pensar que pode melhorar com a provável consolidação de Uribe, Naka ou Díaz, mas vai precisar de mais.
O sporting foi a desilusão, mas de certa forma esperada. Perder Raphinha e Bas Dost foi demasiado forte. Apostar em Jesé releva quase de masoquismo. São cerca de 50 milhões gastos por Frederico Varandas em três janelas de mercado e a equipa está pior do que estava quando ele a encontrou. Sporar custa o mesmo que Dost rendeu??? Rosier não é convocado há um mês porquê? Jesé nem foi para o banco com o benfica (e nem Vietto havia)? Perder metade dos jogos em casa é histórico (e perdeu outro na Taça da Liga). É um facto que o jogo tem melhorado, mas os resultados não. Hoje, frente ao Braga, há um combate que pode ser decisivo. Para Silas, para Varandas...
A Liga do Minho vai ser interessante na segunda volta e, se o Braga tem estado abaixo do que se imaginava, o Vitória SC, afinal, também tem sido um pouco errático, ambos atrás do Famalicão e pouco à frente do Gil Vicente.