Kosta de Alhabaite

Nortenho, do Condado Portucalense

Se em 1628 os Portuenses foram os primeiros a revoltar-se contra o domínio dos Filipes, está na hora de nos levantarmos de novo, agora contra a colonização lisboeta!

2011

Austeridade

Espantemos o mau humor

Porque estamos no Inverno

O Inverno tocado pela Akademie für Alte Musik Berlin

Jantar e asfixia democrática

Resultados da votação
Para o Jantar:

Panados de Perú- 66,66% (2 votos)
Sopa - 33,33% (1 voto)


Resultado Final: Jantar e asfixia democrática.

Doçaria das festas: Arroz Doce

Ingredientes:

1 chávena de arroz carolino
2 chávenas de água
8 colheres de sopa de açúcar
8 gemas de ovo
casca de 1 limão
1 pau de canela
1 litro de leite

Preparação:

Num tacho, põe-se a água com o pau de canela e a casca de limão. Quando a água ferver, junta-se o arroz e deixa-se cozer, no mínimo, até secar.

Quando estiver seco, deita-se, aos poucos, o leite a ferver e depois o açúcar. Mexe-se bem.
Depois juntam-se as gemas que devem ter sido misturadas com um pouco de leite frio para evitar que cozam e formem grumos.
Vai novamente ao lume até levantar fervura.
Depois verte-se para pratinhos ou travessas e polvilha-se com canela.

Doçaria das festas: Rabanadas

Ingredientes:

1 pão cacete
5 ovos
200 g de açúcar
7,5 dl de leite
canela qb
casca de limão
óleo para fritar

Preparação:

O pão deve ser da véspera e parte-se às fatias com cerca de 1 cm de espessura.
Entretanto põe-se a ferver o leite com o açúcar, a canela e a casca de limão.
Batem-se os ovos com um garfo.
As fatias de pão passam-se pelo leite e depois por ovo.
Seguidamente levam-se a fritar em óleo bem quente.
Deitam-se depois sobre papel absorvente para perderem alguma gordura.

Finalmente colocam-se na travessa ou taça onde irão ser servidas e polvilham-se com açúcar em pó e canela.

FCPorto: equipa do ano 2010


No jornal Público, Bruno Prata, jornalista que até aprecio (só um Homem com estaleca é que aguenta serenamente o execrável e odioso lampião João Gobern) disse que os encornados de lisboa tinham sido a equipa do ano. Bruno Prata enganou-se! Nada como este quadro acima para desmontar essa (errada) declaração. Os números são factos irrefutáveis, como o algodão... 

E se um foi campeão do túnel e da fruteira do lucílio, o FCPorto também venceu duas provas: a taça de Portugal e a Supertaça. Nos confrontos directos, foram 4 jogos, com saldo largamente favorável aos Dragões, com 3 vitórias e uma derrota… e uns esclarecedores 10-4 em golos (com aqueles esmagadores e humilhantes 5-0). 

Mais nada!

"Chatar"



É mesmo difícil falar por "chat". Não há expressões faciais, não há modificações no tom de voz, é tudo demasiado "seco", não é?

Amazon permite leitura de e-books em navegadores de Internet

Em comunicado de imprensa, a Amazon anunciou que é agora possível ler Kindle Books em navegadores de Internet. Ler aqui.

Fantasporto 2011 - A abertura com "127 Hours"

Trata-se de um filme baseado numa história verídica, de um jovem aventureiro (interpretado por James Franco) que vai ficar com o braço preso, esmagado por uma rocha... e das 127h que passou até optar pelo única forma de sobrevivência possível... cortar o próprio braço!

Sócrates sempre a mentir


(clicar para ampliar - daqui)

TSF de parabéns com o programa Os Alfarrabistas

Na pretérita semana, às 10h e depois às 20h, a TSF passou um magnífico programa dedicado aos alfarrabistas. Com a chancela de Fernando Alves e Mésicles Helin . O primeiro foi sobre o fantástico Chaminé da Mota, espaço mítico do Porto. Para quem o perdeu, pode ouvi-lo on-line aqui.
(imagem retirada do blog Cidade Surpreendente)



O segundo programa, sobre o lisboeta Letra Livre pode ouvir-se aqui  on-line . Vale a pena.

Antologia: revista portuguesa de contos

A Antologia é uma revista semestral de contos que nasce da vontade de criar um espaço digno para este género.
Tem como objectivo a publicação de inéditos de autores portugueses contemporâneos, não deixando de publicar, sempre que oportuno, autores clássicos ou estrangeiros. Não se restringe a um registo: tanto poderá encontrar nas suas páginas um conto realista como um de ficção científica. É generalista, sem, no entanto, perder de vista a qualidade, o seu único critério.
O conto é um género de difícil execução, sendo por isso uma óptima oficina de escrita. Uma revista é o campo ideal para o exercício deste tipo de ficção. Ao contrário do romance, o conto tem uma limitação de espaço, exigindo ao autor uma forte disciplina, uma noção clara de equilíbrio e autocontrole. Um conto bem escrito é um objecto literário quase perfeito.
A Antologia é feita para autores e leitores, aliando o exercício da escrita ao prazer da leitura.
Para mais informações visite o site.

Biltres em causa própria

Partido do Norte

No passado dia 18, com o patrocínio do Movimento Partido Norte, teve lugar no Ateneu Comercial do Porto um debate sobre o lema "A regionalização e a redução da despesa pública". Com a moderação do Dr. Paulo Pereira teve como oradores convidados os ilustres Eng. Carlos Brito, Dr. Pedro Froufe Madeira e Dr. Paulo Morais.
Foi um excelente debate, enriquecido pela sabedoria e eloquência dos participantes, que contou com uma plateia interessada e participativa.
Estive presente, claro, pois não basta escrever na blogosfera e ficar-se por aí. Penso que estas actividades devem ser repetidas, para dar a conhecer ideias e a desmascarar alguns factos da vergonhosa acção centralizadora e colonialista do governo de lisboa.
Entretanto, amanhã, dia 28, vai ocorrer mais um processo de recolha de assinaturas, no Porto, nos ângulos da Santa Catarina com Passos Manuel.

A melhor do ano (I)

- O que pensa sobre o aborto?
- Considero-o um péssimo 1º ministro e está a governar muito mal o País.
by Alberto João Jardim

Onde lisboa gasta os nossos fundos

Mais um exemplo vergonhoso da (in)actividade dos políticos em lisboa. 

Basta tentar perceber como a  CIG (Comissão para a Cidadania e a Igualdade de Género) gere e desperdiça os nossos impostos e os fundos nacionais. Aquele organismo têm como função educar a nossa linda cabecinha. E que faz o CIG exactamente? Protocolos imensos, gere fundos de dinheiro da união europeia e (here it comes...) lança concursos com prémios para jornalistas!!!

Podem ver aqui o regulamento (vale a pena ler pelos/as tentativas/os de neutralidade linguística/o), a ficha de candidatura e o anúncio do concurso:

PRÉMIO PARIDADE: “MULHERES E HOMENS NA COMUNICAÇÃO SOCIAL /2010”.

Também posso resumir: há um jornalista de lisboa que leva para casa €5.000 por fazer um trabalho na área da igualdade de género. Já está... lá se foram mais 5 limpos... e sabem quando começou este concurso? 2005. Agora  sabemos porque é que o amigo Sócrates tem/teve tão boa imprensa...

Preparar o Verão, ou mais uma forma de governar com "estilo"

A Assembleia da República já está a preparar o Verão e anda a discutir assuntos urgentes como a prática de naturismo, sim porque temos que garantir os direitos das minorias ao “desenvolvimento da
saúde física e mental dos cidadãos, através da sua plena integração na natureza”.
Caros deputados discutam o que verdadeiramente interessa!


DR 244 SÉRIE I de 2010-12-20

Lei n.º 53/2010
Assembleia da República
Regime da prática de naturismo e da criação de espaços de naturismo

Eu não gosto "deste" Natal...

A maioria das pessoas gosta do Natal porque pertence a dois grupos plenamente reconciliados com a época: os crentes (que o festejam com maior ou menor religiosidade) e os secularistas (que se apropriaram do evento religioso, conferindo-lhe contornos puramente laicos e transformando-o numa grande celebração do real, da matéria e – curiosamente – da família). Os primeiros constroem presépios, vão à Missa do Galo e recolhem-se em oração. Os segundos invadem os centros comerciais, embrulham e etiquetam presentes, ornamentam árvores e enviam MMS com renas e céus estrelados.

Resta um pequeno grupo, de quem Dante parecia falar quando escreveu “os lugares mais quentes do Inferno estão reservados para aqueles que, numa época de grandes desafios, mantenham a sua neutralidade”. Falta-lhes a crença para celebrarem o nascimento de Jesus e o entusiasmo materialista para festejarem o mito da modernidade. Sobra-lhes, pois, o Inferno – não a punição numa vida futura a que aludia o mestre florentino, mas o castigo de viver todos os dias de Dezembro como proscritos.

(totalmente de acordo com o José Gomes André, cuja opinião acima transcrevo)

O Ilusionista

Usar a pobreza para fins eleitorais

Corria o ano de 2005 e, após aquela vergonhosa actuação de Sampaio, lá nos preparávamos para eleger o insuportável Sócrates. No debate televisivo entre Santana Lopes e Sócrates, este último - com a sofisticação de pensamento, eloquência, profundidade no conteúdo e outras coisas igualmente boas que lhe são reconhecidas por toda a Via Láctea- a páginas tantas disse a originalíssima frase (e cito de memória) ' um socialista nunca vira os olhos à pobreza', o que foi, de resto, o seu manifesto de esquerda no dito debate. (À época, recorde-se, Sócrates estava tão preparado para ser pm como Palin ou Obama para serem presidentes dos EUA, o que ainda assim foi o pico de adequabilidade de Sócrates à função governativa).
Ficam a saber: um político de esquerda que refere a pobreza (alheia, bem entendido) na sua campanha eleitoral demonstra compaixão, interesse pelo bem-estar dos mais vulneráveis da sociedade e até coerência ideológica; um político de direita que refere a pobreza nas mesmas circunstâncias está simplesmente a usar os mais fracos com fins eleitorais - porque, como também se sabe em todo o universo, a pobreza, no fim de quinze anos de socialismo, é uma situação que atinge escassa gente e de forma nenhuma salta aos olhos e só um político muito velhaco vai buscar algo em vias de extinção no Portugal de 2010. Ou isso ou José Sócrates é um invertebrado demagógico e hipócrita capaz de acusar os outros do que ele próprio já fez.

Cristianismo

Este Natal, recordemos as comunidades cristãs que habitam a terra onde Jesus nasceu. Tão antigas como o próprio Cristianismo, berço de uma riquíssima tradição que marcou profundamente a cultura ocidental, conhecem hoje violências e êxodos em massa que anunciam o mais sombrio dos futuros. No Médio Oriente, entre ortodoxos e católicos de vários ritos, representam cerca de cinco por cento de um total de 350 milhões de almas: 6 milhões de coptas no Egipto, 6 a 4 milhões de arménios na ex-União Soviética, 4 milhões de maronitas e 2 milhões de melquitas no Líbano, na Síria, na Palestina e na Jordânia, 1 milhão de caldeus, 300 mil nestorianos, 250 mil siríacos gregos e 100 mil siríacos latinos no Iraque , na Síria e na Turquia, além de muitos emigrados na Europa e na América e de pequenos grupos de rito romano, como os franciscanos da Terra Santa, que se mantêm teimosamente na região.
Embora o seu passado sob o Islão nem sempre seja um paraíso de tolerância, estas igrejas têm sido sujeitas nos últimos anos a uma inédita hostilidade. O atentado de 31 de Outubro contra a catedral católica de Bagdad, que provocou a morte a cinquenta e três fiéis durante a Missa, é apenas o mais recente exemplo. Poderiam enumerar-se outros no Egipto e na Turquia.
Diz-se que o crescimento do fundamentalismo islâmico é a causa principal da intolerância, mas não é a única. A orfandade ideológica em que o fim da Guerra Fria deixou alguns governos oficialmente não alinhados, mas aliados da União Soviética devido ao apoio americano a Israel, fez a rua árabe regressar a um Islão identitário e exclusivista. Ironia da história: a queda do Muro de Berlim, que trouxe a liberdade aos cristãos no Leste da Europa, trouxe-lhes a perseguição no Médio Oriente. E a invasão do Iraque não veio melhorar as coisas.
O problema, contudo, varia de país para país, da relativa paz na Síria à pura opressão na Arábia Saudita, passando pelo laicismo nacionalista na Turquia, onde os cristãos, assimilados ao inimigo grego, desceram em menos de um século de 20% da população para uns residuais 0,2%, curioso efeito da modernidade de Ataturk. Talvez esta diversidade contribua para a invisibilidade do ataque. Mas, por enquanto, as notícias vão chegando: vemos, ouvimos, lemos, não podemos ignorar...
Por esse mundo foram, nos próximos dias, muitos cristãos vão celebrar o nascimento de Cristo com risco da própria vida...

O Açucar

acucar_rar
Numa altura do ano em que a escassez do açúcar nas prateleiras das superfícies comercias preocupou os portugueses, sobretudo porque a falta ocorre às portas da quadra natalícia, sempre exigente nos gastos deste produto para a confecção da tradicional doçaria, não deixa de ser curioso este cartaz publicitário de uma das mais importantes refinarias do nosso país, a RAR. O cartaz é de 1971.

O outro "buraco"

Há já cinco anos que o buraco na camada de ozono sobre a Antárctida não era tão reduzido, informam hoje investigadores neozelandeses, com base em dados de satélite e medições a partir do solo.
O buraco na camada de ozono, uma “porta de entrada” para os raios ultravioletas que podem ser nocivos para a saúde e Ambiente, atingiu uma área máxima de 22 milhões de quilómetros quadrados este ano, comparada com os 24 milhões registados no ano passado, segundo os investigadores do Niwa, Instituto nacional neozelandês para a Investigação Atmosférica e da Água, sediado em Auckland.
O cientista do Niwa Stephen Wood disse ao jornal “New Zealand Herald” que se tem registado nos últimos anos uma tendência para a diminuição do buraco na camada de ozono. “Todos os anos assistimos a variações na dimensão do buraco de ozono, causadas por diferenças na temperatura e circulação atmosférica. Por isso, não podemos dizer com certeza que o buraco na camada de ozono está a melhorar, com base nas observações que fazemos por ano”, comentou. “Ainda assim, temos agora uma série de anos com buracos de ozono menos severos. Isso indica que podemos começar a ver uma recuperação”, disse Stephen Wood, citado por aquele jornal.
O buraco na camada de ozono sobre a Antárctida forma-se todos os anos em Agosto e Setembro e normalmente desaparece em Novembro ou Dezembro. A maior área alguma vez registada foi 29 milhões de quilómetros quadrados, no ano de 2000.
Público 03.12.2010

A fome

A propósito da excelente, mas tardia, decisão de recolher a comida não utilizada pelos restaurantes e de a distribuir a quem dela necessite, regressou a retórica da fome. 
Chega a ser revoltante ver como tal termo é abusivamente usado entre nós enquanto na África e na Ásia se morre aos milhões, aí sim, de verdadeira fome. A propaganda política e o proselitismo religioso, para não falar na mera voracidade dos que pretendem abocanhar os dinheiros públicos, servem-se despudoradamente da "fome" como bandeira.
Ainda recentemente Cavaco Silva, numa cena deplorável, representou perante as câmaras da TV a sua vergonha por haver portugueses com fome. 
Nesta época natalícia não há marca comercial que não queira aparecer como filantrópica pois os especialistas de marketing devem ter convencido o patronato de que a caridade aumenta as vendas. Por outro lado multiplicam-se as ONG destinadas a "ajudar os necessitados" com recolhas gigantescas de donativos.
Com toda esta azáfama somos levados a interrogar-nos se não deviam já ter acabado todos pobres em Portugal, tantos e tão mediáticos são os caridosos. 
Mas não, todo este estendal de bondade exposto em público serve mais os seus autores do que os hipotéticos destinatários.
Os números avançados nos jornais parecem basear-se em sensações avulsas e não ter qualquer consistência. 
Um trabalho sério e objectivo sobre a matéria continua por realizar deixando o terreno livre para todo o tipo de demagogias.
(enviado pelo Rui Lopes)
 

Excepcionalmente

O comando-geral da GNR fez nos últimos meses mais de quatro mil processos de promoção de guardas, sargentos e oficiais daquela força militar. As subidas de posto são relativas a 2007, 2008, 2009 e a este ano, implicando o pagamento de centenas de milhares de euros de retroactivos.
Este é um processo que se acelerou em Outubro, quando foram conhecidas as linhas mestras do Orçamento de Estado de 2011, que prevê o congelamento de carreiras e cortes salariais entre 3,5 e 10 por cento. Isso mesmo assume ao PÚBLICO o porta-voz da GNR, o tenente-coronel Costa Lima, que sublinha, contudo, que "ninguém foi promovido antes do tempo".
....
A PSP também promoveu este ano 1200 efectivos (800 agentes, 250 chefes e 150 oficiais) resultantes de concursos realizados em 2008 e 2009. O desbloqueamento das promoções foi pretexto para várias acções de protesto, explica ao PÚBLICO o presidente da Associação Sindical dos Profissionais da PSP, Paulo Rodrigues, que aponta a concentração de polícias junto da residência oficial do primeiro-ministro, em 23 de Setembro, como a principal razão do fim do impasse na progressão das carreiras.
(Público 23.12.2010)

Depois da PT e de outras empresas, dos Açores e da Madeira, de certos hospitais, do IVA social etc, etc, etc.
Quer as leis sejam justas, ou injustas, há sempre um caminho para as contornar.
Portugal é excepcional, é o país das excepções.

Porque é Natal

O último dos Coldplay em versão natalícia.

Pergunta do dia

Que bicho mordeu o Bicho?

Brasil: Assaltante de bancos chega à presidência

O comunista Lula saiu, dando a vaga à assaltante e terrorista Dilma: e o tuga é que é burro?

O PASSADO E O PRESENTE DE UMA ASSALTANTE
Páginas da História do Brasil que deveriam ter maior divulgação

ESTELLA
Cérebro do roubo ao cofre




A COMPANHEIRA ESTELLA
Nos tempos da ditadura militar a companheira Estella foi uma das que planejou aquele que seria o mais rentável golpe da luta armada em todo o mundo: o roubo do cofre de Adhemar de Barros, ex-governador de São Paulo.
O crime foi cometido pela Vanguarda Armada Revolucionária-Palmares (VAR-Palmares), resultado da fusão da Vanguarda Popular Revolucionária (VPR) do capitão Carlos Lamarca com o Colina, do qual a companheira Estella era líder.
Onze dias depois da fusão, em julho de 1969, 13 guerrilheiros da VAR-Palmares roubaram o cofre de 200 kg de uma casa no bairro carioca de Santa Tereza, onde vivia a amante de Adhemar.
Os guerrilheiros sacaram do cofrinho do Ademar US$ 2,6 milhões de dólares.
Onde foi parar o dinheiro? Eis um dos mistérios insondáveis daquela época que produziu tantos “heróis” e “heroínas” da esquerda..."


A ficha nos arquivos militares de Dilma Rousseff: só em 1969, ela organizou três ações de ROUBO de armamentos em unidades do Exército no Rio de Janeiro.











Via Historiador do Quotidiano

Jobs e outros roubos

Veio publicado na 2.ª Série do Diário da República um despacho do extraordinário João Duque, através do qual Eduardo Catroga é contratado para professor catedrático, o que parece que não lhe ocupará muito tempo ["a tempo parcial 0 %"] e, já que estamos com a mão na massa, o contrato produz "efeitos a partir de 1 de Setembro de 2008".


Expliquem-me lá os efeitos deste despacho:
Se contratado para o quadro a 0% do tempo, eu diria que talvez fosse para não trabalhar mas para ter o lugar garantido, talvez sem salário.
Agora contratado para além do quadro a tempo parcial 0% e ainda por cima com efeitos retroactivos a 01/09/2008, desculpem mas não entendo.
Vá-se lá saber das intenções...

Ex-dirigente dos "Encornados" foge da prisão


"Ex-dirigente do Benfica escapa de prisão no Brasil
Luís Moreira e um preso por sequestro evadiram-se de noite. Guardas podem ter ajudado
Há cerca de quatro meses, Luís Jorge Lopes Moreira, ex-responsável da equipa de futsal do Benfica, vinha a público queixar-se das condições desumanas em que se encontrava detido na prisão de Itaitinga 3, no Ceará, Brasil, acusado de bigamia, falsificação de documentos, fraude, burla qualificada e branqueamento de capitais. As autoridades mudaram-no para instalações mais acessíveis, o quartel central do Corpo de Bombeiros, em Fortaleza, enquanto o Supremo Tribunal de Justiça analisava o pedido de extradição emitido por Portugal, onde é acusado de burlas no valor de 4,5 milhões de euros. Anteontem à noite, juntamente com um brasileiro detido por sequestro - José Leite -, fugiu da prisão, encontrando-se a monte.
Queixou-se de ter sido torturado com sacos de plástico na cabeça, para não respirar, de comer as refeições com fezes e de ter de beber água do chão. Após o apelo, as autoridades brasileiras retiraram-no daquela que é considerada uma das piores prisões do Brasil e detiveram-no no Corpo de Bombeiros. Anteontem, pela calada da noite, evadiu-se. Há quem diga que o cadeado da cela foi serrado, informação desmentida pelo capitão Márcio Albert a uma televisão daquele país.
"Ao início da noite, notámos a ausência de dois presos, o Luís Jorge e o José Leite, e mobilizámos homens para os procurar. Não há sinais de arrombamento na cela e já foi aberta uma investigação para apurar se houve responsáveis por esta fuga. O nosso circuito interno de televisão também vai ajudar a apurar as causas."
Detido no Brasil desde 30 de Março, Luís Moreira actuava em conjunto com um outro português, Carlos Lage, tendo este sido detido pela polícia federal em Junho passado. Ambos são acusados de, munidos de procurações falsas, abordarem construtores civis em Portugal e venderem-lhes terrenos que não eram propriedade sua.."

Toupeira por águia...

Disse o sr. Barnabé:
«Proibiram-me de entrar pelo túnel dos jogadores, Sempre assim foi em todos os jogos. Neguei-me a entrar pela porta da maratona porque estava uma chover. Passámos pelo parque de estacionamento com insultos, agressões e sempre a ser humilhado. O Chefe de Segurança Rui Pereira dificulta-me sempre a vida, semper a humilhar-me »

«Fui agredido, deitado ao solo por três seguranças. Recebi ordem directa do administrador, o senhor Domingos Soares Oliveira, para abandonar as Instalações».


Bolas, já são tantos os casos naquele desgraçado e putrefacto túnel que o melhor mesmo era substituir a Vitória por uma... toupeira!!!

Wikileaks: está na moda... (III)


O novo Mapa Mundi


Este mapa de autoria desconhecida está a circular na Internet esta semana. Embora a geografia planetária seja a mesma, o mapa mostra os países do mundo reorganizados de forma a que a sua área seja equivalente ao número de habitantes de cada país (aqui pode-se ver uma versão maior). Curiosamente, apenas os EUA, Brasil, Iémene e a Irlanda permanecem no lugar que ocupam no mapa real. O Paquistão, por exemplo, ocuparia toda a Austrália. Esta ocuparia o lugar da Espanha. No lugar de Portugal estaria o Quirguistão e nosso país ocuparia o local da América do Sul actualmente ocupado pelo Equador. Como vizinhos teríamos a África do Sul e a França. Um mundo bem diferente.

FCPorto de luto: Morreu Pôncio Monteiro


Pôncio Monteiro, membro do Conselho Superior do F. C. Porto, faleceu hoje, terça-feira. Estava internado no Hospital de Santo António, no Porto, desde sexta-feira, depois de ter sofrido um AVC.

Aos 70 anos, faleceu um enorme portista, um dos melhores de todos os tempos. O denodo e a convicção que colocava em tudo o que dizia, sem cedências a modismos nem ao politicamente correcto, fizeram da sua figura um exemplo inquebrantável do brio azul-e-branco.
A melhor homenagem possível é que o seu clube de sempre continue a a ganhar, a ganhar e a ganhar, para que todos possamos imaginar o sorriso de quem tanto fez para que o F.C. Porto fosse das poucas coisas de que ainda nos podemos orgulhar neste país.
(por CAA, in Blasfémias)

FCPorto de luto: Morreu o sócio nº 3


António Santos Ferreira Silva, sócio número 3 do FC Porto, morreu hoje, aos 95 anos, vítima de doença prolongada.

António Santos Ferreira Silva nasceu no Rio Grande, no Estado do Rio Grande do Sul (Brasil) durante a Primeira Guerra Mundial, mas foi no Porto que viveu desde tenra idade.

Defensor e conhecedor das tradições da cidade Invicta, era uma personalidade incontornável da história popular da Cidade.

Sócio nº3 do Futebol Clube do Porto, foi várias vezes agraciado pelo clube devido à sua dedicação e longevidade.

Apesar de amar o Porto, escolheu Vale de Moinho, aldeia perto de Arganil de onde é originária a sua mulher, como última morada.

Porque é Natal

(enviado pelo Amigo Pinto da Costa)

Porto Taylor's recebe pontuação máxima

1500 garrafas de um porto Taylor's com 155 anos vão ser colocadas no mercado, a 2500 euros cada.

O vinho do Porto Taylor's SCION, com 155 anos, obteve a nota máxima dada pelo norte-americano Robert Parker, o crítico de vinhos mais famoso e prestigiado do mundo e editor da revista The Wine Advocate.

"O SCION é um Tawny incrível, na verdadeira acepção da palavra", "um elixir inesquecível" e "um vinho que nos deixa de queixo caído" - estes foram alguns dos comentários de Neil Martin, o provador de vinho do Porto para Robert Parker, que atribuiu ao SCION a pontuação máxima: 100 pontos.

O Taylor's SCION é um Porto que, embora lançado recentemente, tem 155 anos, o que faz dele um vinho pré-filoxérico, "notável não só pela sua raridade e importância histórica", mas também por "estar em perfeitas condições", segundo refere fonte da empresa.

"A Taylor's orgulha-se de envidar todos os seus esforços naquela que é talvez a melhor denominação de origem a nível mundial - o vinho do Porto", salienta Adrian Bridge, director-geral da Taylor's.

O responsável considera ainda que "poucas denominações de origem podem apresentar vinhos com século e meio de envelhecimento com características tão excepcionais capazes de espantar todo o mundo".

A companhia acrescenta que "o SCION é um dos raros sobreviventes do período pré-filoxérico, e a admirável forma como enfrentou a passagem do tempo fazem dele um marco na história do vinho", sendo, por isso, "um monumento a uma era perdida". A filoxera foi uma praga que atacou as vinhas em 1870, devastando-as.

Este "extraordinário vinho" foi descoberto em 2008 por David Guimaraens, enólogo da Taylor's, num armazém de uma família do Douro, situado perto da Régua, no coração da Região Demarcada do Douro.

Com excepção de um casco, que se diz ter sido adquirido pelo antigo primeiro-ministro inglês Winston Churchill, o restante vinho foi "conservado como uma relíquia de família, que o passava de geração em geração".

A empresa vai colocar 1500 garrafas deste vinho no mercado, ao preço de 2500 euros cada.

Radamel Falcao

No pretérito campeonato nacional português, Radamel Falcao perdeu o título de melhor marcador para um bacano de um clube lisboeta: o motivo é que aquele clube beneficiou de várias "ajudas" e penalidades máximas era um fartote. Cardozo, especializou-se na marcação das tais castigos e assim conseguiu suplantar Falcao, do FCPorto, na minha opinião, um avançado muito mais completo que o cepo "encornado" de lisboa.
Felizmente para Falcao, os seus golos -e são muitos- são marcados com esforço, astúcia, classe e, claro, pontaria. São o seu melhor cartão de visita. O penalty é um acessório dispensável, como o comprova os castigos máximos que já falhou...
Por isso não é de estranhar o prémio: o golo que Radamel Falcao marcou pelo FCPorto ao Atlético de Madrid, a 30 de Setembro de 2009, foi eleito o melhor tento da anterior edição da Liga dos Campeões pelos espectadores da «Fox Sports» argentina. Uma delícia. Ora vejam e digam lá se não é melhor que 10 penalidades juntas:

Nações Unidas e Direitos Humanos: bem prega Frei Tomás...

Navy Pillay, a alta-comissária dos Direitos Humanos das Nações Unidas, não compareceu à entrega do Nobel da Paz atribuído ao dissidente chinês Liu Xiaobo...

Sem comentários

Se o avião tivesse chegado ao Porto...

Um documentário, para ser visto sem constrangimentos políticos ou mesmo preconceitos ideológicos, que resultou da parceria entre o Instituto Francisco Sá Carneiro e o IDL - Instituto Amaro da Costa

.

Wikileaks: está na moda... (II)

Nestas alturas é sempre bom relembrar: se não beber...

... conduza.

Mentecaptos

Porta-voz dos McCann diz que telegrama é “nota histórica”, sem actualidade

Aniki-Bóbó - o melhor filme português de sempre

Aniki-Bóbó (1942): primeira longa-metragem do Mestre Portuense Manoel de Oliveira, produzida por Lopes Ribeiro está de regresso aos cinemas em cópia restaurada. Trata-se de uma história de uns meninos humildes na Ribeira do Porto, autêntica metáfora à condição humana. Um filme com pronúncia do Norte, pronúncia genuína e autêntica dos actores, nenhum deles profissional excepto Nascimento Fernandes.

Já agora, para aqueles que acharem o contrário e procurarem outros filmes, quer da época, quer mais recentes, realizados com dinheiros do estado por "pseudo" realizadores sulistas e centralista, (re)lembro que a Sight & Sound, uma das mais prestigiadas publicações sobre cinema à escala mundial, elaborou há uns anos a lista das 500 melhores películas de sempre. Só há uma portuguesa. Qual? Aniki-Bóbó!

Asia Bibi - Crime: ser Cristã num país muçulmano


Asia Bibi (na imagem supra), de nacionalidade paquistanesa, tem 45 anos e é mãe de 5 crianças. Está presa há mais de 1 ano. O crime? É CRISTÃ num país muçulmano! A pena? Arrisca-se a ser executada!

Consta-se que, depois de provocada por "colegas" de trabalho muçulmanas, se envolveu em discussão com aquelas. Aproveitaram-se da sua reacção e foi por aquelas acusada de ser infiel e de professar uma religião de infiéis, tendo proferido certas palavras consideradas menos abonatórias sobre o profeta Maomé.

Foi rapidamente detida e acusada do crime de blasfémia e de imediato condenada à morte pela opinião pública e, claro, pelos fanáticos religiosos muçulmanos, portanto, aparentemente sem julgamento nem direito a defesa. É esta a liberdade e a auto-designada religião da paz, o islamismo! Bastardos!

Curioso e claramente óbvio é perceber que no Paquistão, ocorrem manifestações, cuja imagem se ajunta abaixo, não contra os desígnios da pobreza, nem contra a corrupção, nem tão pouco contra a violência em que aquele desgraçado país se encontra mergulhado, mas antes contra um eventual perdão a Asia Bibi. Esses "maravilhosos" e clarividentes muçulmanos exigem antes que a sentença de enforcamento seja cumprida!!!


De barbárie semelhante já aqui referimos a situação de Sakineh Ashtiani, agora chega a vez do castigo que querem impor a uma Cristã. Atenção Ocidente...

Republica perversa, caduca, ultrapassada e retórica

Na falsa assembleia da república portuguesa, antro de negociatas e de vergonhosas cenas de faz de conta, perpretadas por uns biltres eleitos por círculos eleitorais mas que no fundo são apenas funcionários partidários, que estão nas tintas para as reais necessidades das regiões que os elegeram, bacanos que fingem zangar-se, que franzem o sobrolho, que se insultam e corneiam, enfim, que se degladiam tipo wrestling, ou seja, "lutam" de forma mais ou menos encenada, deram um destes dias mais um exemplo da sua corrupção, dos seus inconfessáveis desígnios. Falo da lei de financiamento partidário, aprovado pelo centrão e que mais uma vez é um exemplo acabado acerca da vontade que os nossos políticos têm de reformar o sistema (podre) que vigora nesta republica nascida do assassinato e da desonra.
Razão tem o presidente da Transparency International em Portugal: «sob o pretexto de diminuir o esforço dos contribuintes na comparticipação das despesas de campanha, a nova lei cria verdadeiros poços de opacidade que apagam qualquer possibilidade de transparência na relação entre as candidaturas e os eleitores: institucionaliza o donativo indirecto como mecanismo de esvaziamento das despesas de campanha; introduz mecanismos que permitem a criação de valor dentro dos partidos por via do arrendamento do seu património às suas próprias actividades; cria mecanismos de branqueamento de receitas ilegais ou de proveniência duvidosa através da contabilização de angariação de fundos; anula o efeito punitivo das coimas, que passam a figurar como despesas correntes dos partidos; e para cúmulo dos cúmulos ainda cria uma nova subvenção pública que permite o financiamento dos partidos através dos grupos representados na AR e nas assembleias regionais, e que tem vindo a ser paga ilegalmente aos partidos, à revelia de um Acórdão do Tribunal Constitucional

E não se podem eliminar este regime e os seus lacaios?

Cuidado Ocidente porque isto é o Islão: selvajaria



A tal "religião da paz", com exemplos fantásticos dessa mesma, hum, "paz" e "amor" pelo próximo, no Irão, Sudão, Iemen, Afeganistão e nos milionários reinos do golfo, é na realidade uma religião adaptada aos propósitos terríveis de lideres religiosos que não passam de carniceiros e terroristas. Hoje, chegado do Sudão, temos o caso de uma mulher brutalmente açoitada por um polícia sudanês. As imagens das agressões mostram uma mulher aterrorizada e rodeada de homens grita e chora, sabendo o seu destino imediato. "Fechamos-te dois anos na prisão se não de vergas e te sentas no chão", ameaça um homem vestido com o uniforme da polícia do Sudão, antes de iniciar o ataque. "Devem ser 53 chicotadas", diz outro dos homens presentes, segundo as legendas do vídeo.

Perante as gargalhas da assistência, a mulher pede clemência: "Já chega! Já chega!" Pedido ignorado. A violência continuou. É um acto de pura crueldade. Mas a justiça do Sudão já abriu uma investigação para apurar se o castigo em causa está previsto no Código Penal do país!!! Percebem, se estiver, tudo bem, açoitem à vontade, torturem e humilhem... Segundo se consta o motivo que levou os agentes a agredir a mulher foi o facto daquela ter usado calças!!!


Muito gostava eu que aqueles andróides que defendem estes regimes muçulmanos vivessem naqueles antros de brutalidade e sofressem das mesmas sevícias...

Gente feliz com lágrimas: Porto Vintage

O patético reino "encornado"

Realmente o clube da regime é mesmo diferente: mas assenta a sua diferença no ridículo.
Depois de um comunicado a anunciar o fim de um boicote que nunca o foi (a não presença em jogos fora de casa) e que o jornalixo deveria ter assinalado como uma chantagem intolerável feita pelos encornados aos outros clubes, chegaram agora mais duas notícias anedóticas do reino da águia: por um lado, que andam a reboque (isso já todos os sabemos),

por outro lado que a casa se anda a desfazer e que nem o pneumático presidente escapa a levar com pedaços na cabeça:

Mi55a de Mês

Mahsa Vadhat: um exemplo no obscuro Irão

Mahsa Vadhat é iraniana. Reside num país onde mulheres apenas cantam para mulheres. Um país onde apenas em raras ocasiões - quando devidamente acompanhadas e enquanto parte do coro - podem mulheres aparecer em palco para um público masculino. Nao é desejável que homens se excitem com as vozes femininas, dizem as autoridades. Um país que proíbe performances a solo de artistas mulheres. E mesmo concertos correctamente organizados e autorizados podem ser sujeitos a cancelamentos inesperados. Um país onde todas as melodias de qualquer artista sao analisadas e aprovadas pelo Ministério da Educação Islâmica, a instância que censura imprensa, teatro, livros, enfim, tudo o que é publicado, sem que alguém consiga exactamente descortinar com que critérios as decisões são tomadas, que tipo de ritmos ou textos se podem permitir os músicos. Um país no qual a arte é composta com base em medos, suspeitas, auto-censura, riscos de ultrapassagem dos limites desconhecidos da arbitrariedade, onde cada forma de individualidade é considerada rebeldia, desde a música de que se alimentam até aos cortes de cabelo bem-vistos pelo regime. Um país onde o modo de colocar o véu assim como o comprimento da roupa sao determinados por lei e no qual verniz nas unhas ou sobrancelhas arranjadas sao proibídos. Um país onde uma pontinha acrescida de liberdade é considerada uma revolucao. Aos líderes terroristas muçulmanos a quem foi permitido (por russos, chineses, coreanos, brasileiros lulistas) desenvolver o nuclear com único objectivo de atacar, primeiro a Nação Israelita, e depois todo o Ocidente...
Mahsa Vahdat luta por revoluções, cantando. Deus lhe dê a sabedoria e a firmeza para combater esses criminosos...