Kosta de Alhabaite

Nortenho, do Condado Portucalense

Se em 1628 os Portuenses foram os primeiros a revoltar-se contra o domínio dos Filipes, está na hora de nos levantarmos de novo, agora contra a colonização lisboeta!

PDA: Porque queremos encontrar o Norte do nosso destino

Devolver o brilho à Torre dos Clérigos

A Igreja Católica anunciou hoje que quer mobilizar o Porto para um projecto que "devolva o brilho" à torre dos Clérigos e igreja anexa até à altura de festejos dos 250 anos desse ex-líbris da cidade, em 2013.

O presidente da Irmandade dos Clérigos, padre Américo Aguiar, reconheceu que a torre e igreja anexa precisam de obras de reabilitação e disse que pretende realizar os trabalhos seguindo a estratégia adoptada durante a visita de Bento XVI ao Porto, que permitiu montar toda a estrutura praticamente só com apoios autárquicos, empresariais e da sociedade civil.


"Vamos fazer reviver aquilo que fizemos na visita do papa: máximo empenho, custo zero. Haveremos de conseguir que a cidade se envolva, se empenhe, com voluntariado, com mecenato, para devolver brilho à nossa velhinha torre dos Clérigos", afirmou o sacerdote católico.


Mais do que a torre, a igreja precisa de restauro e, para o fazer - disse Américo Aguiar - é necessário "envolver a cidade, a Câmara do Porto, a Direção Regional da Cultura, Santa Casa da Misericórdia do Porto, as universidades, os vários agentes culturais da cidade".

Trata-se, no fundo, de recuperar o espírito de Nicolau Nasoni, o arquitecto que desenhou a igreja e a torre sem nada cobrar, assinalou.

A igreja ficou concluída em 1749, e a torre ficou pronta em 1763.

O projecto inicial de Nasoni previa a construção de duas torres, e não apenas de uma.

A chamada chicotada ... "pachecológica"

Cartoon de Henrique Monteiro
(27-5-2011)

Nota: até que enfim alguém (Passos Coelho) tirou o tapete a esta trampa...

O feitiço virou-se contra o feiticeiro


Só espero que também publiquem as escutas no Youtube...

A alternativa dos encornados a Roberto

A (contínua) fraude dos comícios socialistas

Depois de usar indianos, paquistaneses, moçambicanos e chineses “pagos” para encher comícios (ver o vídeo), o PS passou a usar… lisboetas. Passando no pavilhão do OAF (Académica) na Solum em Coimbra, onde decorreu o comício do PS, foi possível observar um rodopio de autocarros (vídeo1vídeo2) de pessoas com bandeiras do PS. Questionados relativamente à sua origem responderam: Lisboa. Obseravam-se 6 a 8 autocarros naquele momento.

Nas televisões, onde se falava de um “mar de gente”, o fundo negro por trás das bancadas podia ter sido alvo da curiosidade dos jornalistas. Afinal, o que se escondia por detrás daquelas cortinas? A resposta seria um espanto: mais bancadas, como se pode ver no vídeo abaixo. 


Um jornalista decente questionar-se-ia. Se se marca um comício para um pavilhão que dispõe de bancadas, para quê ter o trabalho de montar e depois desmontar outras bancadas (e cortinas, etc) transportadas em grandes camiões? O contribuinte português tem mesmo de andar a pagar subsídios aos partidos para montarem estas campanhas megalómanas que desperdiçam carradas de dinheiro, só para não parecer demasiado mal na TV a incapacidade de um grande partido encher um pavilhão desportivo de média dimensão?

Estes socialistas são mesmos falsos.
(também na abaheisenberg)

Dedicado aos seguidores do "Kosta de Alhabaite"


É proibido ser feliz?
por Edson Athayde, Publicado no 'I' em 28 de Maio de 2011


Os nove versos acima podem não mudar o mundo mas estão mudando o dia de muita gente em Portugal e no Brasil. Explico: uma banda formada por quase duas dezenas de jovens, de Curitiba, fez um vídeo para ilustrar uma canção chamada "Oração". A melodia é simples. Eles tocam-na com brinquedos, guitarras acústicas e percussão. Durante seis repetitivos minutos. Não são virtuosos como instrumentistas mas são virtuosos em trazer raios de luz ao sombrio mundo em que vivemos.

Em poucos dias, A Banda mais Bonita da Cidade, o nome do grupo, tornou o seu vídeo num viral incontornável nas redes sociais. Milhões de views no YouTube, presença constante no Facebook de quem vive ao sul e ao norte do Equador e partilha da mesma língua portuguesa. Já é cantado em casamentos e aniversários. O "Corriere della Sera" informa que "Oração" vai ser a música deste Verão em Itália. O site americano Viralvideochart afirma que foi o vídeo mais visto da internet, em todo o mundo, na última semana.

É impossível ver o "Oração" e ficar indiferente. Sou dos que "amaram" (sim, uso aqui um verbo bem maior do que "curtir"). Fico feliz em ver a felicidade dos outros. E deslumbro-me com fenómenos instantâneos, ingénuos, alimentados por pessoas de verdade.

Infelizmente, há quem odeie a doçura de "Oração". É um direito de cada um. Mas incomodo-me (também tenho esse direito) de perceber um ódio desmedido em direcção a um grupo de jovens que fazem apenas uma homenagem ao amor e à amizade. Dizem que eles são tontos. Talvez. E daí?

Parece que, nos tempos que correm, o sarcasmo é mais respeitado do que o carinho. Tripudiar dos outros está "in", fazer alguém sorrir está "out". Que pena.

Por mim, vou ver o vídeo de "Oração" vezes sem fim. Recomendo vivamente que faça o mesmo (pesquise no YouTube: "Oração" - A Banda mais Bonita da Cidade"). Sempre que estiver triste, solitário, longe de quem ama. Vamos lá, permita-se pensar que tem outra vez dezassete anos, idade em que os nossos neurónios ainda são meio bobos. Que bom. Depois eles crescem e ficam apenas zangados, sem graça, sem sonhos. Ou não.

Graças à Banda mais Bonita da Cidade descobri que ainda não é proibido ser feliz. Ou como diria o meu tio Olavo, citando Vinicius de Moraes: "É melhor ser alegre do que triste."

Ângulos ocultos

Factos e violações

«A Benfica Futebol SAD pediu ao Director Nacional da Polícia Judiciária para abrir "um rigoroso inquérito que permita apurar a origem, fundamentos e intenções das notícias" divulgadas, quinta-feira, sobre as diligências efectuadas na quarta-feira no Estádio da Luz. (...)
A missiva assinada pelo presidente Luís Filipe Vieira adianta: "Estes factos provocaram indignação legítima desta instituição, lesaram a sua imagem, conformam incompreensíveis violações ao dever de sigilo e, até, de verdade e rigor".» in jn.pt


Mas afinal, o problema é os factos que constam das notícias serem falsos, ou terem sido divulgados?
E melhor ainda é ver os actuais dirigentes do slb preocupados com formalismos como "violações ao dever de sigilo"? Olha logo quem...

36%



Ora portanto, as sondagens dizem-nos que o ps tem 36 por cento. Trinta e seis. Menos seis decimas do que teve em 2009. Ou seja, o governo corta nos apoios sociais, nos ordenados da função publica, leva o pais a bancarrota e mesmo assim só perde seis décimas? Décimas! 
No dia seis de junho ou há muito director técnico que tem de ser demitido ou as pessoas merecem mesmo o que aí vem.

Os gorilas do primeiro-sinistro

Reparem que enquanto Sócrates faz o seu "número" de convidar os jovens para jantar, os seus seguranças os acompanham à mesa:

... mas Sr. Sócrates, os seus actos não reflectem as suas palavras...


... ou os tiques do ditador

Socialismo à deriva

Um homem, voando num balão, dá conta de que está perdido. Avista um homem no chão, baixa o balão e aproxima-se:
- Pode ajudar-me? Fiquei de encontrar-me com um amigo às duas da tarde; já tenho um atraso de mais de meia hora
e não sei onde estou...
- Claro que sim! - responde o homem: O senhor está num balão, a uns 20 metros de altura, algures entre as
latitudes de 40 e 43 graus Norte e a longitude de 7 e 9 graus Oeste.
- É consultor, não é?
- Sou sim senhor! Como foi que adivinhou?
- Muito fácil: deu-me uma informação tecnicamente correcta, mas inútil na prática. Continuo perdido e vou
chegar tarde ao encontro porque não sei o que fazer com a sua informação...
- Ah! Então o senhor é socialista!
- Sou! Como descobriu?
- Muito fácil: O senhor não sabe onde está, nem para onde ir,
assumiu um compromisso que não pode cumprir
e está à espera que alguém lhe resolva o problema.
Com efeito, está exactamente na mesma situação em que estava antes de me encontrar.
Só que agora, por uma estranha razão, a culpa é minha!...

Eça de Queirós, em A Correspondência de Fradique Mendes

«Mas a náusea suprema, meu amigo, vem da politiquice e dos politiquetes. F. nutria pelos políticos todos os horrores, os mais injustificados: horror intelectual, julgando-os incultos, broncos, inaptos completamente para criar ou compreender ideias; horror mundano, pressupondo-os reles, de maneiras crassas, impróprias para se misturar a natureza do gosto; horror físico, imaginando que nunca se lavavam, raíssimamente mudavam de meias e que deles provinha esse cheiro morno e mole, que tanto surpreende e enoja em S. Bento aos que dele não têm o hábito profissional.

Havia nestas ferozes opiniões, certamente, laivos de perfeita verdade. Mas em geral, os juízos dde F. sobre a política ofereciam o cunho de um preconceito que dogamtiza - e não de uma observação que discrimina. Assim lho afirmava eu uma manhã no Bragança, mostrando que todas essas deficiências de espírito, de cultura, de maneiras, de gosto, de finura, tão acerbamente notadas por ele nos políticos - se explicam suficientemente pela precipitada democratização da nossa sociedade; pela rasteira vulgaridade da vida provincial; pelas influências abomináveis da Universidade; e ainda por íntimas razões que são, no fundo, honrosas para esses desgraçados políticos, votados por um lado vingador à destruição da nossa terra.

F. replicou simplesmente:
- Se um rato morto me disser - «eu cheiro mal por isto e por aquilo e sobretudo porque apodreci» - eu nem por isso deixo de o mandar varrer do meu quarto».

Para descontrair: Os Dragões e as celebrações católicas

Está proibida, de forma expressa, a presença de portistas em celebrações realizadas na igreja, nomeadamente na altura da comunhão...
O motivo é que de cada vez que o padre levanta a taça, os portistas, "mal" acostumados, começam a gritar :
Campeões! Campeões !
Nós somos campeões!


Obrigado Raquel

Para descontrair, uma das fases do século

"Quando uma mulher sofre em silêncio…

é porque está sem saldo no telemóvel."

Corrupção de Estado: o que o FMI não controla

Almerindo Marques vai ser presidente da Opway, uma construtora do Grupo Espírito Santo. Ocorreram várias coisas antes de lá chegar:

1. Almerindo Marques, presidente da Estradas de Portugal, renunciou ao cargo em Março de 2011.

2. Dois meses depois, o Tribunal de Contas audita uma renegociação de dívida entre as Estradas de Portugal e as concessionárias das SCUT:

A dívida do Estado às concessionárias passou de 178 milhões para mais de 10.000 milhões de euros;
A Ascendi (liderada pela Mota-Engil e pelo Grupo Espírito Santo) garantiu mais 5400 milhões de euros em rendas, que não dependem do número de carros em circulação;
A Euroscut (liderada pela Ferrovia) garantiu mais 1186 milhões de euros em rendas;
Em 2011, o Estado recebe 250 milhões de euros em portagens e paga 650 milhões de euros de euros em rendas, com um prejuízo de 400 milhões de euros (62% do valor das rendas, 160% do valor das portagens)

Pior:
O Governo não só nomeou as comissões de negociação, como criou condições para escapar ao controlo do Tribunal de Contas. Em 2006, a maioria socialista aprovou uma alteração aos poderes do tribunal que permite modificações a contratos antigos:

«Não estão sujeitos à fiscalização do Tribunal de Contas os contratos adicionais aos contratos visados», determina a Lei 48/2006, de 29 de Agosto.

3. Almerindo Marques nega que as Estradas de Portugal tenham concluído um negócio ruinoso.

4. A 23 de Maio o Jornal de Negócios noticia que Almerindo Marques vai ser o próximo presidente da Opway, a construtora do grupo BES.

O que diz o PSD? Nada. O que diz o CDS? Nada. Por isso o FMi também não sabe! Até porque a "imprensa" vendida ao Sócrates também nada diz! Nada! 
Já agora: reparem em quantas merdas enda o lisboeta grupo Espírito Santo metido!!! Uma história secreta de Portugal...

Nasceu no Porto...


Há poucos dias fez sessenta e nove anos que nasceu, no Porto, o Adriano Correia de Oliveira.  A sua voz expandia revolta e esperança.
A voz do Adriano é uma VOZ; as letras e poemas que cantava diziam coisas importantes - importantes naquele tempo, e importantes hoje também, neste tempo em que o governo socialista/colonialista de lisboa  nos quer transformar a todos em rodas da engrenagem sem direitos, nem voz nem liberdade.
Vão conhecer esse homem que era grande por fora e muito maior ainda por dentro, e que como todos os que são bons foi embora cedo demais. Procurem e oiçam os discos dele, as canções que gravou e que hoje o tornam presente.

A ridícula solução socialista para a saúde

Segundo o Partido Socialista de Lisboa, a solução para salvar o Estado Social é irmos menos vezes ao médico!
Ministra Ana Jorge
(à mesma hora que Sócrates atacava as propostas de Passos Coelho na área da saúde)

Já agora: Não houve polémica, não há buzz. Tiros no pé? Pois, o PS também os tem. Os média é que não ligam a esses tiros no pé socialista. Parece-me que o voto útil (do BE para o PS) também está activo nas redacções.

Jornal de Notícias ao serviço de primeiro-sinistro


Percebe-se a mudança. Este tipo de "frete" que o novo director "interino" do JN fez ao coveiro da nação, o primeiro-sinistro demissionário... Isto é JORNALIXO!

Sócrates e o PS são repugnantes!


O que acima é narrado e apresentado é demasiado vergonhoso. É uma forma miserável e demagógica da verdadeira face do socialismo do primeiro-sinistro Sócrates. Podemos perceber o desprezo efectivo pela sorte dos desfavorecidos. Esses só interessam aos socialista como figurantes manipuláveis. Assim o faz com os portugueses em geral, assim o faz com estrangeiros necessitados. Sócrates e o PS são repugnantes!
Em troca têm refeições grátis, usam-se os vulneráveis, os frágeis, os necessitados. Usam-se as pessoas desesperadas, que não se podem defender. Sócrates e o PS são repugnantes!
Esta acção ocorre nos comícios de um ser abjecto que todos os dias berra aos nossos ouvidos a lengalenga da defesa do "estado social" e bate com a mão no peito pelos "pobres" contra os "outros" que "defendem os ricos". Sócrates e o PS são repugnantes!

A FIFA o diz: FC Porto é mesmo o clube português com mais títulos


O departamento que gere as bases de dados da FIFA esclareceu à agência Lusa que a Taça Latina de futebol, que o Benfica conquistou em 1950, "não merece o reconhecimento oficial" do organismo.

O mesmo departamento explicou à Lusa que as leis do jogo em vigor na altura "não eram aplicadas nessa competição", pelo que a FIFA "nunca se referiu aos vencedores da Taça Latina em quaisquer das suas publicações".

Desta forma, a Taça Latina não deve figurar na lista de troféus internacionais oficiais conquistados pelo Benfica, pelo que o FC Porto passou mesmo a ser o clube português com mais títulos desde o último domingo, quando conquistou a 16.ª Taça de Portugal da sua história, somando um total de 69, contra 68 do Benfica.

Com o triunfo por 6-2 sobre o Vitória de Guimarães, o FC Porto somou o 69.º título, mais um do que o total do Benfica, que esta temporada só ganhou a Taça da Liga, enquanto os "dragões" conquistaram campeonato, Taça, Supertaça e Liga Europa.
O FC Porto pode dilatar a vantagem para o Benfica já no início da próxima época, pois terá logo no arranque da temporada dois troféus para disputar: a Supertaça de Portugal, novamente diante o Guimarães, e a Supertaça Europeia, contra FC Barcelona ou Manchester United, que disputam no sábado a final da Liga dos Campeões.
Este departamento da FIFA acrescentou que a Taça Intercontinental, ganha pelo FC Porto em 1987 e em 2004 (última edição) é reconhecida oficialmente pela FIFA "desde a sua criação", em 1960, mesmo quando passou a chamar-se Taça Toyota, a partir de 1980.
No entanto, só a partir de 2005, ano em que a FIFA começou a organizar o Mundial de Clubes, é que passou a ser consagrado pelo organismo o clube campeão do Mundo.
O FC Porto é identificado pela FIFA como vencedor da Taça Toyota, até 2004 disputada apenas entre o campeão europeu e o sul-americano.

Trabalhar prò boneco (*)

(*) Artigo de opinião publicado no JN

Os salários de miséria que os trabalhadores portugueses recebem não lhes permitem a vida digna que merecem, apenas garantem uma sobrevivência difícil. Mas, no entanto, as empresas gastam com o factor trabalho enormes recursos que nunca chegam aos destinatários, os seus colaboradores. Para onde vai o diferencial? Para um Estado sanguessuga, que prejudica empresários e trabalhadores e ainda coloca, de forma perversa, uns contra os outros.
Com o actual sistema contributivo e fiscal, um trabalhador que ganhe mil euros (bem mais do que o salário médio, que é inferior a 900 euros), custa à sua entidade patronal mais 23,75% de taxa social única, a que se vem juntar 1% de seguro, ou seja, perfazendo um total mensal de 1248 euros. Se nos lembrarmos ainda que o trabalhador recebe 14 meses e que trabalha apenas 11, tendo ainda de ser substituído no seu mês de férias, este valor deve ser ponderado e já vamos em 1702 euros mensais de encargos - isto para um salário bruto de mil euros. A estes custos, há ainda que juntar os que são relativos à medicina no trabalho, formação e outras regalias sociais.
E, no entanto, dos "seus" mil euros de salário, o trabalhador tem ainda de descontar 11% para a Segurança Social, para além duma taxa aproximada de 10% de IRS; ou seja, recebe líquido cerca de 790 euros. Afinal, e feitas as contas, o trabalhador recebe muito menos de metade do que a empresa gasta com ele em termos laborais. E este cenário é ainda mais grave para salários mais elevados.
Neste contexto, os patrões queixam-se de que pagam muito e os trabalhadores lamentam-se por receber pouco. E o problema é que ambos têm razão.
É claro que os impostos continuarão altos e igualmente baixos se manterão os salários, enquanto empresários e trabalhadores não perceberem que, em vez de se combaterem mutuamente, devem unir-se para derrotar o verdadeiro inimigo de todos: um Estado iníquo, que consome os recursos de produção e trabalho, espoliando todos quantos trabalham e os poucos que ainda empreendem.

Por favor parem de cantar esta treta

Este post foi copiado do excelente blogue PORTA 19.
Trago-o aqui porque estou inteiramente de acordo com o que foi escrito e apelo para que todos se mentalizem que este tipo de insulto já nos fica muito mal...

Por favor parem de cantar esta treta

Estou farto de ver qualquer directo das festas do FC Porto (continuem a ler, se pararem por aqui parece mal) e assistir ao espectáculo degradante de alguns adeptos do meu clube a gritarem cânticos anti-Benfica quando o Benfica não tem absolutamente nada a ver com o que se está a celebrar.
É uma atitude desprestigiante e devia desaparecer. Não consigo compreender o que é que leva as pessoas a festejar nas ruas como forma de júbilo por mais uma vitória do seu clube…e desatam ao insulto a outro clube. Ganhámos ao Braga na final da Europa League? Insulta-se o Benfica. Desfazemos o Guimarães na final da Taça? Insulta-se o Benfica. Acabamos de triunfar num campeonato épico, sem derrotas e apenas com seis pontos perdidos? Insulta-se o Benfica. Não percebo e continuarei a não perceber o porquê de dar mais valor ao enxovalho do adversário em vez de rejubilar na nossa própria vitória. Já me fartei de reclamar com muita gente que começa com essa treta no Dragão e só não o faço com mais veemência porque não gosto de ser paternalista e, em sequência, apanhar um bufardo nas trombas de qualquer anormal que, discordando da minha opinião, se lembre que um punho é mais fácil que boa retórica para ganhar uma discussão.
A única situação em que admito ouvir esse cântico (e junto-me, dependendo do estado de alma da altura) é em jogos contra o Benfica ou nos festejos depois de ganhar ao Benfica. Tirando isso, não contem comigo.

Jesus, o manipulador

5ª Vitória Europeia!!! 7ª Vitória Mundial!!! O Melhor Clube de Portugal!

(foto do voo de Falcao, que deu o golo da vitória, via Público)

É nossa!!! Somos Campeões da Liga Europa! Nós, o FCPorto!
Claro que o jogo não foi nada de especial. Culpa do Braga super-defensivo (esquema que o catapultou para a final) mas também de um FCPorto mais interessado na Taça do que propriamente no jogo bonito. Mas é uma conquista europeia! Ao contrário do que o jornalixo desportivo (e não só) diz, é a 5ª TAÇA EUROPEIA, pois a Supertaça Europeia, conquistada em 1987/1988 frente ao Ajax, em duas mãos, CONTA! Contanto ainda com duas Taças Intercontinentais, pudemos questionar quem é afinal o MAIOR DE PORTUGAL!? Contam ainda as Taças, não é? Ou será antes o nº de adeptos e o nº de apoios da imprensa, da justiça desportiva e de uma certa corte que ronda pela segunda circular?
Entretanto, a televisão do Estado, a RTP1 OMITIU A VITÓRIA DO FCPORTO! Não interrompeu a emissão, manteve as palermices habituais e remeteu a conquista para a RTPN. Bastardos sacanas!  Mas nós festejamos e reinamos! 


Obs 1: o IrishTimes também "acha" que são 5 títulos: "...allowing their more illustrious opponents to add a second Europa title to a trophy room that also includes two European Cups, a European Supercup and two world club titles."


Obs 2: extraordinárias algumas coisas que nos orgulham, uma durante o jogo, quando Helton diz ao árbitro que não sofreu falta (também é verdade que ia dar ao mesmo) e a saída de campo dos jogadores do Braga, passando por um respeitoso túnel formado pela equipa do Porto.  Ao contrário de uma equipinha lisboeta que na época passada se entretinha, quando as coisas lhe corriam bem, a humilhar e gozar os adversários, o FCPorto honra os seus oponentes. Bonito!  


Obs 3: queixam-se os centralistas que no final se viam bandeiras da Polónia, do Uruguai, do Brasil, do Chile, da Argentina, da Roménia, mas NENHUMA BANDEIRA PORTUGUESA!  Tenho pena, mas que diabo, "eles", os centralistas acham que este país merecia o nosso orgulho no símbolo republicano da carbonária? Depois de todo o esbulho, de todo o tratamento desigual, das mentiras tantas vezes proferidas, da inveja...

Há um Dragão que habita em mim!

Há um dragão que habita em mim

Ruge furioso como um furacão
Murmuro umas palavras em latim
Para deixar em paz o meu coração
Não! 
Não temo as emoções da vida
Mesmo que estas sejam perigosas
Sinto a minha missão cumprida
Observando duas flores radiosas.

Removo velhos medos que assaltam
A estrada do meu pensamento
Tudo é frágil nesta viagem
Que atravessa a ponte 
Por momentos

Ah! Essa Era já terminou?
Rejubilo como o nascer do dia
O raiar da aurora começou
Bem-vinda seja a harmonia! 




Maria Valadas

Ler mais: Luso-Poemas

Subitamente surgem as afinidades ... pelo Braga

Os "encornados" nortenhos, que bajulam o poder e renegam as suas raízes, "subitamente" lembraram-se das origens e do seu berço.
"Subitamente", ei-los a "beijarem" o emblema bracarense e a jurar amor eterno e apoio aos arsenalistas nesta final europeia que aqueles vão disputar contra o FCPorto.
Foi assim com o apoio cirúrgico de Laurentino Dias (podia tê-lo feito na meia-final com o benfica), chegou agora a vez do "piqueno" marques mendes.
É também por fulanos como estes, rosas, laranjas, vermelhos ou amarelos, que vão recebendo  votos dos Nortenhos e assim permitindo que a colonização lisboeta e o esbulho ao Norte vá continuando..
«Já que o meu clube não tem competência para chegar a uma final, aplico a máxima de que sou minhoto e por isso torço pelos minhotos». Foi desta forma desassombrada que Marques Mendes, benfiquista confesso, justificou o seu apoio ao SC Braga na final da Liga Europa com o FC Porto.

«Toda a gente sabe que sou benfiquista, mas já que o meu clube não tem competência para chegar a uma final, aplico a máxima de que sou minhoto e por nisso torço pelos minhotos. É um grande momento, é inédito uma final europeia entre equipas portuguesas. Na minha geração não voltará a acontecer», adivinhou Marques Mendes, em declarações prestadas aos jornalistas no aeroporto Francisco Sá Carneiro, no Porto.

Miguel Sousa Tavares: "...uma semana para a eternidade"

Retirado de outra excelência da blogosfera azul-e-branca:

Custos do centralismo?

Artigo dessa extraordinária referência da blogosfera azul-e-branca:


Alguém já percebeu, ou consegue explicar, porque razão a agência de viagens Abreu tinha dois programas absolutamente iguais, um com partida de Lisboa e outro do Porto, mas em que a viagem com partida do Porto era 44% (!) mais cara?

O centralismo é o principal factor de desigualdade entre portugueses e tem custos elevados (para quem não vive em Lisboa), mas é assim tão mais caro alugar um voo charter no Porto do que em Lisboa?

O que fazem pela Região os "habituais" deputados do Norte? NADA!

Protesto do PDA 
(onde estão incluídos os candidatos pelo PARTIDO DO NORTE) sobre falta de convite para reunião da CCDR-N

O Norte é o Nosso Partido (1)

Jornalixo lisboeta na véspera de uma inédita final europeia com 2 clubes Nortenhos

    
Na antecâmara de uma final europeia inédita, em que 2 equipas de Portugal vão disputar o troféu de Campeão da Liga Europa, o jornalixo desportivo lisboeta, a 24 horas do acontecimento dá à estampa as capas acima reflectidas. Depois de muitas outras demonstrações de mau perder, de anti-patriotismo e colagem às pretensões das equipas da 2ª circular , de apagões, túneis e reuniões fantasma onde se (tenta) cozinha(r) a hegemonia lisboeta sobre o FCPorto, estas coisas só deviam ter uma resposta a esta trampa sulista: proibição de entraram nas nossas Terras e a destruição total e absoluta desses pasquins sempre que forem entregues pelas distribuidoras.

FC Porto vence final frente ao... Benfica

GAFFE DA UEFA NO ECRÃ PRINCIPAL DO ESTÁDIO

Será o eleitor português uma besta?

Recordando uma escuta de Luís Filipe Vieira a escolher árbitros

Lutar pelo Norte: 10 medidas

     


    
    




PDA

Os elementos do Movimento Partido do Norte integrados, como  independentes, nas listas do Partido Democrático do Atlântico, concorrentes aos Círculos Eleitorais do Norte, preconizam como síntese das suas Linhas Programáticas:




10 medidas imediatas para Portugal 2011
 1 – Redução para metade do número de ministérios,secretarias de estado, direcções gerais, gabinetes, assessorias, institutos públicos, empresas municipais e regionais.


 2 – Redução de 230 para 180 do número de deputados que devem representar os eleitorados que os elegeram, não os directórios partidários. Criação de Regiões autónomas sem acréscimo de custos, com transferência dos actuais organismos regionalizados para a tutela das Regiões, com excepção da Defesa, Negócios Estrangeiros, Justiça e Administração Interna. Extinção imediata dos governos civis. Fusão da GNR e PSP.


 3 – Tecto máximo de salários em todo o sector público alargado igual ao do Presidente da República. Proibição de pareceres, estudos e consultorias privadas. Admissão por concurso público para todos os cargos dirigentes, sem excepções, acabando com nomeações politicas que não sejam de cargos do governo.


 4 – Reestruturação da Caixa Geral de Depósitos tornando-a um Banco de Fomento para a Indústria, Agricultura, Pescas e Turismo, com departamentos autónomos em todas as regiões. Deslocação das sedes operativas de Institutos, Tribunais Superiores e outros organismos pelas diversas regiões do país.


 5 – Privatização ou extinção da RTP 1 e redução em 80% dos subsídios públicos de forma a manter os serviços da RTP Internacional e RTP África.


 6 – Redução de 25% a 50% da Taxa Social Única e do IRC para as empresas industriais, agrícolas e de pescas que aumentem o número de empregados no país e a produção em cada ano, em proporção com o aumento de emprego e da produção atingida por cada uma. Proibição do aumento de impostos, especialmente os que incidam sobre as famílias de rendimento baixos e médios.


 7 – Alargamento do regime da ADSE a todos os beneficiários da Segurança Social, mantendo os custos por utente iguais ao do Serviço Nacional de Saúde. Substituição do“Rendimento Mínimo” por um Subsídio de Emprego Temporário, colocando esses cidadãos em trabalhos a tempo parcial junto de entidades públicas ou de solidariedade social e de empresas.


 8 – Implantação de um regime de criatividade, concentração, rigor e esforço nas escolas do ensino básico e secundário; redução da dimensãodas turmas. Responsabilização das direcções das escolas e dos professores pelos resultados obtidos, em cada contexto sócio-educacional, nas provas de aferição nacional.


 9 – Alargamento do número de escolas com contrato de associação, com acesso não discriminatório, de forma a dar mais liberdade de escolha no ensino básico e secundário, a custos idênticos ao das escolas públicas.


 10 – Tecto nas reformas em 3500 euros em máximo acumulado e devolução das contribuições em excesso em títulos do tesouro.


Porto, 10 de Maio de 2011
A Direcção de Campanha do PDA

FCPORTO: INVICTOS CAMPEÕES

INVICTOS CAMPEÕES
Obrigado


(Obs: Hoje, a Antena 1, rádio do estado, um tal Nuno Matos,  provavelmente com azia e um melão do tamanho da sua dor, a relatar os golos do FCPorto parecia que estava a comentar o falecimento de algum ente querido. )

Filme - Sem Identidade

Fui vê-lo ao Mar Shoping. Gostei.


Sinopse: O Dr. Martin Harris (Liam Neeson) acorda após um acidente de carro em Berlim e descobre que sua esposa (January Jones) não o reconhece e que outro homem (Aidan Quinn) assumiu sua identidade. Ignorado por autoridades incrédulas e caçado por assassinos misteriosos, vê-se sozinho, cansado e sempre em fuga. Auxiliado por uma aliada improvável (Diane Kruger), Martin mergulha de cabeça num mistério mortal que o vai obrigar a questionar a sua sanidade, a sua identidade e até onde ele está disposto a ir para descobrir a verdade.

Título Original: Unknown
Realizador: Jaume Collet-Serra
Actores: Bruno Ganz, Diane Kruger, Frank Langella, January Jones, Liam Neeson
Produção: Warner Bros.
Distribuidora: Columbia Tristar Warner
País: EUA
Ano: 2011
Género: Thriller
Classe Etária: M12
Duração (minutos): 110

Gostei muito!

A obra fala por ele...


O defensor do "estado social" decretou o fim do abono de família para agregados familiares que recebiam cerca de 700 euros por mês, o fim da comparticipação a 100% dos medicamentos dos idosos com pensões mais baixas, a perda de apoios à compra de material escolar e refeições dos filhos em famílias com mais de 275 euros de rendimento por cabeça, o corte das deduções fiscais nas despesas de saúde e educação para quem ganha mais de 605 euros mensais, a redução dos salários da função pública superiores a 1500 euros, o fim do prolongamento por seis meses do subsídio social de desemprego, o fim da redução em 3% das contribuições para a segurança social de micro e pequenas empresas com trabalhadores com mais de 45 anos... É obra!


Restaurante da Alzira, no Porto




Num destes dias fui almoçar ao  Restaurante da Alzira, situado na zona da Ribeira do Porto, onde outrora eram os armazéns de bacalhau, num espaço arquitectónico compreendido entre os séculos XVII e XIX que foi ampliado e restaurado segundo o projecto do arquitecto Miguel Guedes.
Serve comida tradicional tendo como especialidades o polvo, o bacalhau e o cabrito assados no forno.

Apresenta também uma boa variedade de saladas e menu vegetariano.
A dada altura pude observar algo que me deixou agradavelmente surpreendido : uma preocupação legítima e que é muito do meu agrado, ou seja uma petição sobre o (des)acordo ortográfico. Aqui ficam uns quantos elementos sobre o assunto. Poderá subscrever a ILC pela revogação da entrada em vigor do “acordo ortográfico” também naquele local.  

Obs.: Este post foi adaptado do Ilcao.cedilha, por informação obtida naquele restaurante

[O "cartão-de-visita" deste Restaurante é um recorte da página respectiva no site "escape", da aeiou. A autoria da foto é do proprietário do estabelecimento.]

folheto ILC com impresso

Versão em forma de folheto para fotocopiar (a preto e branco) e distribuir por familiares, amigos e simples conhecidos ou colegas de trabalho. Claro que este mesmo folheto (dobra pelo meio, com o logótipo à face) é o ideal para meter nas caixas de correio da vizinhança ou até para deixar uns quantos em lojas, balcões de atendimento, serviços, salas de espera, cafés, restaurantes, etc.

Sócrates: deixa o meu povo...

A propósito da recente brutal queda de granizo, relembro que no Egipto começou com outra por causa da teimosia do Faraó, mas pelo sim pelo não deixo um apelo ao estilo de Êxodo 9:1 - Sócrates: Deixa o meu povo!

A "sombra" de Portugal tem nome: Sócrates, o primeiro-sinistro

Adoptar, verbo transitivo

Num reclamo desses que a Câmara semeia pelos passeios da cidade, um banco do Estado anuncia proteção. Interrogo-me se alguma companhia de seguros nacional fará seguros de saúde por causa do aborto gráfico. — É que, morre-se do coração!
O aborto gráfico...
Os do aborto gráfico dizem lá na Base IV alínea b) que se eliminam as consoantes ditas mudas (por eles, que são surdos...); entre os exemplos dão o verbo adoptar. Ora esses do aborto gráfico são os mesmos que propunham haver até 1 de Janeiro de 1993 [A.O. (1990), art. 2º] um vocabulário ortográfico comum do português. Até hoje não há nenhum, comum. Adiante.
Quem são os do aborto gráfico? — Pois, os países da C.P.L.P. que firmaram o Acordo, pode parecer... — Mas não! Nem são sequer os três países que o ratificaram ao abrigo do 2º protocolo modificativo, a saber: o Brasil mais dois ínfimos arquipélagos atlânticos alçados por países na vertigem de Abril. 
Quem julgais então que se empenhou no tal vocabulário do português que havia de ser comum? Os ínfimos arquipélagos atlânticos?!... Pois bem, para bom entendedor... acabamos de identificar donde são os do aborto gráfico.
Atentai agora em duas coisas: 1) um vocabulário dum só país não pode ser comum, mas... 2) sendo oferecido ao presidente da República Portuguesa e aceito solenemente por ele, passa por valer para Portugal e não se fala mais nisso. Sigamos.
No vocabulário em questão, brasileiro, estranhamente existe o verbo adoptar, com pê, a par do verbo adotar, mutilado. Afiançam-me do Brasil que ninguém por lá diz (nem escreve) à-dò-ptar em vez de à-dò-tar, logo o verbo adoptar parece deslocado; aquele pê etimológico não se ensina no Brasil.
Em Portugal também ninguém diz â-dò-ptar, mas o pê etimológico tem valor diacrítico (escreve-se para marcar o timbre aberto da vogal que o precede e cuja dicção tende a fechar-se em |u| na fala portuguesa), logo, o pê de adoptar é tão sonoro quanto a vogal |ò|. Demonstra-se assim que não há letras mudas em português mas que se pode em vez disso chamar surdos aos ignorantões que o não entendam.
Capturar.jpgComo foi aquele verbo adoptar parar ao Vocabulário brasileiro não sei, mas faço uma ideia; foi de Portugal, tal como idioma. É conhecido que autores portugueses têm sido ultimamente publicados no Brasil fazendo questão de que se lhes não mexa na grafia: o Saramago e o Sousa Tavares são dois desses. Deduzo que das obras destes autores, o verbo tenha sido adicionado aos dicionários (adoptar foi registado no Aurélio com remissão para adotar) e daí tenha acabado por entar no Vocabulário brasileiro. Com inteligência, boa literatura e discreta perseverança já tínhamos o método para o Brasil tornar ao bom português sem desatarmos nós a pontapear a ortografia. Em vez disto, bestas a soldo que conspiram pelas lojas e cujos mandaretes campeiam pelo governo e pela imprensa optaram pela asneira primorosa. Como se não bastasse, da ardilosa inépcia da Academia malaquenha para conceber um Vocabulário português, chegamos a um competentíssimo copy/paste decalque do Vocabulário brasileiro que o I.L.T.E.C., a mando do governo, há-de ter pago às empresas de informática contratadas (por ajuste?) para alimentarem o Portal da Língua Portuguesa. É lá que aprendemos com toda a erudição: adoptar, com pê, existe em português, mas é brasileiro.




Se não quer adoptar o brasileiro pelo português assine para uma Proposta de Lei.