Kosta de Alhabaite

Nortenho, do Condado Portucalense

Se em 1628 os Portuenses foram os primeiros a revoltar-se contra o domínio dos Filipes, está na hora de nos levantarmos de novo, agora contra a colonização lisboeta!

NÃO-FUMADOR: Dia Mundial


Ao acaso, fui lendo o que se escreve por aí, em relação ao consumo do tabaco, e fico abismado perante a "cegueira" do fumador, quando, provadamente, toda a gente conhece os malefícios a que está sujeito. Vale a pena, neste dia que me é dedicado, consultar meia dúzia de informações sobre este assunto, que continua a ser ignorado, ainda, por muita gente...


"O hábito de fumar (tabagismo) - acto voluntário de inalar o fumo da queima do tabaco - independentemente da qualidade, quantidade ou frequência, é considerado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) a principal causa de morte evitável em todo o mundo. A OMS estima que um terço da população mundial adulta, isto é, 1 bilhão e 200 milhões de pessoas (entre as quais 200 milhões de mulheres), sejam fumadores."


"O TABAGISMO, isto é, o consumo excessivo de tabaco, é responsável por uma redução importante do tempo de vida. Num fumador de 10 cigarros por dia essa diminuição pode quantificar-se em 3 anos, para 20 cigarros em 6 anos e até 8 anos para o fumador de 2 maços diários. Além da sua acção sobre a esperança de vida, os seus danos sobre a saúde são inúmeros. O fumo do cigarro contém mais de 10 000 substâncias químicas que se podem agrupar em quatro tipos principais: substâncias irritantes, que perturbam o sistema de lim­peza da árvore respiratória; monóxido de carbono, que se fixa na hemoglobina (proteína contida nos glóbulos vermelhos) e aí toma o lugar do oxigénio; nicotina, que actua ao nível do sistema nervoso central e que é responsável pelo fenómeno de habituação, pela elevação da frequência cardíaca e da tensão arterial (favorecendo o depósito de gordura nas paredes arteriais); alcatrões e agentes cancerígenos (em particular o benzopireno)."

"Fumar é o hábito mais perigoso para a saúde da mulher no Europa. O tabaco é um dos fardos mais pesados para a saúde e bem-estar da mulher em todo o mundo. Actualmente, mata cerca de meio milhão de mulheres por ano, mas espera-se que este número aumente até ao ano 2020. Em alguns países, o cancro do pulmão já ultrapassou o cancro da mama como a principal causa de mortes por cancro entre as mulheres.

São especialmente as mulheres mais novas que fumam mais do que os homens. Desde 1970 que o número de fumadores diminuiu mais entre os homens do que entre as mulheres. O hábito de fumar está a espalhar-se por todo o mundo, especialmente entre as mulheres das classes sociais mais baixas, que deixam de fumar com menor frequência do que as outras mulheres. Encontrar formas para que as raparigas de classes baixas adoptem um estilo de vida sem tabaco é um grande desafio para os profissionais da educação e da saúde.

O cancro do pulmão está a aumentar ainda mais rapidamente entre as mulheres do que entre os homens na União Europeia. As campainhas de alarme estão já a tocar em alguns países onde o cancro de pulmão é actualmente mais comum em mulheres com menos de 45 anos de idade do que em homens da mesma faixa etária."

Roubaram-lhe o telemóvel?


Não devemos facilitar, como sabemos este pequeno aparelho é um objecto apetecível ao olhar alheio. Com este pequeno truque podemos não evitar que nos roubem o telemóvel, mas evitamos que quem o roubou o use. Simplesmente façam o seguinte:

No telemóvel marque *#06#

Os 15 dígitos apresentados correspondem ao IMEI, um número de série único de cada aparelho. Escreva esse código num lugar que se lembre depois, quando precisar de o encontrar. Caso tenha a infelicidade de ser uma vítima de roubo do seu telemóvel, pegue nesse código e ligue para o seu operador de serviço móvel e bloqueie esse telemóvel. Quando alguém tentar meter um outro cartão SIM no telefone e o ligar vai ficar surpreso pois aquele aparelho não conseguirá funcionar.

Microsoft quer comprar eBay?

A Microsoft poderá comprar o eBay como forma de competir com a crescente supremacia do Google na Internet, avançou o New York Post. Na semana passada o Google anunciou um acordo com a Dell para instalar o seu software nos computadores de escritório da empresa. De acordo com a notícia do jornal nova-iorquino, a companhia de Bill Gates tenciona pôr a funcionar o eBay com o seu portal MSN.

O jornal avança ainda que Bill Gates tem tentado chegar a acordo com a Yahoo! e o eBay, no sentido de expandir o seu motor de busca, mas a hipótese do Yahoo! parece estar descartada porque é uma empresa mais de conteúdos do que de tecnologia e não é o que o dono da Microsoft procura. Por isso, tudo indica que o eBay é o favorito para o negócio.

Fonte: Diário Digital

É para isto que temos deputados...

"Os partidos decidiram adaptar a agenda parlamentar de 21 de Junho ao horário do último jogo de Portugal na primeira fase do campeonato do mundo de futebol, contra o México, às 15h00, hora habitual de plenário."
PD

Se a AR decide assim é porque essa medida tem muita importância para o país. Se tem muita importância para o país, deve estender-se a todos.

A (ainda) nossa Galp e o preço do petróleo

"O preço do petróleo está a subir esta terça-feira nos mercados internacionais, preocupados com a renovação das tensões em torno do programa nuclear iraniano, que Teerão reafirmou não tencionar rever. A tendência de subida já levou a cotação da referência WTI, contratada na plataforma electrónica em Nova Iorque, a superar os 72 dólares/barril nos futuros do Nymex. "
Embora esse petróleo só cá chegue daqui a uns meses, apostamos que a GALP sexta-feira aumenta os preços.

(Má) Educação

"A ministra da Educação, Maria de Lurdes Rodrigues, responsabilizou segunda-feira os professores pelo insucesso escolar e a falta de qualificação dos alunos e criticou o funcionamento dos estabelecimentos de ensino. "No turno da manhã, funcionam as melhores, permitindo ainda que, à tarde, por exemplo, esses alunos tenham actividades de enriquecimento curriculares". "Não são orientados para os casos mais difíceis. Os melhores professores ficam com os melhores alunos e os docentes com pior estatuto na casa levam com as turmas mais difíceis".

DN

1/ A ministra aproveitou o Debate Nacional sobre Educação como tribuna para dar azo ao populismo, numa clara demonstração da sua incapacidade para defender o seu "programa".

2/ A ministra não quer discutir seriamente a actual situação do ensino nacional porque isso seria questionar a acção dos anteriores ministros.

3/ A ministra esquece-se que são os professores que recebem ano após ano alunos com problemas cada vez mais sérios relacionados com a ausência e destruturação das famílias.

4/ A ministra esquece-se do papel de substituos úteis que os professores exercem na escola, na família e na sociedade, colmatando faltas vitais.

5/ Este ataque com as "mãos nas ancas", do populismo mais boçal que se viu, revela que Portugal está enfermo e deixou de ter a noção dos principios e dos valores perenes.

"O Ministério da Educação apresentou propostas de alteração ao Estatuto da Carreira Docente, entre as quais se inclui a possibilidade de os pais ou encarregados de educação individualmente fazerem uma avaliação do trabalho dos professores que dão aulas aos seus filhos."

O pai que não sabe educar o filho fica encarregue de avaliar o professor. O país continua a ser governado por "marcianos" filósofos. Avaliar professores pelas taxas de aprovação só irá produzir maus professores que, em vez de ensinar e se preocuparem com aquilo que os seus alunos efectivamente sabem, irão produzir resultados com medo de verem a sua cabeça "rolar".

Com os alicerces mal preparados (educação descuidada) princípios morais e civilizacionais esquecidos ou simplesmente ignorados, desprezo pelo outrora caro e valioso, arvorando a bandeira de uma falaciosa liberdade, a governação pratica actualmente até à exaustão e neste domínio, uma verdadeira irresponsabilidade. E aos professores depara-se-lhes a ingrata e ciclópica tarefa de recuperar os anos vitais de uma educação ignorada e de impedir que o "cancro" mine mais, suba e irreversivelmente progrida na formação das próximas gerações.

Uma pergunta: como contribuintes podemos avaliar o funcionamento de governantes e políticos? Sim por favor, deixem-nos...

Datas com História: 30 de Maio de 1431

Em Ruão, França, Joana d'Arc é queimada aos 19 anos por bruxaria.

Joana d'Arc (em francês Jeanne d'Arc), nasceu em Domrémy, na região francesa do Barrois, em 6 de janeiro de 1412. Filha de camponeses, desde pequena distinguiu-se por sua índole piedosa e devota. Aos 13 anos, declarou que podia ouvir a voz de Deus, que a exortava a ser boa e a cumprir os deveres cristãos. A mesma voz ordenou-lhe depois que libertasse a cidade de Orléans do jugo inglês. Afirmou ainda ter visto o arcanjo são Miguel, além de santa Catarina e santa Margarida, cujas vozes ouvia.

Quando as lutas entre franceses e ingleses se aproximaram do Barrois, Joana d'Arc não retardou por mais tempo o cumprimento das ordens sobrenaturais. Partiu de sua aldeia e obteve de Robert de Baudricourt, capitão da guarnição de Vaucouleurs, uma escolta para guiá-la até Chinon, onde se achava o rei da França, Carlos VII, então escarnecido como "rei de Bourges" em alusão às reduzidas proporções de seus domínios. O país estava quase todo em mãos dos ingleses. Os borgonheses, seus aliados, com a cumplicidade de Isabel da Baviera, entregaram a nação ao domínio britânico, pelo Tratado de Troyes. Inspirada por extraordinário patriotismo, Joana comunicou ao rei a insólita missão que recebera de Deus. Nesse encontro, em março de 1428, assombrou a todos pela segurança com que se dirigiu ao rei, que lhe entregou o comando de um pequeno exército para socorrer Orléans, então sitiada pelos ingleses. No caminho, a atitude heróica da humilde camponesa atraiu adesões para as tropas que comandava.

Chegando a Orléans, Joana intimou o inimigo a render-se. O entusiasmo dos combatentes franceses, fortalecido pela estranha figura da aldeã-soldado, fez com que os ingleses levantassem o sítio da cidade. O feito glorioso de Joana d'Arc, pelo qual foi cognominada a Virgem de Orléans, aumentou seu prestígio, mesmo entre os soldados inimigos, e alimentou a crença em seu poder sobrenatural. A coragem da heroína realizou efetivamente o milagre de erguer o espírito abatido da França. Um sopro cívico perpassou pela nação. Joana d'Arc, porém, ambicionava nova missão: levar o rei Carlos VII para ser sagrado na catedral de Reims, como era tradição na realeza francesa, o que ocorreu em 17 de julho de 1429. Na tentativa que se seguiu da retomada de Paris, a heroína foi ferida, o que contribuiu para aumentar o patriotismo de seus conterrâneos.

No ataque que empreendeu a Compiègne, em maio de 1430, Joana foi aprisionada pelos borgonheses. Em lugar de executá-la sumariamente, como poderiam ter feito, preferiram planejar uma forma de privá-la da auréola de santa por meio da condenação por um tribunal espiritual. No jogo de interesses políticos que envolveu sua figura de heroína, Joana d'Arc não encontrou apoio por parte do rei. Em junho, o bispo Pierre Cauchon surgiu no acampamento de João de Luxemburgo, onde se encontrava a prisioneira, e conseguiu que ela fosse vendida aos ingleses. Ambicioso, desejando obter o bispado de Rouen, então vago, Cauchon faria tudo para agradar aos donos do poder. Sem direito a defensor, confinada numa prisão laica e guardada por carcereiros ingleses, Joana d'Arc foi submetida por Cauchon a um processo por heresia, mas enfrentou os juízes com grande serenidade, como revela o texto do processo.

Para transformar a pena de morte em prisão perpétua, assinou uma abjuração em que prometia, entre outras coisas, não mais vestir roupas masculinas, como forma de demonstrar sua subordinação à igreja. Dias depois, por vontade própria ou por imposição dos carcereiros ingleses, voltou a envergar roupas masculinas. Condenada à fogueira por heresia, foi supliciada publicamente na praça do Mercado Vermelho, em Rouen, em 30 de maio de 1431. Milhares de pessoas estavam na praça da cidade de Ruão para vê-la morrer. Viram a donzela de Orléans enfrentar a morte com grande coragem, olhando para o céu. Homens choravam ante essa visão terrível.

Um ou dois soldados ingleses tentaram rir. Mas um nobre inglês aterrorizado virou-se e gritou: "Estamos perdidos; queimamos uma santa". O insulto final da Inglaterra foi a recusa de enterrar suas cinzas, que foram jogadas no rio Sena. Seu sacrifício despertou novas energias no povo francês, que finalmente expulsou os ingleses de Calais. A obstinada mãe de Joana e o rei Carlos VII insistiram em que o caso fosse submetido ao papa, que ordenou um novo julgamento, aberto em Paris 24 anos depois da morte de Joana.

Em 1456, ela foi decretada inocente pelo papa Calisto III. Em 1909, foi beatificada pelo papa Pio X. Na Igreja Católica, a beatificação é o primeiro passo para a canonização. Em 1920, o papa Bento XV canonizou-a oficialmente. O dia de sua morte é celebrado em toda a França, fixada no Domingo seguinte ao dia 8 de maio, dia do aniversário da libertação de Orléans.

A Figura de Joana d'Arc ainda constitui um símbolo de luta pela liberdade, tendo inspirado muitas obras, como o poema de Christine de Pisan (Balada de Joana d'Arc, 1429), a trilogia dramática Joana d'Arc, de Charles Péguy (1897) e Joana na fogueira, oratório de P. Claudel, música de A. Honegger (1937). Sua história inspirou várias óperas filmes e peças teatrais muito importantes em todo o mundo.

Rock in Rio

Assim como o mundial de futebol da Alemanha (não) vai ser na Grécia, o Rock in Rio (de Janeiro) em Lisboa é uma autêntica aberração.... Por isso

Sida; porque existe

O faz de conta em Timor

A propósito da "macacada" que se vive em Timor, surgiu-me a ideia que o pedido de ajuda feito pelo governo timorense a Portugal, o único país que fez alguma coisa para lhes restaurar a dignidade e consequentemente a independência, foi um pedido do tipo "não fiquem melindrados pela preferência dada à Austrália".
O governo lisboeta fez de conta e assobiando para o ar lá vai retribuir enviando (ainda não enviou...) uma força GNR simbólica só para Dili, sabendo que a verdadeira ajuda está a ser dada pela Austrália. É o "politicamente correcto" faz de conta.

O "Iberismo" do ministro Lino

Tal como viver sob o jugo lisboeta, confesso que o iberismo me irrita solenemente:

Por isso, não posso deixar de referir o que o ministro Lino disse aos espanhóis: ser um adepto do IBERISMO.
O deputado Nuno de Melo lembrou ao 1º ministro do regime lisboeta, o que vem nos dicionários portugueses, sobre o significado da palavra.

iberismo - s. m., ideologia política dos partidários da união política de Portugal com a Espanha.

Bem me parecia que mandar as parturientes de Elvas para Badajoz é só um pequeno gesto a caminho do Iberismo...

Quem pressionou a libertação de Pedroso ?

Na história da Casa Pia e dos casos de pedofilia associados a nomes muito sonantes da sociedade lisboeta, surgem figuras cinzentas que passam pelo meio das pingas sem se molhar. O Senhor Pedroso é, no meu ponto de vista, uma delas: acredito mesmo que só o aparelho partidário do Partido da Rosa Socialista e o beneplácito daquele triste presidente da república impediu que fosse apanhado e julgado...
De repente, a propósito do «Envelope 9» surge a história dos telefonemas na libertação de Pedroso.

O advogado José Martins denuncia chamadas telefónicas da Presidência da República para um desembargador que «libertou» Pedroso. A "coisa" fica assim ? Está em segredo de Justiça ou em águas de bacalhau ? Quando vamos ouvir o que esse desembargador tem a dizer ? A quem interessa a libertação de Pedroso, que respondia por 23 acusações no processo de pedofilia, antes de ser estranhamente não-pronunciado?
Expliquem-me como se eu fosse muito, muito burro!

Antecedentes do Hino Nacional

Se a Bandeira Nacional é um símbolo visível, o Hino Nacional constitui a exteriorização musical que proclama e simboliza a nação. Só a partir do século XIX os povos da Europa criaram o uso de cantar os hinos, quando um movimento de opinião levou a que cada estado estabelecesse uma composição, com letra e música que fosse representativa e oficial. Até então os povos e os exércitos conheciam apenas os cantos e os toques guerreiros próprios de cada corpo e as canções relativas aos acontecimentos dignos de memória. Durante a monarquia, o ideário da Nação Portuguesa estava consubstanciado no poder do Rei. Não havia a noção de um hino nacional, e por isso as peças musicais com carácter público ou oficial identificavam-se com o monarca reinante.
Neste contexto, ainda em 1826, em Portugal era considerado como hino oficial o "Hymno Patriótico", da autoria de Marcos Portugal. Este hino inspirava-se na parte final da Cantata "La Speranza o sia l`Augurio Felice", composta e oferecida pelo autor ao Príncipe Regente D.João quando este estava retirado com a Corte no Brasil, e que foi representada no Teatro de S. Carlos em Lisboa, a 13 de Maio de 1809 para celebrar o seu aniversário natalício.
A poesia do "Hynmno Patriótico" teve diferentes versões face às circunstâncias e aos acontecimentos da época, tornando-se naturalmente generalizada e nacional pelo agrado da sua expressão marcial, que estimulava os ânimos aos portugueses, convidando-os à continuação de acções heróicas.
Com o regresso do Rei ao País, em 1821, o mesmo autor dedicou-lhe um poema que, sendo cantado com a musica do hino, rapidamente se divulgou e passou a ser entoado solenemente. Entretanto, na sequência da revolução de 1820, foi aprovada em 22 de Setembro de 1822 a primeira Constituição Liberal Portuguesa, que foi jurada por D. João VI, D. Pedro, então Príncipe Regente no Brasil, compôs o "Hymno Imperial e Constitucional", dedicado à Constituição.
Após a morte do Rei, e com a subida de D. Pedro IV ao trono, este outorgou aos portugueses uma carta Constitucional. O hino de sua autoria generalizou-se com a denominação oficial como "Hymno nacional", e por isso obrigatório em todas as solenidades públicas, a partir de Maio de 1834.
Com a música do "Hymno da Carta" compuseram-se variadas obras de natureza popular (modas) ou dedicadas a acontecimentos e personalidades de relevo, identificando-se em pleno com a vida política e social dos últimos setenta anos da monarquia em Portugal.
Nos finais do século XIX, "A Portuguesa", marcha vibrante e arrebatadora, de forte expressão patriótica, pela afirmação de independência que representa e pelo entusiasmo que desperta, torna-se, naturalmente e por mérito próprio, um consagrado símbolo nacional, na sua versão completa:

I
Heróis do mar, nobre povo,
Nação valente, imortal
Levantai hoje de novo
O esplendor de Portugal!
Entre as brumas da memória,
Ó Pátria, sente-se a voz
Dos teus egrégios avós
Que há-de guiar-te à vitória!

Às armas, às armas!
Sobre a terra sobre o mar,
Às armas, às armas!
Pela Pátria lutar Contra os canhões marchar, marchar!

II
Desfralda a invicta Bandeira,
À luz viva do teu céu!
Brade a Europa à terra inteira:
Portugal não pereceu
Beija o solo teu jucundo
O oceano, a rugir d`amor,
E o teu Braço vencedor
Deu mundos novos ao mundo!

Às armas, às armas!
Sobre a terra sobre o mar,
Às armas, às armas! Pela Pátria lutar Contra os canhões marchar, marchar!

III
Saudai o Sol que desponta
Sobre um ridente porvir;
Seja o eco de uma afronta
O sinal de ressurgir.
Raios dessa aurora forte
São como beijos de mãe,
Que nos guardam, nos sustêm,
Contra as injúrias da sorte.
Às armas, às armas!
Sobre aterra, sobre o mar,
Às armas, às armas! Pela Pátria lutar Contra os canhões marchar, marchar!

Porém, o Hino, que fora, concebido para unir os portugueses em redor de um sentimento comum, pelo facto de ter sido cantado pelos revolucionários de 31 de Janeiro de 1891, foi desconsiderado pelos monárquicos e proibida a sua execução em actos oficiais e solenes. Quando da implantação da República em 1910 "A Portuguesa" aflora espontaneamente de novo à voz popular, tendo sido tocada e cantada nas ruas de Lisboa.
A mesma Assembleia Constituinte de 19 de Junho de 1911, que aprovou a Bandeira Nacional, proclamou "A Portuguesa" como Hino Nacional.
Era assim oficializada a composição de Alfredo Keil e Henrique Lopes de Mendonça que, numa feliz e extraordinária aliança de música e poesia, respectivamente, conseguira interpretar em 1890, com elevado sucesso, o sentimento patriótico de revolta contra o ultimato que a Inglaterra, em termos arrogantes e humilhantes, impusera a Portugal.
Em 1956, constatando-se a existência de algumas variantes do Hino, não só na linha melódica, como até nas instrumentações, especialmente para banda, o Governo nomeou uma comissão encarregada de estudar a versão oficial de "A Portuguesa", a qual elaborou uma proposta que, aprovada em Conselho de Ministros em 16 de Julho de 1957, é a que actualmente está em vigor.

Ainda a Feira do Livro

O sempre surpreendente Google

O Google está sempre a surpreender-nos. Depois do mail e do Chat made in Google agora temos a oportunidade de pesquisar Trabalhos académicos e Blogues!!! Isto Para não falar no excelente Calendário online. E tudo isto gratuito (pelo menos para já…)!

Da Holanda, com amor

The Ribeira in Porto is the place to chillout, to see and been seen. It's one of the few places where there's always action going on. Seniors chatting with each other, young lovers making out, sexy and shirtless portuguese guys, you name it, they're there. The Ribeira is the place to be!

Só para (re)lembrar: Feira do Livro do Porto (*)


(*) onde se lê Rosa Mota, leia-se, Palácio de Cristal...

Gloriosos Mitos Urbanos



1- O USO CONTÍNUO DO ÁLCOOL PODE LEVAR AO USO DE DROGAS MAIS PESADAS? Não, o álcool é a mais pesada das drogas - uma garrafa de cerveja pesa cerca de 900 gramas.

2- A CERVEJA CAUSA DEPENDÊNCIA PSICOLÓGICA?
Não. 89,7% dos psicólogos e psicanalistas entrevistados afirmam que preferem whisky.

3- MULHERES GRÁVIDAS PODEM BEBER SEM RISCO?
Sim. Está provado que nas operações STOP os polícias nunca fazem o teste às grávidas...E mesmo que tenham de andar em linha recta, os guardas acham que ela está torta pelo peso da barriga.

4- CERVEJA PODE DIMINUIR OS REFLEXOS DOS MOTORISTAS?
Não. Uma experiência foi feita com mais de 500 motoristas: foi dada 1 caixa de cerveja para cada um, e, em seguida, colocaram um por um diante de um espelho. Em nenhum dos casos os reflexos foram alterados.

5- EXISTE ALGUMA RELAÇÃO ENTRE BEBIDA E ENVELHECIMENTO?
Sim. A bebida envelhece muito rápido. Para se ter uma ideia, uma cerveja aberta em cima da mesa, sem um acondicionamento especial, perde o seu sabor em aproximadamente quinze minutos.

6- A CERVEJA ATRAPALHA NO RENDIMENTO ESCOLAR?
Não, pelo contrário. Alguns donos de faculdade estão aumentando suas rendas com a venda de cerveja nas proximidades de bares universitários.

7- BEBIDA MATA?
Sim. Anos atrás, soube-se que um rapaz, ao passear pelas ruas, foi atingido por 1 caixa de cerveja que caiu de um camião, levando-o à morte instantânea.Além disso, casos de enfarte de miocárdio em idosos têm sido associados às propagandas de cervejas com modelos semi-despidas.

8- O QUE FAZ COM QUE A BEBIDA CHEGUE AOS ADOLESCENTES?
Inúmeras pesquisas vêm sendo feitas por laboratórios de renome, e todas têm o mesmo resultado, indicando que em primeiro lugar estaria o empregado de mesa.

9- A CERVEJA CAUSA DIMINUIÇÃO DA MEMÓRIA?
Que eu me lembre não!

Check List Matrimonial (*)

festa de casamento


Tenho um problema com as festas de casamento. Primeiro porque não percebo porque raio dois seres acham que o facto de terem decidido viver juntos «para o resto das suas vidas» constitui motivo de celebração, e depois por todos os rituais bacocos que envolvem a festa, e que fazem com que as festas de casamento se assemelhem às bolas de ténis: quem vê uma vê todas. E por isso mesmo, sempre que vou a um casamento é como se estivesse a ver pela enésima vez o mesmo filme, só mudando os locais de filmagem, e claro, as personagens.

Ao longo de anos como convidado de festas de casamento criei uma pequena check list virtual que uso para me entreter e passar o tempo em cada celebração matrimonial. Como o argumento é sempre igual de festa para festa, a check list é dolorosamente implacável a assinalar «os pontos altos» de cada uma.

Não pretendendo ser exaustivo (a minha lista é verdadeiramente longa e diversificada, ombreando com qualquer modelo de análise multivariada) vou partilhar convosco os items mais comuns:

Na Igreja


Para quem conseguiu escapar à gloriosa tarefa de ter que começar a festa a enfardar na casa de um dos noivos antes de o acompanhar no seu trajecto ao altar, a Igreja é o grande início da festa do casamento e apresenta per si um rico manancial de rituais:

- O Freakshow – continuo a achar esta parte a mais interessante porque em cada casamento há sempre uma bela molhada de seres esquisitos (amigos e familiares dos noivos) que nós nunca vimos antes e que dão um colorido peculiar à cerimónia, com os seus fatos a cheirar a naftalina (invariavelmente dois números acima ou abaixo da medida do seu utilizador); os sapatos encerados de modo a encandear toda a tripulação de um boeing que passe por ali perto; os vestidos mais inexplicáveis com decotes e minissaias generosas sustentadas por saltos agulha que dificultam o andar no chão empedrado da igreja. Na fase de freakshow os mamíferos presentes trocam olhares e cochichos, medindo-se timidamente uns aos outros, avaliando as suas respectivas figuras tristes.

- O Sermão e as Leituras – onde por breves momentos toda a gente parece ter o dom da leitura, recitando aqueles repetitivos «discursos de São Paulo aos etruscos», ouvindo-se aqui e ali um choro de criança a ser levada rapidamente para fora da igreja por um dos seus sádicos pais. Se tivermos sorte, o que é raro, o padre é breve e contido e poupa-nos meia hora de seca a falar da incerteza dos dias de hoje, da crise das instituíções e da própria família, e da escassez de crentes praticantes abaixo dos 65 anos.

- O Arroz – o discurso do padre ditará a violência com que se atirará o arroz aos noivos. Se o padre nos deu uma seca, o mais provável é que pelo menos um dos conjuges nunca consiga recuperar totalmente de uma perfuração da retina.

- O Cortejo Automóvel – já vi carrinhas funerárias deslocarem-se mais depressa que um cortejo automóvel num casamento, o que torna a chegada ao Copo D’Água um verdadeiro suplício, principalmente durante a época de Verão. De salientar aqui dois aspectos: os carros estão sempre imaculados e reluzentes; e um grupinho de labregos irá invariavelmente perder-se do cortejo chegando muito depois dos petit fours.

Vou omitir propositadamente a parte das fotografias e das filmagens, porque geralmente não têm grande interesse na altura (embora saibamos que vamos ter de levar com elas mais tarde, quando os noivos chegarem da Lua de Mel).

No Copo D’Água

É considerada a segunda parte do filme, e aquela que apresenta variantes mais ricas. Digamos que a verdadeira festa começa realmente aqui.

- Os Petit Fours – ao chegarmos ao local do Copo D’Água somos presenteados com petit fours e aperitivos vários. Começa assim a verdadeira maratona de bebida e comezaina, havendo alguns convivas que ficarão alegremente etilizados nesta fase em estágio para a verdadeira bebedeira que se desenrolará a seguir, em todo o seu esplendor. Nesta fase o nível de álcool faz com que os convivas comecem a socializar entre si, perdendo alguma inibição inicial.

- O Arremesso do Bouquet – um momento crítico para as encalhadas de serviço a qualquer casamento. Já quentinhas com os aperitivos, este ritual assume um carácter de «vida ou morte» para cada uma das participantes, podendo originar traumatismos graves dependendo do grau de desespero das intervenientes.

- A Refeição Principal – aparte da velocidade com que a comida e a bebida desaparecem nesta fase, pouco há salientar, tirando talvez o ritual do bater em uníssono com um talher no copo, na tentativa de que os noivos se beijem. Existem variantes deste ritual, muito mais interessantes aliás, onde os convivas exigem que o pai da noiva beije violentamente a mãe do noivo (a maior parte das vezes sem qualquer sucesso aparente).

- O Charuto – como fumador habitual de habanos divirto-me a observar os mamíferos do sexo masculino a fumar o tradicional charuto depois da refeição principal. É impressionante a figura urso que se pode fazer a fingir que se sabe fumar charuto. Gosto particularmente do free style de espetar um palito pelo charuto adentro de modo a segurá-lo na boca trincando apenas o palito. São uns artistas.

- O Bailarico – na minha modesta opinião, o ponto mais alto da festa matrimonial. Nesta altura eles e elas perderam a compostura, desapertaram as gravatas, subiram as mangas e as saias, baixaram os decotes e dançam (muitas vezes descalças) como se não houvesse amanhã, fazendo de quando em vez um pequeno comboio de bêbados que circula por entre as mesas do recinto. Valentes trambolhões são coisa normal nesta fase, havendo variantes mais excitantes que envolvem cenas de desenfreada pancadaria entre maridos ciumentos na defesa das suas etilizadas e ziguezagueantes esposas, apalpadas sem dó nem piedade por indivíduos que ultrapassaram, em muito, os limites legais de consumo de substâncias entorpecentes.

- O Cortar do Bolo – é normalmente arrastado até ao último minuto possível por se saber que, depois dele, mais de metade dos convivas baza alarvemente dali para fora. Eu incluído (antes de dar a segunda dentada naquela fatia gigantesca e sensaborona já estou ao volante do carro para me pirar).

- A Ceia e o Pós Ceia – confesso a minha total falta de experiência nesta fase. Mas segundo me dizem é aqui que se inicia o próximo casamento, dado que são normalmente os encalhados que resistem até à Ceia na tentativa de desencalharem de uma vez por todas. A bebedeira normalmente baixa-lhes a fasquia dos critérios o que lhes abre uma possibilidade, mesmo que remota, de encontrarem (no mesmo estado etilizado) a «pessoa do resto das suas vidas».

(copy+paste do Devagares)

Piadinha: Mitos Loiros


Uma loira telefona ao namorado:
- Está? Olha, eu comprei um puzzle, mas não o consigo fazer! Estou mesmo CONFUSA! As peças parecem todas iguais! Não sei...
- Espera, tem calma! O que é o desenho?
- É um galo vermelho...
- Eu já vou aí ter e fazemos isso juntos, tá bem?
E o rapaz lá vai.
Quando lá chega:
- Então, onde está o puzzle?
- Está aqui!
(Silêncio)
(Silêncio)
(O silêncio mantém-se)
(O silêncio quebra-se)
Ok.. Fazemos assim: metes os cornflakes todos na caixa outra vez e não falamos mais nisto, tá?

Curiosidades

I went out yesterday and captured this image. I know what looks like, but can you guess what this is?

nadega

(warning: this post contains profane language)

Read the rest of this entry »

Guiseppe Verdi - Messa de Requiem (*)


Depois da estreia de Aida, no dia 24 de Dezembro de 1871, houve um interregno superior a 15 anos até que Giuseppe Verdi (1813-190) estreasse outra ópera. Na verdade a seguinte, Otello, com libreto de Arrigo Boito (1842-1918) a partir da obra de William Shakespeare (1564-1616), teve a sua estreia no dia 5 de Fevereiro de 1887.

Em Maio de 1873 deu-se o falecimento do poeta e romancista italiano Alessandro Manzoni (1785-1873), por quem Verdi tinha uma particular admiração, desde que, em 1829, leu o romance I Promessi Sposi, que Manzoni escreveu entre 1821 e 1827 e que foi publicando ao ritmo de um volume por ano. Numa carta dirigida à sua amiga condessa Clara Maffei, Verdi escreveu a propósito da morte de Manzoni: "Agora está tudo terminado! E com ele termina a mais pura, sagrada e maior das nossas glórias". Verdi visitou o túmulo de Manzoni no dia 2 de Junho e, nesse mesmo dia, escreveu ao seu editor, Giulio Ricordi (1840-1912), informando-o da sua intenção de compôr um Requiem em memória do escritor.

Apesar de Verdi ter composto esta obra para ser tocada em salas de concerto, a estreia teve lugar numa igreja, a de S. Marcos, em Milão, no dia 22 de Maio de 1874, no primeiro aniversário da morte de Manzoni, e com o próprio Verdi a dirigir o coro e a orquestra. Esta Messa de Requiem foi, naturalmente, a mais significativa obra que Verdi escreveu no referido período de acalmia operática, entre 1871 e 1887.


CDs



Giuseppe Verdi
Messa da Requiem. Quattro pezzi sacri.
Elena Filipova (soprano), Gloria Scalchi (meio-soprano),
Cesar Hernández (tenor), Carlo Colombara (baixo)
Hungarian State Operas Choir
Hungarian State Orchestra
Pier Giorgio Morandi
Naxos 8.550944/45

Giuseppe Verdi
Messa da Requiem.
Angela Gheorghiu (soprano), Daniela Barcellona (meio-soprano),
Roberto Alagna (tenor), Julian Konstantinov (baixo)
Eric Ericson Chamber Choir
Swedish Radio Chorus
Berlin Philharmonic Orchestra
Claudio Abbado
EMI 5 57168-2

Giuseppe Verdi
Messa da Requiem.
Zinka Milanov (soprano), Kerstin Thorborg (meio-soprano),
Helge Rosvaenge (tenor), Nicola Moscona (baixo)
BBC Symphony Chorus
BBC Symphony Orchestra
Arturo Toscanini
Testament SBT21362


Internet

Giuseppe Verdi
Giuseppe Verdi: il sito ufficiale / Classical Music Pages / Wikipedia / Requiem / The Verdi Requiem

Alessandro Manzoni
Biografia / Vita e opere / Wikipedia
(*) copy+paste desse fabuloso Desnorte

O inimigo público da Cidade do Porto

Nunca ninguém fez tanto por Gaia



Para quem não é do Porto ou de Gaia e precise de mais luzes para entender a piada tentem perceber este génio da gestão autárquica. Eu, estúpido, estúpido, estúpido, não percebi...

Estatísticas

Quando o copo está a meio podemos vê-lo meio vazio ou meio cheio. Certo. E quando está com um terço? Ou um quarto? Será correcto dizer-se a respeito de um jarro que leva um litro “Ena Pai! Olhem que tem lá 2dl e meio!!!”

É que a respeito de certas estatísticas, alguns jornalistas gostam de fazer estes malabarismos. Hoje li em título que
«Um terço de estudantes concorda com praxes violentas». Fui ler e é verdade, segundo aquele inquérito. Mas talvez o título também pudesse ser ( e estava igualmente certo ) «Dois terços dos estudantes não concorda com as praxes violentas».

É pouco bom, que haja jovens que acham piada em vexar e “agredir” os seus colegas mais jovens, mas o certo é que na globalidade são a minoria. Porque realçar isso?!

Este inquérito (?) dá-nos outros elementos: 18% afirma que não lê livros (bizarro em estudantes universitários), mas quase 30% têm carro próprio.

Problema dos jovens?

Não, problema dos pais que lhos compraram!

Inocente

"O francês de origem marroquina Zacarias Moussaoui, o único acusado dos atentados de 11 de Setembro nos EUA, recentemente condenado a prisão perpétua, não teve nada a ver com os ataques lançados em 2001 contra as Torres Gémeas do World Trade Center, em Nova Iorque, e contra o Pentágono, em Washington. Quem o assegura é Osama bin Laden."

Bin Laden diz que nunca incluiu Zacarias Moussaoui no ataque com aviões às Torres Gémeas e ao Pentágono, até porque ele «ainda estava a aprender a voar». Talvez quisesse integrar os quadros da American Airlines. Claro que Bin Laden não ia mentir. Soltem o homem.

À Procura de Sana


Foi apresentado na Árvore o mais recente livro de Richard Zimler, «À procura de Sana» na sua tradução portuguesa.

Para quem não ainda conheça,
Richard Zimler, nascido nos Estados Unidos, em 1956, vive no Porto desde 1990, onde, para além de escrever e desenvolver múltiplas actividades na sua área de especialidade, ensina Jornalismo na Universidade do Porto.

Naturalizado português em 2002*, Richard Zimler tem vindo a escrever excelentes obras que, uma após outra, se vão tornando “best sellers” num variado número de países, mas, muito mais do que isso, são um prazer para quem, como eu, aprecia a leitura de fino corte.

Fica o convite à leitura deste e ainda de “O último cabalista de Lisboa”, talvez o seu livro mais famoso, das “Trevas da Luz “, “Meia-Noite ou o Princípio do Mundo” e “Goa ou o Guardião da Aurora”.

* Apesar de não ser futebolista...

Learning Now

Um interessante post no learning.now: What Exactly is a Blog, Anyway?

Microsoft lança beta do Office 2007

Os interessados podem obter informação sobre o novo Office neste site:

2007 Microsoft Office system preview site.

Super-Portátil

E eis que chega ao mercado português o o novo Qosmio F30, portátil da Toshiba. Vem equipado com a plataforma Intel Centrino Duo Mobile e tecnologia Dolby Home Theater, processador gráfico NVIDIA GeForce Go 7600 com tecnologia Turbo Cache, ecrã Toshiba TruBrite Ultra Bright de 15,4’’, colunas Harman Kardon, conectividade LAN 802.11 a/b/g wireless, quatro portas USB, PC Card e canal SPDIF 5.1 de output digital. Vai estar à venda em Portugal a partir de Junho e vai custar, vejam lá a pechincha, 2299 euros. Vou oferecer um ao meu jardineiro...



Características Processador Intel Core T2400 (1.73GHz, 667MHz FSB, 2MB de cache 2), Intel PRO Wireless Network Connection 802.11 a/b/g (13ch), Intel 945PM Express Chipset, Microsoft Windows ® Media Center Edição 2005 (PT), Microsoft Windows Media Center Edition e controlo remoto QosmioPlayer e receptor IR, 1GB de memória DDR2 533MHz (expansível até 4GB), dois discos rígidos em modo RAID 0 ou 1 (80+80GB Serial ATA), Ecrã Toshiba TruBrite Ultra Bright 15.4” WXGA, resolução 1280 x 800 (490 cd/m²) , Processador gráfico NVIDIA GeForce Go 7600 PCI Express com 256MB, Colunas estéreo Harman Kardon com tecnologia Bass reflection, Dolby Home Theater com Dolby Virtual speaker e auscultadores Dolby incl. tecnologias Dolby Pro Logic, DVD Super Multi Drive (double layer), TV-Tuner híbrido digital e analógico com MPEG2 hardware encoder, Portal i.Link (IEEE 1394) integrado, portal de consumo de infravermelhos, Modem V2.0 (V.92 ready) integrado e portal Ethernet 10/100, 4 x USB, 1 x PCMCIA (Type II), TV-out, SPDIF 5-1, Video-in/out, Adaptador Bridge Media 6-in-1 para SD Card, Memory Stick, Memory Stick Pro e x-D Picture Card.

Entre o Céu e a Terra

Este trabalho é de Charito Gil, tem como título “Weiblich” (Feminino). A fotografia original sobre a qual Charito trabalhou é esta

Gato Fedorento: os vídeos


rap dos matarruanos gatos fedorentos

Notem que os ficheiros em stream têm melhor qualidade do que as respectivas versões para download (teoricamente, os ficheiros stream não se podem descarregar ou guardar no disco…) As versões dos videos que se encontram no YouTube - as duas que vi antes de descobrir este arquivo, têm muito má qualidade de imagem (devido à compressão para flash a partir dos ficheiros com menor qualidade).


*Corrigido, o WP não aceita linques “mms://”.

Dicionários online

Factos Históricos: Revolução Francesa (*)


"Estou inocente do que me acusam; que o meu sangue possa cimentar a felicidade dos Franceses". Terão sido estas as últimas palavras de Luís XVI (1754-1793) antes de ser executado, no dia 21 de Janeiro de 1793, após o julgamento que o provou "culpado de conspiração contra a liberdade pública e a segurança do Estado". A catastrófica situação financeira do Estado Francês, a braços com uma dívida descomunal, tinha forçado o rei à convocação dos Estados Gerais, que tiveram o seu início em Versalhes, em Maio de 1789. Seria também o início da Revolução Francesa, simbolicamente marcado pela tomada da Bastilha, no dia 14 de Julho do mesmo ano, e que determinaria o fim da monarquia em França.

A revolução ditaria também o fim do feudalismo e a perda de poder da Igreja Católica, deixando ainda como uma das suas mais importantes heranças uma Declaração dos Direitos do Homem. Ficaria, contudo, irremediavelmente marcada pela imagem da guilhotina, generosa e frequentemente utilizada naqueles tempos. Em
Maria Antonieta (1755-1793), por exemplo, mulher de Luís XVI, e que não lhe sobreviveu por muito, guilhotinada no dia 16 de Outubro de 1793.

Antoine Lavoisier (1743-1794), o fundador da química moderna, foi outra das suas vítimas, com a cabeça a ser separada do resto do corpo no dia 8 de Maio de 1794, passam hoje 212 anos. A Lavoisier devem-se, nomeadamente, os estudos sobre a combustão e a oxidação, e o Traité Élementaire de Chimie, publicado em 1789. Foi ainda de sua autoria a lei da conservação da massa, que refere que, "nos fenómenos químicos, a massa total dos corpos reagentes permanece constante". Lei que, na sua versão popular, mais romantizada, diz que "na natureza nada se perde, nada se ganha, tudo se transforma".

Lavoisier colaborou estreitamente com as autoridades do período pré-revolucionário, tendo sido, por exemplo, secretário e tesoureiro da comissão que implementou em França a uniformização dos pesos e medidas, e membro das comissões estaduais de agricultura entre 1785 e 1790. Foi também cobrador de impostos, e a fúria persecutória dos revolucionários era incapaz de perdoar tais traições: foi julgado, condenado e executado no mesmo dia. A rapidez da justiça no seu melhor...


Internet

Revolução Francesa
Liberty, Equality, Fraternity: Exploring the French Revolution / La Révolution Française: 1789-1799 / Wikipedia

Antoine Lavoisier
Biografia / Antoine-Laurent Lavoisier / Wikipedia
(*) copy+paste do fabuloso Desnorte

Lugares da História: Montemor-o-Velho (*)

(...) Em 1340, D. Constança, que havia casado 4 anos antes com D. Pedro (1320-1367), veio finalmente para Portugal. Entre as damas que a acompanharam contava-se Inês de Castro, por quem o filho do rei D. Afonso IV (1290-1357) se apaixonou perdidamente. D. Constança, filha de um fidalgo galego, viria a falecer pouco tempo depois de dar à luz D. Fernando (1345-1383), tendo D. Pedro e D. Inês de Castro aproveitado para finalmente juntar os trapos.



Da união nasceriam 4 rebentos, tendo-se instalado no reino o receio de que eles viessem a ser considerados os herdeiros de D. Pedro, em vez de D. Fernando, filho legítimo e natural herdeiro do trono de Portugal. D. Afonso IV, aconselhado, ou melhor, instigado por Pedro Coelho, Álvaro Gonçalves e Diogo Lopes Pacheco, aproveitou a primeira oportunidade para resolver o problema, mandando cortar a cabeça de Inês de Castro. A decisão terá sido tomada no Paço das Infantas do castelo de Montemor-o-Velho, tendo a execução tido lugar no dia 7 de Janeiro de 1355:

Traziam-na os horríficos algozes
Ante o Rei, já movido a piedade;
Mas o povo, com falsas e ferozes
Razões, à morte crua o persuade.
Ela, com tristes e piedosas vozes,
Saídas só da mágoa e saudade
Do seu Príncipe e filhos, que deixava
Que mais que a própria morte a magoava,

Camões, Os Lusíadas, Canto III, Estância 124



D. Afonso IV e D. Pedro I chegaram a travar-se de razões mas, em Agosto de 1355, lá se entenderam e fumaram o cachimbo da paz. O que, está bom de se ver, não impediu D. Pedro de ir atrás dos executores da sentença de Inês de Castro para lhes explicar o seu desgosto. Dos 3, apenas Diogo Lopes Pacheco sobreviveu, por ter dispensado as explicações e dado à sola rapidamente...

Os túmulos de D. Pedro I e de D. Inês de Castro encontram-se no Mosteiro de Alcobaça, local onde o rei os mandou construir em 1360.


Internet

D. Inês de Castro
Enciclopédia Universal Multimédia Online / Wikipédia / Inês de Castro

Montemor-o-Velho
Câmara Municipal de Montemor-o-Velho / Castelo / regiaocentro.net

(*)copy+paste do fabuloso Desnorte

Datas com História: 22 de Maio de 1813

Nasce Richard Wagner

Compositor e regente alemão (1813-1883). É considerado o principal representante da música romântica alemã e um dos mais importantes inovadores da ópera. Nasceu em Leipzig, no condado de Saxe em 1813. Sua mãe era uma mulher extraordinária, incomparável. Casada segunda vez, após a morte do primeiro marido, estabelece-se em Dresda com seus filhos. filho de um escriturário de polícia. Estuda composição enquanto cursa Filosofia e Estética na Universidade de Leipzig (1828). Em 1836, casa-se com a atriz Minna Planer e se muda com ela para Paris, onde vive três anos em relativa pobreza. Aos vinte e três anos de idade Richard Wagner obtém o posto de chefe de orquestra do Teatro de Riga, na Curlândia. É nas margens do Báltico, mar impregnado de lendas nórdicas e escandinavas, que ele inicia, sob a influência dos mestres da música italiana que interpreta e compõe sua primeira ópera Rienzi (1840) e, depois, O Navio Fantasma (1841). Nomeado diretor da ópera de Dresden em 1842, ocupa o cargo até 1849. Neste período, faz Tannhauser (1845) e Lohengrin (1847). Influenciado pelas idéias do socialista Proudhon, participa da Revolução de 1849 e é obrigado a fugir para Zurique, na Suíça. Escreve suas obras teóricas importantes – A Obra de Arte do Futuro (1850) e Ópera e Drama (1851) – e começa a compor a tetralogia O Anel dos Nibelungos (O Ouro do Reno) (1854), As Valquírias (1856), Siegfried (1869) e O Crepúsculo dos Deuses (1874)) e a ópera Tristão e Isolda (1859).

Nessas composições, desenvolve o uso do leitmotiv (tema principal, recorrente) e da orquestra, que contribui para a extraordinária tensão dramática de suas óperas centradas em temas saídas de lendas germânicas. Criador do drama musical, com letra e música intimamente fundidas, escreve ele mesmo os livretos de suas óperas. Passa a morar no Vale do Reno e quase é preso por causa de dívidas. Salvo, graças à ajuda do rei Ludwing II, da Baviera, muda-se para Munique. Mantém um romance com Cosima, filha do compositor Franz Lizt e mulher do regente Hans von Bullow. Após a morte de sua esposa, Minna, casa-se com Cosima em 1870. Financiado pelo rei, constrói na cidade de Bayreuth um teatro com acústica revolucionária, inaugurado em 1876 com a apresentação completa de O Anel dos Nibelungos.

Terrorists???

Incompreensão (*)

Não compreendo como é que alguém consegue gostar de um "espectáculo" que nos mostra imagens destas.

Não compreendo por que estranha razão alguns bons amigos de coração mole, conseguem transformar-se a ponto de aplaudir os homens que praticam estas crueldades.

Não compreendo como é que o suplício de um animal pode ser aclamado em uníssono por milhares de pessoas.

Não compreendo. Deve ser problema meu.


(*) via Blasfémias

As r(a)elações do estado laico...

Num debate na RTP-N, um indivíduo defendia a exclusão dos representantes da Igreja Católica do protocolo de Estado "porque Portugal é um estado laico no qual existem 60 confissões religiosas não cabendo lá todas"...

Por esta ordem de ideias, vamos aguardar pela extinção dos feriados religiosos católicos. Ou será que o tal indíviduo - funcionário público, laico e socialista - até aprecia umas pontes à custa dos santos da dita Igreja???

Petição

Eu apoio esta petição

de saloios já me chegam os mouros lisboetas!

Vergonha, muita vergonha: o novo projecto de Siza na Suécia

Se continuar o "grande" projecto da marginal de Leça da Palmeira, estamos feitos...

Comemorações

Terão lugar no próximo dia 24 de Maio as Cerimónias Comemorativas da Fundação da Sociedade Histórica da Independência de Portugal, com o seguinte programa que pode ser visto aqui.


Ocupação de Olivença - 205 Anos

No dia 20 de Maio de 2006, passaram 205 anos sobre a usurpação da Praça portuguesa de Olivença pelos exércitos de Godoy. Recordando a data e o seu significado, o GAO levou a efeito nesse dia, em Lisboa, um conjunto de iniciativas, a saber:
- 11:00 horas, Missa na Igreja de S. Domingos, em memória dos oliventinos e de todos portugueses que se destacaram na defesa da Causa de Olivença Portuguesa.
- 13:00 horas, Almoço num restaurante da baixa lisboeta.
- 16:00 horas, entrega de uma Carta na Embaixada de Espanha (no Consulado, Av.ª da Liberdade).
*

Kulinária

Arroz de Tamboril ...



Ingredientes:
Para 2 pessoas

500 grs de tamboril
250 grs de arroz
1 cebola
1 dente de alho
1 alho porro
1 pimento verde
coentros
tomate maduro
vinho branco
sal
piri-piri q.b.
azeite
gambas
amêijoas

Preparação:

Tempere o peixe com sal e pimenta q.b..
Estale o alho no azeite, juntando de seguida, a cebola, o alho porro picados,
O pimento cortado em dados pequenos.
Abra com o vinho branco.Adicione o tomate maduro, limpo de peles e sementes e
Deixe cozinhar um pouco.
Acrescente a àgua necessária, e junte o arroz quando esta começar a ferver.
Cinco minutos antes do arroz estar cozido, junte o tamboril e
Polvilhe com os coentros e rectifique os temperos.
Deve ser servido num tacho de barro ...
Enfeitado com gambas cozidas e amêijoas abertas ao natural!

Bom Apetite!

Datas com História: 20 de Maio de 1941

Ainda antes da captura final da Grécia, os estrategistas alemães estavam estudando o último objectivo da limitada campanha dos Balcãs: a estratégica ilha de Creta, a 96 km ao sul do continente grego. A 25 de abril Hitler assinou sua 28ª diretiva de guerra, que dizia:
" Como base para guerra aérea contra a Grã-Bretanha no Mediterrâneo Oriental, temos de nos preparar para ocupar a ilha de Creta (Operação Mercúcio)...O Comando desta operação é confiado ao Comandante-Chefe da Luftwaffe, que empregará para esse fim, primeiramente, as forças aerotransportadas e as forças aéreas estacionadas na área do Mediterrâneo..." Ao contrário do que ocorria com outras nações, as tropas aerotransportadas alemãs eram parte integrante da força aérea, e não do exército. Daí a responsabilidade da Luftwaffe pelo ataque à Creta.

Para a invasão aerotransportada (Operação Merkur), comandada pelo general Kurt Student (1890-1978), reuniu -se uma força de 493 transportes Ju 52s, mais uns 100 planadores de assalto DFS 230, nos aeródromos dos arredores de Atenas. A tarefa de prestar o apoio aéreo necessário coube ao Fliegerkorps VIII, do General Freiherr von Richthofen, que compreendia 650 aparelhos assim distribuídos:

Bombardeiros de nível (Ju 88 e He 111)..............280
Bombardeiros de mergulho (Ju 87)......................150
Caças monomotores (Bf 109).............................90
Caças bimotores (Bf 110)...................................90
Reconhecedores (Do 17 e Hs 126)......................40

Os alemães só precisaram de quatro dias para eliminar a fraca oposição aérea britânica e, por volta de 18 de maio, a Luftwaffe controlava totalmente os céus de Creta. Agora os bombardeiros começavam as operações sistemáticas de "debilitação" das defesas terrestres. O assalto aerotransportado à Creta iniciu-se, de manhã bem cedo, no dia 20 de maio de 1941, precedido de uma hora de ataques aéreos intensos contra as defesas em torno das zonas de salto. A seguir vieram os transportes Ju 52s e as primeiras levas de pára-quedistas e planado-res desceram sobre Máleme, Canea, Rétimo e Heráklion. Em todos os casos, os desembarques foram sincroniza-dos com o fim dos bombardeios, para que as tropas ale-mãs pudessem aproveitar as recém-criadas crateras de bombas para proteção. Mas, a despeito de tudo isso, as tropas aerotransporta-das a princípio sofreram pesadas baixas e progrediram muito pouco. Só gradativamente, e com o apoio amplo das unidades aéreas disponíveis é que os alemães puderam arrancar as tropas britânicas, neozelandesas, australianas e gregas das suas posições.

Para os invasores, o momento decisivo ocorreu na tarde do dia 21, quando finalmente conseguiram tomar o aeródromo de Máleme. Muito embora a pista ainda estivesse sob fogo de artilharia, dezenas de Ju 52s aterrisaram com novas tropas e suprimentos muito necessários. Entrementes, o Fliegerkorps VIII impedira efetivamente que os defensores recebessem quantidades necessárias de suprimentos. As coisas pioraram para as forças Aliadas, e a 28 de maio a Marinha Real começou a evacuar os homens da ilha.

Durante a batalha terrestre pela tomada de Creta, a Mari-nha Britânica, desafiando a ameaça dos bombardeiros de mergulho, conseguiu repelir quase todas as tentativas ale mãs de desembarcar tropas na ilha pelo mar. Mas a for- ça de
von Richthofen reagiu violentamente e, nas bata-lhas aeronavais que se seguiram, afundou dois cruzado-res e quatro destróires e danificou um porta-aviões, três couraçados e um destroier. Agora a preocupação era im pedir a retirada dos britânicos e, ao custo de um cruza-dor e dois destróires afundados e de três destróires avari-ados, os navios britânicos retiraram 16.000 homens da ilha, antes que os restantes fossem obrigados a render-se, em 1º de junho.


As tropas aerotransportadas alemãs também sofreram sérias baixas. Dos 13.000 pára-quedistas empenhados cerca de 4.500 foram mortos ou considerados desaparecidos. No decorrer da ação, 272 dos aviões de trans-porte foram destruídos ou seriamente danificados - mais da metade da força .

Datas com História: 20 de Maio de 1799

Nasce Honoré de Balzac.

Balzac nasceu em Tours, Indre-et-Loire, França. Em 1849, com a saúde debilitada, viajou para a Polónia para visitar Eveline Hanska, uma rica dama polonesa com quem manteve correspondência por mais de 15 anos. Em 1850, três meses antes da morte de Balzac, eles casaram-se. Tendo se tornado um dos maiores nomes do realismo na literatura, suas obras no entando são cunhadas sobre a tradição literária do romantismo francês. Sua Comédia Humana (La Comédie Humaine), que reúne mais de 90 romances e contos, procura retratar a realidade da vida burguesa da França na sua época.

Os hábitos de trabalho de Balzac tornaram-se lendários - escrever cerca de 15 horas por dia, impulsionado por um sem-número de xícaras de
café. Com uma produção volumosa, é frequente que se apontem pequenas imperfeições em sua obra - o que, no entanto, não é suficiente para retirar de muitas delas o epíteto de obras-primas, como:

(1831) La peau de chagrin

(1833) Eugènie Grandet

(1835) Le père Goriot

(1837) Les illusions perdues (I, 1837; II, 1839; III, 1843)

(1846) La Cousine Bette

A prosa realista de Balzac e seu fôlego como um retratista quase enciclopédico de sua época sobrepujam eventuais características menos invejáveis de seu estilo e o posicionam como um bastião da
literatura francesa. Balzac foi sepultado no cemitério Père Lachaise, em Paris, e seu jazigo conta com uma estátua realizada por Auguste Rodin.

Wikipedia.

Lábios


Lábios dementes,
Lambedores,
Languidamente
Lambem dores,
Entredentes,
São beija-flores
De beijos indecentes
E de mil cores.

Beijo-te assim
Por onde fores,
Por dentro de mim
E dos amores,
Seguem os lábios,
Sonhadores,
Memórias forjadas
Nos alvores.

Sonhar

E relembro que para os homens hetero do continente e ilhas o melhor blogue português continua a ser o meu, um sítio que acumula provas da existência de Deus que nem Santo Anselmo conseguiu.

Ainda têm dúvidas?


Depois de uma proposta audaz da troika europeia, que, a meu ver, ia longe de mais, as dúvidas das finalidades iranianas com o enrequecimento de urânio dissipam-se. Todavia, nada como propor e esperar a resposta, que veio, em menos de 24 horas, e é excessivamente elucidativa.
Teerão assume uma posição irredutível. As sanções diplomáticas e económicas, que deverão ser adoptadas, não devem surtir grande mossa. Importa, por outro lado, saber como reagirão Moscovo e Pequim à nega dada pelo Irão à proposta europeia.
Quem pensa no Ocidente que a questão nuclear iraniana se trata de lidar "com uma criança de quatro anos a quem podem dar nozes e chocolates em troca de ouro" engane-se. Nunca foi.
O tempo não é de enterrar a cabeça na areia e esperar que a questão se dissipe. De duas uma, ou se trava ou cresce. E das duas a segunda é a mais perigosa para a segurança mundial.

Impostos levam 137 dias de trabalho (II)

Magritte
Já o havia referido, mas vale a pena voltar ao assunto.
O Correio da Manha trazia ontem em primeira página o título "Impostos levam 137 dias de trabalho".
Comete um erro por omissão, porque o título teria de ser "Impostos levam 137 dias de trabalho a quem os paga".
Se tivesse feito o título correcto ganhava pelo menos duas coisas:
1. Sensibilizaria todos os que fogem ao fisco para o facto de estarem a prejudicar os cumpridores;
2. Sensibilizaria todos os que pagam com 137 dias de trabalho as escolas, a saúde, as estradas, etc, dos "faltosos espertos" para o facto de os deixar de considerar espertos e passar a encará-los como ladrões.
É que, possivelmente, muitos dos que hoje ouvi ao almoço queixarem-se deste "roubo que o Estado faz" e se tinham deslocado para o restaurante em viaturas das empresas e pagaram o almoço com os cartões de crédito dessas mesmas empresas, estavam certamente a esquecer-se de declarar isso nos rendimentos e assim a terem menos uns dias de impostos que os 137.
Possivelmente, muitos desses que se estavam a lamuriar, alguns em voz alta para se fazerem ouvir, se pagassem os impostos que lhe são devidos eu, que estava calado, não teria de dar tantos dias do meu trabalho para lhes pagar o almoço.

Google News Cloud

Uma outra maneira de passar os olhos pelas notícias: Google News Cloud.

Weblogs: Tabela de comparação de ferramentas

Os interessados em lançar um weblog pessoal têm desde ontem um interessante artigo à disposição na Online Journalism Review: uma comparação de ferramentas para criação de blogs.

Cova da Moura

Patrulhamento eficaz melhora qualidade de vida da população e "come" a criminalidade.