Kosta de Alhabaite

Nortenho, do Condado Portucalense

Se em 1628 os Portuenses foram os primeiros a revoltar-se contra o domínio dos Filipes, está na hora de nos levantarmos de novo, agora contra a colonização lisboeta!

Pior não pode ficar!

PAULO FONSECA:   
RRRRRR UUUUUU AAAAAA

Noutras alturas pensaria que podíamos dar a volta: com este treinador tenho a certeza que vai ser sempre a afundar.

1º Dezembro: o fim do poder do FCPorto

Depois das vitórias morais, reinventadas pelo Sr Fonseca, chegaram as derrotas reais, mérito da má condução do Se Fonseca... O bom estilo dos anos 60 e 70 está de volta...

Momento Musical

O centralismo e colonialismo lisboeta (II)

- (...)  por que razão não existe um ministério, uma secretaria de estado, uma direcção geral, um instituto ou empresa pública, fundação, observatório, etc., cuja sede não esteja em Lisboa?! Este universo de serviços públicos é a âncora da capital megalómana que temos. Seria muito interessante conhecer a distribuição das largas dezenas de milhar de milhões de euros de despesa que o Estado tem com o seu pessoal, mas por distrito…

Jornalismo Assim

O centralismo e colonialismo lisboeta (I)

As poucas estruturas regionais existentes, que já antes tinham poderes reduzidíssimos, foram relegadas para a completa irrelevância.  (---) As CCDRs, completamente desconsideradas, deixaram de ser tidas ou achadas para o que quer que fosse, chegando-se ao cúmulo de nomear as suas administrações (que deveriam, logicamente, ser eleitas pela população) através de estranhos "concursos públicos". Os fundos comunitários, que em praticamente todo o território da União Europeia são geridos por regiões eleitas, em Portugal já nem sequer o são por estruturas regionais não eleitas.

João P. Marques Ribeiro

Isto aguenta-se?

Em memória dos slows das festas de garagem

Minhas Músicas de Sempre

Obrigado Lívia...

Best moments from this years Macau GP

Ó pá, aqueles sacanas mataram o Brian!!! Farewell old friend!

A morte de Brian: Family Guy continua sem o cão intelectual dos Griffin


O Brian morreu. O cão falante da série de animação Family Guy apareceu pela última vez com vida no episódio que neste domingo passou na Fox norte-americana. Foi atropelado, violentamente, quando se preparava para jogar hóquei na estrada com o companheiro de muitas aventuras, Stewie, à frente da casa dos Griffin, em Quahog. Stewie saiu ileso.
Brian era uma das personagens principais da série criada por Seth McFarlane, popular pelo humor negro, que está no ar desde 1999 e vai na 12.ª temporada. Em Portugal, Family Guy pode ser vista no cabo, na Fox, e chegou a passar em sinal aberto — na RTP2. O próprio McFarlane dava voz a Brian (e continua a dar a Peter, Stewie, Quagmire, Tucker e Pewterschmidt).
“Deram-me uma vida maravilhosa. Amo-vos a todos.” Estas foram as últimas palavras de Brian, o cão que se comportava como um homem — um homem educado, ponderado e apaixonado (inclusive por Lois, a mãe da família Griffin), mas complexo, azedo, por vezes desequilibrado e cúmplice das mais torcidas brincadeiras de Stewie, o bebé psicopata.
Os Griffin estavam junto dele, a chorar uma perda que apanhou os fãs completamente de surpresa. Numa entrevista ao E!, o produtor executivo Steve Callaghan disse que a ideia surgiu na “sala dos argumentistas” e que “pegou fogo” logo ali — “pensámos que seria uma forma divertida de agitar as coisas”. “Parecia mais real que um cão fosse atropelado por um carro do que se uma das crianças morresse.” Pelo que diz Callaghan, a morte de Brian é só a morte de Brian.
O rol de personagens não ficará mais curto, nem o agregado familiar dos Griffin será menor: no mesmo episódio em que a série perdeu Brian, surgiu Vinny, uma nova personagem, também um cão falante, que ocupará o lugar de Brian. Não será McFarlane a dar-lhe voz, mas um estreante no elenco: Tony Sirico, o Paulie ‘Walnuts’ Gualtieri de Os Sopranos.
Vinny será uma personagem mais dura, mais rude, adianta Steve Callaghan. Brian era um tipo inteligente. O que não impediu alguma violência e episódicas obscenidades ao longo dos seus oito anos humanos (55 anos de cão). A Fox fez um vídeo-elegia de Brian (ver acima). Um in memoriam que não faz jus à década de gargalhadas que esta personagem proporcionou.
Brian entrou em todos os episódios da série desde o piloto. O último, exibido neste domingo, dava no título uma pista sobre o que estaria para acontecer, ao mesmo tempo que piscava o olho aos regressados Monty PythonA vida de Brian. A ressurreição de Brian também seria possível, não tivesse Stewie destruído a sua máquina do tempo neste mesmo episódio.  [daqui]

Os biltres eleitos do parlamento aumentaram-se em 91,8% !!!

SUBSÍDIOS DE FÉRIAS E DE NATAL DOS DEPUTADOS PARA 2014 AUMENTAM 91,8%! 

A notícia é mesmo verdadeira e vem no Diário da República. O orçamento para o funcionamento da Assembleia da República foi já aprovado em 25 de Outubro passado, fomos ver e notámos logo, contudo já sem surpresa, que as despesas e os vencimentos previstos com os deputados e demais pessoal aumentam para 2014. Mais uma vez, como é já conhecido e sabido, a Assembleia da República dá o mau exemplo do despesismo público e, pelos vistos, não tem emenda. 
Em relação ao ano em curso de 2013, o Orçamento para o funcionamento da Assembleia da República para 2014 prevê um aumento global de 4,99% nos vencimentos dos deputados, passando estes de 9.803.084 € para 10.293.000,00 €. Mais estranho ainda é a verba relativa aos subsídios de férias de natal que, relativamente ao orçamento para o ano de 2013, beneficia de um aumento de 91,8%, passando, portanto, de 1.017.270,00 € no orçamento relativo a 2013 para 1.951.376,00 € no orçamento para 2014 (são 934.106,00 € a mais em relação ao ano anterior!). Este brutal aumento não tem mesmo qualquer explicação racional, ainda assim fomos consultar a respetiva legislação para ver a sua fórmula de cálculo e não vimos nenhuma alteração legal desde o ano de 2004, pelo que não conseguimos mesmo saber as causa e explicação para tanto.. 
Basta ir ao respetivo documento do orçamento da Assembleia da República para 2014 e, no capítulo das despesas, tomar atenção à rubrica 01.01.14, está lá para se ver. 
Já as despesas totais com remunerações certas e permanentes com a totalidade do pessoal, ou seja, os deputados, assistentes, secretárias e demais assessores, ao serviço da Assembleia da República aumentam 5,4%, somando o total € 44.484,054. Os partidos políticos também vão receber em 2014 a título de subvenção política e para campanhas eleitorais o montante de € 18.261.459. 
Os grupos parlamentares ainda recebem uma subvenção própria de 880.081,00 €, sendo a subvenção só para despesas de telefone e telemóveis a quantia de 200.945,00 €. É ver e espantar! Caso tenham dúvidas é só consultarem o D.R., 1.ª Série, n.º 226, de 21/11/2013, relativo ao orçamento de 2014, e o D.R., 1.ª Série, n.º 222, de 16/11/2012, relativamente ao orçamento de 2013. 

por Sérgio Passos http://euacuso.blogs.sapo.pt/

Datas com História: 25 de Novembro de 1845

A 25 de Novembro de 1845 nasce Eça de Queirós, um dos maiores escritores portugueses e autor das conhecidas obras “Os Maias” e “O Crime do Padre Amaro” – sendo esta última reconhecida como o melhor romance realista português do séc. XIX!

Qual é a sua obra preferida deste escritor?

Por este andar, brevemente, num cemitério perto de si...


A Portela estava lotada, bla, bla, bla, mas para roubar o Norte há sempre espaço...


Há coisas que eu não percebo. Até há pouco tempo, o aeroporto de Lisboa estava lotado, era preciso um novo aeroporto e não havia alternativa. Agora já consegue receber umas dezenas de voos da Ryanair, desviando turistas do Norte. Quando se trata de tentar sacar ao Norte umas das suas mais-valias económicas e turísticas, o Aeroporto de Lisboa parece que estica...

Desportivo de Curral de Moinas perde por 26-1

Quero o "meu" FC Porto de volta!

Mais nada!

Estou fatigado de ouvir as cantadas vitórias morais deste sr Fonseca

DRAGÕES: A UM INCOMPETENTE SÓ RESTA UMA SAÍDA

COM NENHUMA AMBIÇÃO NEM SABEDORIA E MUITA INCOMPETÊNCIA COMPROVADA... 

MAS UMA EQUIPA COM 30 MÉDIOS E NENHUM AVANÇADO, COM KELVIN DESAPARECIDO, SEM ALAS... ALGUÉM MAIS DEVE PAGAR... CASO CONTRÁRIO, O SR FONSECA ARRISCA-SE A CONSEGUIR A SUA MELHOR CLASSIFICAÇÃO ... O TERCEIRO LUGAR...

sr Fonseca, faça o favor de se ir embora

Inacreditável má campanha europeia, antecedida de uma miserável prestação exibicional no campeonato.
Este treinador não sabe preparar nem sequer perceber o que se passa nos jogos, é um medíocre, sem capacidade de intervenção nem liderança. Saia, depressa, pelo seu pé, antes que seja corrido à cacetada...

Com este Porto do Sr Fonseca, até o Austria parece um colosso do futebol

Momento Esotérico

Hoje no Coliseu: Jamie Cullum

A Revolta do Porto em 1846


Esta imagem retrata uma cena da revolta da Patuleia, um entre vários confrontos subsequentes às lutas pelo Liberalismo em Portugal.

"A origem do termo patuleia parece ser a expressão 'patola', utilizada coloquialmente para designar alguém que não prima pela inteligência. Desse bem pouco lisonjeiro princípio, 'patuleia' passou a ser utilizado para designar o povo e as agremiações populares e, em especial, o partido setembrista. Quando rebentou a guerra, o termo passou a ser utilizado para designar os aderentes do movimento popular setembrista e as forças que integravam. Com a evolução dos acontecimentos, foram designados por patuleias os adversários setembristas de Costa Cabral e todos aqueles que os apoiaram, passando, nesta aceção, a designar todos os apoiantes da Junta do Porto."


Momento Musical

Porto d'outrus tempus


Real Coliseu Portuense (Praça de Touros), c.1889. 

Inaugurado a 28 de Junho de 1889, situava-se junto à Rotunda da Boavista, nos terrenos hoje em dia ocupados pelo Tabernáculo Baptista e pela adjacente Litografia. Foi a mais imponente e maior praça de touros da cidade do Porto. Acolhia cerca de 8.000 espectadores e possuía 2 restaurantes, camarotes, bancadas, salão de bilhares, cafés e quiosques de venda de jornais, além de dispor de iluminação eléctrica. Foi construído por dois empresários que fizeram fortuna no Brasil, mas 6 anos depois estava ao abandono, sendo demolido em Maio de 1895. (Foto: Blogue "Porto Antigo"; texto: Blogue "Basta")


Porto d'outrus tempus

Antigo acesso ao molhe de Carreiros, Nevogilde

Momento National Geographic

JAMIE MCCARTNEY Y SUS 400 VAGINAS

400 vaginas de 400 mujeres en 10 paneles. Tras un extenso casting de mujeres, el artista británico Jamie McCartney hizo moldes de las partes bajas de las voluntarias. Los genitales femeninos han sido siempre una fuente de fascinación. Hoy en día parece que la creación de imágenes de la vagina es el dominio exclusivo de lapornografía, artistas eróticos y feministas. Pero Jamie McCartney ha sabido atacar el problema de crear una escultura mural monumental de los lugares más íntimos de las mujeres.
El rango de edad de las mujeres que buscó McCartney es de 18 a 76 años. Se incluyen madres e hijas, gemelas idénticos, mujeres transexuales, así como mujeres antes y después de dar a luz y chicas antes y después de someterse a una labioplastia.

«No es vulgar, es vulvar» dice el propio artista. «El arte genera conciencia social y quiero invitar a la gente a detenerse, mirar y escuchar. Esto se trata de captar la atención, el uso del humor y el espectáculo, y educar a la gente acerca de lo que las mujeres realmente se ven como normales». 
Descrita como «los Monólogos de la vagina de la escultura», esta pieza está destinada a cambiar la vida de las mujeres para siempre.
«Para muchas mujeres su apariencia genital es una fuente de ansiedad y yo estaba en una posición única para hacer algo al respecto».
Las vulvas y los labios son tan diferentes como las caras y muchas personas, especialmente las mujeres, no parecen saberlo. McCartney espera que esta obra le ayudará a combatir el incremento exponencial de los últimos años de las cirugías estéticas labiales. Esta nueva manera de crear vaginas perfectas marca una tendencia preocupante para las futuras generaciones de mujeres.

El Gran mural de Vagina hace una visión fascinante y reveladora que está muy lejos de la pornografía. No se trata de arte erótico. 


A besta negra tem nome: Ó Paulo Fonseca, vai pró c$#$#$

Estou farto das desculpas deste treinador sem estofo para uma equipa de milhões que não joga um tusto!

Com o Paulo 'incapaz' Fonseca, voltaram as vitórias morais ao FCPorto...

Desde quando, depois de estar à frente do marcador, o FC Porto deixou de ganhar os jogos? Assim que o Paulo 'incpaz' Fonseca chegou, já são vários os jogos não vencidos nestas circunstâncias...

Em memória dos slows das festas de garagem

Centralismo é um dos "venenos mortais do país"

O vice-presidente da Associação Nacional de Municípios, Almeida Henriques, considerou, este sábado, o centralismo como "um dos venenos mortais do país" e reivindicou a clarificação do papel dos municípios na programação e gestão dos fundos comunitários.
"Os municípios devem encarar o novo QREN sem conservadorismos nem ideias pré concebidas, mas o mesmo se espera do Governo", afirmou, sublinhando que "o centralismo tem sido um dos venenos mortais do país, da democracia, da livre iniciativa empresarial e territorial", afirmou o também presidente da câmara de Viseu e ex-secretário de Estado Adjunto da Economia e Desenvolvimento Regional do atual Governo.
Almeida Henriques foi, com o presidente da câmara municipal da Figueira da Foz, João Ataíde, relator da síntese das conclusões do trabalho de análise sobre a programação do futuro QREN, designado Portugal 2020, hoje apresentada no XXI Congresso da ANMP, que decorre no Centro Nacional de Exposições e Mercados Agrícolas (CNEMA), em Santarém.  [ler mais aqui]

Liga Europeia Hóquei em Patins: FC Porto aplica goleada histórica ao Barcelona

DRAGÕES BATERAM CATALÃES POR 6-2 EM CASA

O FC Porto esmagou este sábado o Barcelona no Dragão Caixa,  por 6-2 , em partida da 2.ª jornada do Grupo D da Liga Europeia. 

A grande figura da contenda foi Caio, autor de três golos, todos na primeira metade, aos 4', 9' e 10', ajudando de forma decisiva ao 3-1 que se verificava ao intervalo - Reinaldo Garcia marcou para o Barcelona, ao 16'.

Depois, na segunda metade, Hélder Nunes (34' e 44') e Pedro Moreira (47') ampliaram para os dragões, enquanto Marc Torra fez o outro tento da equipa da Catalunha, que saiu do Dragão com a pior derrota europeia deste milénio. Antes, a 1998, o Barça havia sido batido por 8-1 pelo Igualada.

In Flanders Fields

Por toda a Commonwealth, mas com maior destaque para o Reino Unido, é usual nesta altura do ano, vermos muitos britânicos, desde políticos a outros cidadãos da cultura ao desporto a ostentar na lapela dos seus casacos uma papoila vermelha.

Trata-se de um gesto de homenagem aos soldados caídos durante a I Guerra Mundial e que está associado ao Dia da Lembrança, a 11 de Novembro, numa alusão ao 11 de Novembro de 1918, data em que foi assinado o Armistício que pôs fim às hostilidades.

A origem da tradição da papoila surgiu dois dias antes daquela importante data, quando a norte-americana Mona Michael, trabalhadora humanitária, inspirada pelo poema “In Flanders Fields”, da autoria do médico militar canadiano John McCrae, colocou no seu casaco uma papoila vermelha e distribuiu outras tantas por ex-combatentes na sede da YMCA em Nova Iorque, onde então trabalhava, em honra dos soldados mortos durante o conflito.

“In Flanders Fields”, considerado um dos poemas mais emblemáticos escritos durante a I GM, descreve a redescoberta da vida nos campos da Flandres com o nascer das papoilas entre as cruzes das campas.

Dois anos mais tarde, a papoila foi oficialmente adoptada pela Legião Americana durante uma conferência internacional, em que estava presente Madame E Guerin, que viu aqui uma oportunidade para angariar fundos de apoio aos órfãos e viúvas dos militares com a venda em massa deste símbolo.

Em 1921 seria a vez da Legião Britânica adoptar oficialmente a papoila nas suas comemorações de homenagem aos soldados mortos na I GM.

Encontro das esquerdas = falta de pudor

Alguns dos coveiros da nação promoveram mais um encontro das esquerdas.
Se a memória fosse uma assassina, estes vermes estariam todos abatidos!


Dossier Regicídio: o processo desaparecido

Piadinhas de caserna

Em memória dos slows das festas de garagem

Conímbriga

Porto d'outrus tempus

PORTO, meados de 1950. 
Em primeiro plano, o Eléctrico, que surgiu na cidade em 1895, ligando o Carmo à Arrábida; rapidamente estendeu-se à Foz e a Matosinhos. 

A chulice centralista e colonialista não acaba

Despesa na administração pública aumentou dois mil milhões

This is (not) America: o novo "crime" das ruas americanas

Horrifying New "Knockout Game" Trend Responsible for 7 Deaths

A horrifying and deadly new trend called the “Knockout Game” is sweeping the country. The “players,” who are usually teens, target a stranger on the street and try to knock the person out with one punch! So far, at least seven deaths have been linked to the game.

O Porto em Imagens (25)

Fotografia de Miguel Ribeiro

Jorge "impunidade" Jesus: o "gentil" criminoso


Jorge Jesus foi castigado! Podia ser um milagre pré-natalício, mas não é. A Federação Portuguesa de Futebol decidiu castigar o treinador do Benfica com um mês de suspensão, depois dos incidentes em Guimarães. Após o final da partida que opôs o Vitória local e o orgulhoso vencedor da Taça Latina, agrediu, na cara e no braço e à vista de todos, menos dos árbitros, dos delegados, dos observadores e dos responsáveis pelo Dia Seguinte que resolveram dar destaque às mentiras de um imbecil de nome Nuno Lobo, um agente da autoridade que tentava travar uma invasão de campo de adeptos benfiquistas.
O castigo, por, repito, agressão a um agente da autoridade foi, pasme-se, de um mês. A FPF seguiu as indicações da Liga de Clubes, que após o inquérito que efectuou aos factos, propôs a dita suspensão. Recorde-se que, a Liga é a mesma instituição que puniu Hulk e Sapunaru, com 3 e 4 meses de castigo preventivo por supostas agressões a um assistente de recinto desportivo (ARD), que ninguém consegue ver, mas que terão ocorrido no túnel do estádio da Luz, local onde esse ARD não podia estar.
Portanto, a Liga resolveu propor como punição de alguém que agride ostensivamente um agente da autoridade, quando este estava no desempenho das suas funções, e que é reincidente, uma suspensão várias vezes inferior àquela que decretou para dois atletas que terão agredido um ARD que estava num local onde não podia e, como tal, nem sequer estava em trabalho. É pois, necessário, reconhecer que Jorge Jesus tinha razão quando, no alto da sua habitual gabarolice, se intitulou de inventor de uma ciência. É a ciência da impunidade.
  • Jesus foi acusado de agressão por Ruben Micael e nada aconteceu. 
  • Jesus foi acusado de agredir verbalmente Edinho e nada aconteceu. 
  • Jesus trocou agressões com Luiz Alberto e, enquanto o atleta, na altura ao serviço do Nacional da Madeira foi punido com vários meses de suspensão, o Rod Stewart português, foi punido por 15 dias, no verão, quando as conclusões do inquérito ao incidente apontavam para um castigo maior. 
  • Jorge Jesus sai constantemente da sua área técnica e nunca é chamado à atenção. 
  • Jesus chega a invadir a área técnica do adversário e nada lhe sucede. 
  • Jesus foi inclusivamente apanhado por imagens televisivas a pedir ao seu guarda-redes para simular uma lesão. 
  • Jesus pôs a honra e a honestidade de um árbitro assistente em causa e foi punido por mais quinze dias, durante... uma paragem para jogos de selecções. 
  • E com este historial todo, após agredir um polícia, leva apenas um mês de suspensão, quando a pena mínima para agressão são... três meses. E, portanto, sem qualquer atenuante, ou Jorge Jesus não foi punido por agressão, contrariando a acusação do ministério público, ou teve desconto. Dado o historial, deve ter sido de quantidade. 
Quando Luís Filipe Vieira dizia que mais importante que ter bons jogadores, era ter lugares na Liga, estava coberto de razão. E quando fala de uma justiça a norte e outra a sul, está baralhado. Há uma justiça para o Benfica e outra para os demais clubes. E a do Benfica é muito mais suave. Quase tanto como o Bruno Cortez a defender.  [daqui]

A verdadeira mafia do futebol português está por trás destas decisões!


Se fosse brasileiro ou romeno, se fosse do FC Porto, se fosse no túnel da Luz, se ninguém tivesse visto aposto que mamava quase 1 ano...

Como é português, como nao foi na Luz, como nao é do FC Porto, como todo o país viu em directo, 30 dias servem para enganar os ceguinhos, um doce vá...

JJ regressa a 20 de Dezembro, na jornada seguinte recebe o FC Porto! Ufa... Ainda o safaram a tempo!

Aos pés do ... "Cristianismo", na (re)descoberta do Brasil



França com mais um apuramento polémico: alguém duvida da mão mafiosa? De quem?

França elimina Ucrânia e está no Mundial com novo apuramento polémico: O 2º golo em fora de jogo foi uma assistência do Platini!

A França apurou-se para o Mundial de 2014, depois de ter recebido e vencido a Ucrânia por 3-0. Na primeira mão os ucranianos haviam batido os franceses por 2-0.


A seleção gaulesa marcou por Sakho, aos 22 minutos, e empatou a eliminatória por Benzema (34).

Já na segunda parte, a jogar com mais um (Khacheridi foi expulso aos 47 minutos), Gusev fez um auto golo (72 minutos) e a França conseguiu aguentar a vantagem até ao fim.

Quatro anos depois da mão de Henry, que levou a França ao Mundial de 2010, eliminando a República da Irlanda, este trata-se de um novo apuramento polémico da seleção francesa, devido ao golo em fora de jogo de Karim Benzema, aos 34 minutos, que empatou a eliminatória a dois golos.


Presidente da UEFA garante que desconhece o nome do árbitro designado pela FIFA para o jogo decisivo da seleção do seu país. E confessou que "não será o fim do mundo" se a França falhar o Mundial de 2014.

Joel Cleto no TEDxMatosinhos

Porto d'outrus tempus

Anos 60

Leopoldo (o Bacalhau) : parabéns!








Leopoldo José Nogueira Amorim (Bacalhau), nasceu no dia 19 de Novembro de 1948 na cidade do Porto.
Depois de ter passado pelos escalões de formação do Sport Progresso, ingressou, ainda júnior, no Futebol Clube do Porto.
Na temporada de 1967/68 estreou-se na equipa principal dos Dragões. O treinador, na época, era José Maria Pedroto que depois de afastar da equipa titular os jogadores Américo, Custódio Pinto, Eduardo Gomes e Alberto por os interesses da vida profissional dos jogadores colidirem com os estágios que o técnico portista passou a implementar. Dessa forma, Leopoldo teve a sua estreia na equipa principal portista numa partida contra a C.U.F. onde teve mesmo a honra de envergar a braçadeira de capitão.
Nas Antas, manteve-se até ao final da temporada de 1974/75.
Leopoldo ingressou no Varzim S.C. (onde foi campeão da 2ª divisão *) e mais tarde rumou ao V. Guimarães onde voltou a encontrar o técnico José Maria Pedroto.
Depois de deixar a carreira de futebolista passou a treinador. Teve uma passagem pelos iniciados do F.C. Porto, tendo mesmo levado os jovens Dragões à conquista do campeonato nacional. Mais tarde passou por vários clubes de menor dimensão, já como técnico de seniores, tendo sido campeão com o Macedo de Cavaleiros, levando a equipa à Divisão Nacional.

[daqui]
* nota deste blogue

Momento Musical: Simply Red

Quanto tentaram tramar Maria João Pires

Pianist Maria João Pires panics as she realises the orchestra has started the wrong concerto…


This is quite extraordinary. The wonderful Maria João Pires is ready to play a Mozart piano concerto with the Amsterdam Concertgebouw conducted by Riccardo Chailly, only to hear the orchestra begin playing another Mozart concerto – no 20 in D minor, K466, not what she was expecting or had prepared for. Can you imagine her horror? You'll have to watch the film below to find out what happened next. [Damian Thompson aqui]


Momento Musical: Rhye

Ricardo Salgado: os banqueiros vão passar um Natal complicado...


Xi... Coitaditos...
Jaguar ou BMW? Wii U ou PS4? Maldivas ou Seychelles?

Estádio do Dragão: 10 anos

Porto d'outrus tempus

Vista da rua do Dr. Magalhães Lemos para a rua de Elísio de Melo, do lado de lá da Avenida dos Aliados, na década de 1930. A rua de Elísio de Melo termina abruptamente no casario da rua do Almada, uma vez que ainda não tinha sido aberta a praça de D. Filipa de Lencastre. [Foto: Alvão]

O Porto em Imagens (24)

Praia da Luz
[Fotografia de Fátima Constante Teixeira]

Força Presidente


Outono no Douro

Fotografia de Rui Pires

Era uma vez um condutor armado em esperto...

Em memória dos slows das festas de garagem

O Porto em imagens (23)

Fotografia de Pedro Jorge Matos, via Olhares.com 

Parques Naturais de Portugal

Esta infografia interactiva dá-vos a conhecer os parques naturais e todas as boas razões para os visitarem:

Museu do FC Porto com desconto em fim-de-semana de aniversário

No fim-de-semana, a visita ao Museu do FC Porto e ao Estádio do Dragão vai sair mais barata aos sócios que detêm lugar anual desde 2003/2004, altura em que  o reduto dos ”dragões” foi inaugurado ao público.
O desconto será de de 50%. E a oportunidade surge, precisamente, porque no domingo o estádio do FC Porto celebra 10 anos de vida, explica o clube numa nota publicada no seu site.
O FC Porto pretende, assim, dar a possibilitando aos portistas de conhecerem melhor uma história feita de grandes emoções, desde 1893 até aos dias de hoje.
Para quem for sócio desde há 10 anos, os preços dos bilhetes vão variar entre os 3 e os 5 euros, conforme a idade.
Os detentores de lugar anual desde a inauguração do Estádio do Dragão devem dirigir-se à recepção/bilheteira do Museu do FC Porto, com os respectivos cartões de sócio.

O Porto em imagens (19)

Fotografia de Manuel Augusto Ferreira M

Um texto que podia ser escrito hoje, mas não, tem 140 anos... Pelos vistos não aprendemos nada!


«O país perdeu a inteligência e a consciência moral. Os costumes estão dissolvidos, as consciências em debandada, os caracteres corrompidos. A prática da vida tem por única direcção a conveniência. Não há princípio que não seja desmentido. Não há instituição que não seja escarnecida. Ninguém se respeita. Não há nenhuma solidariedade entre os cidadãos. Ninguém crê na honestidade dos homens públicos. Alguns agiotas felizes exploram. A classe média abate-se progressivamente na imbecilidade e na inércia. O povo está na miséria. Os serviços públicos são abandonados a uma rotina dormente. O desprezo pelas ideias aumenta em cada dia. Vivemos todos ao acaso. Perfeita, absoluta indiferença de cima a baixo! Toda a vida espiritual, intelectual, parada. O tédio invadiu todas as almas. A mocidade arrasta-se envelhecida das mesas das secretarias para as mesas dos cafés. A ruína económica cresce, cresce, cresce. As falências sucedem-se. O pequeno comércio definha. A indústria enfraquece. A sorte dos operários é lamentável. O salário diminui. A renda também diminui. O Estado é considerado na sua acção fiscal como um ladrão e tratado como um inimigo. Neste salve-se quem puder a burguesia… explora. A ignorância pesa sobre o povo como uma fatalidade. A intriga política alastra-se. O país vive numa sonolência enfastiada.»

( transcrição do início do primeiro livro das Farpas, escrito por Eça de Queiroz e Ramalho Ortigão e publicado no dia 17 de Junho de 1871)

Coisas que incomodam e que até deveriam ser proíbidas


Porto d'outrus tempus

Boston Globe dedica artigo à “nova atitude sofisticada do Porto”

Porto’s sophisticated new edge

O Porto está na moda e a palavra parece ter chegado aos 4 cantos do mundo. Este fim-de-semana, foi a vez de o jornal norte-americano The Boston Globe dedicar um artigo à capital do Norte de Portugal
A nova atitude sofisticada do Porto” é o título da notícia que Christopher Muther assina no Boston Globe. O autor, que vinha por um dia e acabou por ficar 4 noites no Porto, descreve como, tendo ouvido “descrições que chamavam à segunda maior cidade de Portugal ‘corajosa’ e ‘emergente’”, esperava encontrar na Invicta “chaminés gigantes expelindo vapor num céu cor de laranja”.
Em vez disso, o jornalista, que nunca tinha ouvido falar do Porto, encontrou “um conjunto de edifícios antigos em pedra, praças com igrejas e mercados ao ar livre”, “um rio que brilha à medida” e acompanha as elevações da cidade e “uma vida nocturna que rivaliza com qualquer sítio da moda europeu numa noite de Verão”.
Eu nunca tinha ouvido falar do Porto até o meu parceiro, Alex, e eu termos começado a planear estas férias, que nos levariam até à costa de Portugal e ao Noroeste espanhol. O Porto era uma curiosidade, não uma prioridade. No final da viagem, cheguei à conclusão de que o Porto tinha sido o destaque da nossa aventura ibérica”, relata Christopher Muther.
O texto continua descrevendo “uma cidade ‘alimentada’ pelo vinho do Porto” e Muther admite que, se “antes de Portugal” achava que só havia um tipo de vinho do Porto – “pegajoso, excessivamente doce e vermelho” –, agora a sua “bebida de eleição para depois do jantar” é um Porto branco seco, “uma recordação” que levou da sua estadia na cidade.
As caves de vinho do Porto, em Gaia, a vista do miradouro do Mosteiro da Serra do Pilar, o teleférico que liga o Jardim do Morro ao Cais de Gaia, o restaurante DOP do chefe Rui Paula, o café Majestic, o Mercado Porto Belo e Serralves são alguns dos highlights do artigo do Boston Globe. [daqui] e [daqui]

Centralismo e colonialismo


Admiram-se?


O buraco

Ponte Mantorras

O magnífico Sérgio Sousa, da Rádio Nova tem o meu voto


Lido por aí

"Enquanto os europeus não pensarem europeu, enquanto as área deprimidas da Alemanha forem boas e as de Portugal forem más, enquanto um holandês falido tiver crédito e do falido grego já se sabia que não prestava... a UE será a própria aberração!"

E Rui Moreira faz alianças com esta gente?

Mais de 11 mil euros de quotas do PS pagas por morador de bairro social de Matosinhos


Segundo o PÚBLICO apurou, as quotas foram pagas por um morador de um bairro social de Perafita, que trabalha numa empresa de segurança, e o cheque foi entregue na federação do PS-Porto por um pequeno empresário, que presta serviços na MatosinhosHabit, e que se encontrava acompanhado por um funcionário daquela empresa municipal. [daqui]

O pensamento angolano do dia

"Os febre tifoide és aquelas febre que, ou você cura, ou ela tifóide mesmo, pá!"

A chulice, afinal continua

Governo repõe descontos nos transportes para funcionários e familiares

O ministro da Economia, António Pires de Lima, disse, esta terça-feira, que os subsídios de transporte para os funcionários do sector vão aumentar de 25% para 75% e os familiares passam a ter apoios de 50%.
Pires de Lima falava na Assembleia República, nas comissões de Orçamento, Finanças e Administração Pública e de Economia e Obras Públicas, no âmbito do debate na especialidade do Orçamento do Estado para 2014.
"O subsídio que vai ser dado aos trabalhadores das empresas de transportes passa de 25% para 75% e o dos familiares passa de 0 para 50%", afirmou o ministro, em resposta a uma questão do deputado comunista Bruno Dias.
"É uma questão de equidade que continua a ser dada noutros regimes de estatuto público", disse.

O combate ao "funil" dos partidos

O país está entregue a cliques há demasiados anos. Especialistas na distribuição de benesses aos bem-comportados dos aparelhos partidários, pululam os tipos bem falantes de cujo poder decisório o país depende - e os resultados não são brilhantes, estão à vista de todos. Não é mero acaso o divórcio patente entre a maioria dos portugueses e a classe política....
Numa lógica de sobrevivência de uns quantos profissionais da política, o fechamento dos partidos é, em si mesmo, um risco para a democracia. Portugal dispensa, naturalmente, o surgimento de populismos perigosos e, sob pressão da sociedade civil, um tal risco só pode ser neutralizado pela introdução de um movimento de retoma de credibilidade dos partidos existentes - o que exige coragem e a saída de uma zona de acomodação de muita gente, experiente e de saber construído nas empresas, nas universidades, no mundo do trabalho, enfim, filiados e de quotas pagas no atual espetro partidário mas sem paciência para aturar certas coisas.
O sistema político nacional vive hoje um preocupante bloqueamento; a construção de alternativas credíveis escasseia, de facto, e o esboço de quando em vez agitado aparecimento de novos partidos, situem--se eles mais à Direita ou mais à Esquerda, tenderá a nada resolver. Dispensa-se mais do mesmo - incluindo a confrangedora incapacidade para a constituição de "think thanks" partidários credíveis.
Embora difícil, desconstruir o atual círculo controleiro nos partidos políticos é pois a única via capaz de revitalizar o sistema democrático. A proximidade do haraquíri para os mais bem instalados nos centros de decisão pode permitir uma esperança, embora ténue: talvez vejam na reciclagem de comportamentos uma tábua de salvação, para si mesmos e, por tabela, para o país.
Aprofundar a democracia nos partidos é, pois, um ponto de partida necessário e fundamenta o rápido debate de novas práticas.
O tema é recorrente mas, apesar de todas as resistências, merece ser de novo posto em cima da mesa: por que não abrir a decisão da escolha dos chefes partidários à sociedade civil, recusando pois o atual esquema de tráfico de influências de grupos e grupinhos focados no Poder a qualquer preço, mais do que preocupados com critérios de competência?
Mais cedo do que tarde, a opção certa passará pela retirada de um "funil" estreito no sistema de escolhas.
O debate nem sequer é novo.
No plano europeu ganhou acuidade quando o Partido Democrático Italiano e o Partido Socialista Francês tiveram a coragem de abrir à sociedade eleições primárias para a escolha dos seus líderes e nas quais qualquer cidadão identificado com as linhas gerais daqueles partidos passou a dispor de capacidade para influenciar as decisões. Este fim de semana idêntico caminho foi ratificado pelo Partido Socialista Espanhol - depois de há uns meses um grupo de socialistas portugueses ter visto proposta semelhante chumbada no congresso (re)consagrador de António José Seguro.
O espetro partidário português terá tudo a ganhar se for capaz de encontrar fórmulas de decisão mais participadas, as quais exigirão também o reconhecimento dos independentes na Assembleia da República. Ao invés, a defesa dos interesses egocêntricos de uns quantos tenderá a aumentar os riscos de colapso da democracia.