Kosta de Alhabaite

Nortenho, do Condado Portucalense

Se em 1628 os Portuenses foram os primeiros a revoltar-se contra o domínio dos Filipes, está na hora de nos levantarmos de novo, agora contra a colonização lisboeta!

ESCANDALOSO!

PIDDAC:

PORTO: menos 84%
BRAGANÇA: menos 99%

LISBOA: mais 27%


LISBOA CONTINUA A ROUBAR O NORTE !!!!!


Quem nos defende de mais uma tentativa de aniquilamento do nosso Povo!?

Badamerda Jornal de Notícias (-outrora-do-Porto-e-para-o-Porto)

Este já foi uma das nossas bandeiras; hoje começa a poder classificar-se como pasquim
Obs. Pasquim: ao serviço do eixo centralista lisboa-cascais
O FCPorto goleou na Madeira o Nacional, mas o JN dá relevo à vitória da equipa do regime fascista e centralista: Miseráveis que se vendem por tuta e meia...

AIMAR É BATOTEIRO


" Outro exemplo: um golo marcado graças a um penálti batoteiro. O golo é irreversível mas a moldura penal difere em função do resultado final. Se a equipa do batoteiro empatar ou ganhar por um golo de diferença… alto lá!, é grave e suspende-se o actor! Se a equipa do batoteiro estiver a ganhar por margem mínima e acabar por golear despacha-se a coisa com uma multa, não interessa nada que o adversário, obrigado a mudar a estratégia de jogo, tenha sido prejudicado! " (in O JOGO)

LEMBRAM-SE?

MAS PARA ESTE, NÃO HÁ CASTIGO, NÃO HÁ TITULOS GARRAFAIS...


PORQUE O CD DA LIGA JÁ DISSE AO benfica:


AGORA DIGAM: QUANTAS VEZES JÁ FOI LEVADO O COLO O CLUBE DO REGIME?


portanto, enfim, é fazer a conta...

Afinal, havia outro
JORGE MAIA , in O JOGO
Há coisa de um ano, houve jornais que escarrapacharam na primeira página, em letras tão garrafais quantos lhes permitia o respectivo grafismo a palavra "batoteiro" por baixo de uma foto de Lisandro. Em causa estava a grande penalidade que o argentino teria simulado em lance disputado com Yebda no FC Porto-Benfica. A Comissão Disciplinar da Liga castigou Lisandro com um jogo de suspensão e multa de 750 euros por "simulação evidente de grande penalidade inexistente, que provoca decisão errada da equipa de arbitragem", mas mais do que isso, justificou alegremente tais manchetes insultuosas em relação a um dos melhores jogadores que passaram pelo futebol português nos últimos anos. Ora, ontem, a CD da Liga puniu Pablo Aimar com 750 euros de multa por "simulação evidente de grande penalidade inexistente, que provoca decisão errada da equipa de arbitragem". Só não foi suspenso por um jogo porque, simpaticamente, a CD considerou que o lance não beneficiou a sua equipa na atribuição final dos pontos. Como não tenho nenhuma dúvida sobre a honestidade de quem fez as primeiras páginas que chamavam batoteiro a Lisandro, só posso imaginar que pensem exactamente o mesmo de Aimar. Podem é não ter autorização para lhe chamar isso na cara...

Terrorismo lisboeta face ao FCPorto: só não vê quem não quer...

O que aconteceu à entrada do Estoril, em lisboa, não foi um acto de uns quantos alucinados. Foi, isso sim, à semelhança do que ocorreu em Cabinda, um mero exercício terrorista de uns quantos adeptos benfiquistas que, apoiados no racismo que se vive na sociedade lisboeta contra o Porto, a coberto da total impunidade que sobrevive para aquelas bandas, e mercê de uma acção cobarde, tentaram roubar a vida aos atletas e dirigentes do FCPorto que, ingenuamente, pensavam estar a caminho de uma competição desportiva, de uma festa do futebol...

A podridão do futebol dos clubecos de lisboa: a PIDE está de volta




  • Em 2008, os funcionários do benfica na liga, (o ricardo, para os distraído), castigam Lisandro por suposta simulação. Desde então, e até hoje, já assistimos a vários mergulhos e inúmeras simulações, concretamente de lampiões. A liga agiu de igual forma? Nunca mais!


  • Tal como em 2008, em 2009, no estádio da luz, colocam-se no túnel de acesso aos balneários uns badamerdas a insultar, provocar e mesmo agredir dirigentes do FCPorto: objectivo é promover desacatos e levar a incidentes e possíveis penalizações aos jogadores do FCPorto. Em 2008, o agredido foi um dirigente do FCPorto. Parece que o delegado da liga estava distraído, mas o relatório da PSP foi feito. A Liga, assobia para o lado e diz que nada recebera. Em 2009, a teia urdida, via o inocente Sandro e quejandos, consegue pescar Sapunaru e Hulk. Aí a Liga, via olho do cú de João Ferreira (o João, eu quero é o João-Sem-Escutas) lá viu tudinho, até o delegado consegiu perceber tudo. O benfica, leva uma multita até 2500 euros. Os jogadores do FCPorto lá vão, uma vez mais inaugurar uma regra (que por aqui morrerá). No mínimo 3 meses .... Para nunca mais.


  • Em 2008, em pleno estádio da luz, num benfica-FCPorto, um "tinhoso" adepto lampião, entra em campo e agride o juiz de linha. Agressão e coacção à equipa de arbitragem. A liga-do-ricardo-funcionário-do-benfica avança para uma punição exemplar? Não, que é isso, então o "diabo" do homem só queria mesmo era cumprimentar o árbitro. Uma multita. Imagine-se este cenário no estádio do Dragão.... É só um exercício, mas já sabe o que a liga decidiria, não sabe? No mínimo jogos à porta fechada... e por muito tempo. Como foi com o clube do regime, é só festinhas na cabeça.


  • Todos conhecem a escuta de Vieira a escolher árbitros e a evidenciar que "está a fazer as coisas por outro lado". O que fazem a polícia, o ministério público, a camorra-lisboeta do estado judicial? Nada. Manda para o Porto uma cáfila de funcionários ao serviço do benfica para perseguirem o FCPorto e o seu Presidente.


  • Dizem que um certo presidente de clube, era empresário de pneus. Mas a Sábado trazia uma reportagem em que já dava o fulaninho como uma das maiores fortunas desta "próspera" terrinha. Não é engraçado. O fisco não olha para os sinais exteriores de riqueza? A PJ não investiga os pneumáticos? DIzem que vêm brancos de tanto pó... Alguém anda a trabalhar de luvas... para se aquecer... Como é possível que um clube com um passivo de 500 milhões continue a comprar, a comprar, a comprar (e não é só jogadores)... O fisco continua distraído ou é o habitual favorzito de um qualquer governo, que confunde o clube com o regime? E já agora, como é possível o fulaninho ter (no Algarve, por exemplo) capacidade de construção em áreas consideradas protegidas? Os senhores do ambiente também devem andar distraídos...


  • A equipa principal do FCPorto, mesmo escoltada pela polícia, é vítima de um atentado terrorista ao melhor estilo de Cabinda. O que acontece? Nada. Pior, um anão geloso e maricas, tem a disitinta lata de dizer que a culpa é do FcPorto e de Pinto da Costa! Como? Só espero que alguém lhe acerte umas valentes reguadas naquele rosado rabo. Afinal não é ele o mentecapto da verdade desportiva?


  • A liga-do-taberneiro tem um taça. Rídicula a prova, pois desde a época passada já se percebeu que o objectivo mesmo é oferecê-la ao benfica e entregar-lhe o cheque do prémio. Porquê a competição. Façam o donativo e livrem-nos dos fastidiosos jogos e dos "arrajinhos". O último, soube-se hoje, foi uma alteração aos regulamentos para assim ajudar a tal equipa lampiona. Na pretérita época, os dois melhores primeiros classificados jogavam a meia-final em casa. Nesta, verificou-se que o benfica teria que jogar ou com o sporting de lisboa ou com o FCPorto. Em casa destes. Ai e tal, pois, mas ... mas vai daí alteram a coisa. Hoje! Afinal é preciso favorecer a "sua" equipazinha. Biltres sem vergonha.


  • O FCPorto apurou-se para os quartos de final da taça de Portugal. Calhou-lhe em sorteio o sporting de lisboa. O sporting pediu a antecipação do jogo para 2 de Fevereiro. A FPF disse que sim. Mas por acaso não falta aqui nada? Então o FCPorto não tem uma palavra a dizer? É por decreto? Mas isto já vai assim?


  • E por falar em podridão lisboeta no futebol, só para não dizerem que sou anti benfica ou sporting, aqui fica mais uma nota: o Belenenses. Esta equipa de lisboa, já por duas ocasiões relegada para a 2ª liga, em campo, acabou por ver a secretaria lisboeta dar-lhe a mão e recolocá-la na 1ª liga, sem mérito e por manobras de bastidores. Este ano, já está em último lugar, mas já estão a fazer as coisas por outro lado. Não ouviram para aí dizer que a Naval 1º Maio, da Figueira daFoz, corre o risco de descer de divisão por supostas falsas declarações ao fisco. Já estão a perceber o filme, não é verdade?! Lá mais para a frente conversamos. Gostaria só de perceber esta história do fisco. Um dia, por acaso o benfica não prestou falsas delcarações ao fisco? Prestou! E desceu de divisão? Não! Mas a Naval vai descer para safar o lisboeta belenenses.

A Pide acabou no 25 de Abril? Acabou!


Mas foi substituída? Foi!


E como se chama? Chama-se Liga Portuguesa de Futebol Profissional. Perseguem o FCPorto, os seus dirigentes e os seus jogadores, como outrora a PIDE fazia aos que estavam contra o regime!


Os seus agentes? Fácil: começa no taberneiro-mor, passa pelo assalariado ricardo e acaba na Federação Portuguesa de Futebol. Os outros agentes chamam-se RTP, TVI, SIC, RDP-Antena 1, Rádio Renascença, TSF, Sport TV, a bola, o record, o correio da manhã, o diário de notícias ... e toda a corja de maricas, lacaios e lambe botas habituais.


E você, ainda consome daquele lixo? Já agora, porque não acrescentar a Prosegur? Afinal, os seus capangas estão ao serviço do homem do pó...


Amigos Nortenhos, os Dragões ou aqueles que não defendem símbolos do regime sulista e elitista, do eixo lisboa-cascais, ainda querem fazer parte desta trampa? Meditem sff.

Manuel Queiroz: Matar o mensageiro


«É absolutamente lamentável a resposta do Benfica à notícia de ontem da Lusa, que inclusivamente tem um suporte vídeo a comprová-la, sobre incidentes no túnel da Luz após o Benfica-FC Porto da época passada.
Há, de facto, uma agressão e, muito pior do que isso, é que ela é verdadeiramente preparada por dois funcionários que têm o cuidado de antes desviarem a câmara de filmar para a parede de modo a não poder filmar a cena. E a agressão é consumada exactamente nesse lugar e conhece-se porque é captada por outra câmara de que, pelos vistos por "incompetência", aqueles funcionários se esqueceram.

Ora o comunicado em que o Benfica responde é uma diatribe contra um jornalista de grande craveira - e posso atestá-lo na primeira pessoa porque trabalhou muitos anos comigo, no "Público" - e que é, exactamente por ser um homem íntegro e um jornalista preparado e experiente, o editor de desporto da Lusa. Como já o foi do JN e do Púbico. Fossem todos os jornalistas como é o Francisco J. Marques e o país e o jornalismo estavam bem melhores, disso não tenho eu dúvida.
E isto não é corporativismo, nem amiguismo. É apenas justiça.

Responder aos factos atacando torpemente o mensageiro é algo que só faz quem sabe que não tem razão porque não tem argumentos. Em vez de apresentar uma razão para os lamentáveis comportamentos dos seus funcionários, o Benfica limita-se a atacar o jornalista que competentemente fez a notícia. Em vez de anunciar um processo disciplinar aos seus funcionários, vai fazer queixa do jornalista. É por tudo isto que fiquei sem dúvidas sobre o que estava por detrás.

E mais ainda: que o clube anuncie uma queixa à ERC, vá que não vá, sempre é uma entidade que tem autoridade directa sobre as empresas de comunicação; mas que anuncie também uma queixa ao ministro Jorge Lacão, sob o argumento de que é ele tutela a Lusa, é algo que foge à minha compreensão, até porque o ministro deve ter bem mais em que pensar e ainda não tutela a direcção de Informação. E tudo isto - a cena relatada pelas imagens e o comunicado - é algo que mostra como o discurso moralista que tem sido adoptado no clube é, no mínimo, hipócrita. E mais ainda, permite que se tenha os piores pensamentos - porque degradantes - sobre o que se passou no mesmo túnel já esta época.»
Manuel Queiroz, em 24/01/2010, via
'De Trivela'

Manuel Queiroz: a lisboa extraordinária


Pelos vistos, Lisboa e Oeiras assinaram um acordo de 3.5 milhões de euros sem saber ao certo o que assinavam. Trata-se do famoso acordo com a Red Bull Air Race para levar a corrida dos aviões para as extraordinárias paisagens do Rio Tejo, embora os espectadores só possam apreciar a coisa na televisão ou com uns bons binóculos.

Para se perceber mais uma vez como foi também extraordinária a forma como se levou a prova para a capital, há esta notícia de que o presidente da Câmara, António Costa, não sabe afinal bem como é que vai financiar a prova. Porque afinal os patrocínios são quase todos da Red Bull e as Câmaras só têm que pagar. São 3.5 milhões de euros.

O GRANDE PORTO já tinha dado conta que ninguém sabia bem o que estava a fazer na Câmara da capital, em notícias com que fomos acompanhando o caso - o site da Câmara de Lisboa falava em garantir 50 mil espectadores!

Mas é fantástico como num país em crise se surripia uma prova que decorria com êxito noutro ponto do país sem ter todas as certezas do que se estava a fazer.

Se o contrato está assinado - há fotografias de Costa sentado ao lado de Isaltino Morais a documentar - então que é que se há-de fazer?

Eu tenho uma solução: corta-se qualquer coisa no que se gasta nos coretos de Lisboa, uns pasteis a menos no Mundial de Jovens Pasteleiros que custa 300 mil euros e já se está quase lá. Que é como quem diz, o Casino Lisboa tem boas receitas e paga.

Mas só mesmo em Lisboa, só mesmo na capital, uma cena destas se pode passar. Em que se tratam contratos de milhões sem se ter a certeza do que se anda a fazer e do que está ou vai estar no contrato.

Já tivemos o famoso “Está tudo tratado só falta o dinheiro” do tempo em que havia um presidente do Sporting de bigodes que tinha gostos caros e bolsos baratos. Agora temos o “Está tudo tratado só faltam os patrocínios” da Câmara.

Mas que outra autarquia se poderia dar ao luxo de assinar um contrato desses sem todas as garantias?

É porque Lisboa tem todas as garantias de que paga - se não forem outros, deve ser o Turismo de portugal que é um bom amigo.

É por estas e por outras que o povo não percebe muito bem o que é a crise. É que por um lado sente o desemprego a aumentar dia a dia no aparelho produtivo, enquanto o aparelho improdutivo da capital se entretém com estes extraordinários benefícios de soma negativa para o país - a prova era mais barata quando se desenrolava entre o Porto e Gaia e ainda por cima tinha sucesso.

O país não pode continuar a assistir a que se dissipe riqueza num lado e se ande a mendigar no outro.

Se o Casino de Lisboa dá receitas para tudo e mais alguma coisa, o que isso quer dizer é que as receitas assim obtidas têm que ser repartidas de outra forma. Está tudo dentro da mais estrita legalidade?

Claro, mas as leis mudam-se quando é preciso. Se Lisboa tem mais de um milhão para alindar os seus coretos e Vimioso não tem um limpa-neves, é forçoso que alguém saiba redefinir as prioridades e colocar o dinheiro ao serviço do que é necessário.

Via o Nosso Semanário:
Grande Porto
(observação: tivesse o Porto mais jornalistas como este Homem...)

Imaginem o que se diria se a vítima deste atentado terrorista fosse da capital...

Ao serviço da equipa do regime

Comissão Disciplinar da Liga decide caso do túnel da Luz até final de.... Fevereiro !!!
Hulk e Sapunaru já estão suspensos preventivamente há um mês e deverão assim permanecer, na melhor das hipóteses, por mais dois.
(no Público)
Ai tão rápido que é o CD da Liga...
Nota: durante um jogo, um bacano prega uma cotovelada no adversário: SE NÃO FOR JOGADOR DO BENFICA é expulso e leva 2 jogos (quinze dias).
Neste caso, a pena pode ir até 18 meses!!!!!
A PIDE NÃO FARIA MELHOR !!!!
Só pode ser justiça do assalariado benfiquista na liga, o Ricardo das meiguices...

Red Bull Air Race: primeiros testes em lisboa

video

Red Bull Air Race: Governo diz que o lugar da prova ainda não é certo

O ministério das Obras Públicas considera prematuro “partir do pressuposto” que a prova Red Bull Air Race se realizará entre a Ponte 25 de Abril e a Torre de Belém e admite “procedimentos alternativos” por motivos de segurança.

COMO SE PODE VERIFICAR, O GOVERNO ESTÁ POR TRÁS DO ROUBO AO PORTO. UMA VEZ MAIS!

Sócrates apelou, ainda recentemente, aos autarcas do partido para que fizessem política de apoio ao governo socialista. António Costa da Câmara Municipal de Lisboa, tratou logo de agir em nome desse apelo e foi buscar para Lisboa um evento, com visibilidade internacional, que desde há quatro anos se realizava no Douro, envolvendo os municípios de Porto e Gaia, dirigidos por social-democratas, a Red Bull Air Race. Foi um acto de enorme falta de solidariedade entre portugueses e instituições públicas, do município de Lisboa e do Governo para com os municípios do Porto e de Gaia. Que o Governo andava metido no negócio político já se sabia, mas agora cai a face, quando o próprio gabinete do Ministro das Obras Públicas se pronuncia sobre o local exacto onde se irá realizar a prova (que pode mesmo não se realizar), porque afinal o governo também está mesmo envolvido. Foi muito feio e revela a face de quem agiu desta forma inqualificável. O próximo capítulo será Sócrates a propor um debate, muito a propósito, sobre a regionalização.

A Liga e o Benfica: sob o manto diáfano do conluio


Benfica-FC Porto: época 2008



  1. Antes do jogo levanta-se o ângulo das câmaras para disfarçar a coisa no após;
  2. Durante o jogo anda o "diabo" à solta: invade-se o campo, agride-se o juiz de linha, tipo aviso, do género "ou me beneficias ou levas"...
  3. Colocam-se os, hum, stewards, funcionários do benfica, a insultar atletas e dirigentes numa de provocação, porfim agride-se um funcionário do FCPorto, Acácio Valentim, com um "corajoso" pontapé nas costas por um elemento da "segurança" do Benfica;
  4. O "inocente" Rui Costa vem espreitar para ver se a coisa está a ficar preta e para servir de testemunha ... de acusação se fôr preciso;
  5. Este episódio, presenciado por três agentes da polícia, que são visíveis nas imagens, pelo delegado da Liga Esmeraldo Augusto e por diversos elementos dos dois clubes;
  6. A polícia faz um relatório da agressão e dos incidentes que remeteu à Liga


O QUE DEVERIA TER OCORRIDO À POSTERIORI:

  • Face à agressão e tentativa de coacção à equipa de arbitragem o CD da Liga, através do assalariado benfiquista Ricardo Costa, puniu severamente o benfica: derrota por 3-0 e interdição do estádio, de forma EXEMPLAR: 15 jogos!!!!!
  • Face ao relatório da PSP, a cobarde agressão ao funcionário do FCPorto não ficou impune: multa EXEMPLAR de 1 milhão de euros
  • Face à tentativa de manipulação de imagens, multa EXEMPLAR de mais 500 mil euros


O QUE REALMENTE FEZ O CD DA LIGA: NADA!!!

  • ou melhor, quanto à tentativa de coacção da equipa de arbitragem e à agressão ao árbitro juiz de linha (ou assistente como é moderno dizer), uma multita, menor, que os tempo é de crise...
  • quanto às agressões, a Liga diz desconhecer os factos, pois os senhores delegados, ainda que tenham andado no meio da molhada, dizem que nada se passou, e por outro lado, os factos relatados pela PSP em relatório, nunca chegaram ao conhecimento do Ricardo, porque ... desapareceu o dito cujo...

O QUE DIZEM OS VISADOS

  • O agredido:

«Foi tudo preparado e orquestrado para que houvesse uma reacção dos nossos jogadores. Felizmente conseguimos detê-los à porta do balneário. A agressão de que fui vítima aconteceu depois do jogo, quando me dirigia para o balneário depois de ter ido verificar a flash-interview (...) Fui imediatamente queixar-me ao Rui Costa, que estava a poucos metros e presenciou tudo. (...) A pessoa que me deu o pontapé é a mesma que deu um estalo no aeroporto de Lisboa quando foi aquela história do Moretto», conta Acácio Valentim.

  • O FCPorto

O FC Porto diz que nunca se queixou dos incidentes no jogo de Agosto de 2008 com o Benfica por causa da "parcialidade" da Comissão Disciplinar da Liga e que este género de acontecimentos "são habituais" no estádio da Luz-pago-pela-epul."O que tem acontecido no túnel da Luz é habitual e não tem sido só com o FC Porto. Mas com esta Comissão Disciplinar fazer o quê?", disse à Lusa fonte oficial do clube. Ainda segundo a mesma fonte, em mais nenhum estádio da Liga estão presentes seguranças privados como no Estádio da Luz, com o objectivo de "pressionarem e intimidarem" os adversários.

  • os agressores benfiquistas

O benfica não quer comentar, ou antes, toca a fazer queixinhas à ERC ou coisa parecida e diz que imagens boas só as que passam no canal-qualquer-coisa-lampiões...

  • Os que trabalham pelo outro lado (CD LIGA)

Liga diz desconhecer os incidentes no túnel da Luz em 2008, não tendo por isso aberto qualquer procedimento disciplinar, tendo fonte do organismo dito à Lusa que não tomou conhecimento de quaisquer incidentes.

  • Os senhores da PSP

nós mandamos o relatório da agressão; desapareceu? chamem a polícia...

Conclusão: eles sabem-na toda, e depois, castigos exemplares só para o FCPorto e para os seus atletas e Presidente, e adido da imprensa e . ... e ...

Gato pinga..do


O Porto, a sua Instituição de Referência no Mundo (a par do Vinho do Porto), o FCPorto, o seu Presidente, e, afinal todos os que amam e sentem o FCPorto são continua e repeditamente alvos predilectos de uma certa sociedade lisboeta (que não de lisboa), que nos aviltam, que nos tentam humilhar, que nos roubam, que nos tentam subjugar.

Sinto que se começa a levantar uma onda de indignação da população desta metrópole, que irá deixar muito em breve, assim o espero, de se manter fleumaticamente calada, quieta e muda em su sítio. Com o Tratado designado de lisboa já se percebeu que a soberania dos estados é finita, e por isso o conceito regional assume provavelmente um teor fortíssimo. As fronteiras, tal qual as conhecemos acabam-se e as regiões assumirão um novo e preponderante papel. O que outrora foi imposto por políticas e questiúnculas menores ao desvanecer-se pelo tratado permitirá que regiões e locais (ainda que de nações distintas) se unam numa nova filosofia de identidade e crescimento humano e económico. Afinal, hoje em dia, até nos une mais a Galiza que a estremadura lisboeta... Eles nunca nos suportaram e nós sempre condescendemos com as suas pretensões egocentristas... Está na hora de cortar o cordão....

Mas esta entrada, mais em tom de desabafo, e a vontade de escrever este post, prende-se com o primeiro parágrafo. Quintela, o nome do gato. Esse bacano, sulista e elitista, provocou, uma vez mais como vem sendo apanágio daquela cáfila de lisboetas, o FCPorto através do seu Presidente, Pinto da Costa. É altura de deixar de dar a outra face e denunciar todas as podridões em que os nossos inimigos possam estar envolvidos.
Assim, aqui vai uma, a propósito daquele bacano.
Aconteceu na madrugada da passagem de ano. José Diogo Quintela, um dos quatro, hum, ditos humoristas do Gato Fedorento, foi mandado parar pela PSP numa operação stop no Cais de Sodré, em Lisboa. Por apresentar uma elevada taxa de álcool no sangue, 1,6 g/l, esteve detido cerca de hora e meia e apresentou-se, hoje, no Tribunal de Pequena Instância Criminal de Lisboa.
Por ser a primeira vez que infringiu a lei, Quintela foi condenado a 40 horas de trabalho comunitário e terá de doar uma quantia, ainda não estipulada, a uma instituição de solidariedade social.
Horas antes da detenção, o humorista esteve em directo na RTP1, ao vivo, no programa Diz que é uma Espécie de Revéillon, com os restantes Gato Fedorento. Enquanto estiveram no ar, os quatro foram bebendo espumante, ao mesmo tempo que faziam algumas referências ao acto de soprar no balão. Horas depois do programa terminar, Quintela foi detido pela PSP quando fazia uma ultrapassagem pela direita. O teste do balão confirmou ter uma taxa de álcool no sangue de 1,65 g/l, três vezes mais do que o limite permitido (0,5 g/l).
Segundo o Código Penal, mais de 1,2 gr/l de álcool no sangue é crime e pode ser punido com prisão até um ano ou pena de multa até 120 dias. O infractor pode ainda ser proibido de conduzir entre três meses e um ano.


O que é vergonhoso e lamentável neste caso, para além óbviamente da criminosa atitude de conduzir embriagado e ser um potencial assassino, imagine o leitor que após um jantar, era controlado pela GNR ou Polícia e acusava, por exemplo, 0,52 g/l.
Pois seria de imediato transportado pelo jipe da GNR ou pelo carro patrulha da PSP para o posto, ficaria com a carta de condução e os documentos do carro apreendidos e pagaria uma multa de 250,00€, sendo que os documentos só lhe seriam entregues depois de fazer a prova do paganmento da multa.
Mais, ficaria sujeito à inibição de conduzir (pena que pode ir de 1 a 12 meses)
Agora pergunto: porque motivo neste país as leis não são iguais para todos? Em que país vivemos?
O fulano Quintela, potencial assassino, passadas 1,5 h sai como se nada tivesse acontecido.
Isto é vergonhoso e lamentável. E são tipos como este, BÊBADO e potencial CRIMINOSO, que nos atacam, a nós, aos nossos líderes e aos nossos símbolos.

A fantástica DAGON

Fui informado pelo "fantástico" Sá Morais, pai do esgotadíssimo "Goor - A Crónica de Feaglar" (volumes I e II) - quem tiver os tiver para vender eu compro -

que no próximo dia 23, no emblemático Clube Literário do Porto, o Fantástico vai ser corporizado em revista - a DAGON

Segundo os promotores, “mais que uma apresentação, será uma reunião em volta das artes no fantástico”.
Com a chancela da editora Edita-me, será uma aposta no mercado de literatura fantástica. A revista terá uma periodicidade trimestral e vai estar disponível em algumas livrarias do Porto e de lisboa, podendo vir também a ser adquirida através de uma assinatura anual.

O programa, em princípio, será composto pelas seguintes etapas:

16:30: Inauguração da exposição de arte fantástica nas galerias.
17:00: Cave: Mesa redonda com o tema “Ficção Científica Internacional, ilusão ou realidade?”. Oradores: Luís Filipe Silva e orador a confirmar;
17:45: Cave: Mesa redonda com o tema “Literatura Fantástica Portuguesa, que futuro?”. Oradores: Rogério Ribeiro e Pedro Ventura.
18:30: Galeria: Apresentação da revista “Dagon” com música ao vivo (a confirmar).

O CD da Liga e o CD da FIFA: descubra as diferenças

A ignomínia do CD benfiquista da Liga


01 de Abril 2009
Lisandro suspenso devido a simulação de penalty frente ao Benfica
O argentino do FC Porto foi suspenso pela Comissão Disciplinar da Liga, com um jogo de castigo, por simulação no lance do penalty de que resultou no golo dos dragões, no clássico frente ao Benfica.
Para a Comissão Disciplinar, o jogador portista foi castigado por «simulação evidente de grande penalidade inexistente».
De acordo com o órgão disciplinar da Liga , a referida «simulação evidente» acabou por provocar uma «decisão errada da arbitragem em marcar pontapé de grande penalidade» a favor do FC Porto, dando origem ao resultado final 1-1.


O beneplácito do CD da FIFA
18 de Janeiro de 2010
Thierry Henry fica sem sanção


A comissão de disciplinar da FIFA decidiu hoje, segunda-feira, não aplicar qualquer sanção ao futebolista francês Thierry Henry pelo polémico lance da mão frente à República da Irlanda, no jogo da segunda "mão" do "playoff" do Mundial2010.
Um comunicado do organismo que rege o futebol mundial refere que "nenhum texto jurídico suporta uma sanção" de um facto que escapou aos relatórios oficiais do encontro, jogado em Paris.
A FIFA considera que o lance em que Henry ajeitou a bola com o braço, permitindo a William Gallas marcar o golo que deu o apuramento da França, não era "uma ofensa grave" susceptível de sustentar uma infracção ao seu Código Disciplinar.




Neste campeonato já vimos inúmeros mergulhos de lampiões que assim conseguiram cavar penalidades a seu favor.
Quantas vezes o CD da Liga usou igual critério ao que penalizou Lisandro?!
Z E R O !!!
VIGARISTAS E NOJENTOS BILTRES!
"a morte será o seu fim e eu dançarei de felicidade sobre as suas campas; malditos sejam os sectários"

O João: percebem ou querem que faça um desenho

«Fiquei surpreendido com coisas que aconteceram hoje» - Van der Gaag
«O que fizeram connosco foi brincadeira
Temos que parar para ver o campeonato português. Não vejo isto noutras ligas» - Peçanha


É inacreditável, mas já era previsível.
O João Ferreira sabe-a toda.
Numa molhada, de costas, entre vários brasileiros, escolhe um à sorte e mostra-lhe um vermelho directo por ... palavras?!
Aimar (ou Di Maria - desculpem não conhecer os nomes dos bois) estava fora de campo a ser assistido, o árbitro manda-o entrar sem que ninguém se aperceba e sorrateiramente este vai por trás do jogador do Marítimo e rouba-lhe a bola e ... já sabem....
A voragem por ajudar os lampiões é tanta que expulsa mais um jogador do marítimo e depois diz que se enganou e expulsa outro... Foi preciso o Cardozo ir-lhe dizer ao ouvido: "Olha lá, expulsa aquele..."
Mas isto é mais uma VERGONHA! É inacreditável!
Soube agora que durante e semana, uma equipa anti-doping foi ao Funchal investigar os jogadores do Marítimo e que hoje, após o jogo vai voltar a analisar os jogadores do Marítimo.
Acho muito bem que se façam controlos após os jogos, mas antes e depois à mesma equipa? E quantas vezes foram os vampiros investigar o "sangue" lampião?


O campeonato ESTÁ COMPRADO PELO benfica!


RESUMO do campeonato das goleadas:
  • 9 penalidades a favor dos lampiões
  • 68 !!! cartões amarelos 'oferecidos' a adversários dos lampiões
  • 13 !!! expulsões de jogadores das equipas adversárias dos lampiões

Mais gatunos: Rui Costa e António Vilaça

O presidente dos árbitros tem razão:

eles andam a fazer as coisas por outro lado... claro que JESUALDO NÃO SERVE MAIS !!!

MAS,

MAIS 1 GOLO MAL ANULADO a Falcao!!!
E O

GOLO SOFRIDO EM FORA DE JOGO !!!

é
fartar vilanagem
(cheira mal, cheira a lisboa)
em actualização: o golo do paços de ferreira não foi em fora de jogo: o juiz de linha estava a colocar o jogador amarelo em jogo...

em actualização: o Amigo Alexandre (Azul Invicto) diz-me que não, mas então e o fora de jogo a Varela que se isolou quando tinha 3!!! pacences à sua frente???

Nota: António Vilaça, juiz de linha no jogo da Taça da Liga em 14/01/2009, no Rio Ave (0)-Sporting (1) não marcou um escandaloso fora de jogo que permitiu o golo e a vitória do Sporting...

Vejam como o biltre permite um golo destes e por outro lado é tão lesto a sonegar um belo e legal golo a Falcao:

¿Por qué no te callas?

O pior inimigo do BCP, dos seus accionistas e dos seus trabalhadores

Depois da soberba ... o inglês técnico

As Câmaras de lisboa e de Oeiras terão, juntamente com a ATL, de pagar à Red Bull 3,5 milhões de euros pela corrida, assegurando também todas as suas necessidades logísticas. O acordo é penalizador e bastante diferente daquele que vigorou nas anteriores edições, que tiveram lugar no Douro. As Câmaras de Gaia e do Porto nunca pagaram mais de 400 mil euros cada uma aos organizadores da prova, cujo risco comercial esteve sempre do lado de uma empresa privada, a Extreme, que intermediava o negócio.
Para o vereador do CDS-PP, António Carlos Monteiro, todo o processo tem sido conduzido de forma “pouco transparente e absolutamente leviana”, com consequências gravosas para o erário: “Este contrato estabelece que a carne fica do lado da Red Bull e os ossos do lado da câmara”.
O seu colega do PCP, Ruben de Carvalho, mostrou-se também preocupado: “O contrato entre o Turismo de Lisboa e a Red Bull é inaceitável”. Já o vereador social-democrata Victor Gonçalves exigiu um estudo de viabilidade financeira do evento

Escrito em inglês
Um pormenor que espantou os vereadores da Câmara de Lisboa foi o facto de o acordo assinado entre a Associação Turismo de Lisboa e a Red Bull Air Race estar redigido em língua inglesa. Daí também as dúvidas da sua quinta cláusula, que diz que a Red Bull será a única detentora dos direitos publicitários “on the entire event venue”, isto é, em todo o local do evento, excepto se forem propriedade privada.
Os autarcas ficaram também surpreendidos por o documento remeter a resolução de eventuais diferendos para os tribunais de Viena


VAMOS LÁ VER SE ENTENDO:
Um vereador exige um estudo de viabilidade do projecto!!!! COMO ??
Então "roubam" o evento ao Porto e não tinham previamente apurado o custo da coisa????
Isto só pode dizer que contavam com o ovo no cú da galinha, ou seja, o estado, directa ou indirectamente ir-se-ia chegar à frente, e não fora o bradar Nortenho a coisa ir-se-ia passar na clandestinidade como provavelmente centenas de outras já aconteceram!
Por outro lado, se o problema eram as traduções bem que podiam ter pedido uma perninha ao Sócrates que fez inglês técnico....


Comunicado de Imprensa - Red Bull Air Race
A Direcção da Associação dos Comerciantes do Porto, após informação que a prova Red Bull Air Race pode ser transferida para outro local que não o Porto, faz saber:
As corridas Red Bull Air Race, segundo dados da organização, tiveram a participação de um milhão de pessoas nas margens do Rio Douro. O evento foi transmitido por várias cadeias de televisão para todo o mundo e foi considerado até hoje um dos maiores eventos desportivos realizados em Portugal. As corridas Red Bull Air Race são uma excelente forma de promoção turística da região e uma verdadeira oportunidade para dinamizar e fortalecer o comércio tradicional.
A taxa de desemprego no distrito do Porto é uma das mais elevadas do país, mas mesmo assim não existe preocupação pelo poder central em promover a região. Cada loja que fecha aumenta o número de desempregados. E para esta situação galopante e preocupante o Governo não parece inquietar-se. A ACP olha para o turismo e grandes eventos como mais uma janela de oportunidade para o comércio e não pode ficar indiferente a esta situação.
O comércio tradicional precisa de incentivos. São muitos os turistas a usufruírem de bens e serviços da região. Não se compreende como é que os grandes patrocinadores do evento – TMN, EDP e GALP, têm nos seus conselhos de administração elementos nomeados pelo Governo e não ouvimos vozes de preocupação referentes ao comércio nesta região. São muitos os prejuízos directos e indirectos que a deslocalização do Red Bull Air Race trará para o nosso comércio, para os nossos comerciantes. Falamos de pessoas que contribuem para economia do país, não podem esquecer sempre os mesmos.
A ACP, por tudo isto enunciado, apela ao boicote no consumo dos produtos da TMN, GALP e EDP. É o nosso protesto. Só falta tirarem o Vinho do Porto e o Futebol Clube do Porto à região do Norte.
Nuno Camilo
Presidente da Direcção da ACP

A ver vamos ...

'A ver vamos se algum agente desportivo entre os envolvidos no caso do túnel da Luz, repensando retroactivamente nas imagens divulgadas pela SIC de outro túnel turbulento, o de Braga, não decide pedir os termos da homologação legal dos sistemas de recolha de imagens e não coloca a Comissão Disciplinar da Liga na ingrata posição de ter de reconhecer que todos os processos agora levantados são filhos de uma inutilidade: as próprias imagens de que tanto se fala desde que o futebol passou a ser jogado nos túneis.'
Via O Jogo (por Manuel Tavares)

O João, pode ser o João, esse dá garantias !!!


No início do processo do Apito Forjado, no qual foi tentado pelo centralismo lisboeta a aniquilação do FCPorto e do seu Presidente, a super equipa de uma senhora procuradora, ( cujo marido, só por acaso era funcionário de um certo presidente do clube do regime centralista), não conseguiu perceber o alcance de um telefonema, INEQUÍVOCO em que um presidente da 2ª circular lisboeta escolhia árbitros, sendo então registada a frase: "O João, pode se o João!".
Esta escolha, repito INEQUÍVOCA, de árbitros não foi suficiente para a tal senhora, no mínimo, fazer umas perguntinhas ao putativo presidente. Que nada; importante e grave era a palavra escrita por uma pinhata e um contacto telefónico em que a palavra FRUTA assumiu os contornos de uma tal malvadez, que, no sentimento daquela justiceira-cujo-marido-trababalhava-para-o-presidente-do-clube-do-regime, caso houvesse pena de morte, Pinto da Costa seria electrocutado e o FCPorto banido da face da terra...

Pois bem, mais recentemente temos assistido ao que se vê na imagem acima: o campo está hiper inclinado para os lados da luz. Se originalmente a lampionagem tinha um futebol de alguma qualidade (embora de estranha força), ainda que aqui e ali fossem disfarçadas algumas decisões de arbitragem muito discutíveis, hoje em dia, que o "fôlego" se começa a apagar, o benfica está a ser descarada e vergonhosamente a ser levado ao colo.
Relembremos a "conversinha" em que Vieira, após ter "prescindido" de quatro ( 4!!!! ) árbitros internacionais, demonstrando um "extenso" conhecimento dos predicados de cada um deles, acaba por manifestar o desejo de ter o João:



LFV(vieira) - Eu não quero entrar mais em esquemas nem falar muito...
VL (Valentim L.) - Eu penso que ou o Lucílio... o António Costa, esse Costa não lhe dá... não lhe dá nenhuma garantia?
LFV - A mim?! F.., o António Costa? F... Isso é tudo Porto!
VL - Exacto, pronto! (...) E o Lucílio?
LFV - Não, não me dá garantia nenhuma o Lucílio!
VL - E o Duarte?
LFV - Nada, zero! Ninguém me dá!... Ouça lá, eu, neste momento, é tudo para nos roubar! Ó pá, mas é evidente! Mas isso é demasiado evidente, carago! Ó major, eu não quero nem me tenho chateado com isto, porque eu estou a fazer isto por outro lado.(...)
VL - Talvez o Lucílio, pá!
LFV - Não, não quero Lucílio nenhum!(...)
VL - E o Proença?
LFV - O Proença também não quero! Ouça, é tudo para nos fo...!
VL - E o João Ferreira?
LFV - O João... Pode vir o João, esse dá-me garantias (...)
O assalariado presidente dos árbitros, nomeou para o próximo jogo dos lampiões, na Madeira, precisamente o JOÃO, o querido e desejado árbitro que tanto é apreciado pelo pneumático presidente da luz.

Ora não foi por acaso o JOÃO, o 4º árbitro na luz, o fulano que "expulsou" Hulk e Sapunaro? FOI!! Provavelmente vai viajar para a Madeira no mesmíssimo avião em que vai a equipa lampiona! E não irá só, pois vai aconchegado pelo seu colega de equipa, o Pais António, conhecido em Setúbal pelo Ferrari (Vermelho).
E quem é o Ferrari (Vermelho)? Nem mais nem menos o fiscal de linha daquela final da taça da cervejola e que disse a Empecilho Baptista que havia um escancarado penalty a favor dos lampionagem (ainda que estivesse do lado oposto, ou seja a dezenas de metros de distância)....

Tal como ontem, hoje continuamos a assistir aos roubos de catedral:

A incrível justiça desportiva


O jogador de futebol Lisandro, que jogou no F.C. Porto, entrou para a história do futebol português por ser, até hoje, o único futebolista castigado por simular uma falta passível de grande penalidade.

Há quase um ano, num jogo com o Benfica, o jogador foi punido e, agora, já Lisandro joga em França há meio ano, o Conselho de Justiça da FPF validou a decisão da comissão disciplinar da Liga.

Que um jogador seja punido por simular uma falta parece normal. Anormal é que só um tenha sido punido. Mas a justiça desportiva portuguesa está cheia de anomalias que, por sinal, têm o F. C. Porto como protagonista ou, mais bem dito, como alvo.

Anteontem, por exemplo, os jogadores Hulk e Sapunaru foram ouvidos na Liga. Os dois jogadores estão suspensos preventivamente desde o jogo com Benfica, no fim--de-semana anterior ao Natal. Alegadamente, terão agredido "stewards" no túnel de acesso aos balneários.

Atente-se nisto:

- A presença de "stewards" no dito túnel é proibida pelos regulamentos. Ninguém sabe porque lá estavam, mas, estando eles lá, é preciso saber quem os lá pôs e para quê, até porque ninguém acredita que os jogadores os tenham confundido com bonecos e descarregado neles o desgosto com a derrota. Ou estavam lá e provocaram os jogadores? Parece mais crível esta hipótese, não é?

- Por esses alegados incidentes estão os jogadores suspensos preventivamente e assim poderão estar por três meses. Cabe na cabeça de alguém que a justiça desportiva puna de forma mais severa uma falta cometida na escuridão dos túneis do que em pleno relvado?

- E cabe na cabeça de alguém que sendo os jogadores chamados a depor - como foram na sexta-feira - não lhes seja mostrado o filme que supostamente sustenta a tese das agressões?

- Os jogadores foram ouvidos já depois de concluído o prazo de instrução do processo e, pelo andar da carruagem, tudo indica que urgência é palavra que os membros da comissão disciplinar da Liga desconhecem. A quem aproveita tal lentidão?

Os portistas têm razões de sobra para desconfiar. Bem recentemente, o caso do Apito Dourado, envolvendo Pinto da Costa, foi o que foi. Na justiça comum, o presidente portista está livre e sem que se tenham provado as acusações. A justiça desportiva ainda anda às voltas. Como há dias escrevia Miguel Sousa Tavares em "A Bola", "é uma chatice que a justiça comum tarde em render-se à campanha de moralização do futebol português, tão exemplarmente encabeçada pelo exemplar Sr. Vieira".

Miguel Sousa Tavares num dos melhores artigos por si escritos

Este ano começa bem...

Desde que esta época se iniciou, eu tinha feito a mim mesmo uma promessa: aguentar-me até ao limite para não dar alento nestas crónicas ao clima habitual de facciosismo cego que alimenta ódios e suspeições sem fim e impede de ver e reconhecer o mérito alheio onde ele existe. Já lá vai decorrido meio campeonato e nunca, uma só vez que fosse, me pronunciei sobre arbitragens: quer as do meu clube, quer as dos outros; elogiei, mais do que uma vez, os progressos evidentes do futebol do Benfica, escrevendo que era a equipa que mais e melhor estava a jogar, e não tive uma dúvida em reconhecer como mais do que justa a sua vitória recente sobre o FC Porto. Fiz o que pude para a sanidade do ambiente. E aguentei-me até onde consegui.
Mas, às tantas, as coisas começam a ficar difíceis de encaixar sem reagir.
Anteontem, por exemplo, ao ler o texto, pretensamente engraçadinho, do Diogo Quintela, achei que a direcção do FC Porto deveria abandonar a sua tradicional passividade litigante e colocar-lhe um processo-crime por difamação, como o seu texto amplamente merece.
Talvez ele prefira a justiça popular à justiça democrática, talvez prefira a verdade popular à verdade apurada como tal; talvez as sentenças da justiça comum (e não a da populaça futobolística) lhe não mereçam respeito algum, talvez mesmo nem sequer se dê ao trabalho de as conhecer. Mas certamente sabe que insistir em mentiras desmascaradas pela justiça é uma calúnia e sabe que ofende, não apenas o presidente do FC Porto, mas todos os portistas, quando se diverte a escrever pretensos diálogos em que Pinto da Costa compra um árbitro por 2.500 euros.
Goebells dizia que uma mentira repetidamente dita transforma-se em verdade. Mas Goebells perdeu e as democracias triunfaram.
Talvez Diogo Quintela não goste, mas é assim: há regras no jogo.O FC Porto também deveria abandonar a sua passividade litigante no processo que aí vem e que se adivinha tumultuoso, do Conselho de Disciplina contra meia equipa do F.C.Porto, a propósito daquilo a que cada vez mais me sinto tentado a chamar «a emboscada da Luz».
E isso deveria começar pelo levantamento de um incidente de suspeição contra todo o elenco do CD e, muito em especial, contra o seu presidente, o Dr. Ricardo Costa.
A história recente da «justiça» do CD está cheia de factos que demonstram mais do que suficientemente a senha persecutória do Dr. Costa e do CD contra o FC Porto.
Este órgão e este presidente não dão garantias mínimas de isenção para julgar o FC Porto.
Têm dúvidas? Não sei se repararam como, há uns dias atrás, o Dr. Costa fez divulgar, através de jornalistas de confiança, a informação da decisão «inédita» que o CD havia tomado de recorrer de uma sentença do seu próprio órgão de recurso, o Conselho de Justiça (primeiro para o Pleno do próprio CJ, depois, ao que se anuncia e em caso de insucesso, para o tribunal administrativo).
Sem dúvida que a decisão é inédita e até estranha — ou não, como veremos adiante. Como notou José Manuel Meirim, no Público, é inédito e estranho que um órgão recorrido recorra da decisão do órgão de recurso (é assim como se o tribunal da Relação pudesse recorrer de uma decisão do Supremo), e leva a que o CD abandone o seu papel de juiz para assumir o de parte numa questão: a tanto leva a vaidade do Dr. Ricardo Costa.
Mais estranho ainda é pensar que tanto empenho do CD tem por objecto apenas uma questão menor: o responsável pelas relações com a imprensa do FC Porto insultou um jornalista de serviço num estádio (coisa lamentavelmente frequente, com todos os clubes...). Que devia ser condenado, não há dúvidas: condenado por insultar um jornalista em serviço. Mas o Dr. Ricardo Costa queria mais e resolveu condená-lo por insultar, não um jornalista, mas «um agente desportivo» — tese absurda e até insultuosa para os jornalistas, que o CJ, em recurso, obviamente não acolheu. E é desta decisão do CJ que o Dr. Costa resolveu recorrer, apostado em criar doutrina nova — como tentou fazer no passado, com resultados que o deveriam levar, se não a renunciar ao cargo, ao menos a um módico de pudor e contenção.
Agora, o curioso desta «inédita» decisão do CD — divulgada logo após os incidentes do túnel da Luz — é que ela aparenta ser tudo menos inocente. Reparem como tudo bate certo: se o Dr. Costa conseguir vencimento na sua tese de que um jornalista num estádio é um «agente desportivo», também poderá sustentar a seguir que um segurança num túnel do estádio é igualmente um «agente desportivo». E disso depende a possibilidade de aplicar a meia equipa do FC Porto aquelas demenciais penas de suspensão de um a seis anos, que o Regulamento Disciplinar contempla para as agressões a «agentes desportivos». Ainda chegará a vez de o vendedor de castanhas assadas à porta do estádio vir a ser declarado também «agente desportivo»... se isso servir para punir jogadores do FC Porto.
Sobre o que realmente aconteceu no túnel da Luz, estamos todos à espera de conhecer as já tão célebres imagens da longa metragem produzida pela Benfica- TV. Todos, não: meio mundo já as conhece. Eu já as ouvi relatadas por vários benfiquistas e ainda anteontem, aqui na BOLA, podia ler-se um pormenorizado relato dos pretensos acontecimentos no túnel, baseado, ou nas imagens, ou na versão que delas foi contada ao jornalista. «A BOLA sabe...», escrevia-se aqui. A BOLA sabe? E como sabe — viu as imagens, que é suposto terem sido entregues pelo Benfica ao CD da Liga e a mais ninguém? E, se viu, quem lhas mostrou — o Benfica ou o CD? E, se não as viu, como sabe — se não por relato de uma das partes, assumido como verdade indesmentível?
Pena que A BOLA não saiba outras coisas, a começar pelo que significa divulgar peças de acusação, antes mesmo de haver acusação, e de as divulgar em tais termos, que a defesa — (que nem sequer teve ainda acesso a nada, nem sabe qual é a acusação em concreto) — já tem a condenação escrita nas páginas dos jornais. E é pena que a BOLA não saiba também responder a outras questões essenciais: os seguranças têm o direito de estar ali? É habitual nos outros campos, estarem no túnel à saída dos jogos, misturados com os jogadores? Os seguranças do Benfica ficaram então no túnel, caladinhos e quietos, e foram inesperadamente agredidos por uma troupe de jogadores portistas que, já depois de fechados na sua cabina, resolveram sair cá para fora para os agredir? E A BOLA não sabe que, para além das cenas de pugilato do túnel, o essencial desta história é perceber o que faziam ali os seguranças do Benfica e qual foi o seu papel nos acontecimentos?
Para que não haja dúvidas, esclareço a minha posição: as agressões têm de ser punidas, primeiro criminalmente, depois no foro disciplinar. Mas aqui, na justa proporção à sua gravidade, ao motivo e circunstâncias da agressão e à representatividade desportiva dos agredidos — que é nenhuma. Até aí, todos estamos de acordo. Agora, fazer disto a arma decisiva para o Benfica ser campeão este ano, isso não! Tenham vergonha! Provem que são capazes de ser campeões no campo e não no túnel, que são capazes de ganhar um campeonato sem comprar a transferência de jogos de estádio e sem a colaboração dos amigos colocados em lugares de decisão na Liga, que, em tempos, Luís Filipe Vieira declarava ser mais importante de ter do que uma boa equipa de futebol!
Faccioso ou não, eu acho e sempre achei que o melhor deve ganhar e à vista de todos. E repito que, se o campeonato acabasse agora, o melhor era o Benfica. E até acho que fazia muito bem à nossa competitividade ter de volta um Benfica ganhador, mas como deve de ser. Porém, ainda falta meio campeonato e é desejável que ele seja disputado até ao fim em condições de igualdade. Depois de uma década de frustrações e mediocridade, interrompida apenas por um título que a ninguém convenceu, era isto que eu desejaria, se fosse benfiquista. Mas os auto-proclamados «moralizadores» do futebol português já provaram que não se contêm e que, debaixo da sua capa de virgens púdicas, não se preocupam muito com os meios para chegarem aos fins que ambicionam. É natural: os vencidos não gostam de lutar em campo aberto.

E o ano de 2010 abriu, aqui na Bola com mais uma daquelas periódicas entrevistas ao presidente do Benfica. Seis páginas — a capa, uma página inteira de elogios e quatro de auto-elogios, disfarçados de entrevista. E o dia de Ano Novo amanheceu cinzento e gasto. Tal qual o discurso do personagem.

O país do sócrates

A imagem acima foi captada no Posto da GNR de Armação de Pera.
Os cidadãos podem ficar descansados: a segurança às instalações da GNR é efectuada ... pela Prosegur!!!!
Apanhados? Não! Políticas do pinócrates.


Desafio ao leitor: tente imaginar um telefonema da Prosegur dirigido ao Posto a avisar que estavam a ser assaltado... É de morrer a rir.

Sempre actual: o palhaço



O palhaço
O palhaço compra empresas de alta tecnologia em Puerto Rico por milhões, vende-as em Marrocos por uma caixa de robalos e fica com o troco. E diz que não fez nada.
O palhaço compra acções não cotadas e num ano consegue que rendam 147,5 por cento. E acha bem.
O palhaço escuta as conversas dos outros e diz que está a ser escutado.
O palhaço é um mentiroso.
O palhaço quer sempre maiorias. Absolutas.
O palhaço é absoluto.
O palhaço é quem nos faz abster. Ou votar em branco. Ou escrever no boletim de voto que não gostamos de palhaços.
O palhaço coloca notícias nos jornais.
O palhaço torna-nos descrentes.
Um palhaço é igual a outro palhaço. E a outro. E são iguais entre si.
O palhaço mete medo.
Porque está em todo o lado.
E ataca sempre que pode.
E ataca sempre que o mandam.
Sempre às escondidas.
Seja a dar pontapés nas costas de agricultores de milho transgénico seja a desviar as atenções para os ruídos de fundo.
Seja a instaurar processos.
Seja a arquivar processos.
Porque o palhaço é só ruído de fundo.
Pagam-lhe para ser isso com fundos públicos. E ele vende-se por isso. Por qualquer preço.
O palhaço é cobarde. É um cobarde impiedoso. É sempre desalmado quando espuma ofensas ou quando tapa a cara e ataca agricultores.
Depois diz que não fez nada. Ou pede desculpa.
O palhaço não tem vergonha.
O palhaço está em comissões que tiram conclusões. Depois diz que não concluiu.
E esconde-se atrás dos outros vociferando insultos.
O palhaço porta-se como um labrego no Parlamento, como um boçal nos conselhos de administração e é grosseiro nas entrevistas. O palhaço está nas escolas a ensinar palhaçadas. E nos tribunais. Também. O palhaço não tem género. Por isso, para ele, o género não conta. Tem o género que o mandam ter. Ou que lhe convém. Por isso pode casar com qualquer género. E fingir que tem género. Ou que não o tem. O palhaço faz mal orçamentos. E depois rectifica-os. E diz que não dá dinheiro para desvarios. E depois dá. Porque o mandaram dar. E o palhaço cumpre. E o palhaço nacionaliza bancos e fica com o dinheiro dos depositantes. Mas deixa depositantes na rua. Sem dinheiro. A fazerem figura de palhaços pobres. O palhaço rouba. Dinheiro público. E quando se vê que roubou, quer que se diga que não roubou. Quer que se finja que não se viu nada.
Depois diz que quem viu o insulta. Porque viu o que não devia ver.
O palhaço é ruído de fundo que há-de acabar como todo o mal. Mas antes ainda vai viabilizar orçamentos e centros comerciais em cima de reservas da natureza, ocupar bancos e construir comboios que ninguém quer.
Vai destruir estádios que construiu e que afinal ninguém queria.
E vai fazer muito barulho com as suas pandeiretas digitais saracoteando-se em palhaçadas por comissões parlamentares, comarcas, ordens, jornais, gabinetes e presidências, conselhos e igrejas, escolas e asilos, roubando e violando porque acha que o pode fazer.
Porque acha que é regimental e normal agredir violar e roubar.
E com isto o palhaço tem vindo a crescer e a ocupar espaço e a perder cada vez mais vergonha.
O palhaço é inimputável. Porque não lhe tem acontecido nada desde que conseguiu uma passagem administrativa ou aprendeu o inglês dos técnicos e se tornou político.
Este é o país do palhaço.
Nós é que estamos a mais. E continuaremos a mais enquanto o deixarmos cá estar. A escolha é simples.
Ou nós, ou o palhaço.

Ele está de volta...


"Consta-se"

benfica - Nacional da Madeira
O benfica podia ter ganho de forma honesta?
Podia, mas não era a mesma coisa...

Casamento homossexual


O país está de tanga; deve ser por isso que os políticos de lisboa andam a espreitar o que está debaixo dela...

Petição aos responsáveis do FCPorto

"O que me assusta não é o grito dos maus, mas o silêncio dos bons."
Martin Luther King


São rádios, televisões, jornais e pasquins. São as contradições dos castigos onerados pela suposta comissão de disciplina e de justiça da Liga, principalmente nos casos que possam envolver atletas do FCPorto e atletas dos clubes lisboetas. São as decisões de tribunais civis contra as arbitrariedades da Liga e do C.Justiça da FPF relativamente ao FCPorto (já para não falar no TAS). Em todas as nossas conquistas, mesmo as mais relevantes, nunca conseguem ver o mérito. Apenas a inveja e suspeitas idiotas. Porque continuam calados os nossos lideres? Porquê?

2010 - O futebol começa como acabou: PODRE

Em 2009, a propósito da final da Taça Carlsberg e da forma como foi conquistada pela equipa do regime (outrora fascista, por hoje colonialista e centralista), escreveram isto:

2009 - Benfica vence Taça Carlsberg (Taça da Liga) : O futebol está podre. O futebol nacional está podre. Os jogadores, os treinadores, os árbitros e todas as pessoas que gerem o futebol estão podres.Hoje, assistimos a um jogo pobre, mal jogado, mal gerido por parte dos técnicos e mais uma vez, abitragem errou. Um erro grosseiro e a favor do Benfica e que acabou por ditar um vencedor falso.


Hoje realizou-se a primeira jornada da fase de grupos. Não vou fazer comentários, apenas transcrever o que vinha no maior órgão de comunicação escrita do clube da luz:


19 minutos
Amuneke marca golo, mas foi invalidado por Olegário Benquerença. O "juiz" assinalou fora-de-jogo, mas a decisão é polémica.


29 minutos
Amuneke recebe amarelo por desentendimento com Javi García. Mas fica por mostrar cartão ao espanhol também.


30 minutos
Entrada feia de Maxi Pereira sobre Rúben Micael, completamente fora de tempo. Olegário voltou a deixar o amarelo no bolso.


55 minutos
Amuneke quis surpreender e rematou directo. Quim ainda toca na bola, antes desta sair por cima da barra. Olegário volta a errar e assinala pontapé de baliza.


70 minutos
"Penalty" por assinalar por falta de David Luiz sobre Rodrigo Silva. O central brasileiro levou bola e jogador à frente. Mais um erro para Olegário.



Podem os árbitros errar, aqui e ali, ora em benefício de um ora em benefício de outro. Isto que atrás está escrito tem um nome: Corrupção!