Kosta de Alhabaite

Nortenho, do Condado Portucalense

Se em 1628 os Portuenses foram os primeiros a revoltar-se contra o domínio dos Filipes, está na hora de nos levantarmos de novo, agora contra a corrupçao, o centralismo e colonialismo lisboeta!

A história de Portugal aos quadradinhos


 

Medidas sanitárias


 

Insólitos e desconcertantes


 

"Porto Sportivo"


Jornal "Porto Sportivo", número único, de 27 de Novembro de 1919. Orgão do Football Club do Porto. Este jornal, foi a primeira tentativa de criação de um órgão oficial do Futebol Clube do Porto.



É só fazer as contas, como diria o outro...


 

AQUECIMENTO GLOBAL.... Só 5% depende do Homem ! by Prof. Antonino Zichichi (Itália)

 



“O aquecimento global depende do motor meteorológico dominado pela potência do Sol. As atividades humanas afectam o nível de 5%: 95% dependem de fenómenos naturais ligados ao Sol. Atribuir o aquecimento global às atividades humanas não tem embasamento científico”. "Greta Thunberg, ela não deveria interromper os estudos, como ela disse que queria fazer"
Antonino Zichichi, Professor Emérito de Física Superior da Universidade de Bolonha, e autor de mais de 1.100 trabalhos científicos, incluindo sete descobertas, cinco invenções.

O Guterres que agora grita aos 4 ventos o seu apoio à causa ambiental, por acaso não é o mesmo que teve como Ministro do Ambiente um rapazinho chamado José Sócrates ?

 



O legado da esquerda portuguesa

Portugal é o país da Europa Ocidental com os salários mais baixos. O empregador, por outro lado, tem de pagar 24 mil euros, porque 41% deste valor vai directo para o Estado



A "americanizar " os nossos restaurantes e a "ajabardar" a cozinha portuguesa


 

Nunca se esqueçam disto!


 

A Rússia já anexou a Ucrânia? A "nova" CNN é a trampa que se esperava...


 

Há coisas que nunca mudam...


 

Carta aberta a um criminoso


Caro Rui Pinto. Está quase a fazer um ano desde a tua prisão preventiva. Para muitos és um herói e para outros tantos um criminoso. Mas para mim és, acima de tudo, a prova de que a justiça portuguesa é forte com os fracos e fraca com os fortes.

Em Janeiro deste ano soubemos que vais ser julgado por 90 crimes. Ricardo Salgado, responsável pela queda do BES, que custou aos portugueses mais de 5 mil milhões de euros, e pelo desvio de dezenas de milhões de euros, foi apenas acusado de 21 crimes. Helder Batáglia, um dos principais rostos da Operação Marquês, responsável pela lavagem de 12 milhões de euros, foi apenas acusado de 10 crimes. Armando Vara, o ex-administrador que enterrou a Caixa Geral de Depósitos beneficiando grandes empresários, responsável por lavagem de dinheiro, corrupção politica e evasão fiscal, foi acusado apenas de 3 crimes no processo Face Oculta e, recentemente, ainda beneficiou de uma redução de pena. Zeinal Bava, o executivo que afundou a PT e que recebeu subornos de Ricardo Salgado no valor de 18,5 milhões de euros, foi apenas acusado de 5 crimes. José Sócrates, ex-primeiro ministro, que recebeu pelo menos 23 milhões de euros em subornos de grandes empresários, principal rosto de um mega processo que envolve 19 pessoas, entre políticos e empresários, e 9 empresas, deixando um rasto de mais de 200 milhões de euros, foi apenas acusado de 31 crimes. Joe Berardo, que recebeu nas ultimas décadas 980 milhões de euros em empréstimos bancários, mas que é apenas proprietário de uma garagem na Madeira, ainda nem é acusado de absolutamente nada. Oliveira e Costa, o fundador do BPN e responsável pelo sua falência, que custou 4,9 mil milhões de euros aos portugueses, foi condenado em 2017 a 27 anos de prisão mas ainda se mantem em liberdade.
Esta é a realidade, ou melhor, apenas uma pequena parte desta. Realidade que se torna irrelevante, perante um povo que guerreia mais pela porra do clube de futebol do que pela justiça.
Nos dias que correm, sei bem que o nome “Rui Pinto” é um nome tóxico. Mas é também o nome responsável por nos mostrar como é que 600 milhões de euros foram desviados do BES. É o nome responsável por centenas de provas de dezenas de crimes cometidos pela elite futebolista, em vários clubes nacionais e internacionais. É responsável pelo fim do encobrimento a Isabel dos Santos, uma grande empresária Angolana, filha de um ditador, que fez fortuna com dinheiros publico e com conivência da justiça portuguesa. É responsável por denunciar a ineficiência (quase que propositada) na investigação de casos como o Vistos Gold, ESCOM, BES, Offshores, Panamá Papers, etc. Um criminoso em Portugal, mas um denunciante importante aos olhos das justiças e jornalistas de outros países europeus.
Por isso, caro Rui Pinto, para mim não és um herói, mas sim um rapaz normal num país cheio de vilões. Neste país que, historicamente, condecora vilões e cospe nos pequenos que cometem o crime de se meterem com os grandes.
Tenho dito.

Ministério britânico volta a reconhecer jardins do Porto entre os melhores do mundo

O Jardim Botânico do Porto, o Parque da Cidade e o Jardim do Passeio Alegre voltam a figurar na lista dos melhores espaços verdes do mundo, segundo a avaliação do Green Flag Award. Este ano, o prémio atribuído pelo ministério da Habitação, Comunidades e Governo Local do Reino Unido e pela organização não-governamental Keep Britain Tidy atribuiu ainda uma distinção adicional ao Jardim do Passeio Alegre.

Este reconhecimento reforça o lugar do Porto entre os locais do mundo com os mais elevados padrões de exigência na gestão e manutenção de parques e jardins.

Os três jardins da cidade renovam as acreditações recebidas em 2019 e 2020, com um acréscimo: este ano, o Green Flag Award entregou o título de “Green Heritage Site” ao Jardim do Passeio Alegre. Esta acreditação pretende distinguir a manutenção das características históricas dos locais e os seus padrões de conservação e é a primeira vez que é entregue a um espaço em Portugal.

Nesta edição, que celebra os 25 anos do prémio britânico, foram distinguidos 30 espaços verdes de oito países: Portugal, Bélgica, França, Alemanha, Holanda, Espanha, Suécia e Turquia.

Dirigindo-se a todos os vencedores, o gestor internacional do Green Flag Award afirmou que este reconhecimento “é testemunha do trabalho duro de toda a equipa e voluntários que mantêm os parques e espaços verdes passando por tempos difíceis e os tornam lugares tão importantes todos os anos”, especialmente em ano de pandemia. (via)