Kosta de Alhabaite

Nortenho, do Condado Portucalense

Se em 1628 os Portuenses foram os primeiros a revoltar-se contra o domínio dos Filipes, está na hora de nos levantarmos de novo, agora contra a colonização lisboeta!

Lamentos de uma taça que transbordou...


Crónica de uma derrota anunciada 
(até parecia de encomenda...)


  • Este jogo era muito importante; a experiência da semana passada mostrava a dificuldade e mesmo assim, com a LC garantida, Vitor Pereira, armado em esperto, voltou a insistir no erro de Sta Eulália e sem mostrar respeito pelo adversário fez 8 petulantes mudanças, pondo-se à mercê do Braga !
  • Depois, fazer uma equipa com 10 (Kleber não conta) é estupidez!
  • O marreta do Danilo, internacional brasileiro, sem ninguém a marcar, não consegue encolher a perna e assim marca na própria baliza? Que burro!
  • 10 amarelos e 1 vermelho ! Batalha campal? Não! Olarápio Benquerença a inclinar!
  • 8 cartões para jogadores do Porto, com uma expulsão pelo meio! Percebem a piada do Olarápio?

E assim se foi a hipótese de tentar conquistar a 2ª prova do calendário português! Fundamentalmente por arrogância e estupidez do treinador e pela vertente cartolinácia do larápio de serviço.


Obs.: Ó Pereira, em Paris, e depois da porcaria das escolhas, só te admitimos um resultado: vencer!

Efeitos do centralismo e colonialismo lisboeta

Bragança: foge e apanha o TGV

Talvez um destes dias as pessoas de Bragança façam um referendo e se unam a Espanha. Estão no meio da Península Ibérica, estrategicamente situados, mas face a Portugal (Lisboa) estão numa ponta inacessível de que ninguém quer saber. É o único distrito que ficou sem uma ligação rodoviária moderna (hoje em dia é pecado dizer-se autoestrada...), não tem comboios e agora também não tem aviões - a última viagem foi esta semana e o Governo, ainda por cima, deve dinheiro, desde abril, à empresa que explorava a ligação.

Bragança é uma ilha, mas sem as vantagens da Madeira ou dos Açores onde, ao menos, as passagens aéreas têm subsídios garantidos, inquestionáveis, haja ou não haja prejuízo naquelas rotas. Nenhum túnel da Madeira ficou a meio, não há ribeira que não tenha sido reconstruída depois do vendaval de 2009. Mas para o túnel do Marão não houve, não há e não haverá dinheiro. Bragança, visto do Terreiro do Paço, interessa pouco. Meia dúzia de pessoas... E só se vai lá em campanha eleitoral - ainda por cima há sempre um bom argumento para se vender um bom candidato: é dizer que vai acabar a autoestrada! Resulta sempre.

2. Visto da ótica de quem lá vive algo pode mudar entretanto. Os eixos ferroviários de bitola europeia (erradamente conhecidos por TGV...) vão parar em Puebla de Sanabria, a 40 km da cidade transmontana. Madrid ficará a duas horas. Lisboa está atualmente a cinco de automóvel e a seis de autocarro. Ora, Espanha está mal, mas não tão mal como nós. Portanto, faz cada vez mais sentido que Bragança e os seus empresários ou estudantes virem as costas a Portugal e olhem o país vizinho. Há uma rede de autoestradas ali mesmo à mão e que está já na fronteira portuguesa, há uma rede de comboios para tentarem negócios ou empregos em grandes cidades espanholas. E mais: até acho que no poder central português agradeciam, e muito, que acabassem com... Bragança... Valha-me Deus... Só despesa.

3. Se eu vivesse em Bragança assistiria à presença do 'transmontano' Passos Coelho no Congresso do PSD Madeira com o cartão de cidadão da República Portuguesa na mão. E um isqueiro. E um ímpeto, ali vai-não-vai. Aquele ímpeto que têm os sócios de um clube quando a equipa de futebol atinge o ponto da vergonha. Até dói ver a vassalagem do primeiro-ministro do continente ao ditador-mor da ilha. Porque, na verdade, é o chefe da Madeira que autoriza o presidente do seu partido a ir ali falar, e não o contrário. Passos vai então, obediente, esquecendo tratar-se de alguém que apenas há um ano atrás escondeu despesa colossal para depois exibir obras, às dezenas, antes das eleições... Face a isto (e muito mais...) um transmontano tem de se perguntar o que faz aqui. Em Portugal.

4. Por falar em 'TGV' espanhol, o ministro Álvaro Santos Pereira deu por si a defender as redes de bitola europeia com grande afinco, apesar de anos a defender o TGV como um enorme desastre nacional - basta passar-se pelos livros do professor Álvaro Santos Pereira. Claro, dirá agora, o 'TGV' é diferente da bitola europeia. Eureka!, sr. ministro, Eureka! Já avançamos bastante: estamos finalmente a falar nas linhas ferroviárias e não nos comboios que lhe pomos em cima! O sr. ministro um destes dias também irá descobrir que seria certamente útil que essa nova rede ferroviária se começasse a fazer no Norte e no Centro do país, onde estão as exportações portuguesas, já hoje, em vez de uma linha que atravessa o Alentejo para as hipotéticas mercadorias que vêm da Ásia e chegarão a Sines (se chegarem...). Mas talvez o sr. ministro precise de mais uns 10 anos para esta conclusão.

Ah, e ainda veremos o PSD a defender os investimentos ferroviários de bitola europeia como uma medida vital para o crescimento económico... depois de se terem perdido centenas de milhões de euros a fundo perdido do atual Quadro Comunitário. Para a próxima será útil explicar um assunto como estes, fazendo uns desenhos, a Manuela Ferreira Leite, Paulo Portas e Passos Coelho. Talvez não dissessem em campanha eleitoral coisas que não compreendiam verdadeiramente. Hello!!! Linhas de comboio de bitola europeia não significa pôr-lhes em cima comboios a 300 km/h, ok? Tasse.

Porto d'outros tempus

A "máquina" no cimo da rua da Fonte da Luz, Foz do Douro
A máquina era um pequeno comboio a vapor que, a partir de 1878, começou a fazer a ligação entre a rotunda da Boavista e Matosinhos. Partindo da rotunda, descia a avenida da Boavista até à Fonte da Moura, seguia pela Ervilha e chegava a Cadouços – onde existia uma estação. Daí prosseguia até ao castelo do Queijo pelas ruas do Túnel e de Gondarém e entrava em Matosinhos pela rua de Brito Capelo.
[Foto: página "A Nossa Foz do Douro"]

Hoje quero mais do mesmo, sff

Momento de Kulinária

Compota de Figos com Vinho do Porto


INGREDIENTES:

700 g de figos maduros
300 g de açúcar
1 chávena de café de vinho do porto
Casca de meio limão
1 pau de canela



PREPARAÇÃO - Tradicional:

Lave os figos, corte-os em quartos;
Coloque-os num tacho, adicione o açúcar, o vinho do porto, o pau de canela e a casca do limão;
Depois de levantar fervura, baixe o lume e deixe cozinhar lentamente mexendo de vez em quando para não pegar;
Quando estiver em ponto estrada ( quando depois de colocar um pouco de doce num prato e lhe passar a colher, se formar uma estrada);
Retire o pau de canela e as cascas do limão, coloque a compota em frascos esterilizados, feche os frascos e vire-os com a tampa para baixo - isto ajuda a criar um vácuo natural e ajuda a conservar o doce mais tempo.

Piadinha

Mini-férias na função pública: as gorduras de estado, percebem?

A Função Pública vai ter tolerância de ponto de “dia inteiro” nas segundas-feiras 24 e 31 de Dezembro, permitindo assim umas mini-férias de quatro dias tanto pelo Natal e como pelo Ano Novo.




Super Dragões: 26 anos a gritar PORTO!

Aos "chuchas" de memória curta: quando Mário Soares defendia o plano do FMI

Em Agosto de 1983, o Governo do Bloco Central PS-PSD, assinou um memorando de entendimento com o Fundo Monetário Internacional. Os impostos subiram, os preços dispararam, a moeda desvalorizou, o crédito acabou, o desemprego e os salários em atraso tornaram-se numa chaga social e havia bolsas de fome por todo o país. O primeiro-ministro era Mário Soares. Veja como o homem que hoje quer rasgar o acordo com a troika defendia os sacrifícios pedidos aos portugueses:


“Os problemas económicos em Portugal são fáceis de explicar e a única coisa a fazer é apertar o cinto”. DN, 27 de Maio de 1984

“Não se fazem omoletas sem ovos. Evidentemente teremos de partir alguns”. DN, 01 de Maio de 1984

“Quem vê, do estrangeiro, este esforço e a coragem com que estamos a aplicar as medidas impopulares aprecia e louva o esforço feito por este governo.” JN, 28 de Abril de 1984

“Quando nos reunimos com os macroeconomistas, todos reconhecem com gradações subtis ou simples nuances que a política que está a ser seguida é a necessária para Portugal”. Idem

“Fomos obrigados a fazer, sem contemplações, o diagnóstico dos nossos males colectivos e a indicar a terapêutica possível” RTP, 1 de Junho de 1984. Idem, ibidem

“A terapêutica de choque não é diferente, aliás, da que estão a aplicar outros países da Europa bem mais ricos do que nós” RTP, 1 de Junho de 1984

“Portugal habituara-se a viver, demasiado tempo, acima dos seus meios e recursos”. Idem

“O importante é saber se invertemos ou não a corrida para o abismo em que nos instalámos irresponsavelmente”. Idem, ibidem

“[O desemprego e os salário em atraso], isso é uma questão das empresas e não do Estado. Isso é uma questão que faz parte do livre jogo das empresas e dos trabalhadores (...). O Estado só deve garantir o subsídio de desemprego”. JN, 28 de Abril de 1984

“O que sucede é que uma empresa quando entra em falência... deve pura e simplesmente falir. (...) Só uma concepção estatal e colectivista da sociedade é que atribui ao Estado essa responsabilidade. Idem

“Anunciámos medidas de rigor e dissemos em que consistia a política de austeridade, dura mas necessária, para readquirirmos o controlo da situação financeira, reduzirmos os défices e nos pormos ao abrigo de humilhantes dependências exteriores, sem que o pais caminharia, necessariamente para a bancarrota e o desastre”. RTP, 1 de Junho de 1984

“Pedi que com imaginação e capacidade criadora o Ministério das Finanças criasse um novo tipo de receitas, daí surgiram estes novos impostos”. 1ª Página, 6 de Dezembro de 1983

“Posso garantir que não irá faltar aos portugueses nem trabalho nem salários”. DN, 19 de Fevereiro de 1984

“A CGTP concentra-se em reivindicações políticas com menosprezo dos interesses dos trabalhadores que pretende representar” RTP, 1 de Junho de1984

“A imprensa portuguesa ainda não se habituou suficientemente à democracia e é completamente irresponsável. Ela dá uma imagem completamente falsa.” Der Spiegel, 21 de Abril de 1984

“Basta circular pelo País e atentar nas inscrições nas paredes. Uma verdadeira agressão quotidiana que é intolerável que não seja punida na lei. Sê-lo-á”. RTP, 31 de Maio de 1984

“A Associação 25 de Abril é qualquer coisa que não devia ser permitida a militares em serviço” La Republica, 28 de Abril de 1984

“As finanças públicas são como uma manta que, puxada para a cabeça deixa os pés de fora e, puxada para os pés deixa a cabeça descoberta”. Correio da Manhã, 29 de Outubro de 1984

“Não foi, de facto, com alegria no coração que aceitei ser primeiro-ministro. Não é agradável para a imagem de um politico sê-lo nas condições actuais” JN, 28 de Abril de 1984

“Temos pronta a Lei das Rendas, já depois de submetida a discussão pública, devidamente corrigida”. RTP, 1 de Junho de 1984

“Dentro de seis meses o país vai considerar-me um herói”. 6 de Junho de 1984

Dizem que vai ser só para alguns, como no passado...

Já chegou a neve à Serra da Estrela

Penhas da Saúde, hoje
acima dos 1200 metros está tudo branco e a temperatura é de 4,8ºC

Porto de Leixões: era assim

O silêncio negro das mulheres árabes

Porto d'outros tempus

Projeto não concretizado para a "Estação Central do Porto" (i.e., estação ferroviária de São Bento) da autoria de Isidro de Campos.
[Imagem: "O Arquitecto José Marques da Silva e a arquitectura no Norte do País na primeira metade do séc. XX"]

Quantos são?

Dívida Pública, essa cabra centralista

Morsi, outro fundamentalista islâmico no poder

A vaca!

Se gostou de Quem Mexeu no Meu Queijo?, vai ficar deliciado com A Vaca, uma fábula de desenvolvimento pessoal e profissional que já cativou mais de 700 000 leitores e foi distinguida com o prestigiado Latino Book Award. Através de uma divertida parábola, A Vaca demonstra que o verdadeiro inimigo do sucesso não é o fracasso, como muitos pensam, mas o conformismo e a mediocridade. A vaca simboliza tudo aquilo que nos mantém presos ao conformismo: desculpas, pretextos, justificações e falsas crenças. Todos temos mais «vacas» na nossa vida do que queremos admitir; este livro revela o que pode acontecer quando finalmente nos livramos destes obstáculos interiores e começamos a utilizar o nosso verdadeiro potencial.
clique para ver o resumo (em alemão)

Nota: Caso não consiga ler em alemão, que seria o mais recomendável, o livro existe também traduzido para português com o título A Vaca – veja aqui.
*Deve ler-se sem sotaque alemão. (Experimente também traduzir no Google.)

Atenção Portuenses

"... e o fulano de Gaia, tal como um parolo que se baba por receber em casa o feitor das hortas, esquece que os novos mil milhões recentemente prometidos vão para Lisboa e Madeira, esconde que o convidado é o principal responsável pelo “spill-over” que tantos fundos desviou e desvia do Norte, e olvida a outrora natureza sulista e elitista do novo parceiro para que no aperto de mão venham o apoio e a consagração políticas que julga fazerem-lhe jeito." [daqui]




Palavra de honra (?)

Coisas obscenas: Novo edifício do BCE vai custar mais de mil milhões de euros

Anda meia Europa a contar tostões, a apertar o cinto, a fazer cortes e, pior ainda, muitos milhões já sem emprego, com fome e outras carências e lemos que o novo edifício do BCE vai custar mais de mil milhões de euros ??? E que o Banco de Portugal vai abrir os cordões à bolsa para ajudar no seu pagamento???

Em que planeta vivem estes burocratas???

Quem disse que o tempo das «catedrais» tinha acabado?... Aquele tempo saudoso em que o povinho vivia miseravelmente enquanto se edificavam faustosas obras para gáudio da aristocracia e dos guardiões da fé...



A notícia:
O Banco Central Europeu (BCE) decidiu em 2009 avançar com as obras de um novo edifício sede que contaria com 48 andares e se situaria em Frankfurt. O custo inicial era de mil milhões de euros !!!

«Estas novas instalações vão contribuir para o desenvolvimento da zona leste de Frankfurt, respeitando o Grossmarkthalle (o edifício do antigo mercado grossista)», afirmou na altura o presidente do BCE, Jean-Claude Trichet, no final da reunião. O BCE deveria mudar-se para a nova sede em 2014.

A nova sede seria paga pelos bancos centrais da Zona Euro, entre os quais se conta o Banco de Portugal !!!

Passados estes anos, o preço da obra já derrapou e o custo final teve um acréscimo de perto de 400 milhões de euros do que o valor original previsto pelo organismo presidido pelo italiano MRIO DRAGUI. Este gasto extra do projecto contraria a imagem de Draghi como fiel defensor da política de austeridade imposta por Frankfurt a países como Portugal, Espanha, Itália e Grécia. No total, o preço da nova sede do guardião da moeda única custará mil e quatrocentos milhões de euros.

Bora lá falar de buracos...

Buraco?! É absolutamente falso que tenhamos deixado ficar algum buraco atrás de nós!

Piadinha do dia

"... até o Madureira (dos SD) já tem mais pontos que o Sporting..."

Vila do Conde: Convento de Santa Clara

Fundado em 1318 por um filho bastardo de D. Dinis, viveu o seu período áureo sob a abadessa D. Isabel de Castro (1518-1543). A reedificação de 1777 em gosto neopalladino é do mestre pedreiro Henrique Ventura Lobo, que trabalhou na Cadeia da Relação do Porto.

Após o decreto de extinção das ordens religiosas (1834), a vida no convento foi-se apagando lentamente, até chegar ao seu termo em 1892, com a morte da última freira.

Em 1902 as dependências do antigo convento receberam a Casa de Detenção e Correção do Porto, depois o Reformatório de Vila do Conde, a Escola Profissional de Santa Clara e o Centro Educativo de Santa Clara, estabelecimento de tutela de menores que funcionou até 2007. Em 2008 foi assinado um contrato entre o Turismo de Portugal e o grupo Pestana com vista à sua transformação em Pousada de Portugal que não chegou a avançar por oposição da população.

Actualmente o edifício encontra-se desocupado e em muito mau estado de conservação.

[Fontes – foto: portal "Delcampe"; texto (excepto o sublinhado): Wikipédia]

A propósito da sorte...

Todos os combustíveis são iguais; uns mais do que outros

G Force = H Energy

Porto d'outros tempus


Estação de caminho de ferro de Matosinhos


A linha tinha o seu início na Senhora da Hora e terminava mesmo na praia de Matosinhos, junto ao Senhor do Padrão e da refinaria de açúcar "Angola" que se vê à direita.

Sucedendo à linha que ligava as pedreiras de São Gens ao porto de Leixões, este ramal foi aberto à exploração em 1893 e encerrado em 1965, com o argumento de que o seu traçado urbano era causador de numerosos acidentes.

[Foto: blogue "Navios e navegadores"]

Coisas que não existem...

A Ilha Sandy
 A coesão europeia

Living Oporto Experience

Porto: A melhor cidade do Mundo

Selvagens!

O (verdadeiro) rosto da "Primavera" árabe

Retrato do progressivo desaparecimento no escuro e cada vez maior invisibilidade da mulher na sociedade muçulmana devido à repressão fundamentalista e o uso obrigatório do niqab.


O Egipto mudou? Só se foi para pior.

Morsi reforça poder no Egipto, oposição acusa-o de "usurpação"

O Presidente do Egipto também demitiu o procurador-geral e foi acusado de se estar a tornar um "novo faraó".

O Presidente egípcio, Mohamed Morsi, emitiu uma declaração impedindo alguém de desafiar os seus decretos, leis e decisões. A oposição acusa-o de “usurpar todos os poderes”.
O Presidente pretende tornar-se um “novo faraó”, criticou sem demora uma das principais forças da oposição, o Nobel da Paz Mohamed ElBaradei.
Morsi demitiu ainda o procurador-geral, Abdel Meguid Mahmoud, que não tinha conseguido afastar no mês passado, e ordenou novo julgamento para os responsáveis acusados de atacar os manifestantes que pediam a queda do então Presidente Hosni Mubarak, entretanto afastado.
A decisão do procurador-geral Mahmoud sobre estes responsáveis tinha provocado, o mês passado, confrontos violentos.
A declaração de Morsi quer dizer, por exemplo, que nenhum tribunal pode dissolver a Assembleia Constituinte, que redige a nova Constituição do país, que substituirá a que foi suspensa depois da queda de Mubarak. Também dá a esta assembleia mais dois meses para redigir a nova Constituição.
Hoje, Morsi usurpou todos os poderes e proclamou-se o novo faraó do Egipto. Um enorme golpe dado à revolução que pode ter horríveis consequências”, comentou Mohamed ElBaradei, uma das figuras da oposição secular, no Twitter.

Quem poderá parar Morsi?

No Verão, Morsi tinha substituído o ministro da Defesa, o marechal Tantawi, que tinha assumido o poder na sequência da queda de Mubarak. Também declarou nulo o documento constitucional com que Tantawi tinha concedido enormes poderes aos militares. Foi assim que começou a sair assim de uma posição de um Presidente que parecia não ter quase nenhum poder para um com muito poder.
E depois do anúncio desta quinta-feira, o que poderá acontecer? Nathan J. Brown, especialista em política internacional e Médio Oriente da George Washington University, perguntava concretamente “o que poderá pará-lo a curto prazo?”. Lembrava que “Morsi já exagerou antes, como a primeira vez que tentou libertar-se do procurador-geral” e que “a sua tentativa de Agosto de fortalecer o seu poder resultou porque o assumiu com moderação (isto é, até hoje)”.
Então, desta vez, há quem possa lutar contra esta decisão. “Os assertivos e ambiciosos tribunais poderiam dizer-lhe ‘não’. Várias forças políticas não-islamistas poderiam unir-se contra ele. Instituições neutras e associações poderiam gritar que há jogo sujo. Mas só se o fizerem em uníssono poderão ter alguma hipótese de obrigar Morsi a recuar ou encontrar um modo de mitigar o seu poder”, sugeria Brown.
Como comentava a correspondente da BBC no Cairo, Yolande Knell, Morsi “começa a soar mais poderoso do que o líder autocrático contra quem os egípcios se revoltaram para o derrubar”.
Os egípcios começavam já a sair à rua. Havia os que, como contava a estação de televisão Al-Arabiya, comemoravam a demissão do procurador-geral, que tinha impedido o julgamento dos responsáveis pela repressão. "O povo quer o julgamento de Abdel Meguid", gritavam. Mas também outros saíram à rua, fazendo outra variação dos slogans usados para a queda de Mubarak: "o povo quer a queda do Governo islâmico".  [daqui]

O defunto relvado do Dragão: 2+2 são sempre 4

«Foi tratado com o carinho de sempre, mas o relvado de Benfica do Ribatejo foi compreensivelmente rejeitado pelo Estádio do Dragão. O novo vem de França e será colocado nos próximos dias. Substituição em curso

Site (facebook) oficial do FC Porto
   
..... um relvado com origem em benfica do ribatejo só podia dar m"$#%  ...

Porto d'outros tempus

Palácio de Cristal em construção, em 1861

Projectado pelo arquiteto inglês Thomas Dillen Jones e tendo o Crystal Palace londrino por modelo, o palácio de Cristal portuense foi inaugurado em 1865 para acolher a grande Exposição Internacional do Porto.

Media 150 metros de comprimento por 72 metros de largura e era dividido em três naves. Ao longo dos seus 86 anos de existência, o palácio acolheu largas centenas de grandes exposições, destacando-se a Exposição Agrícola de 1903 e a Exposição Colonial de 1934. O palácio foi também um importante espaço de cultura, contendo um órgão de tubos considerado dos maiores do mundo e onde se realizaram importantes concertos do compositor Viana da Mota ou da virtuosa violoncelista Guilhermina Suggia.

A pretexto da realização do Campeonato Mundial de Hóquei em Patins no Porto, o palácio acabou por ser ingloriamente demolido em 1951, tendo-se erguido no seu lugar uma nave de betão armado, a que foi dado o nome de pavilhão dos Desportos. Dos velhos tempos ficaram os jardins e a designação de "Palácio de Cristal".





Ó Cavaco: é preciso ter lata!

Cavaco Silva: 
"é preciso ultrapassar estigma que nos afastou do mar e da terra" [daqui]

Depois ter sido o pioneiro do abandono do mar e da terra, acções continuadas pelos governos de Sócrates, podemos afirmar com toda a propriedade que o actual Sr. Presidente da República não tem vergonha na cara ao fazer deste tipo de afirmações...
Que pouca sorte a nossa ao sermos governados por este tipo de figurões...

Angelita Marcolina e Portugal

$e não puderes lá estar, tens sempre o Porto Canal

O Porto é uma Nação!

Santa Bebiana

Faltam apenas 10 dias para a 8ª edição da Santa Bebiana! Segundo a organização do evento, "pouco se conhece acerca da história da Santa Bebiana. Infere-se que, é a padroeira do vinho, outrora festejada por pastores e agricultores, durante o mês de Dezembro.

Face à escassez de registos quase inexistentes sobre este evento e a avaliar pelo que dizem os mais idosos, os pastores andavam com o gado nos vales do Paul e arredores, colocavam os chocalhos na cintura e, com os ganhões, festejavam junto às pipas de vinho. Após a ronda por todos os pipos, faziam uma grande ceia, onde o mais atrevido pregava o sermão para os “irmãos” e rezava-se o Pai Nosso dos Bêbedos.

Conseguiu recuperar-se este registo em 2005, sendo cedido pela esposa do falecido pastor/pregador na festa de Santa Bebiana, sendo durante muitos e muitos anos, o responsável pela realização deste costume que acabou por perder-se após a sua morte.

Atendendo que esta tradição já fazia parte dos costumes deste povo, principalmente dos homens, a Casa do Povo do Paul tentou junto das famílias e das pessoas mais idosas recuperar todo o material escrito. Chegou-se então à conclusão que, por todo um conjunto de situações inerentes a esta festa, tudo tinha a ver com o sistema de confrarias, onde as mulheres eram proibidas de integrar a procissão e a festa dos comes e bebes.

A organização conseguiu então, desde 2005, repor esta referência cultural da vila depois de um longo interregno, visando por um lado recuperar esta tradição e por outro, incutir nos mais jovens a problemática do consumo excessivo de álcool".

Saber mais aqui

Às vezes no caminho

Às vezes no caminho não olhas o céu,
às vezes no caminho não olhas para trás,
às vezes no caminho não olhas para dentro,
e às vezes não olhas para fora,
às vezes és cego.

Curta metragem co-realizada por Carla Cabral e José Artur Matos para o projecto "Bios-Segredos" do serviço Educativo do Museu do Douro - Setembro de 2012

Momento de Kulinária

Fofos de Chocolate com Vinho do Porto



Ingredientes: (para 16 unidades)

- 250 g de farinha
- 200 g de açúcar
- 80 g de margarina
- 150 g de chocolate em barra
- 1 dl de Vinho do Porto- 6 ovos
- 1 colher (chá) bem cheia de fermento
- Açúcar em pó para polvilhar

Ligue o forno a 180 graus. Unte as 16 formas com margarina e polvilhe com farinha.Numa tigela, junte a margarina e o chocolate e leve-os a derreter em banho-maria.

Adicione o açúcar e comece a bater. Junte as gemas, uma a uma, e adicione depois o Vinho do Porto batendo sempre.

Depois junte a farinha e o fermento, peneirados aos poucos, batendo continuamente e – por fim – bata as claras em castelo e envolva-as cuidadosamente no preparado.Encha as formas em 2/3, coloque-as em tabuleiros e leve ao forno durante 30 minutos.

Espete um palito para verificar a cozedura, retire do forno, desenforme e deixe arrefecer. Na hora de servir, polvilhe com açúcar em pó.

Fonte

Porto de Leixões sempre a crescer

PORTO DE LEIXÕES CONTINUA A CRESCER EXPONENCIALMENTE NOS CRUZEIROS

Outubro reforça movimento excecional nas operações de Cruzeiros


Mais de 66 400 passageiros de navios de cruzeiro passaram pelo Porto de Leixões desde o início de 2012, praticamente o dobro dos 33 800 passageiros registados em igual período do ano passado.
O aumento de 94% no número de passageiros teve por base o aumento do número de navios de cruzeiros acolhidos e a dimensão dos mesmos. Se, de janeiro a outubro deste ano, atracaram em Leixões mais 15 navios do que no ano anterior (64 navios em 2012 contra os 49 no ano anterior), a tonelagem dos navios acolhidos quase duplicou das 1.448 mil toneladas em 2011 para as 2.743 mil toneladas no corrente ano.
O excecional desempenho do porto de Leixões em movimento de cruzeiros ficou ainda marcado pela recepção de seis navios em escalas inaugurais. Tratou-se do emblemático Queen Victoria, das linhas Cunard; do Ventura e Azura, navios de maior dimensão da companhia inglesa P&O; do Celebrity Constellation, da companhia Celebrity Cruises da Royal Caribbean; do navio Marina da norte-americana Oceânia Cruises; e do navio de expedições Kristina Katarina, da Kristina Cruises.
Até ao final do ano o porto de Leixões espera receber um total de 73 escalas de navios o que corresponderá a um número de passageiros à volta dos 80 mil e de cerca de 45 mil tripulantes.
Este crescimento do movimento de cruzeiros reflete o esforço que a APDL dedica à afirmação do Porto de Leixões como porto de cruzeiros.

E o Porto a vê-los passar...

Como sabemos, Lisboa, num estranhíssimo negócio de terrenos (comprados com dinheiro do estado mas registados como pertencentes à Câmara alfacinha por um ministro que era simultaneamente ministro do estado e vereador da Câmara), embolsou mais de 300 milhões de euros. Assim caídos do céu. Agora é a Madeira que embolsará 80 milhões.

Só os concelhos da Área Metropolitana do Porto, que compraram eles próprios os terrenos para que fosse construído o Aeroporto em Pedras Rubras (os terrenos foram registados em nome do estado) é que continuam a ver passar aviões. Não é de hoje a proverbial incompetência, e submissão, das "elites" locais.


Ensaio sobre a cegueira: será que os tugas não têm memória?

Seguro fala muito em mudança. Para quê e para quem?
O partido socialista, via José Sócrates (o Vale e Azevedo da política portuguesa) arruinou o país e agora José Seguro, ele próprio, quer ser poder. Mas anda tudo louco?

...e depois não se queixem se alguma vez, com o vosso voto, ele chegar ao poder

Afirmações do Tozé Seguro:
Se for PM, austeridade será necessidade e não prioridade

O secretário-geral do PS, António José Seguro, afirmou que, se assumir as funções de primeiro-ministro, a austeridade económica e financeira será uma "necessidade" mas não uma estratégia prioritária por parte de um seu Governo.


Mudam-se os tempos

Mudam-se os tempos, mudam-se as vontades,
Muda-se o ser, muda-se a confiança;
Todo o mundo é composto de mudança,
Tomando sempre novas qualidades.

Continuamente vemos novidades,
Diferentes em tudo da esperança;
Do mal ficam as mágoas na lembrança,
E do bem, se algum houve, as saudades.

O tempo cobre o chão de verde manto,
Que já coberto foi de neve fria,
E em mim converte em choro o doce canto.

E, afora este mudar-se cada dia,
Outra mudança faz de mor espanto,
Que não se muda já como soía.

Luiz Vaz de Camões

As mentiras de Gaza

Não é de hoje: em qualquer barulhinho na Faixa de Gaza os terroristas palestinianos recorrem à propaganda como forma de desacreditarem Israel.
Vamos a exemplos: Nesta reportagem da BBC vemos um bacano "a morrer" mas uma trintena de segundos depois eis que, "milagrosamente" aparece fresco como uma alface. Vejam o vídeo bem, que as imagens falam por si:



Agora vejam estas duas fotografias que circulam pela net e que não passam de propaganda maldosa:

Paulo Bento é um cretino, a FPF é esclavagista e A Bola a trampa que se sabe

O pasquim dos encornados, A Bola, faz hoje capa com o amigo do empresário de jogadores Jorge Mendes. Assim, ficamos a saber que Paulo Bento não tem medo de Pinto da Costa e até ironiza com a Selecção da Colômbia.
Como se sabe, a esclavagista FPF marcou um jogo a feijões com a congénere africana do Gabão. A feijões é como quem diz: abocanhou 800 mil euros com a matéria prima dos clubes, paga pelos clubes. Eles, os clubes ficaram, como sempre a ver navios e, não raramente, com jogadores fatigados pelos milhares de quilómetros percorridos e pelas lesões contraídas, já para não falar nos inconvenientes do treino que ficam prejudicados pelas ausências dos seus atletas...
Para o tal prélio africano, o sr. Paulo Bento até dispensou os jogadores lampiões da convocatória e permitiu que os dois atletas do FC Porto jogassem praticamente todo o encontro. Poupou, claro, desde a convocatória até ao jogo em si, os afilhados do tal empresário. O costume para as bandas da Rua da Alegria lá pela pitoresca e alfacinha cidade...
Todo o mundo do futebol se envergonhou: pela vergonhosa (mais uma) exibição lusitana e pela inoportunidade do desafio. O Sr. Presidente do FCPorto foi um deles. Criticou a sua Federação e a escatológica escolha do seleccionador. Está no seu direito.
Surpreende, ou talvez não, que o seleccionador se tenha sentido atingido e tenha respondido, não a todos os que criticaram, mas exclusivamente ao melhor e mais titulado Presidente de um clube desportivo em Portugal: o FCPorto. Contou com a trampa do pasquim afiliado encornado para transmitir a mensagem. Diz o seleccionador que "não admite ingerências no seu trabalho", quando ele o faz à descarada ao convocar quem lhe apetece e interferindo assim nos planos de treino das equipas de onde são originários os jogadores. Faz igualmente alusões às decisões e escolhas de outras selecções (Colômbia), como se aí o Sr. Pinto da Costa tivesse alguma capacidade de intervenção. Pinto da Costa é presidente de um clube português, o mais jubilado e galardoado do país. Merece ser ouvido e compreendido.  Esta cretina resposta de Paulo Bento está ao seu nível: rasteiro.

Enquanto lisboa suga ...

PORTO DE LEIXÕES:
EXPORTAÇÕES CRESCEM 22%


Carga movimentada em Leixões atinge os 14 milhões de toneladas

As exportações por Leixões continuam a crescer a bom ritmo com um aumento até outubro de 22%, à semelhança do que aconteceu em 2011 em que o crescimento do ano foi de 34%.

Entre os mercados de destino que contribuíram para este aumento destacam-se Marrocos, Angola, Argélia e Reino Unido. De salientar que os principais produtos exportados de Leixões foram Ferro/ Aço, Produtos Refinados e Aromáticos, Paralelepípedos, Papel e Cartão, Bebidas, Equipamentos e Materiais para a construção civil, entre outros.

Em termos acumulados desde Janeiro, o Porto de Leixões cresceu 4,6% face ao período homólogo anterior totalizando 14 milhões de toneladas. O balanço positivo nestes 10 meses resulta do aumento da Carga Contentorizada (+15,6%), dos Granéis Líquidos (+3,4%), dos Granéis Agro-alimentares (+15,6%) e da Carga Ro-Ro (+85,7%).

Em outubro o Porto de Leixões cresceu 18,6% no volume de mercadoria movimentada face ao mês anterior totalizando cerca de 1,5 milhões de toneladas. A carga contentorizada cresceu 27,4% alcançando um novo máximo histórico mensal de 63 357 TEUs.

O Georgio Armani dos Estádios faz 9 anos

... e eu estive presente na sua inauguração, pelo que tenho lá um azulejo com o meu nome...

Porto: a mais bela Cidade do Mundo

fotografia de Marcelo Santos

Neste fim de semana

O Painel da “Ribeira Negra”, obra-prima de Júlio Resende, falecido há um ano, pode ser visto, a partir desta semana, em toda a sua beleza, depois de um cuidado e rigoroso processo de restauro de meio ano, patrocinado pela Santa Casa da Misericórdia de lisboa (SCML).

Considerado o melhor painel cerâmico contemporâneo, esta obra grandiosa destaca-se no início do tabuleiro inferior da Ponte D. Luís, no Porto.

Alfândega da Fé

Vila Pouca de Aguiar

XI mostra gastronómica de Vila Pouca de Aguiar.



Nesta edição da Mostra Gastronómica, não perca a FEIRA DO COGUMELO E PRODUTOS DE OUTONO no Mercado Municipal, e a MOSTRA GASTRONÓMICA DE CABRITO, CASTANHA E COGUMELOS nos Restaurantes Aderentes.


Que diz Além, entre Montanhas, o Rio Doiro à Tarde, Quando Passa?

Exposição de arte fotográfica de Sérgio Tavares, num espaço especial, o Breyner85, no Porto

Está patente ao público todos os dias da semana, a partir das 15h, até 9 de Fevereiro de 2013 e portanto estão todos convidados a visitá-la.


Uma breve descrição:

O conhecimento, os anseios, as emoções, as experiências do autor reflectidos nas imagens de uma cidade, aquela que deu o nome ao seu país.
As linhas nessa cidade são várias e vão para todo o lado: são redondas, horizontais, verticais e sobretudo diagonais e representam um lugar e um povo livre e vivo. Contudo, também atormentado como o rio que o fez.
Não é uma história, é a possibilidade de múltiplas histórias que mudam consoante a entrada de cada espectador na obra. Resta uma pergunta: será ainda o espectador capaz de se interessar por uma história num mundo sobrecarregado de imagens descontextualizadas?
Uma certeza, porém: a presente obra não serve para ver, antes para sentir.

Porto deste e doutros tempus


Serra da Estrela: Sabores de Outono

Até ao dia 18 de Novembro, renda-se aos sabores "Sabores de Outono" típicos da montanha na 6ª Mostra Gastronómica do Sabugueiro, uma iniciativa da Associação de Beneficência do Sabugueiro, com o apoio da Junta de Freguesia do Sabugueiro, Município de Seia, entre outras entidades. A Mostra tem por objetivo promover os pratos típicos desta região, servidos nos 11 restaurantes desta aldeia turística da serra da Estrela, onde não falta o Cabrito, o Borrego, a Chanfana, o Bacalhau com Pão de Centeio, as Trutas, o Arroz de Carqueja e muitos outros, além do famoso Queijo da Serra, dos enchidos, do presunto e claro, do Pão de Centeio do Sabugueiro.


http://www.cm-seia.pt/