Kosta de Alhabaite

Nortenho, do Condado Portucalense

Se em 1628 os Portuenses foram os primeiros a revoltar-se contra o domínio dos Filipes, está na hora de nos levantarmos de novo, agora contra a colonização lisboeta!

Faltam 4 jogos para o fim do campeonato e... (II)

... e para o Marítimo-FCPorto temos o ......

FERREIRA, "venha o João"... o árbitro mais desejado de Filipe Vieira, cuja chamada telefónica em que aquele presidente do grémio encarnado escolhia os árbitros, ESTRANHAMENTE não foi tida nem achada pela Liga e pelo funcionário avençado do benfica, ricardo ...

E já agora, a acompanhá-lo venha de lá o Pais António, o FERRARI, aquele magnífico juiz de linha da final da taça da liga que conseguiu ver um penalti magnífico para os lampiões e que mais ninguém nesta trampa de país viu...

Só para recordar a imprensa:
«O árbitro assistente que apoiou Lucílio Baptista na controversa decisão de assinalar grande penalidade contra o Sporting na final da Carlsberg Cup, disputada com o Benfica no Estádio Algarve, ganha a vida como 1.º Sargento de Infantaria do Exército e reside no concelho de Setúbal, onde, segundo O JOGO apurou, é conhecido pelo seu… benfiquismo, que não reprime nem mesmo no curso de árbitros. A afeição pela cor forte do emblema da Luz - o encarnado - levou inclusivamente a que Pais António recebesse a alcunha de “Ferrari”»in O JOGO

Faltam 4 jogos para o fim do campeonato e... (I)

Alguém sabe quando é que vão sair os castigos associados aos processos disciplinares instaurados a Paulo Bento, João Moutinho e a Pedro Silva das "medalhas", na sequência das vergonhosas cenas, atitudes e afirmações grosseiras no jogo da final da Taça da Liga ?

Não é por nada, mas já passou mais de um "mesito".... Será que vamos ter mais uns quinhentinhos?

Ou será que os castigos, a serem concretizados, vão ser cumpridos nos jogos da taça do guadiana? Dava jeito não é, com o Porto ali tão perto... E o ricardinho deve andar ocupado não??

Jorge Pópulo

"... pois bem, é sobre tudo isto que convosco quero partilhar, descortinando um próximo evento. O lançamento d’ “O Oráculo do Fogo”, uma colectânea de textos que se agregaram em livro, procurando contar uma história de vida, que muito deambulou também por caminhadas do nosso UPB.
Trata-se do privilégio – que agradeço a quem mo concedeu – meu de poder editar uma obra escrita, na qual tive a liberdade de narrar as andanças de um período de vida de grandes mudanças, marcantes. Vicissitudes comuns a muitas outras histórias, a muitas outras experiências. Nessas fases – umas difíceis, outras apenas conturbadas – o nosso grupo funcionou como amparo, como respiro, como escape e ombro amigo. Neste momento de balanço, muito agradeço a todos os que então, directamente ou mesmo sem saberem, me apoiaram
..."

Jorge Pópulo, também conhecido por Andarilhus, camarada do treking e de caminhadas inesquecíveis, cumpriu mais uma tarefa na sua vida: escreveu um livro, o "Óraculo de Fogo". Estamos convidados.
No dia 25 de Abril, será pelas 22h30 no Bela Cruz (ao fundo da Av. da Boavista, Porto). Em simultâneo, será igualmente lançado pela editora, “Editame” um outro livro "Palavras de Mim", da autoria de Filipe Paixão.
Elvira Basílio, da Portosigns, convida-nos para uma sessão de apresentação dois livros no seu espaço cultural/comercial na Ribeira do Porto, no próximo dia 26 de Abril às 16h. Será servido um Porto de Honra e a actuação musical de Pedro Lopes (piano) e Miguel Motta (voz).

Cimeira do racismo...

Numa das reuniões da Cimeira contra o Racismo e Discriminação, cujo comité era presidido pela Líbia (!!!), a ong «UN Watch» apresentou como seu delegado um médico palestiniano preso e torturado pelas autoridades líbias. Obviamente, não conseguiu falar……

Muito bem

Ramalho Eanes desafia portugueses a serem mais exigentes com os governos

"Temos o governo que merecemos, temos os partidos que merecemos", disse o ex-presidente da República, ao falar num colóquio sobre o 25 de Abril.
O ex-presidente da República Ramalho Eanes desafiou os portugueses a serem "mais exigentes" com os governantes, durante um colóquio comemorativo do 25 de Abril, realizado na quinta-feira em Grândola, promovido pela câmara local.
"Nós temos o governo que merecemos, temos os partidos que merecemos, temos os subsistemas de saúde e educação que merecemos, porque somos responsáveis pela nossa sociedade", disse Ramalho Eanes, depois de citar um autor espanhol que responsabilizava os povos submetidos a regimes tirânicos, pela incapacidade de se revoltarem.
"Cabe-nos a nós impor regras, exigir condutas e, quando for necessário, substituirmos os governantes", frisou Ramalho Eanes, no colóquio moderado pelo jornalista Adelino Gomes, em que também participaram o empresário Belmiro de Azevedo, o ... Pacheco Pereira e o presidente da Câmara de Grândola, Carlos Beato, anfitrião e promotor deste colóquio comemorativo do 25 de Abril.
O general que comandou as tropas do 25 de Novembro (de 1975) - que para muitos significou o fim dos excessos do período revolucionário -, acrescentou que "é tempo de mudar" (de atitude), porque deve ser o povo português a definir as linhas do futuro.
Ramalho Eanes foi o último orador no colóquio em que o empresário de Belmiro de Azevedo contou como começou a construir o império da Sonae, de que detinha apenas 17 acções na fase inicial.
Belmiro de Azevedo, um dos maiores empresários portugueses, também se referiu às dificuldades que os portugueses atravessam, deixando um recado às gerações mais jovens para que apostem na qualificação e na "irreverência".
O comentador político advertiu para os perigos da crise económica que se faz sentir a nível mundial, e lembrou que "a democracia não sobrevive bem em ambientes em que as pessoas empobrecem rapidamente".
"Estamos a aceitar coisas que são inaceitáveis: estamos a aceitar que, cada vez mais, sejamos "controlados electronicamente, a aceitar que toda nossa vida possa ser reconstituída pelo estado", frisou.
"Todos os meus movimentos bancários são conhecidos, todos os meus levantamentos no multibanco são conhecidos, os livros que compro numa livraria são conhecidos, se passear pela baixa ... estou permanentemente a ser filmado", frisou o Pacheco Pereira procurando evidenciar a necessidade de os portugueses continuarem a lutar pela liberdade, no dia-a-dia.
Durante o debate que terminou já hoje de madrugada, o jornalista Adelino Gomes leu um noticiário que foi transmitido na Rádio Renascença a 26 de Fevereiro de 1972 (dois anos antes da revolução de 25 de Abril de 1974), e que pouco mais era do que a agenda do então Presidente da República, almirante Américo Tomás.

Vinho da trampa

O governo de lisboa e os funcionários partidários do parlamento, que nada mais têm que fazer, não gostam da palavra Estremadura, que como sabem é o nome de uma província de Portugal onde fica a miserável e centralista capital. Vai daí, olhando, como é hábito para o (pouco) que observam do postigo do seu pardieiro, decidiram substituir a indicação geográfica “Estremadura“ pela indicação geográfica “Lisboa“, para designar os vinhos produzidos em parte dos concelhos de Lisboa (com excepção do da Azambuja) e de Leiria.

Por este andar, os mesmos salafrários, incomodados com a designação do país, Portugal, não tarde e vão, por decreto, alterar a designação para "Lisboagal"...

Preparem-se...

O "esbulho" vai recandidatar-se, por isso não se esqueçam...

No passado dia 17 era suposto abrir, no Cinema Batalha, o Festival Intercéltico do Porto.
Era suposto mas tal não se concretizou porque a corja que tem assento na câmara do Porto não terá confirmado em tempo útil o apoio àquele festival.
Ou seja, depois de já ter reduzido o apoio em 2008, este ano pura e simplesmente baldaram-se.
Certamente que Rio, a olhar para a cadeira do PSD tem andado distraído, mas é notória a sua política anti-Porto e anti-cultural. Para mais, o Intercéltico era só o mais antigo festival musical da Cidade!
O Intercéltico, na música, é um dos ícones da cultura do Porto, tal como o Fantasporto, no cinema, e o Fitei, no teatro. Estes porcos que nos governam deixam cair tudo... Chamam de “caçadores de subsídios” aos agentes culturais da cidade, mas para corridas de pópós e outras trampas elististas estão prontos a esbanjar. Quando corremos com esta corja?

Datas com História: 13 de abril de 1941


"The discovery of a mass grave of Polish prisoners-of-war executed by Soviet forces in the Katyń Forest Massacre was announced in Germany, driving a wedge between the Western Allies, the Polish government-in-exile in London, and the Soviet Union. The Katyn massacre, also known as the Katyn Forest Massacre and the Katyn Incident (Polish: Katyń), was a mass execution of Polish citizens by the order of Soviet authorities in 1940. Estimates of the number of Polish citizens executed at three mass-murder sites in the spring of 1940 range from some 1803 through 14,540,and through 21,857 to 27,700. Most of those killed were reserve officers taken prisoner during the 1939 Polish September Campaign, but the dead also included many civilians who had been arrested for being "intelligence agents and gendarmes, spies and saboteurs, former landowners, factory owners and officials". Since Poland's conscription system required every unexempted university graduate to become a reserve officer, the Soviets were thus able to round up much of the Polish, Jewish, Ukrainian and Belarusian intelligentsias of Polish citizenship. " Mais aqui.

Piadinha: ainda o rescaldo do FCPorto - MUnited

Um adepto do Sporting chega a uma loja de material desportivo e depara-se com uma infinidade de camisolas de clubes de futebol.
Só não via a do seu clube. Meio acanhado, pergunta ao vendedor:
- Quanto custa a camisola do Real Madrid?
- 40 €
- E a do Manchester?
- Essa custa 50 €
- E a do Porto?
- Oh meu amigo... Essa é a mais cara da loja por se tratar do melhor clube do mundo, e custa 65 €.
Aí, o pobre arrisca:
- Você não tem aí a camisola do Sporting?
- Tenho sim. Está do outro lado, na prateleira das liquidações e custa 9,50 €.
- Irra!!! Só 9,50 €???!!!
- É uma promoção para liquidação de stock, essas porcarias não se vendem...
- Então dê-me uma - e estendeu uma nota de 10 €.
O vendedor vai à caixa registadora, coça a cabeça e meio atrapalhado diz:
- Desculpe, mas não tenho trocos. Quer levar uma camisola do Benfica para completar os 10 €?

Crianças e a (sua) educação

Um bom artigo que nos leva a pensar se, como Pais, estamos a actuar bem ou mal. Se concordamos ou não... Se é possível ou não... Leiam aqui....

Obrigado Senhor Presidente

27 anos de glórias

Só no futebol: 15 campeonatos nacionais, 9 Taças de Portugal, 15 Supertaças, 2 Taças dos Clubes Campeões Europeus, 1 Taça UEFA, 2 Taças Intercontinentais e 1 Supertaça Europeia.

Não, não me esqueci: Dia da Terra

Um "bocadinho da "Terra, numa excelente reportagem fotográfica de Patrick Farrel (prémio 'pulitzer' de fotografia)

Quinhentinhos

Lembro-me de um treinador do FCPorto (Co Adrianse) que foi expulso do banco e levou 1 jogo de castigo por ter gritado "é falta!".
Lembro-me de um treinador do FCPorto (Jesualdo Ferreira) ser castigado por 1 jogo pela UEFA por ter feito um manguito...

Vejo um treinador do "Sporten" (Paulo Bento) a dizer as maiores atrocidades contra árbitros e nada lhe acontecer.
Vejo um treinador do "Sporten" (Paulo Bento) fazer gestos a assinalar gatunagem e nada lhe acontecer.
Vejo um treinador do "Sporten" (Paulo Bento) ser expulso por gritar obscenidades ao árbitro e à sua mãe e não lhe ser aplicado o castigo mínimo em casos de expulsão, que é 1 jogo; pelo contrário, aplicam-lhe uma multinha... Os "quinhentinhos" do costume!

"Mais uns "quinhentinhos" para animar o futebol português. E vivam os palhaços da Liga!

O palhaço do costume... Desta vez, Xistra...

Bem que tentaste Carlos….


Penaltis, agressões violentas, vermelhos por assinalar, foras de jogo... Nós Dragões, de ti, contra nós, já conhecemos a tua tendência: incompetente e gatuno!

Nota: Claro que aquele meio-campo e Fucile tenrinho... Jesualdo não aprende... e os avançados falham que se fartam... Irra. E lá se foi Hulk sem que o sacana que o agrediu levasse sequer um amarelo. Xistra não quis, assim como não expulsou aquele que ceifou o Fernando que se isolava... Pois... Já foi o bispo e o cavalo até ao fim da temporada...

Nota: Porto - Paços de Ferreira?! Final da Taça em Vigo!

'mai' nada ...

"Ao FC Porto faltaram todas as virtudes que mostrou em Old Trafford"

e agora, a frase mais ouvida na Casa Branca é:

"Obama, vai dar banho ao cão"

Anedotas futebolísticas da semana

"Numa altura em que nada tinha, talvez só as pedras da calçada para passear, e que se calhar já estavam hipotecadas, o Benfica fez um estádio novo. Qual é o problema de fazer uma equipa?" sublinhou, acrescentando: "Foi muito mais difícil fazer um estádio do que criar uma equipa. A equipa está criada. Isso não conta para a estratégia do Benfica."
e as ajudinhas da EPUL que os senhores procuradores ainda não tiveram tempo de investigar?

"Não rasgamos contratos, nem temos medo de enfrentar quem quer que seja."
diga lá outra vez... ha ha ha ...


"Não necessitamos da Liga dos Campeões para o nosso projecto"
esta é de mais, segurem-me que não consigo parar de rir, ha ha ha ha

A melhor oposição

Novas da "religião da paz"

"Organização de Ben Laden enviou paquistaneses, limpos nos registos da secreta britânica, para formar célula terrorista que preparava atentados à bomba em zonas movimentadas de Manchester para o fim de semana de Páscoa

Dos campos de treino da Al-Qaeda, em zonas remotas do Paquistão, para as universidades no Reino Unido. Foi este o caminho dos terroristas detidos quarta-feira no nordeste de Inglaterra, quando preparavam vários atentados no fim-de-semana de Páscoa
(mais
aqui)".

Datas com história: 9 de Abril de 1918

LA LYS

A Batalha do Lys (conforme a historiografia francesa) ou Batalha de La Lys, também conhecida como Batalha de Ypres 1918, ou ainda Quarta Batalha de Ypres , e como Batalha de Armentières pela historiogafia britânica e a alemã, deu-se entre 9 e 29 de Abril de 1918, no vale da ribeira da La Lys, sector de Ypres, na região da Flandres, na Bélgica.

Nesta batalha, que marcou a participação de Portugal na Primeira Guerra Mundial, os exércitos alemães, provocaram uma estrondosa derrota às tropas portuguesas, constituindo a maior catástrofe militar portuguesa depois da batalha de Alcácer-Quibir, em 1578.
A frente de combate distribuía-se numa extensa linha de 55 quilómetros, entre as localidades de Gravelle e de Armentières, guarnecida pelo 11° Corpo Britânico, com cerca de 84.000 homens, entre os quais se compreendia a 2ª divisão do Corpo Expedicionário Português (CEP), constituída por cerca de 20 000 homens, dos quais somente pouco mais de 15 000 estavam nas primeiras linhas, comandados pelo general Gomes da Costa. Esta linha viu-se impotente para sustentar o embate de oito divisões do 6º Exército Alemão, com cerca de 55 000 homens comandados pelo general Ferdinand von Quast (1850-1934). Essa ofensiva alemã, montada por Erich Ludendorff, ficou conhecida como ofensiva "Georgette" e visava a tomada de Calais e Boulogne-sur-Mer. As tropas portuguesas, em apenas quatro horas de batalha, perderam cerca de 7.500 homens entre mortos, feridos, desaparecidos e prisioneiros, ou seja mais de um terço dos efectivos, entre os quais 327 oficiais.

Entre as diversas razões para esta derrota tão evidente, têm sido citadas, por diversos historiadores, as seguintes:
A revolução havida no mês de Dezembro de 1917, em
Lisboa, que colocou na Presidência da República o Major Doutor Sidónio Pais, o qual alterou profundamente a política de beligerância prosseguida antes pelo Partido Democrático.
A chamada a Lisboa, por ordem de Sidónio Pais, de muitos oficiais com experiência de guerra ou por razões de perseguição política ou de favor político.
Devido à falta de barcos, as tropas portuguesas não foram rendidas pelas inglesas, o que provocou um grande desânimo nos soldados. Além disso, alguns oficiais, com maior poder económico e de influência, conseguiram regressar a Portugal, mas não voltaram para ocupar os seus postos.
O moral do
exército era tão baixo que houve insubordinações, deserção e suicídios.

O armamento alemão era muito melhor em qualidade e quantidade do que o usado pelas tropas portuguesas o qual, no entanto, era igual ao das tropas britânicas.
O ataque alemão deu-se no dia em que as tropas lusas tinham recebido ordens para, finalmente, serem deslocadas para posições mais à rectaguarda.
As tropas britânicas recuaram em suas posições, deixando expostos os flancos do CEP, facilitando o seu envolvimento e aniquilação.
O resultado da batalha já era esperado por oficiais responsáveis dentro do CEP,
Gomes da Costa e Sinel de Cordes, que por diversas vezes tinham comunicado ao governo português o estado calamitoso das tropas.
Wikipedia

Obs.: o meu avô esteve lá e regressou ... doente para o resto da sua vida...

Graças a Deus muitas .... mas Deus também gosta de rir

Piadinha

Descascadas

Dois galos em conversa.
Um deles vira-se para o outro e pergunta:
- Queres ir ao talho?
- Fazer o quê?
- Ver galinhas nuas!!

Obrigado Nela...

Pontos de vista


[1.jpg]

"Rostos do Passado" segundo Vital

«… o dr. Vital Moreira que ia ser eleito contra os “rostos do passado” que, como o dr. Durão Barroso, se deixaram seduzir pelos excessos do mercado e pelas aventuras do sr. Bush, transformou-se, de repente, por obra e graça do destino, no candidato oficial de um partido que apoia precisamente tudo aquilo contra o qual ele, na sua candidatura, garantiu que se ia candidatar»

Páscoa: tempo de Amor

Não foram os pregos que detiveram Jesus nas cruz, e sim, o Amor.
Max Lucado

Um grande do futebol: FCPorto

El Oporto ha hecho un partido sensacional! Ha salido al ataque, con un equipo muy ofensivo, yendo a buscar al United arriba. Lisandro, moviéndose por todo el frente de ataque ha sido una pesadilla para la defensa inglesa. Hulk, pese a que no ha sido el de las mejores tardes, ha buscado siempre el uno contra uno. Incluso Helton ha hecho dos o tres paradas de mucho mérito!
El partido ha empezado con un Oporto súper descarado, sin ningún tipo de complejos. Golazo del Cebolla Rodríguez a los 6 minutos después de una pérdida de balón de CR7 y un despeje nefasto de Evans. Además, tiene mucho mérito lo que han hecho los portugueses esta noche porque se han sabido sobreponer a un grave error de Bruno Alves que les costaba el empate, y a un gol que daba la victoria a los red devils casi en el 90.
Muy mal el United, con un equipo bastantde defensivo y, aún así, concediendo muchísimas ocasiones de gol. Está pasando un bache tremendo! Hoy se ha salvado por su tremenda pegada y por algunas buenas paradas de Van der Saar, una vez más. Intuyo que, pese a seguir siendo favoritos, van a sufrir mucho en Portugal para pasar a semifinales.
En líneas generales, casi que lo más justo habría sido la victoria del Oporto, llegando con mucha gente, creando muchas ocasiones de gol y jugando con una confianza en sí mismos insultante!

E conforme foi bem apanhado pelo CAA, num dos melhores espaços de tertúlia da blogosfera, o Blasfémias:

«El extremo uruguayo está a años luz del volante liviano que naufragó en el Benfica. Anoche, con sus diagonales y su punta de velocidad, maltrató a conciencia a Vidic y compañía. Los centrales del Manchester terminaron desbordados frente a un colectivo con un plan sencillo y eficaz: aperturas a la banda de Lucho a Hulk o Rodríguez, con Lisandro atento al remate. Así de fácil, así de letal. Son las ventajas de la endeble Liga portuguesa, a la que el Oporto, arrogante y poderoso, considera su laboratorio de pruebas», hoje, no El País.


Concluindo, podemos afirmar:

“Numa época em que o SLB foi goleado pelo “colosso” Olympiakos e em que saiu da Europa pela porta dos fundos, após conquistar 1 ponto em 12 possíveis na fase de grupos da Taça UEFA.
Numa época em que o Sporting saiu da Liga dos Campeões humilhado, após uma eliminatória em que foi vergado por um Bayern de Munique mediano, mas que aplicou aos leões uns inacreditáveis 1-12.
Mais do que o resultado, a qualidade demonstrada e a forma personalizada como o FC Porto se exibiu em casa do actual campeão europeu e mundial, foi mais uma enorme machadada na teoria do Sistema. De facto, exibições destas, ainda por cima perante os olhos do Mundo, não ajudam nada Luís Filipe Vieira e seus acólitos (Cervan, Pinhão, Delgado, Manha, Cartaxana, etc.) na “missão de evangelização” em curso…”

Piadinha


Tava um gajo no cinema, na maior : as pernas na poltrona da frente, os cotovelos nos bancos dos lados, todo à vontade. Então, o gerente do cinema chega e diz-lhe:
- Que gazeta, hein meu? Não quer uns amendoinzinhos ou um whiskysinho ?
- Não! Eu quero uma ambulância. Eu caí lá de cima, do 1º balcão...

Aviso da prima ... Vera


clicar para ver melhor...

"O deputado pediu a palavra, ergueu-se da cadeira e declarou:


"Os portugueses não podem confiar num primeiro-ministro que uma vez diz umas coisas e outra vez diz outras. (…) A conclusão a que chegamos é que o senhor não tem jeito para isto. (…) Mas o sr. primeiro-ministro não se vai daqui embora sem falar num último tema. (…) É o caso de um ministro do seu governo que fez uma pressão ilegítima junto de uma estação privada e que conduziu à eliminação de uma voz incómoda para o seu governo. O sr. primeiro-ministro desculpar-me-á, mas quero dizer-lhe com clareza: esse episódio é indigno de um governo democrático, e é um episódio inaceitável. E é uma nódoa que o vai perseguir, porque é uma nódoa que não vai ser apagada facilmente, porque é uma nódoa que fez Portugal regressar aos tempos em que havia condicionamento da liberdade de expressão. E peço-lhe, sr. primeiro-ministro, que resista à tentação do controle da comunicação social. Não vá por aí porque nós cá estaremos para evitar essas tentações."

A data era 14 de Outubro de 2004, dois meses antes de o presidente da República dissolver o Parlamento que aqui serve de cenário. O deputado chamava-se José Sócrates Pinto de Sousa e o primeiro-ministro Pedro Santana Lopes. A gravação do discurso está na Internet e, como todos já percebemos, em quatro anos e meio, a nódoa transformou-se em derrame petrolífero...

Novas da "religião da paz"

Aviso desde já que o vídeo infra é muito violento. Passou-se numa nação muçulmana, daquelas que apregoam a excelência da sua conduta.


Entretanto

ficamos a saber que o fragilizado presidente Hamid Karzai do Afeganistão, na antecâmara das eleições, procura apoiantes e por isso está a preparar legislação segundo a qual as mulheres deixam de poder sair de casa sem autorização do marido (mesmo para trabalhar, ir às aulas ou ao médico). Não poderão também recusar relações sexuais, mesmo contra vontade. Ou seja, pretende grosso modo «legalizar a violação» (Fonte)

(obs.: gentilmente pescado do "entre as brumas da memória")

Eles "andem" aí...

Dizem que foi à tangente... Mas eles "andem" aí... Ver aqui. Pelo sim pelo não, é melhor andar de capacte...

Todos os caminhos levam a Roma...


Miguel Sousa Tavares dixit

Os vencidos do apito encarnado


1 Como seria de esperar, Luís Filipe Vieira não perdeu tempo a dizer o que pensa sobre a consumação total da derrota que ele e o Ministério Público (MP) encaixaram nos três processos do Apito Dourado instaurados contra Pinto da Costa. E o que ele pensa é aquilo que era de prever: que uma justiça que absolve Pinto da Costa não presta, por natureza. Para o presidente do Benfica, não há que ter qualquer pudor: tanto lhe faz que alguém tenha sido sistematicamente absolvido ou nem sequer pronunciado em vários processos, tanto lhe faz a opinião unânime de todos os juízes chamados a pronunciar-se, tanto lhe faz a própria ideia de Justiça ou de Estado de Direito. Só lhe interessa o seu isento critério: haveria justiça se Pinto da Costa tivesse sido condenado; como não foi, tudo isto vale zero e é uma fantochada. Nos próximos tempos, vamos ver Vieira a percorrer as chafaricas do País insinuando que Pinto da Costa subornou cinco tribunais e nove juízes para ser declarado inocente. Mas que outra coisa seria de esperar de quem montou, de fio a pavio, a mais transparente campanha de manipulação contra um clube jamais vista? O Apito Dourado foi a Alfarrobeira do futebol português (perguntem ao João Gabriel o que foi isso). Com a diferença de que terminou melhor que Alfarrobeira: desta vez, a inveja dos medíocres não triunfou, apesar da disparidade de meios em confronto. Mercê de um extraordinário despacho do sr. Procurador-Geral, ordenando ao MP que recorra em todos os processos que Pinto da Costa ganhasse (o dr. Pinto Monteiro não paga as custas nem os custos do seu bolso...), a sentença de Gaia vai ainda ser objecto de apreciação pela Relação, mas apenas para satisfazer o despeito do dr. Pinto Monteiro e da dr.ª Maria José Morgado.
Mas o Apito está morto — como eu sempre previ que aconteceria a um processo cuja única fundamentação assentava na credibilidade de uma testemunha como Carolina Salgado, a par do desejo de, por esta via, tentar justificar a incompetência com que o Sport Lisboa e Benfica é gerido há vários anos, permitindo ao sr. Vieira manter-se no trono que tanto prazer lhe dá.Chegou a hora de passar ao contra-ataque — que eu espero que o FC Porto não perdoe — e para o qual dou aqui a minha contribuição, lembrando apenas quem são os principais vencidos desta suja querela. Ei-los:


LUIS FILIPE VIEIRA — O presidente do SL Benfica foi, como disse, o mentor principal de todo este embuste. Os objectivos eram desacreditar o mérito dos êxitos do FC Porto — cuja justiça é visível por qualquer um de boa-fé —, e dar ao próprio, na secretaria, as vitórias que se revelou incapaz de conquistar em campo, tentando levar à Europa, pela porta dos fundos e em prejuízo do Porto, a indigente equipe de futebol do Benfica que por aí se exibe à vista de todos (domingo, na Reboleira, não fosse mais uma arbitragem amiga a atrapalhar as contas do dr. Cervan, e lá teriam ficado, muito merecidamente, mais dois ou três pontitos...). Para tal, nem hesitou em lançar mão daquela que, em pleno Estádio da Luz e para vergonha dos portistas, o tinha ido insultar e a quem ele havia destratado como se lembrarão, numa declaração que fez na altura. Mostrou quais eram os seus métodos, os seus princípios e a «moralidade» que por aí anda a apregoar. O episódio da tentativa de entrar à força na Champions, marimbando-se para a tal verdade desportiva (e contando, para tal, com a prestimosa colaboração do dr. Ricardo Costa), foi o momento mais negro da história de um clube que tem inúmeras páginas de reconhecida e justa glória. Vieira foi o autor moral de três derrotas judiciais exemplares, o frustrado líder de uma conspiração ditada pela inveja e pela mediocridade. Se tivesse alguma humildade, que manifestamente não tem, meditava na lição.


CAROLINA SALGADO — A raiva de ter perdido o estatuto de Primeira Dama do FC Porto, levou-a a um exercício de vingança em que não olhou a meios e em que não se revelou diferente do que já se sabia que era. Intitulou-se escritora (do livro de cabeceira do Barbas, que nem sequer escreveu!), inspirou um filme, posou como ícone sexual para a Maxmen, imaginou-se figura do jet seis e uma mártir da justiça protegida pelos seguranças da dr.ª Morgado — e acabou indiciada como perjura. Como disse o advogado de Pinto da Costa, foi usada, utilizada, abusada. E agora a má notícia: como deixou de ter utilidade, vai ser deitada fora. Até porque nunca se sabe se alguém não resolve investigar a fundo as suas motivações outras e não acaba por se tornar perigosa para quem a inventou.


LEONOR PINHÃO — Felícia Cabrita escreveu no SOL (sem nunca ter sido desmentida) que, nos primórdios do Apito, Leonor Pinhão se reuniu num hotel de Lisboa com Carolina Salgado, Luís Filipe Vieira e dois agentes da PJ que tinham o processo a cargo — uma eloquente reunião que desde logo fazia prever o tipo de investigação que aí vinha. Desde o início, que a minha distinta colega de opinião neste jornal assumiu entusiasticamente o papel de criadora da criatura, indo ao ponto de escrever o guião de um filme baseado nas verdades da d.ª Carolina que não se preocupou minimamente em confirmar. O ódio ao FC Porto cegou-a, chegando a escrever aqui que «detalhes» como o «nexo de causalidade» num suposto crime de corrupção não interessavam nada. E onde estão as vitórias do Benfica, desde o Apito?


PINTO MONTEIRO — Um dia depois de ter tomado posse como Procurador-Geral da República, Pinto Monteiro declarou que ia ler o livro de Carolina e abrir investigações com base no que lá estaria — como se fosse o caso mais importante que tinha encontrado. Depois, nomeou um dream-team com a missão única de caçar Pinto da Costa, sem olhar a meios ou despesas. Enfim, na iminência da derrota total, teve ainda o desplante de declarar que nada ficaria na mesma depois do Apito, pois tinha conseguido incomodar e assustar... os inocentes. Nada deveria ficar na mesma, de facto. E, atendendo não só ao desfecho do Apito, mas ao desastre absoluto que tem sido a sua gestão à frente do MP em tudo o resto, há uma coisa pelo menos que, houvesse pudor, deveria mudar: ele próprio.


MARIA JOSÉ MORGADO — A estrela do MP nem por um instante se deu ao incómodo de fingir que o objectivo do Apito era apurar se havia corrupção no futebol português. Fixou-se num único alvo e conduziu, contra todas as evidências e contra todos os deveres da função, uma campanha ad hominem, na qual gastou milhões de euros aos contribuintes, ancorando-se unicamente no testemunho de alguém que não lhe poderia merecer credibilidade alguma. E, quando tanto se fala em pressões e independência dos magistrados do MP, ela obrigou-os a reabrir processos arquivados, a acusar sem convicção, a recorrer sem fundamento. No limite, por sua ordem ou não, permitiu que o MP lançasse mão do mais indecoroso expediente que jamais vi num tribunal criminal, aliciando uma testemunha da defesa durante o próprio julgamento e arrancando-lhe, altas horas da madrugada, uma declaração escrita em que dizia que tinha andado a mentir durante dois anos. Para mim, o prestígio da senhora, conquistado a duras penas, morreu aqui e com ele afundou-se ainda mais no abismo onde hoje vegeta o prestígio do próprio MP.


RICARDO COSTA E O CD DA LIGA — Num último acesso de raiva e num tirar definitivo da máscara, o dr. Ricardo Costa e os seus pares do CD, escolheram a véspera da leitura da sentença que sabiam que só podia absolver Pinto da Costa, para se lembrarem de aplicar a Lisandro o mais vergonhoso castigo que alguma vez saiu da imaginação daquelas descontroladas cabeças. Estiveram à beira de conseguir tirar da Europa o único clube que prestigia Portugal e que merece lá estar, condenaram por invocada tentativa de corrupção o presidente do FC Porto a dois anos de suspensão (e de silêncio!), e tudo com base em fundamentos e provas que cinco tribunais comuns reduziram a pó e a má-fé. E agora, dr. Ricardo Costa, o seu belo palavreado pseudo-juridico também vai decretar que todos os juízes estavam feitos com Pinto da Costa? Saia, homem: a vida não é a feijões!2 E, como o futebol se joga no campo, o FC Porto foi a Guimarães, com tudo contra si (Lisandro castigado pelo dr. Costa pelo crime de ter sofrido um penalty não assinalado, outros ausentes por cansaço, autocarro apedrejado, ambiente de intimidação, festival de pancadaria no Hulk (como táctica dos da casa e perante a complacência criminosa do árbitro), e deu mais um banho de bola e uma lição de verdade desportiva às pretensões justicialistas dos Vieiras, Salgados e Morgados, Costas e demais. Ora, chorem.Hoje à noite, em Old Trafford, a missão é quase impossível, face à maior potência desportiva e financeira do futebol, campeão europeu e mundial em título. Mas estes jogadores têm uma fibra e uma coragem para os grandes momentos que nos levam a acreditar até ao fim. Só espero duas coisas: que o Helton não ofereça um ou dois golos (já em Guimarães voltou a tentar), e que o Cristiano Ronaldo de logo à noite seja o da Selecção e não o do Manchester: aquele que falha golos fáceis, joga pouco ou nada e acha que os colegas é que atrapalham.


I L I B A D O

COMUNICADO
A Futebol Clube do Porto – Futebol, SAD, de acordo com o artigo 248º nº1 do Código dos Valores Mobiliários, depois de conhecida a absolvição do seu presidente no âmbito do «Apito Dourado», vem informar o mercado do seguinte:
1 – A F.C. Porto – Futebol, SAD regista e congratula-se com a absolvição do Presidente do seu Conselho de Administração, hoje decidida no processo do pretenso «envelope», ainda que esta não constitua mais do que a consagração objectiva de um direito constitucional reconhecido a cada cidadão: o direito à Justiça;
2 – Nos múltiplos processos que tiveram origem nas certidões extraídas do conveniente «Apito Dourado», sucessivamente arquivados, foi o presidente da F.C. Porto – Futebol, SAD ilibado de todas e quaisquer acusações;
3 - A desproporção entre os inúmeros meios utilizados no tratamento daqueles processos e os resultados obtidos é chocante: afinal, uma mão cheia de nada e outra de coisa nenhuma…;
4 - A Justiça Desportiva não pode ser uma ilha isolada do direito, nem pode ignorar que todos os processos em que penalizou o F.C. Porto e o seu presidente tiveram um desfecho diametralmente oposto na Justiça Penal, até mesmo aqueles que foram reabertos com base numa obra de ficção;
5 – A não ser produzida de imediato esta rectificação, o futebol português assume uma posição autista que, mais tarde ou mais cedo, não deixará de ser sancionada pela sociedade civil.


O Conselho de Administração

Atropelamento e fuga ... do Estado

Image Hosted by Imageshack A minha mãe foi atropelada! Numa passadeira para peões! Uma tragédia já habitual nas nossas ruas. Com múltiplas fracturas, que a impedirão de voltar a caminhar para o resto da sua vida, foi muito bem assistida pelo INEM que a levou para o Hospital.
Depois, o Estado, avaliou a situação, e em menos de 24 horas mandou-a para casa! Nem mais. Passadas algumas horas, estando ainda à procura da solução para lhe dar o melhor apoio e protecção na sua difícil situação, o seu estado de saúde piorou e voltou a ser encaminhada para o Hospital. Francamente, que país é este que poupa na saúde das pessoas?