Kosta de Alhabaite

Nortenho, do Condado Portucalense

Se em 1628 os Portuenses foram os primeiros a revoltar-se contra o domínio dos Filipes, está na hora de nos levantarmos de novo, agora contra a colonização lisboeta!

O Apito Final -- O Football Leaks e o nacional socialismo-benfiquismo aos olhos do melhor jornalismo do mundo

Serviço Público de Televisão: Porto Canal - UPdB - 28 de Maio - A ERC, a New Yorker e muito mais

O conspiracionismo illuminati que inventou o conceito de nacional-benfiquismo chegou à The NewYorker

Benfica officials mapped out a five-year plan to “dominate the external environment” and increase the club’s power over Portugal’s politicians, journalists, and justice system. ouviste ANA PERES?


In Portugal, too, interest in Football Leaks had fallen away. After the initial stories about Sporting Lisbon and F.C. Porto, the platform had focussed mainly on the sport’s larger leagues. But, on a Tuesday afternoon that April, Francisco Marques, the communications director for F.C. Porto, was leaving a restaurant near Porto’s stadium when he received a message from an encrypted e-mail platform called Tutanota. It appeared to include an internal media-briefing document belonging to Benfica, F.C. Porto’s archrival. Marques asked the sender how he could be sure that it was real. “I think the attached images will suffice,” the source wrote, including screenshots of three Benfica officials’ in-boxes. One image had been taken in the previous half hour. A few days later, Marques received about twenty gigabytes of internal Benfica e-mails.
The rivalry between Benfica and F.C. Porto contains multitudes. It is the south against the north; the capital against the rest; cosmopolitan glamour against honest toil. Between them, the clubs have won the Portuguese league sixty-five times. In a country of ten million people, Benfica claims to have six million supporters, an assertion that gives rise to the idea that it is the most powerful institution in the country. Supporters of other clubs refer to Benfica as the Octopus and to the supposed shadowy nature of its influence in Portuguese society as Benfiquistão, or Benficastan. When I asked Marques whether he considered returning the e-mails, he laughed. “No,” he said. “This is a war.”
Marques has a show on Porto’s TV channel, and in the weeks that followed he began to read the Benfica e-mails aloud on the air. He excluded personal gossip and salacious material, and focussed on evidence of Benfica’s attempts to control the Portuguese game. In one instance, he shared secret briefings distributed to pro-Benfica commentators on Portuguese TV. In another, he read an e-mail correspondence referring to the “priests”—a group of eight referees who could be relied on to favor Benfica at decisive moments—which ended, “Now delete everything.” There was a PowerPoint presentation, from June, 2012, in which Benfica officials mapped out a five-year plan to “dominate the external environment” and increase the club’s power over Portugal’s politicians, journalists, and justice system. “Now it is public,” Marques said. “It is not fair. The competition is not fair.”
In early June, Marques handed the Benfica e-mails to the police. He had wondered whether they were connected to Football Leaks in some way. The source described himself as a Porto fan but a critic of the club’s president. On the afternoon of July 12th, Marques received a Tutanota e-mail with four attachments, concerning a deal that Benfica had struck on land taxes around its stadium, in Lisbon. Marques never heard from the source again.
On October 19th, the police raided Benfica’s Estádio da Luz, in northern Lisbon. Six weeks later, the leaks started again. This time, the source simply posted the club’s e-mails, unedited, on a blog titled O Mercado do Benfica, or the Benfica Market. “There were many dirty things,” Marques told me. The e-mails contained medical records and conversations between club officials and their wives, along with player contracts, tactical reports, and the club’s internal finances. A senior Benfica official compared the leaks to being under a terrorist attack. “We don’t know when it comes, the next one, where it comes from, or what sort of missile it is,” he said. “We don’t know anything.” The police raided the club’s offices twice in the early months of 2018. That March, the head of Benfica’s legal department, Paulo Gonçalves, was arrested on suspicion of bribing three judicial officials to provide him with updates on the case.
The Benfica scandal, the biggest in Portuguese soccer in recent decades, has driven the enmity between the clubs to new heights. Benfica is currently suing F.C. Porto, seeking seventeen million euros in damages. When Marques dropped me off at my hotel in Porto, he showed me his phone, which each day is deluged with messages from Benfica fans, promising to kill him. “It changed my life,” he said, not entirely unhappily. “Now I can’t go to the south.”

É este o Portugal que queremos nas nossas escolas?

Quando eu era novo aprendia-se a ler e escrever na escola.

Hoje em dia aprende-se que a mãe:

+ está solteira
+ está irritada
+ traz homens para casa.

Pergunta:
É este o Portugal que queremos nas nossas escolas?

(foto de um livro do 1º ciclo)

A causa da abstenção

Acho que esta abstenção se deve aos 6 milhões de benfiquistas; eles não costumam ser muito bons na Europa...

O melhor voto do dia


«Poderosos e intocáveis com os quais, para meu azar, me cruzei em Portugal»

Traumas de jornalista


A propósito de Berardo, lembro-me de alguns dos 'poderosos' e 'intocáveis' com os quais, para meu azar, me cruzei em Portugal ao longo de 25 anos de jornalismo. (...) Tenho muita pena de alguns excelentes e incorruptíveis jornalistas que, aqui em Portugal, ficaram pelo caminho.


  • Ricardo Salgado/BES: depois de dois artigos publicados na revista Fortunas&Negócios sobre os 'donos da banca' em 2001, Salgado queixou-se à administração. Sentia-se retratado no meu artigo "como se fosse um gatuno" (quem transmitiu esta citação de Salgado é hoje director de informação de um canal de televisão). Fiquei sem emprego e os meus colegas também - a administração fechou a revista para não perder a publicidade no Diário Económico e no Semanário Económico.

  • Jorge Jardim Gonçalves/Millennium: depois de uma crónica numa revista enviou-me um bilhete, manuscrito, assinado e não muito subtil, a ameaçar com processos judiciais.
  • André Jordan/magnata do imobiliário: não gostou de um artigo que escrevi sobre ele para a 'Sábado' e o, na altura, director da revista veio dizer-me que a minha colaboração não podia continuar: "Lamento, passaste a persona non grata; o Jordan deve ter oferecido uns cartões gold para jogar golfe a alguém da administração".
Outras 'figuras do regime', da área política, que se queixaram de artigos meus e levaram um director de jornal a despedir-me: Santana Lopes e Dias Loureiro. Depois houve o jornal, de primeira linha (Expresso), com o qual deixei de poder colaborar, subitamente e depois de meses de elogios aos meus artigos, porque alguém, imagino eu, mas não sei ao certo quem, não gostava da minha abordagem aos temas.

Houve ainda, também essa uma forma de censura, várias publicações que deixaram de me encomendar artigos porque, simplesmente, deixaram de ter verbas para pagar (recentemente o DN, por exemplo).

Enfim, nunca isto me deitou abaixo por muito tempo. Quando deixei de ter trabalho em Lisboa, que me permitisse sobreviver, fui durante uns anos trabalhar como jornalista para - excelentes publicações - em Berlim e Frankfurt.

Tenho a enorme sorte de poder trabalhar para órgãos de comunicação social na Alemanha e na Áustria. Mas tenho muita pena de alguns excelentes e incorruptíveis jornalistas que, aqui em Portugal, ficaram pelo caminho. (via)

Miguel Szymanski, correspondente alemão em Portugal

Porto na pintura (21)

(Nadir Afonso)

Sérgio e Varandas: civilizado é comer e calar?

Os figurantes nas estratégias de "comunicação" têm, pelo menos, o direito a ofenderem-se.
O filme da semana far-se-á à volta do cumprimento que Conceição não deu este sábado ao presidente do clube que fez dele um figurante numa iniciativa de "comunicação musculada" pré-taça. O Sporting queixou-se de uma agressão do treinador do FC Porto ao guarda-redes Renan, na última jornada do campeonato, com base em imagens que não precisavam de ser lidas assim.
O Sporting de Frederico Varandas quis mostrar-se agressivo antes do Jamor e para isso recorreu ao mesmo método que todos vimos aplicado centenas de vezes ao longo dos anos até chegarmos a este ponto em que tudo se pode fazer a uma pessoa, qualquer pessoa, em nome da "comunicação". Os regulamentos dão-lhe esse direito. O direito a sentir-se ofendido, e a recusar a hipocrisia de um cumprimento que significaria "amigos na mesma", é o que resta a Sérgio Conceição e a nós todos. Um cumprimento de mão não faz das pessoas civilizadas, nem o contrário. Recusá-lo obriga, ao menos, a pensar nisso. José Manuel Ribeiro

Hoje, uma opção válida (para acabar com a podridão política lisboeta)



16 olhos de 8 árbitros, mais o "árbitro assistente" Bruno Fernandes e depois daquilo o Coates fica em jogo! Jorge Sousa, um inimigo persecutório sempre presente nos desaires contra os corruptos de lisboa e a 4ª taça perdida nos penaltys e sempre contra a equipa cashball que nunca joga para vencer! Cruel este futebol mentiroso!


Sérgio Conceição: "A injustiça e a crueldade estiveram no seu ponto máximo"


(Infelizmente estou convencido que com Jorge Jesus jamais teríamos perdido o campeonato para o corrupto benfica nem tão pouco 4 taças para os lagartos do cashball … Infelizmente)


Nota final:

A derrota de hoje encerra um ciclo de 6 épocas com a conquista de apenas 1 campeonato e 2 supertaças.

Sabiam que o FC Porto perdeu os últimos 7 desempates por penáltis e o último que venceu foi em 2010 frente ao Belenenses (num desempate que ficou por 10-9, chegando aos 30 penáltis)

Porto recebe prémio pela performance na atração de investimentos e de talento

A performance de marca do Porto na atração de negócios e fixação de talentos pôs a cidade na lista oficial das melhores cidades, formulada pela Bloom Consulting e cujo director-geral em Portugal, Filipe Roquette, esteve (…) na Câmara Municipal para entregar a distinção em mãos ao presidente da autarquia, Rui Moreira.

Nas palavras de Filipe Roquette, a questão da marca territorial conheceu grandes mudanças nos anos mais recentes e o paradigma municipal passou de uma quase ausência de ligação ao pensamento estratégico para o reconhecimento da importância de construir uma marca forte, como aconteceu com o "Porto.", assente "numa estratégia, numa visão de futuro".

Para o diretocr da Bloom Consulting, é a "aposta nas valências mais proeminentes" que tem permitido atrair mais talento qualificado ou investidores para o território.

A deslocação de Filipe Roquette à Câmara do Porto formalizou o reconhecimento do trabalho desenvolvido nos últimos anos e compara com os restantes 307 municípios portugueses, numa análise baseada em dados quantitativos estatísticos e digitais.

A análise e conclusões do trabalho realizado estão plasmadas no "Portugal City Brand Ranking©", cuja 6.ª edição confirmou o Porto como uma das melhores cidades para fazer negócios, viver e visitar.
(daqui)

Por favor, uma vitória para dedicar à nossa família!


Portistas e Dragões: não vão votar na merda habitual, pois não? Aqui vai uma boa opção!

Centeno e Costa são do PS que protege o cartel do corrupto benfica. PS não!
PSD de Rui Rio? Inimigo do FC Porto! Não!
BE e PCP? Partidos lisboetas de extrema esquerda que apoia o corrupto benfica? Não!


UMA LUFADA DE AR FRESCO:
(e até são azuis e brancos)

Arranca hoje o North Music Festival para dois dias de muita música na Alfândega

Começa nesta sexta-feira o North Music Festival, o festival que promete trazer música mais alternativa à Alfândega do Porto. Bush, Franz Ferdinand, Bastille e Emir Kusturica & The No Smoking Orchestra são os cabeças-de-cartaz de um programa que abre pelas 18 horas.

Neste primeiro dia, vão passar pelo Palco Principal às 20 horas os Expensive Soul, que estão a celebrar 20 de anos de carreira, seguindo-se, às 22 horas, Emir Kusturica & The No Smoking Orchestra. A encerrar a primeira noite, pelas 23,50 horas, atuam os britânicos Bush, que dão no North Music Festival o seu único concerto europeu em 2019.

No sábado, as portas da Alfândega abrem mais cedo, por volta das 17 horas, para a transmissão em direto da final da Taça de Portugal entre o FC Porto e Sporting. O clássico será transmitido no Palco Indoor, permitindo ainda o fácil acesso a um dos food courts, ao wine garden com provas de vinho da região, e aos vários espaços com atividades pensadas para quem se encontra no festival, como o make-up corner, barbearia e tattoo studio.

Quanto à música, o Palco Principal recebe às 19,30 horas os Glockenwise, seguindo-se Capitão Fausto com um concerto às 20,45 horas. Às 22,20 horas é a vez dos britânicos Bastille, sendo da responsabilidade de Franz Ferdinand o encerramento, num concerto com início marcado para as 00,10 horas.

A música portuguesa vai marcar presença no Palco Indoor, por onde vão passar no primeiro dia bandas como os MurMur, Skills And The Bunny Crew, os DJs Rich & Mendes e set de DJ Kitten. No segundo e último dia do North Music Festival, Stone Dead, Cave Story e Moullinex completam o programa.

Os bilhetes desta edição têm o custo de 35 euros para um dia. O passe para os dois dias tem o preço de 59 euros.


Hoje um Banco com sede no Porto vai fazer a sua assembleia geral de accionistas .... em lisboa. O centralismo é isto!

… deve ser porque só tem 1 administrador no Porto e vários em lisboa…

… ou porque TODAS as direcções nacionais estão em lisboa …

O FASCISMO, O CENTRALISMO, O COLONIALISMO É ISTO!

FALAM EM DESCENTRALIZAÇÃO?
EM REGIONALIZAÇÃO?
PARA QUÊ? PARA ELES CONTINUAREM A MANDAR E A CHULAR?
EU QUERO É A INDEPENDÊNCIA!!!!!!

Do centralismo e colonialismo lisboeta: Adeptos do Valadares dizem que foram impedidos de entrar com adereços do clube na final da Taça de Portugal feminina

A final da Taça de Portugal feminina entre o SL Benfica e o Valadares ficou envolta em polémica. Os adeptos do Valadares dizem que foram impedidos de entrar no Jamor com adereços do clube, ao contrário do que aconteceu com os adeptos do clube 'encarnado'.
(daqui)

Da hegemonia corrupta

Quando o corrupto benfica fala de hegemonia, quer dizer que vão vencer o próximo campeonato só com vitórias? Afinal só lhes falta isso, pois dominam todo os submundo do futebol, da política, da imprensa e da justiça cível e desportiva portuguesa... Só lhes falta comprar os jogadores do Porto ...

O "lagarto" Varandas é assim uma espécie de "lambe-conas*" do Vieira, certo?

Francisco J. Marques criticou a decisão do Sporting de apresentar queixa contra Sérgio Conceição por alegada agressão a Renan no clássico com o FC Porto, no passado sábado. O diretor de comunicação dos dragões aproveitou para questionar o facto de os leões não terem recorrido da decisão do Tribunal Central de Instrução Criminal (TCIC) de não levar a julgamento a SAD do Benfica no E-toupeira.

"Os senhores que não recorrem da decisão do e-toupeira são os mesmos que apresentam queixa de um sururu num jogo de futebol? Assim se incendeia uma final da Taça porque há gente para quem é mais importante um jogo do que a verdade desportiva", afirmou o dirigente portista no Twitter.

(*) - do dicionário da língua romôntica Portuense

Num dia em que se desenterrou a "santa aliança" contra o FC Porto, que raio fazia o seleccionador de Portugal na câmara da corrupta lisboa? Já me esquecia, ele é seleccionador de Lisboagal!


Porto na pintura (20)

(Nadir Afonso)


Campeonato 2018/2019 - O TRIUNFO DOS PORCOS E DOS CORRUPTOS






CADA UM DESTES VERMES PODIA TER FEITO A DIFERENÇA NO FUTEBOL PORTUGUÊS: NÃO FIZERAM E LAMBEM CONSTANTEMENTE O CÚ A UM CLUBE RECONHECIDAMENTE CORRUPTO!
O QUE MERECEM QUE LHES FAÇAMOS?






O "Joeker" vai continuar a rir-se?

Joe Berardo, depois da deposição burlesca na AR, virou Joeker. Goza com as nossas caras e vai-nos ao bolso: são quase mil milhões que deve a três bancos, incluindo a CGD. Em "imparidades" que não paga, à espera que todos nós paguemos.


Ri-se do povo e do Estado, blindado pela impunidade. Os ricos e poderosos em Portugal - os chiques e os boçais - especializaram-se em não ter nada para responder pelas colossais dívidas, a não ter lucros, só prejuízos e empréstimos sem garantias...
Pequenos devedores que desemprego ou falência impediram de pagar empréstimos são desumanamente despejados e expropriados; uns poucos privilegiados, a quem a Banca emprestou milhões ao serviço de insidiosas estratégias de poder, nunca responderam por negócios ruinosos e falcatruas. E contam não responder: com o tempo que leva a nossa Justiça, garante-se... injustiça!
Ao gargalhar na AR, Berardo achincalhou o Estado. Exige-se imediata ação!
O PR tem de lhe retirar as condecorações. Não quererá que se especule como conviveu com o "centrão" que usou Berardo (já bem basta Salgado...).
O PM tem ministro das Finanças para ordenar à Autoridade Tributária que investigue a vida fiscal de Berardo, familiares, advogados, etc. e apure desconformidades com património ostentado e o de que sejam beneficiários efetivos, via fundações, associações, sociedades, trusts, IPSS, etc... Indícios de crimes fiscais e de branqueamento podem fundamentar arresto de bens em favor do Estado. Palácio, vinhas da Bacalhoa e outras quintas - muito faltará ainda para ressarcir o Estado. E nada mais dói aos escroques que confiscarem-lhes património arrecadado!
O Banco de Portugal tem de dar dados sobre os administradores dos bancos que concederam créditos sem garantias a Berardo e quejandos, além das "restruturações" que perdoaram milhões... Dados que podem interessar à AT...
A ministra da Cultura deve mandar apagar o nome do Joeker das paredes do CCB, além de nacionalizar a Coleção de Arte.
A ministra da Justiça deve atualizar a lei de recuperação de ativos, à luz das mais recentes diretivas da UE sobre confisco do produto de branqueamento de capitais e criminalidade conexa, de forma a utilizar o processo cível independentemente de condenação penal.
Sim, é preciso coragem política. Não só pelo desplante desafiador de Berardo. Há outros escroques que também lesaram o Estado e Banca e que continuam impunes, a gozar e a gozar-nos. Faltando justiça, mais importa que presidente e Governo mostrem que ainda há Estado!

Sabiam que o empresário que recebeu 2 milhões de euros após o Rio Ave-corrupto benfica?

O empresário de um certo jogador do corrupto benfica recebeu 2 milhões de euros de comissão de renovação desse jogador com a corrupta equipa da corrupta lisboa.

A curiosidade é que foi na semana a seguir ao Rio Ave - corrupto benfica?

Não, a curiosidade é que o mesmo é igualmente empresário de Júnior Rocha e Borevkovic.

A notícia é que os moços tiveram um "azar" do caraças no 1º e 3º golo nesse jogo contra o corrupto benfica.

São as curiosidades do futebol português.

"Hoje somos mais centralistas do que éramos antes do 25 de abril, mas muito mais"

Pinto da Costa: 
"Portugal é um país de Terceiro Mundo em que vemos um primeiro-ministro a referir-se ao Benfica como 'o meu Benfica'"

Presidente do FC Porto critica António Costa e Mário Centeno e considera que Portugal ficou ainda mais centralista depois do 25 de Abril.

O presidente do FC Porto, Jorge Nuno Pinto da Costa, mostrou-se indignado com o "centralismo de Lisboa" e voltou a tecer duras críticas à classe dos dirigentes políticos portugueses. Numa entrevista ao jornal portuense O JOGO, Pinto da Costa lançou ainda duras críticas a António Costa e Mário Centeno e explicou porque não vai votas nas eleições europeias.
"[Se vale a pena competir em Portugal?] Vale a pena e nós tentamos. Mas estamos dispostos a denunciar tudo aquilo que acontece. Não nos podemos esquecer de que Portugal é um país centralista. Hoje somos mais centralistas do que éramos antes do 25 de abril, mas muito mais. Aparecem uns inteligentes a querer enganar-nos com a palavra descentralização, mas é uma mentira. Toda a gente sabe que tudo se passa em Lisboa. No outro dia contaram-me, e não tem nada a ver com o futebol, que um indivíduo foi a uma instituição com sede no Porto para resolver uns problemas e disseram-lhe que era com a administração, que estava em Lisboa. Vemos um primeiro-ministro referir-se ao Benfica, quando o Benfica está em causa, como 'o meu querido Benfica'. Temos um ministro das Finanças que discute o orçamento no Parlamento, que é a coisa mais importante numa assembleia, e pede para acelerar porque tem de ir ver o Benfica! Isto é um país de Terceiro Mundo. Por isso fico muito contente quando os vejo lá nas bancadas misturados uns com os outros e vejo aqui o nosso camarote e não está nenhum, porque eles sabem que não têm moral para vir aqui. Sabem que não os queremos aqui. Agora, esse centralismo vai de uma ponta abaixo em todos os organismos e ministérios", começou por dizer Pinto da Costa.