Kosta de Alhabaite

Nortenho, do Condado Portucalense

Se em 1628 os Portuenses foram os primeiros a revoltar-se contra o domínio dos Filipes, está na hora de nos levantarmos de novo, agora contra a colonização lisboeta!

30.Abr.2016 - Peneda: Fraga das Pastorinhas

7ª derrota no Campeonato! Treinador equivocado, defesa de papel, postes, árbitros e incompetência, muita incompetência. E o Pinto da Costa mantém-se..


Acontece por vezes não conseguir vencer 
O problema é tomar gosto pelas derrotas

Nem glória nem tão pouco honra 

V E R G O N H A

Prostituição desportiva: uma forma de alguns pagarem favores dentro do campo. Vocês sabem do que estou a falar!


Momento de Magia

Soldier Richard has a magical gift for the Judges 
Week 2 Auditions | Britain’s Got Talent 2016

O Porto em imagens (380)

Carlos Dine

É preciso ter cuidado com as empregadas domésticas :-)

A "verdade" desportiva...

Aos 42 minutos, com 0-0, o Bruno "Ladrão" descortinou que esta falta grave era contra ... adivinharam, contra o Guimarães! 

Os encornados podiam vencer campeonatos limpos? Não, não sabem e por isso não podiam. Os últimos que conquistaram tiveram sempre "aquele factor" proteccionista vergonhoso como este...



Porto rejeita proposta de fundos comunitários para desenvolvimento urbano

Rui Moreira revelou ontem, em Assembleia Municipal, que o Porto não vai assinar o contrato proposto pela CCDRN acerca de fundos comunitários destinados ao desenvolvimento urbano. O presidente da Câmara, que respondia no âmbito da discussão das contas do município relativas a 2015, aprovadas por larga maioria, comunicou que a Comissão de Coordenação e Desenvolvimento da Região Norte apenas quer destinar ao Porto 26,5 milhões de euros de fundos nos próximos seis anos.

Para Rui Moreira,os fundos para "desenvolvimento urbano" não podem ser distribuídos de forma tão desequilibrada, partindo do princípio que "todo o Norte é uma cidade" e não levando em conta os critérios objetivos e justos traçados pelo Conselho Metropolitano do Norte.

O presidente queixou-se ainda dos atrasos: "infelizmente, quando o presidente da Câmara do Porto falou há dois anos, tinha razão", afirmou, recordando aos deputados municipais do PSD terem-no então criticado.

Segundo Rui Moreira, os projetos apresentados pelo Porto no PEDU - Plano Estratégico de Desenvolvimento Urbano, orçavam em 160 milhões de euros, valor não muito diferente do anterior quadro comunitário de apoio. Agora, a CCDRN propõe 26,5 milhões ao Porto, claramente insuficiente para a cidade. "Nem eu imaginava que o roubo do século ia ser desta dimensão", rematou durante a Assembleia Municipal que ontem à noite se realizou. [daqui]

O Porto em imagens (379)

Mário Morais

Another Kind Of Blue - Britain's Got Talent 2016

O Porto em imagens (378)

Nuno Pimenta

O Bloco (sanitário) de Esquerda e o PEC clandestino


Eles dão opinião sobre tudo, dão ênfase ao aborto, àquela coisa do género, às fufas e aos fofos, mas coisas sérias não é com eles. É realmente fascinante que o Bloco (sanitário) de Esquerda não querer votar o PEC no Parlamento!
Não é por nada e nós até não somos estúpidos, por isso sendo o PEC um dos mais importantes programas daquela espécie de governo que as esganiçadas suportam e que é o farol da governação dos próximos meses, o BE considera que não merece sequer ir a votação no parlamento !!!
A esganiçada Catarina diz que não quer levar o projecto mais importante do actual governo a votação para não criar uma crise !!!! Como ???  Ou seja, os extremistas de esquerda aceitam apoiar o PEC, mas só às escondidas, de forma clandestina e sem registo de voto. Para daqui a uns tempos poder dizer que nunca o aprovou. A palhaçada continua em grande.

Porto Portugal: Some Impressions April 2015 by Nico Ruijter


Porto (Portuguese pronunciation: [ˈpoɾtu]), also known as Oporto in English, is the second-largest city in Portugal, after Lisbon, and one of the major urban areas in Southwestern Europe. The urban area of Porto, which extends beyond the administrative limits of the city, has a population of 1.4 million (2011) in an area of 389 km2 (150 sq mi), making it the second-largest urban area in Portugal. Porto Metropolitan Area, on the other hand, includes an estimated 1.8 million people.It is recognized as a Gamma-level global city by the Globalization and World Cities (GaWC) Study Group,the only Portuguese city besides Lisbon with such recognition.

Located along the Douro river estuary in Northern Portugal, Porto is one of the oldest European centres, and its historical core was proclaimed a World Heritage Site by UNESCO in 1996. The western part of its urban area extends to the coastline of the Atlantic Ocean. Its settlement dates back many centuries, when it was an outpost of the Roman Empire. Its Latin name, Portus Cale, has been referred to as the origin of the name "Portugal", based on transliteration and oral evolution from Latin. In Portuguese the name of the city is spelled with a definite article ("o Porto"; English: the port). Consequently, its English name evolved from a misinterpretation of the oral pronunciation and referred to as Oporto in modern literature and by many speakers.

One of Portugal's internationally famous exports, port wine, is named for Porto, since the metropolitan area, and in particular the adegas of Vila Nova de Gaia, were responsible for the production and export of the fortified wine.In 2014, Porto was elected The Best European Destination by the Best European Destinations Agency.

Britain's Got Talent 2016: Beau Dermott - 12 anos e uma voz brilhante

Allepo. Sem comentários











O Porto em imagens (377)


O "BE" espanhol quer calar a imprensa... Nada de novo, portanto, desta esquerda fascista

O Porto em imagens (376)


António Silva

Entretanto, em França

A REVOLTA DOS PARASITAS

Porque é que só dormimos bem na nossa caminha?

Uma equipa de investigadores descobriu que quando dormimos noutra cama que não a nossa, o lado esquerdo do cérebro permanece activo. E evita dormir profundamente como estratégia evolutiva.


Muitos de nós já passámos pela experiência de dormir fora de casa e acordarmos com a sensação de não ter dormido bem. Agora a ciência veio explicar porque é que só dormimos mesmo bem na nossa cama.

O hemisfério esquerdo do cérebro permanece alerta, sem dormir, como forma de protecção contra possíveis perigos que possam surgir num ambiente estranho, diz um estudo publicado na Current Biology. Esta é a razão pela qual, segundo os autores da pesquisa, quando passamos noite num hotel ou na casa de um familiar ou amigo não dormimos bem.

O estudo analisou as imagens dos cérebros de 35 voluntários, que passaram várias noites no laboratório e os resultados mostram que o lado esquerdo do cérebro permaneceu mais sensível ao som. As razões pela qual o lado esquerdo permanece mais activo que o direito ainda não estão claras para os investigadores.

“Sabemos que os animais marinhos e algumas aves têm um sono unihemisférico, ou seja, um hemisfério está desperto e o outro dorme”, disse Yuka Sasaki, da Universidade de Brown (nos Estados Unidos) uma das autoras do estudo, citada pelo El Mundo.

A capacidade do lado esquerdo do cérebro de permanecer alerta parece ser uma estratégia evolutiva, já que dormir profundamente poderia significar ficar mais exposto ao perigo. Este mecanismo de defesa pode ser minimizado se quando dormir fora levar consigo a sua almofada, que ajuda o “sexto sentido nocturno” a sentir mais segurança, afirmam os investigadores.

“Os cérebros dos seres humanos são muito flexíveis e as pessoas que dormem em lugares novos muitas vezes não têm necessariamente uma falta de sono regular”, explicou a investigadora Yuka Sasaki.

Pesquisas anteriores já haviam confirmado que o sono de muitas pessoas é afectado pelo “síndrome da primeira noite”, que faz com que durmamos mal na primeira noite que passamos fora de casa. Esta investigação veio reforçar essa teoria.

“O efeito da primeira noite é bem conhecido mas é a primeira vez que as assimetrias das redes neurais do cérebro são documentadas “, disse Marian Martinéz, especialista da Sociedade Espanhola do Sono ao jornal El País. [daqui]

Kathleen Jenkins

Wild Horses can’t keep Kathleen Jenkins from singing  
Week 3 Auditions | Britain’s Got Talent 2016

O Porto em imagens (375)

Mário Morais

A demolição do "Hotel do Parque" (Gerês) em imagens

Está em curso a demolição do emblemático "Hotel do Parque", na vila do Gerês, cuja parte da fachada ruiu na noite de quarta-feira. A circulação ao trânsito será reaberta assim que esteja concluída a remoção dos escombros.






O Porto em imagens (374)

Fátima Malheiro

Momento Musical

Pré-eliminatória da LC garantida (triste consolo)


Sem tranças, branco, foi registado no dia em que nasceu e amanhã não terá uma capa a anunciar 40M de um qualquer clube...

É desta gente sem categoria que vive o futebol português e depois já se sabe quem tem tudo facilitado para vencer....

A sua equipa joga amanhã contra o clube que, ajudado, lidera o campeonato. 
Podia estar concentrado e a pensar na melhor estratégia?! Podia. Mas não está. Aliás está mais preocupado com um adversário que irá defrontar daqui a algumas semanas. 
Dizem as regras que são estes jogos que entusiasmam e elevam a concentração dos treinadores e jogadores dos clubes mais pequenos que defrontam os clubes mais poderosos, financeiramente, desportivamente e, neste caso, que manobra a seu gosto os orgãos desportivos, desde a arbitragem ao dirigismo federativo e da liga.
Isto é verdade desportiva? Certamente que não e este é mais um exemplo do provincianismo dos agentes, neste caso, desportivos de Portugal: abrem as pernas, as avenidas e prostituem os seus símbolos a favor da genuflexão à equipa encornada da capital centralista e colonial. Pedro Martins é um dos que tal.

A corrupção boifiquista chega também da 2ª Liga: a tramóia de Faro!




O que têm em comum Tiago Jogo, Iuri Gomes ou Diogo Coelho? São jogadores cedidos por outros clubes ao Farense. Que mais têm em comum? O Farense não utilizou nenhum deles contra os clubes-mãe (adenda: apenas o Feirense, que emprestou Tiago Jogo, está na segunda liga), até porque, como se sabe, os regulamentos proíbem isso. Até aqui, tudo normal.

E depois há Harramiz. Quem é Harramiz? Um jogador emprestado pelo Benfica ao Farense. Então o que fez o Farense? Utilizou-o contra o Benfica B.

Ou seja, a partir do momento em que Harramiz entra em campo, o Farense já perde o jogo. Perdeu-o em campo, mas tê-lo-ia também perdido na secretaria. Ou seja, o Benfica B, sob quaisquer que fossem as circunstâncias, já sairia deste jogo duplamente beneficiado: não só ganhava o jogo como um rival direto na luta pela manutenção ia perder pontos.

Além de perder o jogo em campo, o Farense foi punido com a perda de mais 2 pontos. Assim já está a 4 pontos do Benfica B, que tem praticamente menos uma equipa com a qual se preocupar na corrida à manutenção.

Que diz o Farense sobre isto? Segundo o seu presidente, António Barão, tudo não passou de um lapso. «A utilização do Harramiz resultou de desconhecimento do Farense e não houve intenção nem maldade», disse ao Record: «Pensávamos que o jogador já não tinha qualquer ligação com o nosso adversário».

O Farense, infelizmente, não sabia que Harramiz ainda era jogador do Benfica. Imagine-se como é possível andar uma época a pagar salários a um jogador que, no fundo, nem se sabe a quem pertence. Mais ainda: imagine-se o que é o gabinete de imprensa do Farense saber mais do que o próprio presidente/clube.





Conforme se pode ver neste post no Facebook do Farense, Harramiz foi anunciado como reforço por «empréstimo do Benfica». Será possível que quem gere o Facebook do Farense sabe o que mais ninguém do clube aparentemente sabia? A isto não se chama lapso, chama-se incompetência. Ou então chama-se outra coisa.

De facto, o historial de colaboração entre Farense e Benfica é vasto. Para quem não se recorda, o Farense foi pioneiro mundial nesta prática:


Desde então, o Benfica tem cedido uma série de jogadores ao Farense, quase todos recheados de potencial.  Quem não se lembra dos craques Jim Varela (a explodir no Progreso) e Juan San Martín (a espalhar magia no Louletano)? Chegaram juntamente com Elbio Álvarez, um suplente da equipa B. Segundo a agência EFE, em janeiro de 2012, o Benfica pagou 1,5M€ só pelo direito de preferência destes 3 jogadores e mais 2,9M€ pela compra do passe. Fica a sugestão ao Football Leaks: estes seriam interessantes de se ver.

Isto para dizer que Jim Varela e San Martín foram exemplos dos craques que amadureceram no Farense antes de irem espalhar magia para a Luz. Na verdade, não correu muito bem, pois não? A melhor contratação do Benfica - para quem mais vale uma assento na liga do que um Jankauskas - pelos caminhos de Faro ainda continua a ser Carlos Deus Pereira.

Quem não se lembra deste ex-futebolista que representou o Benfica durante 9 anos? Poucos, talvez, pois deu mais nas vistas pelo seu trabalho como presidente da Mesa da AG da Liga durante o consulado de Mário Figueiredo. Recusou vários pedidos de Assembleias Gerais para destituir o presidente da Liga, rejeitou as candidaturas de Rui Alves e Fernando Seara à presidência da Liga e foi presidente da SAD... do Farense. Farense esse que foi um dos 7 clubes a votar na reeleição de Mário Figueiredo em 2014. É preciso ter faro para as parcerias, e o Benfica mostra tê-lo de sobra por estas bandas.

Ainda sobre Harramiz, então e o próprio papel da equipa de arbitragem e dos delegados ao jogo da liga? Não houve um único elemento competente o suficiente para verificar, facilmente, que Harramiz era um jogador emprestado pelo Benfica? A própria inoperância dos agentes da nossa liga fez com que o Farense, ainda antes de começar o jogo, já tivesse perdido; e o Benfica ganhou não só os 3 pontos, como vantagem sobre outra equipa na luta pela manutenção.

Qualquer coincidência com a realidade é pura ficção. Mas por um momento, imaginemos o que aconteceria se o projecto de formação do Benfica, que tanto tem proclamado a aposta no Seixal e a estratégia para ter uma base de jogadores formados no clube e na selecção nacional, culminasse com a queda da equipa B para o Campeonato de Portugal. Nem Alexandre Dumas, com mil Aramis ou Harramiz, conseguiria imaginar tão trágica ficção.

Ah, já agora: não se esqueçam, Victor Andrade está emprestado pelo Benfica. Não vá alguém do Vitória de Guimarães B, na próxima jornada, cometer o mesmo lapso que o Farense. 

A sina das últimas 2 duas épocas

(...)  marca no primeiro remate que faz à baliza. Dragões tentam reagir ao golo sofrido.

(mais) Sinais exteriores de corrupção e favorecimento encornado

Porcos encornados não viam tão poucos cartões há 22 anos!
(de uma equipa tão agressiva no ataque e na defesa, não é obra, é premeditação, logo corrupção favorecimento)

O Porto em imagens (373)


O Porto em imagens (372)

Interior do Via Catarina

Eles procuram um lugar para o Bonfim no mapa turístico do Porto

Revelar o "Bonfim desconhecido" e dinamizar uma freguesia a partir do turismo. Daniela Alves e Hélder Barbosa agarraram um projecto desta junta do Porto e querem pôr a cidade a olhar para o oriente



Quando o desafio lhes caiu no colo, o "mundo" deles não ia muito além das Fontainhas e da Biblioteca Municipal do Porto. O Bonfim era apenas freguesia de passagem imperiosa em noites de São João e local de mergulho em arquivos e longas investigações. Daniela Alves e Hélder Barbosa assustaram-se — mas arriscaram. E para lá do “mundo” deles, havia mesmo um hemisfério novo: desde o Verão passado, com o projecto Explore Bonfim, tentam mudar o mapa turístico e cultural do Porto. Pode esta freguesia oriental integrar este roteiro?

O quadro é um velho conhecido dos bonfinenses. Neste pedaço da urbe onde quase tudo se mistura — centro e periferia, habitação rica e pobre, espaços comerciais e industriais — o turismo não entra. “Estamos, de facto, fora desse mapa”, comenta o presidente da junta José Manuel Carvalho. Mas não irremediavelmente. O ensaio para a mudança começava ali, diagnóstico em cima da mesa: José Manuel Carvalho pediu ajuda ao geógrafo Jorge Ricardo Pinto, morador “militante” e estudioso da freguesia, e ele convocou Daniela e Hélder, dois dos seus alunos no Instituto Superior de Ciências Empresariais e do Turismo (ISCET). O Explore Bonfim foi uma “surpresa” mesmo para quem começou por imaginá-lo: “Descobri coisas a partir do projecto e isso mostra como ele pode ser importante”, admite o autarca independente eleito nas listas de Rui Moreira.

Jorge Ricardo Pinto, consultor do projecto, não podia estar mais de acordo. Os alunos, congratula-se, “revelaram um Bonfim desconhecido” e mostraram como uma área “vista como residencial e pacata” tem, afinal, “eventos quase diários”. Para os divulgarem, a dupla de licenciados em Turismo e mestrandos em Turismo e Desenvolvimento de Negócios (a dias de defender a tese) criou um website e uma página de Facebook. E, bem antes disso, fez-se ao terreno — e à já conhecida Biblioteca Municipal.

A monografia da freguesia, escrita por Jorge Ricardo Pinto, leram-na da primeira à última página. “Começámos a partir daí a interiorizar a identidade do espaço”, recorda Hélder Barbosa. Depois, foram caminhadas a mais caminhadas, quilómetros e mais quilómetros, percorrer o Bonfim de norte a sul. Anotar, fotografar, escrever. Às tantas, do território pouco turístico sentiam-se capazes de fazer vários roteiros... turísticos. “Havia muito mais do que imaginávamos.”

Moram no Bonfim três das seis pontes portuenses — Infante, Maria Pia e S. João — e mais de uma centena de edifícios classificados como imóveis de interesse público. Tem-se, a partir das Fontainhas e do seu miradouro, umas das mais belas vistas sobre o rio da cidade. Nesta freguesia oriental — a mais pequena e com menos população (30 mil) do Porto desde a reforma administrativa de 2013 — está o Prado do Repouso, o primeiro cemitério público municipal, inaugurado em 1839 e considerado um “museu ao ar livre”. Encontra-se o impressionante Parque de Nova Sintra, um considerável património religioso, a casa-oficina do pintor e poeta António Carneiro, o Museu Militar ou a Faculdade de Belas Artes.

Nascer e viver no oriente do Porto
É uma ligação secular aquela que liga Jorge Ricardo Pinto ao Bonfim. Estava ainda o território a um ano de ser constituído como freguesia — em Dezembro de 1841, por decreto de Costa Cabral, durante o reinado de D. Maria II — quando o pentavô do geógrafo se instala por ali. O investigador descobriu-o numa reconstituição da árvore genealógica da família: tanto o lado materno como o paterno viveram pelo oriente da cidade desde o século XIX. O avô morou numa ilha na Rua de S. Victor até ao fim dos seus dias. E Jorge Ricardo Pinto foi crescendo por lá nos fins-de-semana: “Os meus pais, bonfinenses, casaram-se e foram viver para a periferia. Por isso, como muita gente do Porto, sou suburbano”, sorri. Ou foi, até ele próprio se casar e regressar a “casa”, uma moradia mandada construir pelo bisavô e recuperada por ele no início deste século.

Na ambição do Explore Bonfim não está uma competição com o turismo mediático e em alta do Porto. A freguesia está longe do mar e do centro histórico e, de certa forma, começa onde a Baixa termina, no jardim de S. Lázaro. “Há de sofrer sempre desse problema”, admite o docente, autor da obra “O Porto Oriental no século XIX”. Mas numa cidade tão focada no centro “o alargamento para outra oferta” pode ser, de facto, um passo natural.

Daniela Alves e Hélder Barbosa, 23 anos, são naturais da Maia — e sonham um dia fazer algo por esta cidade —, mas entusiasmaram-se definitivamente com a freguesia portuense. E com o contentamento à volta deles. Quando começaram a contactar os operadores turísticos locais, a reacção começava por ser de surpresa — mas a satisfação de ver alguém agarrar o território delas vinha logo depois. Os alunos do ISCET têm um completo inventário das instituições do Bonfim e acompanham-nas de perto. Todas as semanas fazem uma “newsletter”, divulgam os eventos de véspera no Facebook e criaram um repositório fixo de informação no website. Mas querem ir mais longe: aos quatro circuitos turísticos traçados — “os jardins”, “as pontes”, “as igrejas e capelas” e “um dia no Bonfim” — desejam, em breve, juntar outros, como um circuito por antigas fábricas e outras marcas de um território fortemente marcado pelo industrialização no século XIX. E aos eventos dinamizados por instituições da zona, gostavam de juntar os do Explore Bonfim.

CHIP, todo o Porto a partir de um edifício
Aposta ganha são os percursos culturais feitos na freguesia através do CHIP — Culture, Heritage and Identity in Porto (CHIP), um projecto do ISCET coordenado por Jorge Ricardo Pinto e do qual a dupla do Explore Bonfim faz também parte. Com seis anos de trabalho celebrados no mês de Fevereiro, o CHIP procura dar a conhecer a cidade a partir de edifícios quase desconhecidos. É um laboratório de investigação para alunos de licenciatura e mestrado daquela instituição e já deu até origem a um livro: “O 285 da Rua de Cedofeita”, morada do próprio ISCET, conta 150 anos de história do Porto a partir deste espaço, outrora importante salão de arte por onde passaram Abel Salazar e Júlio Pomar e onde morou o presidente da Câmara do Porto Francisco Pinto Bessa.

O trabalho, explica Jorge Ricardo Pinto, passa pela identificação de um espaço, a investigação da sua história (através de registos prediais e paroquiais, licenças de obras, arquivo histórico) e a construção de uma narrativa: seja a partir do arquitecto ou engenheiro responsável pela obra, dos antigos moradores ou outros pretextos. “Ajuda a rever ideias preconceituosas sobre os territórios e lugares. Temos tido um papel importante na reintrodução de determinadas peças da cidade, desde a pequena à grande história.”

Há, na cidade que tem apaixonado os turistas, narrativas por desvendar. E algumas estão no Bonfim. O projecto criado pela junta local quer “dar visibilidade” a esse lado oculto — mas este desafio, salienta José Manuel Carvalho, não é apenas turístico. “Ao não perder de vista esse lado estamos a pensar na população. Ao chamar turismo melhoramos a vida dos moradores e comerciantes. É um ciclo.”

O Porto em imagens (371)

Nuno Pimenta

Flyboard Air: voar a 150 km/h apenas com uma prancha nos pés


Um novo conceito de "hoverboard", desenvolvido por Franky Zapata, da equipa Zapata Racing (que ganhou fama por ter sido pioneira no recurso a motos de água como veículos voadores), pode aproximar qualquer pessoa do personagem "Green Goblin" ou Duende Verde, vilão em muitas aventuras do Homem-Aranha. Trata-se do Flyboard Air, parente do homónimo do 'jet ski', embora neste caso seja capaz de voar sem precisar de sistema de propulsão a jacto de água e pode vê-lo aqui.

De acordo com o criador, o Flyboard Air, espécie de unidade de propulsão independente, chega a 3 km de altitude e a uma velocidade máxima de 150 km/h, conseguindo autonomia de 10 minutos, ou seja, resultados muito semelhantes aos obtidos pela mochila propulsora JB-9 da Jetpack Aviation.

Contudo, no primeiro vídeo divulgado, a velocidade máxima não supera os 55 km/hora, não vai além de uma elevação de 50 metros e o tempo de viagem só se aproxima dos quatro minutos. [daqui]

Thank You, Porto

O Porto em imagens (370)

Manuel Varzim

Porto mais belo que a capital

O site norte-americano de viagens, Huffpost Travel, elegeu o Porto como uma das dez cidades que são mais bonitas do que a capital do país. Num artigo onde aparece acompanhado por Granada (Espanha), Bath (Reino Unido), Kyoto (Japão), Bolonha (Itália), Bordéus (França), Cartagena (Colômbia), Cracóvia (Polónia), São Petersburgo (Rússia) e Chefchaouen (Marrocos), o Porto é referido como sendo "tão animada e bonita".

Escreve o conhecido site que "o centro histórico de Ribeira é um Património Mundial da UNESCO, e com um recente boom no turismo, a cidade está mais preparada do que nunca para receber visitantes. "No artigo é ainda referido que "além do charme e do formato das ruas do Porto, o local de nascimento de vinho do Porto é um destino imperdível para os amantes do vinho".

O site norte-americano The Uffpost Travell diz que o Porto é uma das cidades que ficam à frente das respetivas capitais, apesar de serem mais pequenas.

COFINA: O misterioso caso das acções penhoradas

Já passaram 10 dias, 10 longos dias, e o Correio da Manhã continua sem escrever uma linha que seja sobre o caso das acções da Cofina penhoradas pela Autoridade Tributária, que o JN noticiou no domingo 10 de Abril), por causa de uma dívida de 12,5 milhões de euros que continua por pagar, mesmo depois de um perdão de 5,7 milhões. Esta dívida ainda é mais estranha dados os sinais exteriores de riqueza dos administradores Paulo Fernandes e Domingos Matos, que habitam nas exclusivas Quinta da Marinha e Condomínio de Marechal Saldanha, mas depois não pagam os impostos. Ou será que estamos perante mais um caso de offshores? Uma “investigação” à Correio da Manhã afirmá-lo-ia de imediato, mas este Diário é mais prudente e prefere esperar pelas autoridades. De qualquer forma, este caso fere de morte a credibilidade de um jornal que apregoava a independência de todos os poderes. Sejamos francos, o Correio da Manhã também não tem glamour para a Quinta da Marinha, onde serve para embrulhar peixe. (adaptado do Dragões Diário)

Hoje temos andebol de 7 (para o boifica) e andebol de 4 para o FC Porto: basta apreciar a "qualidade" e "idoneidade" de um dos árbitros

Um dos que vai apitar o andebol esta quarta. 
Escrito a seguir a um Porto boifica de 2010 em futebol que lhes adiou a festa... 
E assim vai o cada vez mais "centralizado" desporto português...


O Porto em Imagens (369)

Pedro Teixeira

E Centeno, o mentiroso, já foi demitido? E o governo quando cai de podre?

Mentir numa comissão de inquérito é crime! 
Crime punível com pena de prisão! 

O PSD apresentou provas de que Mário Centeno mentiu na Comissão de inquérito ao BANIF (repetidamente, como provam os vídeos). Provas que não foram rejeitadas pelo porta-voz do PS. 
Agora é entre Centeno e os tribunais. Assumindo que António Costa tem vergonha na cara e que há um Presidente da República em plenitude de funções, a única questão que fica é: quem será o próximo ministro finanças?

Desfeito esse mistério, ficará um, ainda mais importante, para resolver: o que será que ainda está escondido nas relações entre o governo e o Santander?

Hoje, no Porto de Leixões

O Majestoso. "L' AUSTRAL", da Companhia Francesa Compagnie de Ponant Yacht Cruises.

Construído em 2010, no  estaleiro Fincantieri italiana, com toque sofisticado pelo designer francês Jean-Philippe Nuel, com 142 metros de comprimento e 18 metros de largura, é um autêntico Rolls Royce do mares, com uma groos-tonnage de 10944, um porte bruto de 1441 t, atingindo uma velocidade máxima de 14,7 nós .

Atenas é já ali ao lado. E o novo resgate também



Não há dúvida que se há coisa que caracteriza um governo de esquerda é o amor ao luxo e o desprezo total pelo controlo dos dinheiros públicos. O novo resgate aproxima-se e ainda vai chegar mais depressa do que o Falcon voa.
os "novos" donos disto tudo

O Porto em Imagens (368)

Nuno Pimenta - Rua do Crasto para a Avº Brasil

Os actos da "africana" Câmara da Amadora demonstram o que quer para o país o governo-não-eleito-da-extrema-esquerda

UMA VERGONHA E UM INSULTO
(mas os mouros que lá vivem devem gostar)



Como é possível esta vergonhosa homenagem ao responsável máximo pela falência de um país rico em petróleo, onde se deixou de trabalhar às Sextas para poupar energia, em que os supermercados oferecem prateleiras vazias a quem os visita – vencidas as enorme bichas – e onde a inflacção galopa alegre e a bom ritmo para os quatro dígitos e onde actualmente nem o partido eleito (oposto aos ditames destes biltres "socialistas") consegue ter o direito de governar porque o novo ditador, na linha vermelho do agora homenageado, não quer deixar o poder?!
A sua herança é, sublinhe-se,  a todos os níveis, memorável: perseguição e existência de presos políticos, golpes progressistas, marcação cerrada e fecho dos media que ousam noticiar a realidade. Em jeito de conclusão: este enviado do socialismo merece todas as homenagens de quem não tem vergonha alguma. (Rui Carmo dixit)

Lesados do "Panamá"


... até porque eles já "compraram" o autocarro

Quim Machado e o boifica: "Não vamos jogar com o autocarro"

O Porto em Imagens (367)

Pinto Ferreira - Estação S Bento

FC Porto: fim de semana de afirmação e esperança


  • Andebol: recuperada a esperança com vitória sobre o boifica (desta vez não fomos 4 contra 7+2)
  • Basquetebol: em casa do asqueroso lisboa, contra o nosso inimigo boifica, vitória magnífica a silenciar a petulância encornada
  • Futebol: contra o Nacional da Madeira, a besta negra, talvez, depois do FC Porto a equipa que mais vezes venceu no Dragão, vitória escassa (apesar dos 4-0 - os guarda redes continuam a fazer contra nós exibições monstruosas) em exibição muito boa como já não tinha memória
  • Presidência: sem concorrentes (mas já com oposição), o mais titulado Presidente do Mundo venceu as eleições; espera-se que ajude à retoma daquilo que também ajudou a perder nos últimos 3 anos 

Um dia os sócios do FC Porto vão ter que fazer opções. Hoje é só gozo.

-Dobragem do boletim em dois e respectiva introdução do mesmo na urna representa um voto a favor

-Estatutos não preveem votos em branco

-Os votos nulos serão os que tiverem todos os nomes riscados, um desenho, palavra ou expressão

Bilhete de Identidade? Cartão de Cidadão? Aquela coisa designada "bloco" (sanitário) não quer ir plantar batatas?

O Bloco quer acabar com a designação do Cartão de Cidadão. 
Extraordinária a imaginação destes "bloquistas sanitários". 
Esta gentinha esganiçada pensa apenas em fazer palhaçadas e em fazer de palhaços os portugueses, QUE NÃO OS ELEGERAM!

A julgar pelas "magníficas" decisões do governo de pedófilos, prostitutas, comunas e parasitas incompetentes, a escolha parece óbvia

O próximo manda-chuva do Colégio Militar

O Porto em Imagens (366)

Manuel Meneses

Concorrência? E que tal lembrar a esses senhores "essa coisa"?


Parece que as associações do sector dos táxis vão apelar à população para se solidarizar na “luta contra a Uber”.
Querem, pelos vistos, exigir ao governo não eleito da esquerda radical que acabe com aquele serviço de transporte privado (sic Lusa). 
Será que alguém pode esclarecer essa classe o que significa a palavra "concorrência"!?

O ângulo é tudo