Kosta de Alhabaite

Nortenho, do Condado Portucalense

Se em 1628 os Portuenses foram os primeiros a revoltar-se contra o domínio dos Filipes, está na hora de nos levantarmos de novo, agora contra a colonização lisboeta!

Verdades irrefutáveis (III)

Porque está no topo do futebol português e do Mundo inteiro!
...A confirmação da participação do FC Porto na edição da Peace Cup em 2009 foi o culminar da insistência da organização da prova que queria convidar os campeões portugueses desde 2007, depois de os azuis e brancos nunca terem participado nas edições anteriores. "Temos vindo a desenvolver contactos com o FC Porto desde 2007 e com a Peace Cup na Andaluzia, esta era a nossa grande oportunidade", revelou Sean Kim, vice-secretário geral da organização da Peace Cup. Porquê o FC Porto? "Porque está no topo do futebol português e do Mundo inteiro. É uma equipa conhecida pela sua postura ofensiva e acreditamos que vai trazer prestígio a este torneio com a sua participação", ...
in O JOGO

Verdades irrefutáveis (II)

Espírito de contradição
JORGE MAIA, in O JOGO
A falta de condições para o Estádio do Jamor receber a final da Taça de Portugal é uma evidência. Aliás, é uma evidência tão clara que já nem o presidente da Federação Portuguesa de Futebol a tenta iludir, reconhecendo-a, lamentando-a, mas aceitando-a como uma inevitabilidade cósmica. De resto, a falta de condições do Estádio Nacional para receber a final da Taça de Portugal é uma evidência tão evidente que, tenho cá para mim, se não fosse Pinto da Costa a reclamar a mudança de palco todos os anos, a coisa já seria consensual. Assim, como foi o presidente do FC Porto o primeiro a dizer que a final da segunda prova do calendário nacional merecia um estádio com outras condições, há sempre quem sinta a necessidade de contrariá-lo, apelando aos valores da tradição para justificar o injustificável, mesmo que isso signifique colocar em causa a segurança de quem vai ao futebol. Afinal, qualquer coisa é melhor do que admitir que Pinto da Costa possa ter razão, não é?

Verdades irrefutáveis (I)

Ao contrário dos seus mais directos rivais, o FC Porto respira paz e visão. O Benfica está (como habitualmente) em pleno processo de demolição. O Sporting entrou num processo de recomposição cujo fim não de adivinha pacífico. Ao arrepio da agitação dos adversários, no FC Porto os Messias podem esperar. O grande desígnio para a próxima época será o de renovar a ambição e fazer crescer uma equipa de referência, mesmo sabendo que, à luz das mais recentes conquistas, será quase impossível fazer melhor. No contexto internacional, com o prestígio desportivo do futebol português esticado aos limites pela competência do FC Porto e tristemente encostado às cordas por Benfica e Sporting, dificilmente se poderá ambicionar mais do que o chavão de "ir o mais longe possível". Internamente, sente-se que muitas forças estarão mobilizadas para colocarem o FC Porto longe do Penta. E é também por isso que havendo excepções, há coisas que nunca mudam: o azedume dos que lutam contra o FC Porto e a ambição que molda as vitórias azuis e brancas. O preço a pagar. Num clube com altos padrões de exigência e de qualidade, esse será o preço da Excepção. A de sempre.
Miguel Guedes, in O JOGO

Não estamos em risco de perder o Norte, estamos sim a ganhar o Sul (*)

(*) Afirmação do Senhor Presidente do FCPorto, Jorge Nuno Pinto da Costa

A cidade do Porto e as eleições autárquicas

Independentemente dos gostos políticos, esta é a pergunta que o habitante da Cidade do Porto deve fazer desde já:

O que é que Rui Rio tem feito de importante para o desenvolvimento da Cidade?

Grandes?

Análise: Benfica ainda se comporta como um «grande»? - por Luis Sobral
O Benfica está mais perto do quarto classificado do que do líder. A frase não traduz o olhar distraído para a tabela deste campeonato, é o resultado da análise das edições da prova no século XXI.
Se a história e o número de adeptos não permitem duvidar de que Benfica, F.C. Porto e Sporting são «grandes» e todos os outros «pequenos», os números das últimas dez edições da Liga apontam outra tendência.
De facto, vistos os dez últimos campeonatos (de 1999/00 até às 28 jornadas de 2008/09) o quadro é diferente.


Pontos
F.C. Porto, 730 Sporting, 662 Benfica, 639 Clube classificado em quarto lugar ou acima do Benfica*, 576

Estes números permitem concluir que a principal luta do Benfica é com o Sporting. Pelo segundo lugar. No entanto, o clube de Alvalade tem conquistado vantagem desde que os «encarnados» foram campeões, em 2004/05. A diferença vai já em 23 pontos.
Depois, os números revelam um dado surpreendente: o Benfica está mais perto do primeiro «pequeno» clube do que do indiscutível dominador do século XXI, o F.C. Porto.
Os «encarnados» somam mais 63 pontos do que a soma do «pequeno» melhor classificado em cada uma das edições deste século. Mas têm menos 91 pontos do que o F.C. Porto.
Em média**, o F.C. Porto faz 73,0 pontos, contra 63,9 do Benfica. Ou seja, quase nove pontos de diferença. O Sporting fica-se pelos 66,2 e o primeiro «pequeno» soma, em média, 57,6 pontos.
Ou seja, esta temporada o Benfica está, para já, ainda mais distante do F.C. Porto e mais próximo do primeiro pequeno. Pior do que tendência da década, portanto.

Outras tendências
Quando se olha para os golos marcados e sofridos, no mesmo período, percebe-se que a maior diferença entre o Benfica e os outros «grandes está na facilidade em encaixar golos.


Golos marcados:
F.C. Porto, 615
Benfica, 564
Sporting, 559
Clube classificado em quarto lugar ou acima do Benfica*, 517

Os «encarnados» marcaram menos 51 golos do que o F.C. Porto (ou seja, menos cinco por época), mais cinco do que o Sporting e mais 45 do que o primeiro «pequeno». Também aqui estão mais distantes do líder do que do perseguidor, o que é ainda mais verdadeiro para o Sporting. Aliás, este está a ser o pior ano de Paulo Bento, com apenas 40 golos marcados, contra 48 do Benfica e 56 do F.C. Porto. O Nacional leva 45.

Golos sofridos:
F.C. Porto, 223
Sporting, 272
Benfica, 300
Clube classificado em quarto lugar ou acima do Benfica*, 353

Estes números revelam que é muito mais difícil fazer golos ao F.C. Porto e ao Sporting do que ao Benfica. E, de novo, colocam os «encarnados» mais próximo do «pequeno» perseguidor do que do clube que domina a década.

Conclusão: o comportamento do Benfica esta época só pode ser surpreendente para quem não analisa tendências. Os «encarnados» estão no local que tem sido o seu no século XXI: em terceiro, mais perto do quarto do que primeiro. Esta época apenas um pouco pior do que a média das últimas dez edições. Será que isto ainda é comportamento de um «grande»? Tem a palavra o leitor.


* Ao contrário de F.C. Porto e Sporting, o Benfica já por três vezes ficou abaixo do terceiro lugar, nas últimas dez edições. Para efeitos desta comparação, somaram-se os pontos dos clubes que ficaram em quatro lugar. Ou o melhor classificado, nas temporadas em que o clube da Luz fez pior do que terceiro


** Há campeonatos com 18 e com 16 clubes

Primeiro reforço da (nova) época: o Atum .. acompanhado do azeite

Via http://zedobone.blogspot.com

Um Grande Clube (FCPorto) também se vê nestas coisas...

A história da recuperação de Hulk (por Nuno A.Amaral, no JN)

Hulk recuperou em duas semanas da rotura de ligamentos do tornozelo esquerdo que sofreu na Amadora, quando tudo apontava para que estivesse parado até ao final da época. O segredo tem nome: câmara hiperbárica.
Quando caiu na Amadora, a 22 de Abril, no jogo da segunda mão das meias-finais da Taça de Portugal com o Estrela, após uma entrada duríssima de um adversário, temeu-se o pior para o Hulk. O super-herói do F. C. Porto soube, 24 horas depois, que tinha sofrido uma rotura parcial dos ligamentos do tornozelo esquerdo e o diagnóstico foi uma paragem mínima de um mês, que o afastaria dos relvados até ao fim da temporada, mas o departamento médico dos dragões tinha uma arma secreta para utilizar...
Nos dias que se seguiram à lesão, o avançado brasileiro deslocou-se ao Hospital Pedro Hispano, em Matosinhos, onde foi sumetido a sessões de oxigenioterapia numa câmara hiperbárica, e os resultados foram sensacionais. Os termos podem ser difíceis de pronunciar, mas não são estranhos aos futebolistas, muito menos aos do F. C. Porto. Trata-se de um método terapêutico pouco divulgado em Portugal (para além do Pedro Hispano, apenas o Hospital da Marinha, em Lisboa, possui uma câmara deste género), em que o oxigénio chega, através da corrente sanguínea, aos pontos do corpo que precisam de regeneração.

O oxigénio puro, respirado num meio ambiente com uma pressão superior à atmosférica, permite acelerar a cura de infecções, queimaduras graves e lesões ósseas ou traumáticas, como foi o caso de Hulk.
O JN sabe que o avançado foi submetido a sessões dentro da câmara hiperbárica, ao longo das quais respirou através de uma máscara facial. O facto é que, duas semanas depois de se ter lesionado, Hulk foi convocado para o jogo com o Nacional, que selou a conquista do tetra, no qual ficou no banco e só não foi utilizado porque as lesões sofridas por Fucile e Raul Meireles obrigaram Jesualdo Ferreira a fazer substituições que não estavam no programa. No sábado passado, o dianteiro consumou o regresso aos relvados na Trofa, tendo entrado na segunda parte e mostrado que está totalmente recuperado da lesão no tornozelo, tal a velocidade e forma como participou nas jogadas ofensivas dos dragões.
No fundo, tratou-se de mais um caso de sucesso do departamento médico do clube azul e branco, que, pela voz de Nélson Puga, revelou anteontem ser o F. C. Porto o clube europeu com maior percentagem de jogadores do plantel aptos a jogar durante uma época (cerca de 95%).
O sucesso da medicina hiperbárica aplicada ao futebol depende de vários factores, entre os quais a idade dos atletas, mas parece encontrada mais uma fórmula inovadora. No Brasil, foram noticiadas várias recuperações de atletas com lesões musculares, que regressaram à competição dez dias antes do prazo previsto, e em Espanha também consta que Raúl, estrela do Real Madrid, se submete com frequência a sessões numa câmara hiperbárica para superar problemas físicos sofridos ao longo da carreira.
Contactado pelo JN, António Gaspar, fisioterapeuta que durante vários anos esteve ao serviço da selecção portuguesa, afirmou que "a medicina hiperbárica é mais um meio de recuperação" para os jogadores, mas é de difícil acesso para outros doentes, porque se torna "bastante dispendiosa". "Por esse motivo, não acredito que os clubes possam vir a investir em câmaras hiperbáricas para uso próprio. Penso que continuarão a suceder estes casos, em que os clubes utilizam os meios postos à disposição, em Lisboa ou no Porto", referiu.
No Hospital Pedro Hispano, ficou bem conhecido o caso de um músico que um dia acordou completamente surdo e que, após várias tentativas de cura sem êxito, se sujeitou a esta terapia. O resultado foi um êxito... Noutra situação, um paciente deu entrada com um pé cortado ao meio e, depois de mais de seis meses sem obter uma cicatrização, conseguiu fazê-lo ao fim de algumas sessões na câmara hiperbárica.

Peixeirada

A mulher do Joker (como diz o Dragão de Vila Pouca) e Marinho Pinto :

Jorge Maia (*) no seu melhor

A contradição


Antes de mais nada, convém sublinhar que todos os jogadores têm direito a um dia mau. Todos, sem excepção. Eduardo, por exemplo, teve um dia mau contra o Benfica, o que não deixou de ser uma enorme felicidade para ele. Imagine-se o que não se teria dito e escrito se o guarda-redes do Braga tivesse um dia mau contra o FC Porto. Aliás, nem sequer é preciso um grande esforço de imaginação. Basta recordar o que se disse depois do Leixões-FC Porto sobre Beto, por exemplo, para perceber que até para se ter um dia mau é preciso ter sorte. Ou bom senso. O mesmo bom senso que falta aos dirigentes que contactam o treinador do um clube rival em vésperas de um confronto decisivo para os objectivos de ambos. Mas lá está, se Jesus foi crucificado por ter calado o eventual prejuízo da sua equipa frente ao FC Porto, ninguém se atreveu a pôr-lhe uma coroa de espinhos por eventuais conversas com o Benfica na semana que antecedeu a desastrosa (para os minhotos, claro) recepção aos encarnados em Braga. A prova de que, afinal, no futebol português, a contradição ainda é o que era.
(*) in O JOGO

O "sistema" do benfica e a CMVM

Como accionista de uma SAD do futebol, sinto-me perplexo face ao silêncio que a CMVm parece votar o processo das acções do benfica.

Não me refiro a uns papeis do benfica, sem qualquer valor porque nem sequer cotados eram na altura, que uma senhora política decidiu aceitar para justificar o cumprimentos de obrigações legais que o clube lisboeta era suposto cumprir sob pena de exclusão da prova principal do futebol português.

Refiro-me porém a uma palhaçada que um outro artista decidiu alegrar o país, ao alegar um "certo" interesse de uns supostos chinocas em adquirir capital benfiquista.

Foi um escândalo. As acções, entretanto já cotadas, começaram a subir vertiginosamente, provocando ganhos em alguns bolsos (a CMVM se quiser até sabe quais foram) e prejudicando as demais SAD's que concorriam no mesmo mercado.

Os zelosos supervisores estão a apostar no esquecimento da coisa, mas que para ali houve conluio com o clube e uns certos investidores (volto a dizer, facilmente detectáveis - e eu sei do que estou a falar -) isso ocorreu certamente! CONTINUO à espera e EXIJO que a CMVM tome a inicitiva de promover a respectiva penalização a quem manobrou o mercado a seu bel prazer!

O "sistema" do benfica no futebol português

Uns palermas sulistas e elitistas, têm, no futebol, a mania de chamar corrupto ao meu Clube, o FCPorto e ao seu Presidente. O momento alto, foi quando o seu funcionário na Liga de Futebol, um tal licenciado denominado Ricardo, contra todas as noções elementares do direito ao contraditória, desencadeou o processo do apito que sonegou ao FCPoto 6 pontos e que por pouco atirava para fora da prova raínha da UEFA, o ÚNICO clube português com categoria internacional para ombrear com os melhores do velho continente...Como mais tarde se provou, todas as acusações foram esmagadas e até o Ministério Público foi publicamente ridicularizado por juízes distintos e isentos. A farsa foi assim desmontada. Todavia, o tal Ricardo e os algozes da liga, vieram a terreiro dizer a enormidade que a "justiça do futebol está a marimbar-se para a verdadeira justiça", que como se sabe, ao contrário da outra, é baseada em factos e depende de provas irrefutáveis e de testemunhos credíveis... Disseram mesmo que o processo não era exclusivamente feito por base naquela meretriz, que algum tempo privou com o Presidente do FCPorto, e que instrumentalizada pelo Benfica e pelo MP, foi vedeta até cair na lama. As outras provas, que o Ricardo diz ter, estamos ainda para saber quais são... Eu continuo à espera. Penso que todos os Homens de bem o devem fazer e EXIGIR!

Mas este artigo de opinião, vem falar da verdadeira corrupção que nós sabemos que existe, pois HÁ FACTOS INEQUÍVOCOS que o provam. E, curiosamente, o denominador comum, o corruptor em todos é o Benfica! Citando alguns casos, QUE EU NÃO ESQUEÇO:


  • Boavista - Benfica: num jogo fundamental para os lampiões, há a marcação de uma grande penalidade contra os lisboetas e o jogador escolhido do boavista, creio que Jorge Ribeiro, falha! Até aqui tudo normal. Todos falham, todos defendem... O "engraçado" é que o jogador que falha a penalidade contra o benfica, acaba por ser contratado pela equipa lisboeta na época seguinte
  • Setúbal - Benfica: no campeonato renhido, o Setúbal passava por dificuldades financeiras, os jogadores não recebiam... Na véspera do jogo com o benfica, eis que a equipa lisboata faz um acordo com os setubalenses e acaba com o passe de jogadores, nomeadamente o guarda-rede Moreto que vem a assinar contrato para a época seguinte.
  • Benfica - Marítimo: outro jogo fundamental para os lisboetas manterem a esperança do 2agora é que é". Penalty contra o Benfica, com resultado em branco. À revelia das ordens da equipa e do treinador, Makukula, o melhor avançado do Marítimo corre para a marcação face ao desespero e desagrado do seu treinador. E Makukula falha! Todos falham, uns defendem. Até aqui tudo bem. Mas... Pois é, já calculam o que aconteceu. Na época seguinte o jogador assina pelo Benfica.

Estes são alguns exemplos, tenho mais. Até podia falar no escandaloso jogo "levado" para o Algarve. Podia falar nas pressões ocorridas durante a semana contra os jogadores do Estoril e do seu treinador. Há documentos escritos que provam até um jantar durante a semana. Até sabemos que o chefe do departamento de futebol do benfica era o sócio maioritário do Estoril...

Fico-me por aqui... Não vale a pena falar mais... Para bom entendedor...

T E T R A




E quem é que vai continuar a ouvir esta musiquinha?

e sem dúvida que nesta estrada...


O verão irá ser mais azul

Coisas de inveja...

MANCHESTER UNITED
Na sequência do estrondoso resultado (que acalentou o sonho dos Dragões por uns dias) conseguido pelo FCPorto em plena casa do campeão do Mundo e da Europa, logo, os do costume, os intestinos delgados, os cartaxanos, os pinhões, e a melgagem sulista e lisboeta da segunda circular, logo vieram a terreiro dizer que o empate 2-2 só fora conseguido porque o Maschester United estava em declínio, que os jogadores já não eram os melhores, bla, bla, bla ... são verdes não prestam, não sei se estão a perceber...
Giro é ver hoje as capas dos jornais e escutar a imprensa falada e visual para perceber a excelência do MU, da classe dos seus jogadores, bla, bla, bla, que (já) são (outra vez) melhores... Invejas, portanto...

Koniec, Vasco Granja

... depois do TV RURAL, que via inúmeras vezes só para não perder o início do "Cinema de Animação”...
Aqueles filmes com nomes estranhos, as suas (longas) explicações sobre esses mesmos filmes...

Vasco Granja tem o seu nome associado aos filmes de animação e à banda desenhada, termo usado pela primeira vez por si num artigo publicado no "Diário Popular", em 19 de Novembro de 1966...


As fitas da queima...


Sinto-me húmido

Apanhados da TVI - Porto

Coisas de porcos...

Como tudo começou:


Depois chegou a brincadeira...