Kosta de Alhabaite

Nortenho, do Condado Portucalense

Se em 1628 os Portuenses foram os primeiros a revoltar-se contra o domínio dos Filipes, está na hora de nos levantarmos de novo, agora contra a colonização lisboeta!

Mosab Hassan Yousef בנו של אחד ממייסדי החמאס, מדבר על ישראל

Aos gulosos do Porto e arredores

O Melhor Bolo de Chocolate do Mundo !
    
No Porto, perto do Jardim da Cordoaria, perto do Tribunal, logo após uma capela, podemos encontrar uma loja que se intitula  “O Melhor Bolo de Chocolate do Mundo“.
Trata-se de uma receita 100% portuguesa, com a marca do chef Carlos Braz Lopes, com 55% de cacau, ou na versão mais rica em chocolate, com 70% de cacau.
Com presença em cidades como lisboa, Madrid, Sevilha, Rio de Janeiro, São Paulo, Sidney e Washington, pode até não ser de facto o melhor bolo de chocolate do mundo, quem sabe, mas lá que uma delícia, lá isso é!

O Melhor Bolo de Chocolate do Mundo
Rua Dr. Barbosa de Castro 70, Porto »»» MAP
+351 222 082 727
Seg-Sex/Mon-Fri 10:00-19:00, Sáb/Sat 10:30-14:30
Preços: 30€ a versão maior, 20€ o mais pequeno (6 a 8 fatias) e 2,30€ a fatia
www.omelhorbolodechocolatedomundo.com

15º Aniversário do Centro Histórico do Porto - Património Mundial

Conferência a realizar no palácio da Bolsa, no próximo dia 3 de Dezembro

Um Portugal Monocromático em processo? (*)

(*) via O GALAICO


Há poucos dias a candidatura do Fado foi eleita como património da Unesco.

Até aí tudo bem não fosse uma pequena situação, na origem da candidatura, que eu já tinha mencionado AQUI.

Porém, admitindo que foi pouco ético o comportamento das autoridades Portuguesas, também sou capaz de admitir que, obviamente, o Fado merece mais essa menção do que uma festividade que pouco extravasa os limites do concelho / região.


Apesar da contínua tentativa de fazer o Fado passar por estilo musical de referência Nacional, tinha andado a encarar esta situação com graça e a divertir-me explicando, a quem quisesse ouvir, que o Fado é a voz de Lisboa e não diz respeito a mais ninguém. Nem a Coimbra que o desenvolveu através de estudantes Lisboetas! Obviamente, isso não faz com que seja mais ou menos (até porque o é sem dúvidas) digno do estatuto em que foi colocado oficialmente.


Como Português já estou, no entanto, mais do que acostumado às tentativas de imposições culturais ridículas. Imaginem a parvoíce que seria fazer dos Gaiteiros Galegos (de cultura Atlântica) a imagem de Espanha (de Cultura mista). Pois bem, é o que estão a fazer em Portugal. Impor a imagem da cultura de uma cidade ao resto do país.

A minha paciência esgotou-se porém quando vi esta reportagem:

http://sicnoticias.sapo.pt/cultura/article1039534.ece

"Um dia depois do Fado ter sido considerado Património Imaterial da Humanidade, já se fala de outras possíveis inscrições portuguesas. É o caso do canto alentejano ou da dieta mediterrânica."

A minha frustração advém da antecipação que a minha cabeça já está a fazer. Dentro em breve teremos mais duas fontes de propaganda nacional a dar uma imagem falsa de Portugal. Isso porque duvido que os responsáveis pelas hipotéticas candidaturas se preocupem com a falsidade da dieta mediterrânica em grande parte do território nacional.


Alguns exemplos:

- O Azeite é uma importação em grande parte do país. Veio substituir a gordura de origem ANIMAL (coisa completamente adversa à gastronomia mediterrânica) que era uma característica Atlântica. De facto, com a chegada do Milho Sul Americano e a consequente ocupação das pastagens nos vales (outrora dedicados à criação de gado) para seu crescimento, as populações compensaram o decréscimo de um recurso com o outro.

- A carne vermelha é uma presença indissociável nas terras a Norte do país. Até em trás-os-montes, onde o Azeite teve uma presença mais antiga, esta era uma fonte de carne primordial. As aves e outras carnes eram secundárias. Apenas o porco o superava.

- O próprio vinho. no Minho e Douro Litoral, é completamente diferente do das zonas mediterrânicas. Tão diferente que é único no mundo. Originalmente, a Cidra seria a bebida alcoólica local.

- O consumo de peixe e mariscos, típicos da cultura mediterrânica não se enquadra, até há pouco tempo, em vastíssimas regiões do país. Foi na Grécia que nasce a designação "alimentação mediterrânica". Aí sim! Muita da população teria acesso a esses produtos. Especialmente as que viviam nas centenas de ilhas e ilhéus pertença deste país. Em Portugal, a carne estaria dominante em todo o lado a não ser nas zonas puramente litorais.

Campo-Prado Minhoto usado para cereal no verão e fonte de alimento para gado bovino no inverno - Realidade tipicamente Atlântica.

Portanto, e poderia alongar-me, alguns dos requisitos para a designação de "alimentação mediterrânica", simplesmente não existem ou, por outro lado, são importações mais ou menos recentes. Se isso contasse para definir um país como tendo esta dieta então, hoje, todo o mundo ocidental poderia aderir à candidatura.


Agora, acerca do "canto alentejano", acho essa hipótese francamente ridícula. Mais uma vertente cultural de cariz totalmente mediterrânico está a ser hasteada em nome de Portugal. Porém, esse, ao contrário do fado, tem uma importância e expressão nacional que, simplesmente, não merece uma referência da UNESCO. Pelo menos, à frente de outras formas de expressões nacionais com mais peso...

Existem de facto outras formas de expressões musicais com dimensão humana actualmente superiores ou, antropológicamente-etnograficamente mais interessantes (concordo com o possível debate que essa afirnação merece) mas que, talvez por não ter afinidade com Lisboa, os nossos governantes não conheçam.

Falo por exemplo de:

Cantadeiras do Vale do Neiva - Uma referência nesta arte
- Cantos Polifónicos.

Quase sem paralelo no mundo, atraiu Michel Giacometti que ficou fascinado. É o resultado de uma vivência comunitária ancestral. O canto polifónico, maioritariamente feminino, é um museu de antropologia por si só. Religiosos, de trabalho ou lúdicos. Contavam histórias de amores, marcavam ritmos ou, até, lendas antigas (à moda dos contos cantados Transmontanos, também eles dignos de referência).


- Cantares ao Desafio.

Já anteriormente falei deles. Ver AQUI.

De origem medieval, os trovadores rivalizavam entre eles com versos poéticos sobre assuntos de todo o tipo. Hoje em dia, a versão mais popular deste antigo hábito, pode ser apreciada em todo o local no mundo onde hajam pelo menos meia dúzia de Portugueses. De origem Nortenha, esta tradição (ou melhor, uma das determinadas formas de exprimir esta tradição presente em quase todo o território) foi exportada para todos os continentes e tem uma massa humana de interpretes e amantes que o Canto Alentejano nunca teve nem nunca terá.

Não me interpretem mal. A comida mediterrânica é boa. Os Cantares Alentejanos tem a sua piada. Contudo, a primeira não representa Portugal e, a segunda, não tem importância nem dimensão humana que chegue para o justificar.

Em todos esses casos Lisboa aposta em emblemas que lhes são familiares e tenta impô-los a todos os Portugueses. Portugal será sempre visto como um país mediterrânico apesar de não o ser. Se algumas regiões tem fortes afinidades e possam ser confundidas, outras são o completo oposto.

Serra do Gerês - Hoje em dia um dos locais que ainda exibe de forma evidente uma cultura regional que nada tem de "mediterrânico".

Eu, no que me toca, defenderei sempre a minha realidade não deixando que as imagens que certos inventam e usam em seu favor se sobreponham às que me são queridas.Link

Next: Itália

La prima de riesgo italiana, el diferencial del bono a 10 años con el alemán supera los 565 puntos, muy por encima de la barrera de los 500 que desencadenó la intervención en Portugal.  (in El Pais)

O "Público" em maus lençóis?

Relatório Consolidado da Sonaecom, relativo aos primeiros nove meses do ano:

O jornal "Público" registou um prejuízo de 2,7 milhões de euros e os capitais próprios negativos estão avaliados em 936 mil euros.
A Administração vai baixar salários: a redução salarial - a segunda num período de dois anos - atingirá, desta vez, salários brutos acima dos 1.600 euros.







E agors algo completamente diferente: as regras do Rugby

Afinal o BPN já não tinha sido vendido?

O BPN não tinha já sido vendido BIC? Afinal o governo português não escolhera a proposta dos representantes angolanos? Por que raio “continuam as negociações”? Isso significa que ainda continuamos a ser sugados pelo buraco do BPN? Que vigarice é esta?

Simon's Cat: TV dinner

Para adultos: O 1º canal português de pornogastronomia

Nem mais!

Ontem, segundo informações da RTP, autarcas do Norte abstiveram-se de participar no Prós e Contras onde poderiam e deveriam ter defendido o Norte.

Não são os que aparecem aqui a insultar-nos que nos preocupam, mas os traidores que temos a Norte.

José Ferraz Alves
Secretário Geral do Movimento Partido do Norte

Em Teerão reina o terror e o perigo islâmico

Dezenas de manifestantes, em protesto contra as sanções impostas ao governo islâmico pelo fabrico de armas nucleares, invadiram, esta terça-feira, a embaixada do Reino Unido em Teerão, sem oposição da polícia. Os manifestantes retiraram a Union Jack do mastro, queimando-a antes de a substituir por uma bandeira do Irão...
Estes tipos são um perigo. O mundo deveria olhar para o terror nuclear e pensar que estes ayatolas não se "envergonham" em fazer uso de tal dispositivo. A Nação de Israel será, obviamente, a principal vítima, mas logo depois os USA e a Europa. Sanções, são neste momento, amendoins, pelo que não será descartável uma acção militar agressiva sobre os verdadeiros criminosos árabes de teerão. Infelizmente, Obama estará a prazo e a Europa não conta, pois os seus dirigentes são todos uns bananas. Espero que os Russos, que estão totalmente por detrás do programa nuclear iraniano, continuem a "engonhar", pois caso contrário, eles próprios sabem que podem vir a ser vítimas do monstro que estão a ajudar a criar.

Depois da onda curta, extinção definitiva e irreversível do Ensino Português no Estrangeiro

Notícias recentes dão-nos conta de que o Governo Português está a preparar-se para, a partir de Janeiro de 2012, dar a maior machadada no ensino do português no estrangeiro de que há memória, colocando em risco a sua existência.
É necessário agir rapidamente. Por isso, proponho a formação imediata de uma Comissão para a Defesa do Ensino e convido-os a integrá-la. É muito importante a vossa participação.
Fico a aguardar a sua resposta, de modo a podermos marcar rapidamente uma reunião com todos os interessados.
Cordialmente,
Raul Lopes
Presidente da Associação Portuguesa Cultural e Social de Garches
Telemóvel: 06 12 86 16 03

NOTA: Porque possuo poucos contactos, agradeço aos caros amigos que façam o favor de reexpedir esta mensagem a outros eventuais interessados. Conto convosco!

Extinção definitiva e irreversível do Ensino Português no Estrangeiro


Aos grupos parlamentares
Aos órgãos de comunicação social
Aos partidos políticos
Aos Conselheiros das Comunidades


Ex. mas Senhoras
Ex. mos Senhores

O sistema de Ensino Português no Estrangeiro (EPE) está a ser sistematicamente destruído por quem o mais deveria prezar, os responsáveis pela Secretaria de Estado das Comunidades Portuguesas e Instituto Camões.
Esta destruição iniciou-se pouco depois da passagem oficial da tutela do EPE para o ICA, em Fevereiro de 2010, com a forte redução de horas para os professores de apoio, seguida pelos cortes drásticos efectuados na rede de ensino para o presente ano lectivo, em que foram eliminados cerca de 100 horários do ensino básico e secundário.
Agora, poucos meses apôs o início das aulas nos vários países da Europa, comunicou a Presidente do Instituto Camões, Dra. Ana Paula Laborinho, o regresso, as escolas de origem em Portugal, a partir de Janeiro de 2012, de 50 professores do EPE.
Estes professores não serão substituídos. Cerca de 5.000 alunos ficarão sem aulas até ao final do presente ano lectivo e com pouquíssimas possibilidades de as voltar a ter, pois os professores encontram-se já sobrecarregados com um número excessivo de alunos e deslocações entre cursos, sendo na prática impossível aglomerar mais grupos ou mais horas nos horários da maioria dos docentes.
Actualmente existem apenas 525 professores do ensino básico e secundário no EPE. A partir de Janeiro serão 475. No próximo ano lectivo serão ainda menos, pois haverá nova reestruturarão da rede com os inevitáveis cortes de horários.
Provavelmente ficarão a rondar os 400, ou até menos.
Pouco mais de 500 professores que o Estado português diz não ter possibilidades financeiras de manter no estrangeiro para leccionarem a língua e cultura de origem aos filhos dos trabalhadores portugueses, aqueles que enviam anualmente milhões para Portugal.
A alternativa, muito alardoada pelo Dr. José Cesário, actual Secretário de Estado das Comunidades, e pela Sra. Presidente do ICA, será, no futuro, o ensino à distância através da Internet.
Ensino à distância para uma população escolar composta em quase 60 % por alunos do 1° ao 6° ano de escolaridade. Só quem nada entende do ensino a crianças e jovens ou quem tenta salvar a imagem política através de uma alternativa utópica e inaceitável pode ter coragem de apresentar uma alternativa semelhante.
E só tecnocratas unicamente com visão para as vantagens económicas podem ser desumanos ao ponto de, com menos de 2 meses de antecedência, fazerem regressar as escolas de origem professores que em muitos casos leccionam no estrangeiro há 30 ou mais anos e que, muito compreensivelmente, tem aqui as suas vidas, as suas famílias, os seus filhos em idade escolar, os seus compromissos financeiros, enfim, tudo aquilo que faz parte da vida de uma pessoa normal.
Mas, como se pode ver, para o SECP e o ICA estes professores não são pessoas normais. Têm estatuto de objectos, que se colocam ou retiram conforme as conveniências.
Assim, o balanço do fim de 2011, no EPE, será o seguinte: 5.000 alunos sem aulas e 50 professores desiludidos, amargurados, certamente desesperados por terem de deixar os seus lares e as suas famílias se não quiserem optar pelo desemprego.
Não há crise económica que justifique tal desrespeito e indiferença por alunos, pais, professores e as comunidades portuguesas em geral.
Estamos perante um genocídio cultural que nenhumas vantagens financeiras trará à economia do pais, mas que causará danos irreversíveis e irreparáveis a nossa língua e cultura no estrangeiro.

Apelamos para o vosso apoio.
Nuremberga, Alemanha
12 de Novembro de 2011
Maria Teresa Nóbrega Duarte Soares
Secretária-Geral

A obscenidade das reformas políticas

Novo record

8.974 visualizações !!!

Muito obrigado... e voltem sempre

Júlio Magalhães deixa TVI e vai para o Porto Canal


O jornalista Júlio Magalhães apresentou na semana passada o seu pedido de desvinculação da TVI junto dos recursos humanos da estação de Queluz. Júlio Magalhães, que deve deixar a TVI nas próximas semanas, vai assumir o cargo de director-geral da televisão regional Porto Canal.

O fado made in Bali: exaltação da desgraça


«Não gosto de fado. Sobretudo do ‘choradinho’. Recuso os queixumes funcionais das carpideiras. Não gosto de lamentos inconsequentes. Rejeito a masturbação da dor tornada compulsividade obsessiva. No fado, o gemido mais ou menos melódico deixa de ser um meio para constituir o único fim. O fado é a apologia da desventura, é o elogio babado do infortúnio. Mas o pior do fado é a crença irracional num destino sempre magoado e arrependido. O fado aniquila o alento e o rasgo essenciais para se sair da aflição – o fado exalta e eterniza a desgraça»…

Subscrevo e assino por baixo!

Verdade, verdadinha


“Nos últimos anos centralizámos excessivamente”



Nos últimos anos centralizámos excessivamente. Hoje, é no Norte de Portugal que a inovação ganha uma nova dimensão em Portugal, com a ajuda das universidades de Aveiro, Porto e Braga”. O reconhecimento é do ministro Adjunto e dos Assuntos Parlamentares, Miguel Relvas, que esteve esta segunda-feira, no Porto. Relvas destacou a importância da inovação concentrada no Norte de Portugal. “É importante que não retiremos de Portugal a massa crítica e massa cinzenta de qualidade que tem de existir no todo do território nacional”, frisou, durante a sessão de apresentação dos trabalhos da Academia RTP, no Hard Club, no Porto. O ministro diz já ter “conversado com o presidente da RTP sobre outras áreas” em que é possível “potenciar a RTP no Norte de Portugal”.

Observação: Diz ele, "nos últimos anos". Realmente é preciso ter lata. No último século, diga antes assim. Estes cretinos centralistas, sempre que chegam ao Porto, trazem o mesmo discurso. Depois, aos regressar à corte do terreiro do paço, na colonialista lisboa, encerram as Direcções Regionais, eliminam as freguesias, fecham escolas e centros de saúde, acabam com as linhas de caminho de ferro...

A NAER gastou mais de 40 milhões de euros a estudar a construção do Novo Aeroporto de Lisboa (NAL) na Ota


De acordo com uma auditoria à sustentabilidade de empresas de capitais públicos do TC, "até 31 de dezembro de 2007, a NAER já tinha despendido cerca de 40,738 milhões de euros em estudos e outros custos empresariais".
Em 2008, o Governo alterou a localização do futuro aeroporto de Lisboa da Ota para Alcochete.
@ Agência Lusa

Estado gastou mil milhões de euros com 14 empresas, mais de metade na Parque Expo em lisboa

EMPRESAS PÚBLICAS 

O Estado gastou cerca de 1.000 milhões de euros entre 1993 e 2009 para financiar 14 empresas públicas com metade dessa despesa a destinar-se à Parque Expo, em lisboa, revela uma auditoria do Tribunal de Contas. 
O Tribunal de Contas destaca, no seu relatório, a dependência financeira "muito expressiva" destas empresas face ao Estado, que gastou 634,9 milhões de euros de 1993 ao final de 2005 e mais 339 milhões entre 2006 e 2009 (período em que foi feita a auditoria), concluindo que esta situação contribui para o aumento da dívida pública e dificulta a execução orçamental. 
O TC mostra-se crítico quanto a muitas destas sociedades de capitais públicos que "não são auto-sustentáveis" porque não geram receitas suficientes e desaproveitam competências e conhecimentos técnicos detidos pela administração pública. 

 @ Agência Lusa

A CP admite acabar com o Comboio Histórico no Douro se não encontrar parceiros…

O prejuízo terá sido de 60 mil euros (não milhões) em 2011, com uma taxa de ocupação de 84%
A título de exemplo, o Sud Express e o Lusitânia Express representaram nesse ano 7 milhões (não milhares) de prejuízos

Algumas pequenas notas, públicas, muito simples do contexto do comboio histórico do Douro: 
- O que torna o custo mais elevado é a necessidade de juntar uma composição com bombeiros e pessoal da Refer 
- A taxa de ocupação tem sido crescente. 
- O terminal de cruzeiros maritimos de Leixões vai potenciar exponencialmente o número de turistas. 
- Na Cantábria, como noutros lugares do mundo, os serviços de cruzeiros ferroviários são altamente rentáveis. 
- Não se contabilizam as externalidades positivas dos serviços públicos, isto é, os efeitos positivos indiectos sobre a economia regional. 

Admito que se estiver em causa um patrocínio para estudar o "Fado" ou enviar uma embaixada a viajar pelo mundo fora para o promover (o que é contraditório com o ter sido considerado tesouro da humanidade) já haja dinheiro destas empresas públicas "nacionais" e das EDP's, PT's, Brisas's, Mota Engil's, Optimus's, Vodafones's. 
Mas, a culpa está muito para além de ser exclusiva do poder central. 

Há a nível local, na CCDRN e na Estrutura de Missão do Doura, uma passividade e uma submissão a interesses que prejudicam o Norte, julgando que discursos e Protocolos resolvem assuntos, ficando sempre por reuniões de gabinete e comunicados à imprensa. 
A esse nível já revolucionaram o Norte, a exemplo do nosso Presidente da República, que já deve, em discursos, ter resolvido nas últimas semanas o dobro dos problemas que os pobres julgam ter. 

Para além de uma falta de acção e de criatividade gritantes, outro dos problemas é a tradicional "cultura do caldo verde" das pessoas do Norte e o esquecimento que a oferta é que cria a procura. Quando está em causa fechar, deveria estar o alargar, investir, expandir. Neste caso até Salamaca, como no caso do Tua até Sanábria, no Minho até Vigo e de Amarante à Euro-cidade Chaves-Verin. E todas elas ligadas pelo ramal de Leixões até ao terminal de cruzeiros. Enquanto nos EUA Brack Obama lança um primeiro plano ferroviário nacional depois do das auto-estradas da década de 60, nós fazemos o contrário. 

 José Ferraz Alves 
 Secretário Geral Movimento Partido do Norte

Percursos de Identidade – Portugal e Israel, duas nações projectadas no mundo

Turismo do Porto e Norte associa-se ao Projecto “Percursos de Identidade – Portugal e Israel, duas nações projectadas no mundo”


Identificar e valorizar a presença judaica em Portugal são os dois grandes objectivos do memorando de entendimento que vai ser assinado, em Viana do Castelo, na próxima segunda-feira dia 28 de Novembro, entre o Turismo do Porto e Norte de Portugal, a UNISLA, a investigadora Elvira Mea e o Cônsul Honorário de Israel no Porto, Domingos Jerónimo.
O evento conta com a presença do Embaixador de Israel em Portugal, Ehud Gol.
O referido memorando dá continuidade ao Projecto “Percursos de Identidade – Portugal e Israel, duas nações projectadas no mundo” que visa o estudo e a divulgação dos testemunhos históricos da presença judaica no Norte de Portugal, bem como o desenvolvimento de intercâmbios turísticos, empresariais e académicos entre os dois países.
O local escolhido é o edifício do Hospital Velho, actual Posto de Turismo. O Documento é assinado pela Entidade Regional de Turismo do Porto e Norte de Portugal, pela Embaixada de Israel em Portugal, a UNISLA e a investigadora Elvira Mea.

Programa – 28 de Novembro

15.00 Horas – Conferência de imprensa e assinatura de acordo de cooperação (Posto de turismo-Rua do Hospital Velho-Centro Histórico)
15.30 Horas – Verde de Honra (Vinhos Solar de Merufe–Posto de turismo -Rua do Hospital–Centro Histórico)
16.00 Horas – Visita guiada a testemunhos da presença judaica em Viana do Castelo (Rua da Amália – Centro Histórico).
16.30 Horas – Visita ao Museu do Traje (Praça da República – Centro Histórico)

FONTE: Divisão de Marketing e Promoção do Turismo Porto e Norte
[in Jornal Norte]



Obras do tunel do Marão continuam paradas e autarcas querem solução do governo


Segundo o último prazo dado pela concessionária para reatar as obras no Túnel do Marão terminou na semana passada, mas tudo ficou na mesma. As máquinas continuam paradas, naquela que é já a terceira suspensão que esta obra conheceu desde que foi lançada pelo então Primeiro Ministro José Sócrates em 2009. Os autarcas do Douro sentem que esta indefinição está a prejudicar a região e pedem ao Governo prioridades para esta obra, relativamente a outros projectos nacionais.
Se fosse uma obra em lisboa, já estaria tudo desbloqueado. Como é no Norte...
 

[Via Porto Canal (Douro) ]

Educar

Lá como cá...

Portugueses com valor... lá fora

Matemática portuguesa eleita presidente da maior sociedade científica dos EUA 

A matemática portuguesa Irene Fonseca foi eleita presidente SIAM - Society for Industrial and Applied Mathematics (Sociedade de Matemática Aplicada e Industrial), com sede em Filadélfia, sendo a primeira vez que um português preside à instituição fundada em 1952. 
É a segunda mulher da história a ocupar o cargo mais importante na maior sociedade científica dedicada à Matemática Aplicada, constituída por cerca de 13 mil membros individuais e 500 institucionais de todo o mundo. Irene Fonseca é professora do Departamento de Ciências Matemáticas da Universidade de Carnegie Mellon, nos Estados Unidos, onde dirige o Center for Nonlinear Analysis.

50 jogos sem perder !!!

50
claro que a imprensa de lisboa vai continuar a escamotear esta verdade, mas já são cinquenta jogos para o campeonato sem perder. Imaginem este feito num dos clubes do regime...

He's back (*)

(*) apesar daqueles 4 minutos finais...
(*) apesar do tipo de espinho continuar a escolher um central para lateral
(*) apesar de alguns jogadores ainda estarem "ausentes"
(*) apesar do Artur Soares Dias

Artur Soares Dias: UM ESTERCO!

Este árbitro do Porto mostrou hoje o seu mau carácter: péssima arbitragem, beneficiando SEMPRE o SC Braga, e, óbviamente prejudicando sempre o FCPorto. 
Fazem falta de pessoas que digam a verdade, eu não minto, por isso, digo: Artur Soares Dias é um esterco sem personalidade!

O fado, essa porcaria de música saloia e lisboeta


Pois, sinais dos tempos e da nossa passividade em salvaguardar conquistas. EMPENHO pela escolha do fado como Património da Humanidade. DESPREZO e Risco do Douro perder esta classificação do Douro, pela destruição do Tua, Sabor, Corgo e desprezo pela ferrovia. Os órgãos de comunicação social estão excitadissimos e já se pedem milhões para a promoção do fado... isto não é contraditório? E vamos ganhor milhões no retorno turístico?

O galinheiro ardeu; e o sistema de rega falhou...


Sabia que ...


A maior fotografia tirada em Portugal é no Porto!
Tem 14 gigapixéis !!!

É Paulo Bico que o diz porque, por mais voltas que dê, não encontra uma fotografia maior em Portugal do que a que tirou ao Porto. A fotografia tem 14 gigapixéis, uma máquina digital barata permite fazer fotografias com qualquer coisa como 10 megapixéis – 1.400 vezes menos (sim, leram bem).

A partir de Gaia, Paulo Bico fez uma fotografia que permite ver o que se passa no topo da Torre dos Clérigos e “voar” por boa parte da cidade, da Ribeira à zona oriental.
Demorou cerca de 3 horas a captar as 1.600 imagens que constam da fotografia panorâmica; levou 28 horas a processá-las em computador; o ficheiro da imagem é de 54 gigabytes e demora meia hora a carregar no programa de edição de imagem do computador potente de Paulo Bico.
Tudo é gigante nesta arte, conhecida mundialmente como gigapan ou giga-photo.
O fotógrafo de Famalicão, de 35 anos, comprou o equipamento necessário (um robô que faz fotografias segundo uma cadência definida pelo fotógrafo) no início do Verão. Somando o robô, as lentes, a câmara e outros equipamentos, Paulo investiu qualquer coisa como 10 mil euros.
Fez uma em Guimarães, com 6 gigapixéis, e lançou-se para a do Porto, que produziu no último fim-de-semana. O equipamento permite-lhe ir mais longe (diga-se que a maior do mundo, feita em Xangai, tem uns inacreditáveis 200 gigapixéis), mas, antes disso, Paulo quer procurar rentabilizar o investimento, através da venda deste tipo de fotografias a entidades ou empresas.
“É uma sensação engraçada conseguir ver as coisas deste ponto de vista”, diz Paulo. Mas nem tudo foi positivo na experiência: “fiquei um bocado triste com a degradação em que está o Porto. A imagem ao longe é muito bonita, mas, quando aproximamos, vemos coisas que não gostávamos de ter visto.
[Pedro Rios em Porto24]

Não, não me esqueci...

The Lion Sleeps Tonight :-(

By Voices of Heaven Gospel Choir 
This video has been performed at S.Francesco's church in Pisa,1 dec 2007. 
Charity concert for missions in Ecuador and LILA (Italian League against AIDS).

Anedota sem graça


Feira de Artesanato e Afins in Rio Douro




Dia e Hora:  Domingo, 27 de Novembro · 10:00 - 20:00


Local:  Ribeira do Porto


Acontecimento: o nome diz tudo

Partido do Norte


No seu percurso de recolha de assinaturas, o stand do Partido do Norte tem "comparecido", aos sábados de manhã, em Santa Catarina, no Porto, mesmo ao lado do Majestic. A formalização como partido obriga à recolha de 7.500 assinaturas!!!

Tarefa árdua, mas vamos chegar lá; para isso precisamos da ajuda de todos. Não basta rezar avé-marias pelo Norte e protestar contra o centralismo com laivos de colonialismo. É preciso acção. Para já são necessárias  assinaturas. No blogue do movimento, podem descarregar as folhas, depois é preencher os documentos e entregar na sede, enviar pelo correio ou aparecer no referido local da baixa do Porto.
Hoje, dia de sede aberta, aproveitamos a magnífica tarde e fomos para a rua, para o lugar do costume. Apareçam.

Serei só eu? Estou farto de ouvir falar em fado!


Anda afoitos os lisbotas. Esquecendo os milhões que já foram gastos na divulgação daquela moda triste de lisboa, querem fazer crer ao mundo que o fado é uma qualquer coisa fundamental a esse mesmo mundo...

Uma canção marialva, cantada originalmente por bêbados nas tavernas de lisboa, adoptada por uns quantos parasitas, com ares de doutores da música... Irra, detesto os gemidos aos quais chamam fado. É uma canção sulista, mais concretamente lisboeta, que não nos diz nada. Mesmo assim, as rádios e televisões de lisboa não se calam com a trampa da coisa. Digam lá se isto não é uma maneira de colonialismo!?

Pelos Vales Durienses Ameaçados (por lisboa)


Dia e Hora: Quinta-feira, 1 de Dezembro às 14:00 - 4/12 às 16:00 
Local: Mirandela e vales do Sabor, Tua e Corgo 


 Celebração do 1º de Dezembro (5ª-feira, feriado) 
- 14h00 - Grande Auditório do Centro Cultural de Mirandela documentário "A Luta pelo Tua" de Jorge Pelicano (28') 
O RENASCER DO PODER LOCAL (com Homenagem ao Autarca José Silvano) (org. IDP e COAGRET) 
14h30- 15h40 – As Causas do Poder Local 
15h40 -16h00 – Perspectivas do Poder Local 
16h00-16h15 – Um Testemunho: José Silvano (CM Mrd) 
16h15-16h30 – D. Duarte de Bragança - O 1 de Dezembro e o Poder Local 
16h30: Manifestação de velas pelo comboio em Trás-os-Montes, contra a barragem de Foz Tua (coord. MCLTua) percurso: Centro Cultural – Estação de Caminhos de Ferro de Mirandela 


dia 2 (6ª-feira) - canoraft* no rio Sabor (Sto. Antão - Cilhades) c/ a MAPAventura e visita a moinho activo (Paradela, com A Pantorra) 


dia 3 (sábado) - rafting* no rio Tua (Sobreira - S.Lourenço - Foz) c/ a BastoRadical e jantar em Foz Tua 


dia 4 (domingo) - percurso na Linha do Corgo (com o MCLCorgo) e concentração na Estação de Caminhos de Ferro da Régua 


 * inscrições obrigatórias (c/ pagamento antecipado) até 29/11/2011: coagret.pt@gmail.com telm: (+351)969761301 
 inscrições no canoraft (rio Sabor) e rafting (rio Tua) são obrigatórias, limitadas: 12 lugares no canoraft (rio Sabor) / 30 lugares no rafting (rio Tua)


a destruição do Vale do Tua:

Blogs e Companhia com Maria de Fátima Ribeiro

Programa da TV Regiões apresentado por José Ferraz Alves 
sendo Maria de Fátima Ribeiro a convidada
from rtv on Vimeo.

Sampaio Bruno: um Portuense


Estive à pouco na Associação dos Jornalistas e Homens de Letras do Porto, numa sessão presidida pelo Prof. Arnaldo Pinho, da Universidade Católica. O Dr Pedro Baptista, apresentou o III Volume dos “Dispersos” de Sampaio Bruno, uma obra decisiva e definitória do pensamento político republicano portuense que levou à proclamação da República em Portugal, pela primeira vez, no Porto, em 31 de Janeiro de 1891. O volume, edição da Imprensa Nacional – Casa da Moeda e do Centro Regional do Porto da Universidade Católica, que versa o pensamento político do filósofo de 1885 a 1991, em documentos desconhecidos desde há mais de um século. Parafraseando o meu amigo Pedro Baptista, tratou-se de um acontecimento de grande importância intelectual para o Porto, para o Norte e para o país, para um pouco de reflexão sobre um passado tão actual que leva necessariamente à reflexão sobre o futuro. Foi excelente! O Norte, o Porto, estão a precisar de Homens como estes!

Quem foi Sampaio Bruno?
José Pereira de Sampaio (30 de Novembro de 1857 - 6 de Novembro de 1915), de pseudónimo Bruno (do nome de Giordano Bruno) e Sampaio Bruno para a posteridade, foi um escritor, ensaísta e filósofo portuense e figura cimeira do pensamento português do seu tempo.
Seu pai era maçom e proprietário duma padaria na Rua do Bonjardim, no Porto, que o filho viria a herdar. O racionalismo deísta e as ideias liberais foram as influências dominantes na formação do seu pensamento. Combatente pelo ideário republicano, Sampaio Bruno integraria o Directório do Partido Republicano Português - PRP. Fundou vários semanários portuenses (O Democrata, O Norte Republicano) bem como o diário A Discussão. Com Antero de Quental e Basílio Teles elaborou os estatutos da Liga Patriótica do Norte, no seguimento do ultimato britânico de 1890. Participou na malograda Revolta republicana de 31 de Janeiro de 1891, de cujo Manifesto foi redactor, exilando-se depois em Paris com João Chagas. Em França sofreu a influência de uma série de personalidades, como o futuro pioneiro da aviação Santos Dumont, os socialistas Benoît Malon e Jules Guesde, os poetas Paul Verlaine e António Nobre. A depressão que o afectou no exílio parisiense pode ter contribuído para encaminhar a sua pesquisa no sentido do misticismo e do esoterismo, mergulhando na literatura gnóstica de inspiração judaica, na cabala e na ideologia maçónica.
Regressando a Portugal em 1893, publicou então as Notas do Exílio. Em 1898 publicou O Brasil Mental, em que desenvolveu a sua crítica ao positivismo comteano iniciada vinte anos antes. Nessa obra afirmava a dado passo: «Carece-se de uma filosofia mais inexacta e menos terrestre». Em 1902, ano em que também publicou A Ideia de Deus, teve uma grave desavença com Afonso Costa, abandonando então definitivamente a militância no PRP, mas continuando como publicista ligado a um republicanismo independente e crítico, que pretendia aprender com os erros da República brasileira. Em 1909 foi nomeado director da Biblioteca Pública Municipal do Porto, cargo que manteve após a Proclamação da República(Revolução de 5 de Outubro de 1910), até à sua morte precoce em 1915, no seguimento duma intervenção cirúrgica tardia a uma hidrocele.
O seu pensamento filosófico, de crescentes contornos místicos e esotéricos (revelados nomeadamente na obra O Encoberto, de 1904) e em afastamento progressivo do racionalismo da juventude, conservaria porém sempre os traços deístas, anticlericais e progressistas que recebeu da forte componente voltaireana na sua formação. O pensamento de Sampaio Bruno influenciaria profundamente Fernando Pessoa, que ainda chegou a corresponder-se com o intelectual portuense, enviando-lhe em 1915 o primeiro número do Orfeu, pedindo-lhe uma opinião.
[in Wikipédia]