Kosta de Alhabaite

Nortenho, do Condado Portucalense

Se em 1628 os Portuenses foram os primeiros a revoltar-se contra o domínio dos Filipes, está na hora de nos levantarmos de novo, agora contra a colonização lisboeta!

Momento Musical

Da Dulce, com Amor (a Portugal).
Abençoada a alma que escreveu, em resposta a Saramago:
"Mais vale ser português por um minuto que castelhano toda a vida."

Dom Duarte

Cursor malandreco


Nasty Cursor

O Agente Secreto

Coldstream, Escócia – Um homem fez-se passar por agente secreto para seduzir uma mulher. Convenceu-a que recebia emails de agências governamentais com ordens para o satisfazer sexualmente. E ela cumpria as ordens. O ardiloso homem é escocês. A prestável senhora é, evidentemente, portuguesa. Estava a pedi-las...

Politiquices

O Monteiro Alves mandou-me esta preciosidade roubada algures da net:

A bola já salta

Particulares: Porto vence; Sporting empata; Benfica perde

Porto, Sporting e Benfica entraram em campo no último fim de semana em jogos particulares visando a temporada 2007/2008. E apenas os portistas venceram: 0-3 na visita ao Boavista. O SCP empatou com o Recreativo Huelva (1-1), e o Benfica caiu diante do campeão africano Al Ahly (2-1).


Boavista 0-3 FC Porto
Postiga 23'


Tarik 77'


Tarik 88'

Insólito: BT multou camião sob escolta da GNR

Uma patrulha do Subdestacamento de Grândola da Brigada de Trânsito (BT) da Guarda Nacional Republicana (GNR), multou em 600 euros a viatura pesada de uma empresa que fazia o transporte de uma estrutura metálica de grandes dimensões por este estar a ser "efectuado de forma ilegal". Tudo estaria bem se o referido transporte, efectuado pela empresa Manuel Pires Guerreiro, Lda, com sede em Beja, não estivesse já a ser escoltado por dois jipes da GNR de Sines, pertencentes à Brigada Territorial.
A empresa transportava a estrutura metálica desde o local onde se encontrava armazenada, na zona de Sines, para a central termoeléctrica, situada a pouco mais de três quilómetros de distância. A patrulha da BT cruzou-se com o "comboio" que obrigou a parar pouco depois. O elementos da BT começaram por questionar os elementos do "Territorial" sobre se estes tinham fiscalizado o transporte, tendo recebido uma resposta negativa. Ao inspeccionar a estrutura, os agentes do trânsito detectaram que esta tinha 6,05 metros de comprimento, enquanto que a autorização de que a empresa dispunha só lhe permitia fazer transporte até 4,16 metros.
Fonte: Jornal de Notícias

Agente do SIS distraído não viu ladrão levar-lhe o carro

O Serviço de Informações de Segurança (SIS) ainda não apanhou o rasto de um dos seus automóveis de serviço furtado, há cerca de três meses, durante um momento de distracção de um dos agentes da secreta que, na Quinta do Lago, no Algarve, vigiava a casa onde está alojado Jean Pierre Bemba, líder da oposição na República Democrática do Congo.
Dentro da viatura, um Fiat Stilo cinzento, estava todo o material de observação utilizado pelo SIS nas operações a que se dedica. Encontravam-se no automóvel um conjunto com três placas de matrícula falsas - vulgarmente utilizados nas operações à paisana -, uma câmara de vídeo, várias máquinas fotográficas e telefones móveis.
O furto do veículo do SIS não deixou de ser, contudo, insólito e pouco abonatório para a reputação dos nossos serviços secretos civis. Durante a operação de vigilância aos político congolês, o operacional do SIS saiu por instantes da viatura para atender um telefonema, mas cometeu o erro fatal de deixar as chaves na ignição. Foi nesse momento de distracção que alguém terá entrado dentro do carro e partido a toda a velocidade, não dando margem para o agente reagir.
A queixa do furto foi apresentada de imediato no posto da GNR de Vilamoura, mas até ao momento ainda não há novidade sobre o paradeiro do veículo ou sobre o autor do furto.

Fonte: Jornal de Notícias

Liberdade!

"Nasci e cresci num Portugal onde vigorava o medo. Contra eles lutei a vida inteira. Não posso ficar calado perante alguns casos ultimamente vindos a público. Casos pontuais, dir-se-á. Mas que têm em comum a delação e a confusão entre lealdade e subserviência. Casos pontuais que, entretanto, começam a repetir-se. Não por acaso ou coincidência. Mas porque há um clima propício a comportamentos com raízes profundas na nossa história, desde os esbirros do Santo Ofício até aos bufos da PIDE. Casos pontuais em si mesmos inquietantes. E em que é tão condenável a denúncia como a conivência perante ela.
(...)
A tradição governamentalista continua a imperar em Portugal. Quando um partido vai para o Governo, este passa a mandar no partido, que, pouco a pouco, deixa de ter e manifestar opiniões próprias. A crítica é olhada com suspeita, o seguidismo transformado em virtude.
(...)
E Antero de Quental chamava-nos a atenção para estarmos sempre alerta em relação a nós próprios, porque "mesmo quando nos julgamos muito progressistas, trazemos dentro de nós um fanático e um beato".
(...)
Os principais inimigos dos partidos políticos são aqueles que, dentro deles, promovem o seu fechamento e impedem a mudança e a abertura. Por isso, como em tempo de outros temores escreveu Mário Cesariny: "Entre nós e as palavras, o nosso dever falar." Agora e sempre contra o medo, pela liberdade."


Manuel Alegre, Público

OBenfica é mesmo um clube "diferente"

Depois do benfica ter saído do armário e adoptar o côr-de-rosa, a próxima mudança vai ser na bandeira; ei-la:

E JÁ AGORA A PROPÓSITO DA IDA DE SIMULÃO SABROSA PARA O A.MADRID:
Simão não vai estranhar o Atlético de Madrid. É um clube grande, popular, com importante passado e que não ganha nada.
A senhora casada com o senhor que foi mandatário financeiro da campanha do actual presidente da Câmara vai investigar a anterior gestão autárquica, presidida pelo senhor que ficou em segundo lugar e que pode dar um certo jeito à construcção de maiorias durante o actual mandato. E tudo isto era razoavelmente previsível. Mas não faz mal, é tudo gente acima de qualquer suspeita.

Agora imaginem que quem estava a investigar, sei lá, o processo apito dourado era casado com a directora financeira do Benfica, parte só remotamente interessada na matéria, um escândalo, não era? Pois



Sem ela não há justiça em Portugal???
A nomeação de Maria José Morgado para a investigação dos indícios de corrupção na Câmara Municipal de Lisboa só pode ser uma piada de mau gosto. Será que o Procurador-geral da República não sabe que a senhora é casada com um dos principais mentores da lista de António Costa? Dando de barato que o Sr Procurador vive na estratosfera, não se teria a Procuradora Geral Adjunta lembrado de lhe esclarecer o facto? Não me parece que existam dúvidas que estavam os dois cientes das possíveis implicações desta espantosa nomeação. Assim sendo, prestaram, os dois, um péssimo serviço à causa da credibilização da justiça em Portugal. Por outro lado: será que não há mais ninguém competente na Procuradoria? Ou será que Maria José Morgado é a única pessoa capaz para investigar certos casos???

A "deusa" Morgada

Há já vários anos que Maria José Morgado tem vindo a ser endeusada por uma certa comunicação social. Não conheço a pessoa em causa, mas não posso deixar de me espantar com o reconhecimento público que lhe é granjeado a propósito das suas alegadas façanhas profissionais. Relembro que Maria José Morgado é procuradora da república, sendo de sua incumbência a investigação criminal. Essa investigação terminará com um arquivamento ou uma acusação, ambos da sua responsabilidade enquanto magistrada do Ministério Público. No entanto, o bom trabalho de uma procuradora não se afere pelo elevado número de acusações proferidas, mas sim por uma elevada taxa de condenações a final, ou seja depois de concluído o respectivo julgamento. Até agora, assistimos a inúmeras acusações em processos mediáticos, faltando ainda realizar os julgamentos. É bom de lembrar que cada absolvição por insuficiência ou falta de provas representará um cartão vermelho aos procuradores que dirigiram as investigações. É por isso que espero que a disponibilidade que a comunicação social tem tido para com Maria José Morgado e sua equipa não esmoreça quando as sentenças aparecerem.

Crise profunda na justiça: Procurador-Geral da República admite-a

Por falta de gente capaz de investigar em Portugal, o nosso atento Procurador-geral da República pediu à esposa do mandatário financeiro do partido que ganhou as intercalares para a CM de Lisboa para investigar a gestão do que ficou em segundo.
Tudo isto depois do presidente de um clube e de uma jornalista simpatizante se terem mostrado satisfeitos pela investigação de um caso que envolve gente de um clube que aquele presidente e jornalista, por acaso, gostam pouco e de onde emergem agora uma filha do pai e outra filha da mãe.

Surpresa: quem financia o filme do João Botelho?

Luís Filipe Vieira, esse mecenas da sétima arte nacional!!!!

Perseguição ao FCPorto continua...

Na entrevista concedida ao Expresso no último fim-de-semana, Laurentino Dias, Secretário de Estado do Desporto, defendeu-se da acusação de perseguição ao Benfica e a Nuno Assis no caso de doping daquele jogador dos encarnados, revelando que na última temporada foram realizados 11 controlos ao Benfica, 18 ao Sporting e 30, isso mesmo, 30 ao FC Porto. O mesmo será dizer que o FCPorto foi controlado uma vez por jornada!!!
Por outras palavras, Laurentino Dias não se limitou a garantir que ninguém persegue o Benfica, como deu a entender que há quem persiga o FC Porto.
Assim, sim.
Afinal, se há uns telefonemas que se impõe investigar e outros não, se há depoimentos que se impõe investigar e outros não, porque raios deveria haver alguma preocupação com o equilíbrio nas questões do doping?

Apito Dourado: Porto contra Lisboa

Porto contra Lisboa
Guerra entre gémeas Salgado alastra ao DIAP

A PSP recusou fornecer segurança pessoal a Ana Maria Salgado com base num relatório do DIAP de Lisboa. O DIAP do Porto ficou descontente. Ana e Carolina Salgado: apenas a segunda tem protecção policial.
A recusa do Comando Central da PSP em fornecer segurança pessoal a Ana Maria Salgado, depois de ter atendido a idêntico pedido feito pela sua irmã gémea Carolina, está na origem de um profundo mal-estar entre os DIAP (Departamentos de Investigação e Acção Penal) do Porto e Lisboa.
Os responsáveis pelo DIAP do Porto não gostaram de saber hoje que a PSP justificava a recusa em garantir a segurança de Ana Maria num relatório do DIAP Lisboa. O pedido de atribuição de segurança a Ana Maria foi apresentado no passado dia 17 pelo procurador Almeida Pereira, do DIAP do Porto, e por duas vezes reiterado.
Foi a primeira vez que um pedido de protecção de testemunha feito pelo DIAP foi recusado pela PSP.
A divergência entre os dois departamentos da PGR foi confirmada ao Expresso por uma fonte judicial. O Ministério Público tornou-se uma baixa colateral da guerra fraticida entre as gémeas Salgado, que transbordou para o domínio público depois de Ana Maria ter desmentido muitas das informações publicadas pela irmã no livro "Eu Carolina" e que estão na base da reabertura de vários processo judiciais no âmbito caso "Apito Dourado".

Apito Dourado: Equipa de Maria José Morgado sob investigação

O procurador-geral da República, Pinto Monteiro, decidiu mandar investigar as denúncias de Ana Salgado, irmã de Carolina Salgado, segundo as quais não terá sido isento o comportamento dos elementos da equipa de Maria José Morgado, procuradora-geral adjunta, na investigação do alegado envolvimento do presidente do FC Porto, Pinto da Costa, no caso “Apito Dourado”, noticia o semanário “Sol”. Em declarações feitas por escrito àquele semanário, Pinto Monteiro afirma que será levado a cabo um “pormenorizado inquérito não só ao teor das declarações prestadas” por Ana Salgado, gémea de Carolina, mas, ainda a “tudo aquilo que as envolve”. Pinto Monteiro acrescenta que “tomar-se-ão depois as medidas que se venham a mostrar necessárias e adequadas”. O procurador-geral da República satisfazia desta forma a curiosidade jornalística do “Sol”, que pretendia saber o que aconteceu à certidão do depoimento de Ana Salgado, que o Ministério Público do Porto fez chegar ao DIAP de Lisboa, no dia 10 deste mês. O “Sol” ouviu também Maria José Morgado sobre esta situação, mas a procuradora-geral adjunta limitou-se a afirmar que “o tempo dirá de que lado está a verdade”!!!

A acusação de manipulação contra o Ministério Público não podia ser mais comprometedora. É uma acusação de parcialidade e de perseguição !. E a verdade é que tem sido dada cobertura consciente e continuada a essa manipulação, desde o início.

Apito Dourado: O que toda esta lista tem em comum???

Liga 2003/04

F.C. Porto-E. Amadora
Beira Mar-F.C. Porto
Nacional-Benfica
Marítimo-Nacional
Boavista-E. Amadora

II Liga 2003/04

Naval-D. Chaves

II B Zona Norte 2003/04

Fafe-Dragões Sandinenses
Fafe-Vizela
Trofense-Lixa
Sp. Braga B-Caçadores Taipas

III Divisão 2003/04

Vilaverdense-Monção
Vilaverdense-Maria da Fonte
Machico-Sacavenense
Machico-Malveira
Cinfães-Torre Moncorvo (2002/03)

Distrital AF Porto 2003/04

Canidelo/Sport Progresso
Folgosa/Sport Progresso
Sport Progresso/Canidelo

Distrital AF Porto Juniores

Rebordosa- D. Aves, Distrital AF Porto Juniores, 2003/04

Processos arquivados:

Sp. Braga-Boavista, Liga, 2003/04
Benfica-Boavista, Liga, 2003/04
Boavista-Beira Mar, Liga, 2003/04
Boavista-Alverca, Liga, 2003/04
Belenenses-Boavista, Liga, 2003/04
Boavista-P. Ferreira, Liga, 2003/04
Moreirense-Boavista, Liga, 2003/04
V. Setúbal-Naval, II Liga, 2003/04
Sp. Covilhã-Marco, II Liga, 2003/04
Trofense-Dragões Sandinenses, II B, 2003/04
Paredes-Dragões Sandinenses, II B, 2003/04
Ac. Viseu-Recreio Águeda, II B, 2003/04
Vilafranquense-Pampilhosa, II B, 2003/04
Pampilhosa-Académica B, II B, 2003/04
Esposende-Valenciano, III, 2003/04
Machico-Santana, III, 2003/04
Santana-Real, III, 2003/04
Alcochetense-Santana, III, 2003/04
F.C. Porto-U. Leiria, final da Taça de Portugal, 2002/03
F.C. Porto-Maia, Taça de Portugal, 2003/04
Rio Ave-F.C. Porto, Taça de Portugal, 2003/04
Sp. Braga-F.C. Porto, Taça de Portugal, 2003/04
U. Leiria-F.C. Porto, Supertaça, 2002/03
Sp. Braga-Leixões, Nacional Juniores, 2003/04
Leixões-Boavista, Nacional Juniores, 2003/04
Garandela-Arco do Baulhe, Taça AF Braga, 2002/03
P. Ferreira-Marco, Distrital AF Porto Juniores, 2003/04
Rebordosa-Rio Ave, Distrital AF Porto Juvenis, 2003/04

Trata-se de um desafio: tentem descobrir o que liga a maior parte dos clubes citados nesta lista retirada daquele sítio da Sra Dra Morgada...

Apito Dourado: Filipe Vieira "aprecia" Paulo Paraty

Depoimento de uma das testemunhas da operação Apito Dourado, ao Ministério Público, denuncia a existência duma lista de observadores para beneficiar Paulo Paraty.



O testemunho refere a existência de uma lista de observadores que deveriam ser escolhidos para assistirem aos jogos arbitrados por Paulo Paraty, o árbitro que aparece nas escutas a ser pretendido por Luís Filipe Vieira, presidente do Sport Lisboa e Benfica, para apitar o jogo do Benfica nas meias-finais da Taça de Portugal de 2003/2004.

O árbitro internacional Paulo Paraty esteve sob escuta durante a investigação da Polícia Judiciária. António Perdigão, ex-árbitro auxiliar com a categoria de internacional, disse ao Ministério Público que entregou a Valentim Loureiro, ex-presidente da Liga de Clubes, uma lista de observadores que deveriam ser escolhidos para assistirem aos jogos arbitrados por Paulo Paraty. O objectivo, assegurou, seria salvar Paraty da descida de categoria, já que na época 2002/2003 as notas tornavam a sua posição na tabela classificativa como bastante periclitante. Pelo visto, não denunciou o mandante.

Ouvido pela equipa de Maria José Morgado, que estranhamente na semana passada arquivou as suspeitas contra Paraty, por o crime em que este estava indiciado (abuso de poder) não prever a utilização de escutas telefónicas, afirmou que desconhecia a intenção dos dirigentes em mantê-lo na I categoria. Valentim também negou ter prestado tal ajuda, mas Mário Graça, o dirigente da Liga encarregado de nomear os observadores, escolheu sempre os árbitros indicados por António Perdigão.

Os autos revelam também que entre 8 de Fevereiro e 4 de Abril de 2003 as notas de Paraty subiram substancialmente. Até aí andavam à volta do 6,5, variando depois entre os 8,3 e os 8,4.

Ainda no mesmo período de tempo, as autoridades interceptaram uma escuta telefónica entre Pinto de Sousa e Valentim Loureiro, onde aqueles discutiam a situação do árbitro. O presidente da Arbitragem da Federação pediu ajuda ao presidente da Liga para evitar a descida de Paraty, já que naquele momento (Fevereiro de 2003) as notas do árbitro eram muito baixas.

A primeira escolha de Luis Filipe Vieira para a Taça

O nome de Paulo Paraty voltou a aparecer mais tarde no processo ‘Apito Dourado’. João Rodrigues, que funcionava como intermediário do Benfica, indicou o nome do árbitro como sendo uma ordem de Luís Filipe Vieira. A sua não nomeação para uma meia-final da Taça de Portugal chegou depois a criar um litígio entre Vieira e Pinto de Sousa, que obrigou Valentim Loureiro a intervir. O presidente da Liga telefonou ao presidente do Benfica fornecendo nomes de outros árbitros e dando-lhe conta de que Paraty não poderia ser escolhido por já ter apitado um jogo do Benfica. Vieira escolheu depois João Ferreira que veio efectivamente a apitar o desafio.

Tal como já aqui foi constatado diversas vezes, estas escutas não levaram à emissão de qualquer certidão e Luís Filipe Vieira, presidente do Sport Lisboa e Benfica, apesar de ter sido apanhado nas mesmas a escolher expressamente dois árbitros, nunca foi sequer constituído arguido, revelando assim, toda a investigação, perturbantes e inaceitáveis sinais de uma estranha parcialidade.

Aliás, a ser verdadeiro o testemunho de Ana Salgado, ao Ministério Público, põe em causa peremptoriamente a isenção do inspector Sérgio Bagulho, da equipa de Maria José Morgado.

Arquivados agora os processos-crime, Paraty terá agora de responder na justiça desportiva, para onde já seguiram todos estes factos.

Luís Filipe Vieira e Valentim conversam ao telefone sobre a escolha do árbitro para a meia-final da Taça de Portugal de 2003/2004.

V.L. - E o João Ferreira?
L.F.V. - O João... Pode vir o João. Agora o que eu queria... (...)
Disseram que era o Paulo Paraty o árbitro... O Paulo Paraty!

Ver artigo original do Correio da Manhã

Apito Dourado: Evidente perseguição ao Futebol Clube do Porto

O Ministério Publico, através do site da Procuradoria Geral da Republica (www.pgr.pt), publicou um memorando sobre o processo Apito Dourado, onde se consegue ver, uma vez mais, a estranha preocupação em dar relevo negativo ao Futebol Clube do Porto, por que se tem pautado toda a investigação da Equipa de Coordenação do Processo Apito Dourado (ECPAD). Não se percebe a organização daquela lista. Não está ordenada por nenhuma das variáveis que a compõem, ou seja, não está ordenada nem por NUIPC, nem por Jogo/Data, nem por Época Desportiva, nem sequer pelo estado do inquérito. O único padrão que se consegue vislumbrar é uma estranha necessidade de colocar o F.C. Porto no cimo da lista, ou seja, o de estabelecer uma ligação de predominância entre o Futebol Clube do Porto e a corrupção desportiva e que configura sintomas de perseguição ao actual Bicampeão Nacional de Futebol.

Numa lista com 56 processos, sem qualquer ordenação, como se pode constatar pela desordem dos números dos processos (NUIPC) ou pelo desarranjo das datas, a equipa liderada pela Procuradora-adjunta Maria José Morgado, mesmo estando obrigada por lei à imparcialidade, preferiu colocar no topo da lista os três processos que alegadamente envolvem o Futebol Clube do Porto e que terão sido reabertos com base no testemunho polémico da antiga funcionária do "Calor da Noite", Carolina Salgado, cuja irmã gémea e cunhado terão garantido ao MP que foi motivado pelo desejo de vingança passional contra Pinto da Costa: o jogo com o ultimo classificado que depois desceu de divisão, Estrela da Amadora, a partida com o Beira-Mar, em que o F.C.Porto empatou 0-0 e finalmente o desafio que o futuro Campeão do Mundo e Europeu nem sequer jogou, mas que o Nacional ganhou, frente ao Sport Lisboa e Benfica e que supostamente, depois do desafio, o presidente Madeirense terá telefonado a Pinto da Costa, a dizer que o Nacional tinha dado uma ajuda ao F.C.Porto.

Escutas de Luís Filipe Vieira não tiveram repercussões
Terminada agora esta fase do Apito Dourado,
fica no entanto por saber porque motivo não foi constituído arguido Luís Filipe Vieira, presidente do Sport Lisboa e Benfica, nesta operação, uma vez que foi apanhado em escutas a escolher dois árbitros para as meias-finais da Taça de Portugal de 2003/2004, Paulo Paraty e João Ferreira.
"LFV - O João... Pode vir o João. Agora o que eu queria... (...)
Disseram que era o Paulo Paraty o árbitro... O Paulo Paraty! "

Estranhamente, o Benfica sai absolutamente “ileso” de uma investigação marcada por diversos recuos. Embora tenha sido interceptada uma escuta em que Vieira indicava o árbitro que pretendia (a conversa foi mantida com Valentim Loureiro antes de um jogo da Taça de Portugal) e diversas conversas entre Pinto de Sousa e João Rodrigues, ex-presidente da Federação e conhecido benfiquista, em que o presidente da arbitragem da FPF tenta conhecer os “desejos” dos encarnados para depois poder indicar os árbitros da sua preferência, a verdade é que nenhuma certidão foi extraída de tais factos e como tal, nunca Luís Filipe Vieira ou João Rodrigues foram constituídos arguidos.

LUIS FILIPE VIEIRA E A MEIA-FINAL

No encontro estavam em confronto Benfica e Belenenses. O jogo contava para a meia-final da Taça de Portugal, que o Benfica venceu por 3-1, e Luís Filipe Vieira disse a Valentim Loureiro quem era o seu árbitro de eleição: Paulo Paraty. O mesmo árbitro que, segundo a investigação do Apito Dourado, viu a sua classificação final ser beneficiada por Pinto de Sousa, para que se mantivesse a Internacional. Mas há mais. Na impossibilidade regulamentar de ser o Paulo Paraty a apitar, Luís Filipe Vieira escolheu ainda João Ferreira, que viria a ser o árbitro da partida. Ambas situações nem sequer foram alvo de certidão, quanto mais despacho de arquivamento pelo Ministério Público.


DIRIGENTES E ÁRBITROS APANHANDOS EM DIVERSAS CONVERSAS SUSPEITAS
- João Bartolomeu e Pinto de Sousa conversam sobre o árbitro que vai apitar o jogo da União de Leiria. Bartolomeu queixa-se de que está a ser prejudicado

P.S. – Então quem é que saiu ao Leiria?
J.B. – Ao Leiria parece que é o Augusto Duarte, é a segunda vez que nos f... (...) E no Guimarães-Nacional é o Martins dos Santos. A pedido (...) Não sei quem é que pediu
P.S. – Também não sei
J.B. – Só se for o Pinto da Costa
P.S. – Só pode ser o Major, pá
J.B. – O Major não, o Major está indignado. (...) Só se foi o Pinto da Costa, carago
P.S. – Não percebo. O Pinto da Costa não tem influência no Luís Guilherme. E quem nomeia é o Luís Guilherme
J.B. – Sim, acredito, mas então é outro. (...) Então é o Luís Filipe, o Luís Filipe tenho a certeza
- Minutos depois, Pinto de Sousa volta a falar com João Bartolomeu sobre o mesmo assunto
J.B. – Então
P.S. – Eh pá, ainda não estão feitas as nomeações, pá! Falei com o Luís Guilherme
J.B. (...) – Mas olhe que aquilo vai dar revolução, e eu vou dizer-lhe porquê. Já sei que foi o Pimenta que falou com o Luís Filipe. O Luís Filipe Vieira! (...) E pediu. Agora põem-no no Guimarães. Foi o Vieira que pediu! O Luís Guilherme foi ele que o nomeou, como você sabe
P.S. – Está bem, pronto. Eu há bocado bem lhe disse que o Pinto da Costa não podia ser (...)
J.B. – Eu já fui investigar, foi o Pimenta que ontem à noite esteve à volta do Luís Filipe (...) O Duarte Gomes faz tudo o que o Vítor Pereira manda. E o Vítor Pereira, como sabe, é um dos gajos que protege o Guimarães. O problema não é o Duarte Gomes, é o Vítor Pereira (...) Se for o Duarte Gomes vai dar bronca

Ver artigo original do Correio da Manhã

"No Norte as pessoas unem-se só para protestar"

António Marques converteu-se à regionalização, por entender que é mais fácil decidir conhecendo os problemas concretos das regiões. O presidente da Associação Industrial do Minho lança, contudo, um alerta é preciso criar uma rede institucional que ajude a resolver os problemas do Norte.
Jornal de Notícias Os indicadores económicos dão o Norte num estado quase comatoso. As razões para o atraso nortenho são estruturais ou conjunturais?
Há dois caminhos paralelos responsáveis primeiro, a parte que compete aos poderes públicos centrais. Há meios com centralização exacerbada no país, e até a transferência de alavancas para Sul. Leva a que a região, por isso, não tenha meios para atacar as causas desta perda de importância e de competitividade. A outra parte compete às instituições e à sociedade civil. Ao Norte e a nós. Não vale a pena estar sempre a dizer mal de Lisboa. É preciso construir alternativas, saber o que queremos para a região. E isso compete às associações, às universidades, às autarquias e às empresas. O QREN (Quadro de Referência Estratégico Nacional), por exemplo, poderá disponibilizar meios, mas é preciso que alguém tome a decisão política para canalizá-los para as necessidades. E há uma incompetência a Norte para criar uma rede de cooperação entre actores, as instituições e a sociedade civil… No Norte as pessoas unem-se para protestar, mas não para apresentar soluções.
Há cerca de três anos disse, em Braga, que o Governo não pode continuar a ignorar o Minho e o Norte. O Governo entendeu o recado?
Acho que não, porque não há liderança a Norte e, pior, há uma fragilidade da rede institucional na região. Os actores são convidados a desunirem-se - há um subsídio para aqui, um programa acolá, uma iniciativa ali… Qualquer Poder faz isso deliberadamente - dividir para reinar. As autarquias não se entendem, nem as associações, as universidades só agora começam a trabalhar em conjunto, as empresas não trabalham com as universidades, as universidades acham que os empresários não estão lá… Além da ausência de liderança, conjugada com a fragilidade da rede institucional, o processo de descentralização parou. Está moribundo, ou aliás, está ao contrário fecham Urgências, Centros de Saúde, serviços regionais, o que tem implicações muito negativas.
A falta de liderança a Norte assenta na ausência de protagonistas ou na falta de concertação de eventuais protagonistas?
As duas coisas. Por isso é preciso legitimar um poder político mais regional, mais próximo. É necessária a regionalização.
Há cerca de três anos, era absolutamente contra…
Fui um dos que assumidamente mudaram. É preciso legitimar o poder político local, o que só se consegue através da regionalização. Porque é mais fácil decidir conhecendo os problemas concretos, estando mais próximo de quem se terá de responder politicamente. As entidades que decidem sobre as regiões não as conhecem. É por isso que as políticas públicas parecem, por vezes, um contra-senso, pouco adequadas às regiões e às suas especificidades.
Regionalização para quando e com que modelo?
Qualquer modelo serve, desde que se faça. Legitimar o poder político através da regionalização é decidir mais próximo das pessoas; mas a auditoria e o controlo não devem estar nas regiões. Quem decide terá de ser uma entidade, e quem audita e controla outra completamente distinta, porque terá de ser mais fria, mais distanciada. Esta é a melhor garantia. Espero que este Governo, assente numa maioria PS que há muito defende a regionalização, tenha coragem. O PSD, principal partido da Oposição, parece também de acordo.
Ainda que a regionalização venha a acontecer, já não será tarde para o QREN?
O QREN, que vai até 2013, já devia estar em execução, mas ainda há políticas e regulamentos em falta. Por culpa dos poderes públicos, não das regiões. Se não podemos fazer a regionalização tão rapidamente quanto o desejável para aproveitar os fundos, temos de colocar na região grande parte das decisões, sobretudo para que haja meios, e articuladamente, instituições para, por exemplo, alterar a base económica da região Norte, ainda demasiado assente em sectores tradicionais, como o têxtil e o calçado. Há que ajudar os sectores emergentes através de políticas públicas.
Aparentemente, foi essa mudança que fez a Galiza crescer a um ritmo muito mais acelerado do que o todo espanhol e até comunitário.
A Galiza era uma região paupérrima, muito atrás de Portugal. Deu o salto quando teve um homem forte politicamente, como é o Fraga Iribarne, para liderá-la. A Galiza tem Governo próprio, uma articulação política institucional fortíssima comandada pelo presidente da Junta da Galiza. Isso foi determinante para o acerto das políticas públicas, dada a sua proximidade aos problemas.
Se o Poder político falhou, a sociedade civil respondeu melhor?
A sociedade civil são os empresários, mas também autarquias, universidades, associações… Mas não temos conseguido coordenar actividades que potenciem a excelência, na área do conhecimento, que o Norte tem. A CCDR--N (Comissão de Coordenação de Desenvolvimento Regional do Norte) publicou um documento, o "Norte 2015", com uma visão estratégica para a competitividade e o desenvolvimento. Na ausência de um Poder político assertivo, o desafio é sentar à mesa as pessoas para trabalhar em alguns projectos, porque não haverá tempo para projectozinhos. E, depois, os investimentos têm de estar todos muito ligados - o TGV, o aeroporto de Sá Carneiro, a rede logística, o metro do Porto, o Instituto Ibérico, em Braga... Tem de haver o casamento entre um conjunto de políticas e o ordenamento do território.
Há meios e incentivos que se perspectiva continuarem a ser canalizados, massivamente, para Sul, com grandes obras públicas no horizonte como o novo aeroporto da Ota. Onde é que o Norte se posiciona nesse debate?
Temos de nos preocupar com o aeroporto na Ota, Portela ou Alcochete, porque respeita ao país, mas temos de dizer é o que há a fazer, estrategicamente, no aeroporto Sá Carneiro e, eventualmente, até pedir para condicionar algumas tendências no novo aeroporto para que o Sá Carneiro não desapareça.
Nesse sentido, o Sá Carneiro deveria ter uma paragem do TGV, para além daquela que reivindica para o Minho?
O TGV tem de parar, naturalmente, no Sá Carneiro, e não quero acreditar que a paragem seja em Campanhã - só se for para, em vez dos passageiros da Galiza ficarem no Porto, irem para o novo aeroporto... Como é possível falar da ligação Galiza-Norte de Portugal se não potenciarmos o Sá Carneiro? Como é possível falarmos em TGV e aeroportos se não cosermos isto tudo? Não é possível tamanha incompetência da parte do Governo. Os acessos têm de estar todos integrados e ligados, como nos países civilizados e desenvolvidos. Quanto ao TGV no Minho, há um slogan que utilizo muito um comboio de alta velocidade que o Minho não pode perder… Teremos no Minho uma zona muito industrializada de ligação a Espanha, com o Instituto Ibérico, em Braga, o Ave Park, em Guimarães - e o TGV, se transportar mercadorias, pode ir ao encontro da rentabilidade. O que é preciso é complementar os acessos ferroviários com os rodoviários, e depois apertar a malha.
Portugal precisa mesmo de um novo aeroporto, na Ota, Alcochete ou Portela+1?
Não sou um especialista. Só espero é que se tome uma decisão daqui a seis meses. Mas, mais do que a localização do aeroporto, preocupa-me a privatização da ANA, o que poderá ser um escândalo nacional. Quando se privatiza algo, não é para criar monopólios, mas sim para dizer que o mercado deve funcionar. Ora, para isso, não é tirando ao Estado para dá-lo só a um privado, e o que se prevê é que a privatização da ANA sirva, no fundo, para entregá-la ao consórcio que fizer o novo aeroporto. Seria demasiado mau estaríamos a passar do monopólio do Estado para o monopólio de um privado, e será natural, até para rentabilizar a nova estrutura, que prejudique o Sá Carneiro ou o aeroporto de Faro. O Norte tem que estar muito vigilante. Pessoalmente, estou frontalmente contra.

Momento Musical (para o meu Amor)


E porque o calor aperta...

...vai um Corneto?

Estou a acabar a leitura de

Apesar da aversão ao sujeito e às ideologias "encarnadas", comprei este livro e tenho dedicado algum tempo disponível para a sua leitura atenta e curiosa. A biografia de Estaline é algo que me tem fascinado pela interpretação da história tal como ela aconteceu. A verdade está lá, ou seja, o Terror: bastava uma suspeita, uma denúncia anónima e o sujeito e respectiva família eram "apagados" do mapa. Ninguém estava a salvo, mesmo familiares! Curiosamente os mais competentes e os mais dedicados foram os primeiros. Já então a "bufaria" era coisa normal. Seria admirável se cada comuna dedicasse o seu tempo a lê-la. Certamente se filiariam num qualquer partido de extrema direita... Numa perspectiva não política mas histórica, fico admirado aos constatar o facto dos Alemães terem conseguido perder a guerra na Rússia, tão estúpidos e mentecaptos que os seus generais e dirigentes eram. Já com os alemães no seu território, cidades perdidas e uns milhões de mortos, Estaline dizia para ninguém agir porque "a invasão era obra de generais alemães que pretendiam minar o acordo estabelecido com Hitler". Como diz FJViegas, "Há coisas que, embora se expliquem pelas ventanias da História, só se conhecem pelos seus frutos".

Racismo em tons negros

Guebuza, pois claro, que nunca morreu de amores pelos tugas

Maputo ataca empresas nacionais
Portugueses com emprego em risco devido à nova lei do trabalho, que privilegia a mão-de-obra local. O Millennium BIM foi a primeira empresa a ser alvo de uma inspecção. Mas as construtoras também estão preocupadas. [
link]
A intervenção estatal na esfera privada era esperada desde a tomada de posse de Guebuza. Era só uma questão de tempo até implementar a sua ideia das quotas rácicas...

A situação dos Cristãos nos países muçulmanos

"A situação dos cristãos em países muçulmanos é preocupante. E não é só no Iraque que os cristãos se sentem ameaçados. O mais recente relatório da “Ajuda à Igreja que sofre” denuncia violações à liberdade religiosa na Argélia, Malásia, Paquistão, Palestina, Irão, Afeganistão...
O rol dos países é demasiado longo. As vítimas, ou seja, os valentes cristãos que se recusam abandonar a sua terra, vivem isolados do Ocidente e ficam sujeitos à lei islâmica.
Na Arábia Saudita, por exemplo, existe uma polícia religiosa que vigia o comportamento da população e faz rusgas. Apanharam emigrantes filipinos e indianos a rezar o terço e com bíblias em casa. Os cristãos foram presos, apreenderam-lhes todos os bens e foram repatriados.
A conversão dos muçulmanos é proibida por lei. No Irão, Sudão e Mauritânia, se alguém abandona o Islão, é condenado à morte. No Paquistão, por exemplo, perde-se a tutela dos filhos e o direito à herança. Estes e outros casos de violação da liberdade religiosa são ignorados pelo Ocidente.
Em nome do relativismo cultural, a diplomacia e os políticos não arriscam soluções: têm medo do rótulo “guerra santa”… Ou vergonha da perspectiva humanista cristã da civilização a que pertencem.
Como disse recentemente um padre ortodoxo de Chipre: “A islamização da Europa já está em curso, porque os cristãos já não crêem como dantes e a Europa não tem personalidades nem políticos com fé cristã capazes de resistir a isto”.

DREN vs Charrua

A Sra ministra da educação arquiva processo contra o professor Charrua sem aplicar sanção disciplinar. Lemos no despacho: «A aplicação de uma sanção disciplinar poderia configurar uma limitação do direito de opinião e de crítica política, naturalmente inaceitável [...]».

Perguntinha de algibeira: e agora o que acontecerá à Dra. Margarida Moreira?

Despacho de acusação

——Vista e ponderada a prova constante dos autos e na qualidade de instrutor do processo disciplinar N° 496/2007.A.J./DREN, instaurado por despacho da Senhora Directora Regional de Educação do Norte, datado de 23/04/2007, através do qual o signatário foi igualmente nomeado para o desempenho daquelas funções, deduzo, nos termos e para os efeitos do disposto no artigo 57°, n°2 do Estatuto Disciplinar dos Funcionários e Agentes da Administração Central, Regional e Local, aprovado pelo Decreto-lei n° 24/84, de 16 de Janeiro, contra o arguido, Dr. Fernando António Esteves Charrua, professor do quadro de nomeação definitiva, do Grupo de Inglês da Escola Secundária Carolina Michaelis, Porto, o qual se encontrava, à data da prática

dos factos, requisitado na Direcção Regional de Educação do Norte, o seguinte artigo único de acusação:


ARTIGO ÚNICO

———-1. No dia 19 de Abril de 2007, pelas 13H30, nas instalações da Direcção Regional de Educação do Norte, o Dr. Fernando António Esteves Charrua, ora arguido, e o Dr. António Basílío, Director de Serviços de Recurso Humanos do DREN e superior

hierárquico imediato daquele, encontraram-se com o Dr. Rolando Silva e o Eng. Rogério Correia, ambos Assessores da Direcção, e com o Eng. Manuel Oliveira, Director Regional Adjunto de Educação do Norte, no exterior do gabinete da assessoria à direcção, situado no primeiro andar, defronte às escadas centrais da DREN:

—-——2. O arguido entrou, com o Dr. Rolando Silva no gabinete da assessoria à Direcção, enquanto o Eng. Rogério Correia e o Dr. António Basílio, permaneceram no exterior a conversar e o Eng. Manuel Oliveira se afastou, dirigindo-se para o seu gabinete de trabalho, situado no mesmo andar, a cerca de 8 metros;

——- 3. Dentro do gabinete de assessoria da Direcção, o arguido questionou o Dr. Rolando Silva sobre o “Programa Connectar” e, dirigindo-se ao Eng. Rogério Correia, que entretanto havia entrado nesse gabinete, perguntou lhe em tom jocoso” então também és engenheiro da Independente?”:

—-—–4. 0 arguido comentou ainda em tom de brincadeira, com o Dr. Rolando Silva que “já não precisava da licenciatura, mas caso pretendesse bonificar na carreira, o poderia requerer, mas apenas por fax”, aludindo, igualmente de forma jocosa, à questão da licenciatura do primeiro-ministro, Eng. José Sócrates;

—-—–5. De seguida, o arguido dirigiu-se para a saída do gabinete de assessoria da Direcção e, ao sair, com a porta aberta, e na presença do Dr. António Basílío que permanecia no exterior do gabinete, local de passagem de funcionários da DREN e de acesso, condicionado, a utentes externos, proferiu, de forma perfeitamente audível, a frase ” somos governados por uma cambada de vigaristas e o chefe deles todos é um filho da puta”.

——-6. Todos os que se encontravam presentes no local, o Dr. Rolando Silva e o Eng. Rogério Correia no interior do gabinete de assessoria da Direcção e o Dr. António Basílio, no seu exterior, perceberam, em face do contexto em que a conversa se vinha desenrolando, que o arguido apelidou, com um sentido depreciativo e injurioso, o Primeiro-Ministro, Eng. José Sócrates, de ” filho da puta”.

——-7. Com o comportamento atrás enunciado nos pontos 5. e 6., livre e conscientemente assumido pelo arguido, demonstrou o mesmo, grave desinteresse pelo cumprimento dos deveres gerais de lealdade e correcção, previstos, respectivamente, nas alíneas d) e f) do n° 4 e números 8. e 10., todos do art° 3° do Estatuto Disciplinar, traduzindo essa sua conduta, infracção disciplinar prevista e punida pelo n° 1 do art°24° do Estatuto Disciplinar, com a pena de suspensão.

A aplicação da pena é, nos termos do disposto no art. 41° do Estatuto Disciplinar e do n° 2 do art. 116° do Estatuto da Carreira Docente, aprovado pelo Decreto-lei n° 1/98, de 2 de Janeiro, republicado pelo Decreto-lei n° 15/2007. de 19 de Janeiro, da

competência da Senhora Directora Regional de Educação do Norte.

Fixo ao arguido o prazo de quinze dias úteis, a contar do primeiro dia útil seguinte àquele em que receber cópia desta acusação para, querendo, por si ou por advogado constituído, consultar o processo e deduzir a defesa que entender, oferecendo a prova testemunhal e documental que julgar necessária, tudo nos termos dos art°s. 61°., 62° e 63° do Estatuto Disciplinar.

O processo disciplinar encontra-se à disposição do arguido ou da sua advogada constituída nos autos, na Escola Secundária Carolina Michaelis, Porto, à ordem do instrutor, onde poderá ser consultado dentro das horas regulamentares de serviço, podendo igualmente ser confiado à ilustre mandatária, nos termos e sob a cominação do disposto nos artigos 169° a 171° do Código de Processo Civil, por remissão do art° 62° do Estatuto Disciplinar.

Despacho publicado pelo semanário Sol.

Sócrates (continua) a enganar o povo (alunos "custam" 30 euros)


Já conhecíamos os manifestantes de aluguer (como os que foram da província para "parabenizar" o recém eleito ex ministro e socialista Costa na Câmara Moura.
Agora, temos eventos promovidos pelo governo com recurso a figurantes de agências de casting.Crianças a fazer de conta que são da escola. Tssss Tssss

Venezuela e Chávez: o terror continua

cartoonO presidente da Venezuela, Hugo Chávez, ordenou no domingo a expulsão dos estrangeiros que estiverem no país e criticarem seu governo. De acordo com Chávez, essa ordem já foi repassada ao vice-presidente do país e aos ministérios do Exterior e Interior. A decisão de expulsar os críticos foi anunciada um dia depois que uma autoridade mexicana atacou o governo Chávez em entrevista coletiva concedida em Caracas.

Chávez reagiu no domingo, no seu programa "Alô, Presidente". "Estrangeiros que vierem aqui denegrir a imagem dos venezuelanos e do governo democrático e legítimo da Venezuela, têm que ser, com todo respeito, mandados para Maiquetía", disse ele, citando o aeroporto de Caracas. "Nenhum estrangeiro, seja quem for, pode vir aqui e criticar. Os que vierem serão expulsos. Não se pode permitir, é questão de dignidade."

Aconteceu ... na Bélgica

Comemorações do dia nacional
Futuro primeiro-ministro belga canta hino errado

Yves Leterme enganou-se e cantou hoje o hino francês no dia nacional da Bélgica. A gaffe do candidato à chefia do Governo foi registada pela televisão belga e já circula no YouTube (e aqui)
O líder dos Democratas Cristãos Flamengos foi filmado a cantar La Marseillaise em vez do hino belga sábado passado em Bruxelas antes de uma missa que assinalava o dia nacional.

Yves Leterme que segundo as filmagens realizadas no interior da igreja também não conseguiu acompanhar os seus compatriotas durante La Brabanconne, o hino belga.

Como não há duas sem três, o candidato a primeiro-ministro voltou a enganar-se quando interrogado pelo canal RTBF sobre o motivo de comemoração do dia nacional.

«A proclamação da constituição» foi a razão apontada quando na realidade a efeméride assinala a proclamação de Leopoldo I como primeiro rei do país.

Na semana passada, o partido de Leterme que promete aumentar a autonomia da Flandres e de Wallonia, consquistou 30 lugares na câmara baixa do parlamento, encerrando oito anos na oposição.

SOL com agências




Bufaria Socialista



Datas com História: 25 de Julho de 1109

Nasce D. Afonso Henriques ou D. Afonso I

(25 de Julho de 1109 - 6 de Dezembro de 1185), o primeiro rei de Portugal

Em virtude das suas múltiplas conquistas, que ao longo de mais de quarenta anos mais que duplicaram o território que o seu pai lhe havia legado, foi cognominado de O Conquistador; também é conhecido como O Fundador e O Grande. Os muçulmanos, em sinal de respeito, chamaram-lhe Ibn-Arrik («filho de Henrique», tradução literal do genitivo Henriques) ou El-Bortukali («o Português»).

Afonso era filho de Henrique de Borgonha, Conde de Portugal e da infanta Teresa de Leão. Terá nascido em Coimbra e foi, possivelmente, criado em Guimarães onde viveu até 1128. Tomou, em 1120, uma posição política oposta à da mãe (que apoiava o partido dos Travas), sob a direcção do arcebispo de Braga. Este forçado a emigrar leva consigo o infante que em 1122 se arma cavaleiro, em Tui. Restabelecida a paz, voltam ao condado. Entretanto novos incidentes provocam a invasão do Condado Portucalense por Afonso VII de Castela, que, em 1127, cerca Guimarães onde se encontrava Afonso Henriques. Sendo-lhe prometida a lealdade deste, Afonso VII desiste de conquistar a cidade. Mas alguns meses depois, em 1128, as tropas de Teresa de Leão defrontam-se com as de Afonso Henriques tendo estas saído vitoriosas – o que consagrou a sua autoridade no território portucalense, levando-o a assumir o governo do condado. Consciente da importância das forças que ameaçavam o seu poder este concentrou os seus esforços em dois planos: Negociações junto da Santa Sé com um duplo objectivo: alcançar a plena autonomia da Igreja portuguesa e o reconhecimento do Reino.

Em 1139, depois de uma estrondosa vitória na batalha de Ourique contra um forte contingente mouro, Afonso Henriques autoproclama-se Rei de Portugal, com o apoio das suas tropas. Segundo a tradição, a independência foi confirmada mais tarde, nas míticas cortes de Lamego, quando recebeu do arcebispo de Braga a coroa de Portugal, se bem que estudos recentes questionem a reunião destas cortes. O reconhecimento de Castela chegou em 1143, com o tratado de Zamora e deve-se ao desejo de Afonso VII de Castela em ser Imperador (e como tal, necessitar de reis como vassalos). Desde então, Afonso I procurou consolidar a independência por si declarada. Fez importantes doações à Igreja e fundou diversos conventos. Procurou também conquistar terreno a Sul, povoado então por Mouros e conquistou Santarém em 1146 e Lisboa em 1147. Em 1179 o Papa Alexandre III, através da bula Manifestis Probatum, reconhece Portugal como país independente e vassalo da Igreja.

Os passos mais importantes do seu reinado foram:

Fundação do Mosteiro de Santa Cruz de Coimbra em 1131
Pacificação interna do reino e alargamento do território através de conquistas aos Mouros – o limite sul estabelecido para o Condado Portucalense – e assim Leiria em 1135; Santarém em 1146; Lisboa, Almada e Palmela em 1147; Alcácer em 1160 e quase todo o Alentejo (que posteriormente foi de novo recuperado pelos Mouros).
O seu túmulo encontra-se no Mosteiro de Santa Cruz, em Coimbra, ao lado do túmulo do filho D. Sancho I.

Wikipedia

Sobrinho Simões ao JN

No Porto, as pessoas da sua geração evocam sempre uma tribo à qual pertencem. Às vezes, parece que o denominador comum é só o estrato social. É mais do que isto?
É. É sentido de pertença, cumplicidade, falta de mobilidade social, alguma homogeneidade profissional, ética republicana, primado da acção sobre o discurso, ironia e humor q.b., boas contas. É mau ter-se perdido o hábito das contas à moda do Porto.

Consegue fazer um diagnóstico breve da cidade?
Um diagnóstico morfológico do Porto, de que gosto muito, com certeza cidade marítima, granítica, cinzenta, enevoada, sólida, segura. Como na Medicina, o problema está mais no prognóstico do que no diagnóstico, mas esse depende de todos nós.

Já disse que em Portugal ninguém tem capacidade para fazer perguntas. Que questão lançaria a Rui Rio?
Não me recordo de ter dito isso de forma tão abrutalhada mas, se calhar, disse. As perguntas-chave a Rui Rio andariam à volta do seguinte O que fazer para aproximar o Porto de Barcelona?

Voos Nocturnos

Porto pode receber 11 voos diários nocturnos

A portaria que regulamenta as excepções à proibição de voos nocturnos no Aeroporto Francisco Sá Carneiro, no Porto, impõe um limite de 11 movimentos diários entre as zero e as seis horas. As normas - que, como o JN noticiou na semana passada, derivam da entrada em vigor do novo regulamento do ruído - afectam sobretudo voos de carga, um segmento considerado "vital" para a competitividade da infra-estrutura.

Segundo portaria conjunta do Ambiente e Obras Públicas - a que o JN teve acesso -, em vigor desde dia 16 e que aguarda publicação em Diário da República, o número máximo de movimentos aéreos é de 11 diários, 70 semanais e 2100 anuais, estando excluídos, tal como nos restantes aeroportos nacionais, voos humanitários, de emergência, militares ou transportando chefes de Estado e membros do Governo em missão oficial.

Mas, conforme se pode ler na portaria, como "as actividades de transporte de carga e correio são indispensáveis ao desenvolvimento industrial e económico da região" e "o transporte durante o período é absolutamente vital", é provável que o número de excepções seja revisto em alta. Ao que o JN apurou, o limite de 11 voos não optimiza o futuro Centro Logístico de Carga Aérea do Sá Carneiro, cujas obras, de 11,5 milhões de euros, já estão no terreno, nem o esforço de transformar este no mais importante aeroporto do Noroeste Peninsular.

"A competitividade do aeroporto na atracção e fixação do transporte de carga e correio depende da realização destas operações entre as zero e as seis horas", afirma a portaria, onde se admite a revisão dos movimentos autorizados, "em função do cumprimento dos limites fixados" no regulamento do ruído.

O transporte de carga tem grande importância quer para as empresas da região, quer para o próprio aeroporto pesando, em regra, 15% no negócio. Segundo as estatísticas da ANA - Aeroportos de Portugal, o aeroporto Sá Carneiro era, até Junho, o único no Continente a crescer neste segmento (3,4%). E, em 2006, a carga no Porto cresceu 33,6%, em contraciclo com os restantes aeroportos (excepto Santa Maria, nos Açores).

A possibilidade de criar mais excepções está, por isso, a ser avaliada, até porque no Sá Carneiro cerca de 30% dos voos de carga são realizados de noite. Em causa estão sobretudo voos intercontinentais, já que os intra-europeus se fazem de dia.

Tal como acontece para Lisboa - onde o número de voos nocturno está limitado a 14 por dia - a portaria abre excepções para voos de passageiros , nomeadamente em que "tenha havido alterações horárias imprevistas causadas por perturbações no controlo de tráfego", assim como voos realizados até à 1 hora em voos programados até às zero horas "devido a atrasos não imputáveis à entidade gestora aeroportuária, ou operador". Também os movimentos de e para as Regiões Autónomas são autorizados se, por razões metereológicas, houver alteração de horários.

Contactado pelo JN, Couto dos Santos, vice-presidente da Associação Empresarial de Portugal, preferiu não comentar para já o impacto da portaria na economia da região, alegando que a associação "não foi ouvida" neste processo.

Vício das Vitórias ... em azul e branco

data: 26.07.2007
torneio: Torneio do Centenário da Atalanta
local: Estádio Atleti Azurri D'Italia, em Bérgamo

Penalty




O próximo campeonado da liga portuguesa vai ser mais justo. O especialista em mergulhos na grande área sempre vai para Madrid, não o grande Real Madrid, só ao alcance dos efectivamente grandes jogadores, mas para o Atlético. Todavia a aficion do Atlético não se deixa enganar pela nossa imprensa vermelha e sabe bem o barrete que a sua direcção acaba de adquirir.

Senão:

20 millones mas dos jugadores por Simao de 28 años me parece una pasada. ¿Y le firman 5 años para que este hasta los 33 cobrando casi 5 millones de euros por temporada? Me parece una burrada. Quaresma con 23 te gastas lo mismo es mas joven y mucho mejor.

Esta gente nos lleva de cabeza al infierno y una vez alli nos abandonara a nuestra suerte esta mas claro que el agua. Pagar 20 millones por simao? y no los pagan por 5 kilos mas por cuaresma y encima este cobra 5 milllones por temporada? Esto me huele muy mal. Me huele a comision! para todas las partes. El fin esta cerca

25 millones por simao?¿ pero si no los vale¡¡¡¡¡¡Estos torcuatos nos estan vendiendo, ya vereis como no nos clasifikemos, que esto es el atleti, BENDITA LOCURA. AUPA ATLETI NO A CERREZO-PITRACH

esto es verdad? o es el dia de los santos inocentes? 25 millones por este pakete? pero que coño?.....osea pagan 25 millones por este pakete y no lo hacen por quaresma que es mil veces mejor?, aver que coño hace aguirre ahora, espero que ponga a maxi y raul garcia en el centro y a simao y otro pakete por las bandas mas 2 delanteros mataos y a ver que pasa, que se deje ya de luccin y maniche que estan acabados. queremos a quaresma pero yaaa!!!

PERO COMO PUEDEN FICHAR A UN ELEMENTO ASI, SI NO VALE NI PARA ESTAR EN EL BANQUILLO, Y ENCIMA VAYA VAYA SUELDO QUE HAY QUE PAGARLE.

Si Quaresma no vale 25 millones, Simao que es el plan B tampoco, es una tapadera para anunciar el acuerdo (rendicion) con el ayuntamiento por el Calderon y el regalo de Petrov, para estos fichajes y lo que estan pagando mejor nos quedamos con lo que habia.

Orelhas = Pinóquio




Lá diz o povo que mais rapidamente se apanha um mentiroso que um coxo …

“Luís Filipe Vieira voltou a garantir, em pleno aeroporto, que Simão só sai pelo valor da cláusula de rescisão - 25 milhões de euros.” 20 de Julho

"O Conselho de Administração da Sport Lisboa e Benfica – Futebol, SAD, ao abrigo da alínea i) do Artigo 3º do Regulamento da CMVM nº 4/2004, informa que chegou a um acordo de princípio com o Atlético Madrid para a transferência dos direitos desportivos do jogador Simão Sabrosa pelo valor de 20 milhões de euros." 26 de Julho
e continua ..
"Luís Filipe Vieira confirmou o pagamento de 20 milhões de euros em dinheiro e ... «não faltou à palavra com o jogador» para uma eventual transferência, caso a cláusula de rescisão fosse paga (então 20 = 25 ?? contas à Orelhas !!!) . O Simão é um activo do Benfica. Tinha uma cláusula de rescisão. Foi cumprida (lá está, parece que para o Orelhas 20M e 25M são a mesma coisa !). "

Uma Procuradora Impoluta jamais recusaria estas provas:

  • Maria José Morgado entrou no processo do apito dourado com um objectivo: ACUSAR JORGE NUNO PINTO DA COSTA!
  • Trata-se de uma afirmação baseada em factos! Senão vejamos: considerou de importância fundamental as palavras e a escrita da Sra. D. Carolina Salgado para reabrir processos já arquivados por falta de provas e consistência e acusar formalmente JNPCosta de crimes de corrupção desportiva; todavia, não considerou sequer a auto afirmação da dita Carolina em que aquela fora a mandante da "coça" num tal Bexiga e assim nem sequer julgou ser matéria para mandar prender a tal , hum, senhora... Por outro lado, a irmã gémea da Senhora Carolina, a D. Ana Salgado, proferiu acusações sérias e graves que colocam em causa a credibilidade da Dra Morgado e do próprio processo do AD, e a senhora procuradora, não considerou tais acusações e ainda considerou "ridícula qualquer hipótese de maus métodos processuais"...

    Fantástico: como é possível a sra procuradora rejeitar qualquer prova, muito mais de alguém que faz acusações tão graves que pelo menos deveriam ter sido confrontadas????

    Percebe-se em duas pinceladas o glorioso objectivo da senhora escolhida para este caso, por acaso (?) casada com um senhor que por acaso é amigo pessoal dum tal Vieira, presidente do benfica, que por acaso também foi "escutado" a escolher árbitros, e por acaso nem sequer foi pronunciado....

    Factos:

  • Segundo apurou o DN, para além de ser acusado de pagar 20 mil euros para patrocinar o livro de Carolina Salgado, como denunciou a irmã gémea da ex-companheira de Pinto da Costa em entrevista à SIC, o presidente do Benfica Luís Filipe Vieira é também acusado por Ana Maria Salgado de manipular os depoimentos de Carolina Salgado à justiça no âmbito do processo "Apito Dourado". Contactado pelo jornal, o presidente do Benfica fugiu mais uma vez à questão ao dizer que "esse é um problema pessoal do presidente do FC Porto com a justiça portuguesa." Interessante. Para quem falava demais, parece que o tipo ficou de repente sem nada para dizer...só uma pergunta: Em tribunal também se vai defender desta maneira?
    Mas também já é conhecido o "artista" inspector da PJ que Ana acusou de ser o "professor" da irmã e de a estar a treinar para ela poder responder em tribunal. Chama-se Sérgio Bagulho e foi posto no lugar por ser uma pessoa da confiança de Luís Filipe Vieira.
    Aliás, só por falta de interesse no assunto, clubite aguda, ou outros motivos menos claros como os que terá Maria José Morgado, é que alguém (e nem precisa de ser procurador-geral adjunto) pode pensar que é mentira o que a Ana disse em depoimento e o presidente do Benfica e a Leonor Pinhão não têm nada a ver com este assunto. Senhora Procuradora: NÃO ! é "ridícula qualquer hipótese de maus métodos processuais", a não ser que as difundidas e conhecidas escutas em que Luís Filipe Vieira, José Veiga, João Rodrigues, Luís Guilherme, Sousa Cintra, Betencourt ou Manolo Vidal, foram apanhados, sejam falsas.
  • Concluindo, disse Clara Ferreira Alves ao Diário Digital:
    "Pessoas como Maria José Morgado faziam-me, naquela altura, muita impressão e muita pena. E continuam a fazer, apesar de ela dizer que mudou. Há outra coisa que estas pessoas me fazem: medo. Muito medo. Ainda bem que a revolução deles não venceu.
    A propósito, eu não acredito que as pessoas mudem assim tanto
    .”.
  • Irão, sec XXI

    Execution in the Islamic Republic (Very Graphic)

    Breaking News: Student Activist to be Executed as Gang-Member

    I did not upload this to Youtube because I know they’ll delete it very soon. It is very graphic. This is taken recently in Iran. Do pay attention to people who shout “Allaho-Akbar”, Allah is great. Great is obviously the last word I’ll use for any religion which supports this.

    O Islão no seu pior

    "Um decreto que proíbe cônjuges de se despirem completamente durante o acto sexual, vem gerando uma grande polémica entre os doutores egípcios da lei islâmica, a charia. "Estar completamente nu durante o acto sexual invalida o casamento", sentenciou o "fatwa" religioso o xeque Rashar Hasán Jalil, ex-reitor da faculdade de Charia da Universidade de Al-Azhar, a mais célebre do islão sunita."

    (http://noticias.terra.com.br/mundo/interna/0,,OI824694-EI308,00.html - 8 Janeiro 2006)

    Turcos longe da Europa

    Islâmico partido AKP ganhou eleições legislativas na Turquia

    Em declarações ao jornal grego Kathimerini, o presidente da Comissão Europeia, Durão Barroso, advertiu que a Turquia não está pronta para a aderir à União Europeia, «nem amanhã, nem depois de amanhã».

    A um passo de deixar de ser um estado laico e assumir a Sharia como regra religiosa para condicionar toda a vida social e política da Turquia, parece que o presidente francês Sarkozy tinha toda a razão quando sempre defendeu a exclusão da Turquia numa candidatura à UE.

    Relembrar as acusações e o que disseram

    F. C. Porto-E.Amadora, 2-0
    Foi um jogo de triunfo fácil para o F. C. Porto, que defrontava o último classificado, que, até essa 19.ª jornada, não tinha averbado qualquer ponto fora de casa. Sobre este jogo, os peritos convidados pelo Ministério Público (MP), os ex-árbitros, Jorge Coroado, Vítor Pereira e Adelino Antunes, não deram conta de qualquer favorecimento, por parte de Jacinto Paixão, ao F. C. Porto. Detectaram, apenas, a não amostragem de dois cartões amarelos e consequentes livres directos, contra os portistas e o mesmo em relação a estrelistas. Igualmente, a análise do jogo revela que o "árbitro assistente n.º 1 assinala, erradamente, fora-de-jogo a um jogador do F. C. Porto". O observador da partida, inclusive, na sua avaliação, no deve-haver, considera que o F. C. Porto foi prejudicado. O próprio MP reconhece que não houve "uma arbitragem fraudulenta ou tendenciosa", conforme se deduz da análise dos peritos.

    Beira Mar-F. C. Porto, 0-0
    O jogo contava para a 31.ª jornada , a três do final do campeonato, e foi dirigido por Augusto Duarte. Na véspera do jogo, dia 17 de Abril, o Sporting, segundo classificado, perdera , por 2-1, no estádio do Bessa, frente ao Boavista. Com este desfecho, a vitória do F. C. Porto deixava de ser indispensável. Recorde-se que os portistas foram campeões com oito pontos (82) de vantagem sobre o Benfica (74) e nove (73) sobre o Sporting e depois do encontro de Aveiro f icariam a uma vitória do bicampeonato. Segundo o relatório dos árbitros peritos foram apontados quatro erros à equipa de arbitragem, sendo três em beneficio do F. C. Porto e, um, do Beira-Mar. Nenhum teve, porém, influência no empate final (0-0). O cronista do JN comentou, assim, o trabalho do árbitro "Augusto Duarte teve o condão de passar, praticamente, despercebido".

    Nacional-Benfica, 3-2
    O resultado desta partida poderia beneficiar o F. C. Porto, pois o Benfica estava em terceiro lugar e, ainda, poderia chegar ao título. Augusto Duarte foi o árbitro e o Nacional venceu o Benfica por 3-2. Segundo a peritagem, foram apontados dois erros à equipa de arbitragem, irmamente distribuídos um, a favor do Benfica e, outro, do Nacional. Portanto, pode considerar-se uma excelente e actuação do juiz bracarense, a merecer nota elevada por parte do observador. A mesma ideia foi expressa pelo jornalista do JN que, na sua crónica, considerou ter sido "um trabalho sem reparos de Augusto Duarte e dos seus assistentes". Na sua análise ao jogo, o treinador do Benfica, José Antonio Camacho, atribuiu as culpas da derrota "às bolas paradas", não se referindo sequer à arbitragem, o mes mo sucedendo com Casemiro Mior, técnico da formação madeirense.

    Agasalhos

    Treinos

    Irmã diz que Carolina iria receber treino para responder em tribunal

    Ana Maria Salgado garantiu ao Ministério Público (MP) que a irmã iria ser treinada para não hesitar nas declarações que venha a prestar em tribunal nos processos em que é acusado o antigo companheiro, Jorge Nuno Pinto da Costa. Em depoimento prestado no Departamento de Investigação e Acção Penal (DIAP) do MP do Porto, no âmbito da queixa por difamação apresentada pelo médico Fernando Póvoas, a gémea de Carolina Salgado falou em alegadas cumplicidades com os investigadores do processo Apito Dourado e relatou inclusive alegadas reuniões com um dos elementos da PJ integrados na equipa de Maria José Morgado, com vista a preparar as versões a apresentar nos diferentes casos em que está envolvido o presidente do F. C. Porto.
    "Tem conhecimento de que está prevista uma espécie de 'formação' da Carolina nas instalações da Polícia Judiciária de Lisboa, a fim de a preparar nos depoimentos (nomeadamente para a mesma não vacilar) que tenha que prestar no âmbito dos processos conhecidos como Apito Dourado", pode ler-se num dos autos de inquirição.
    Esta versão de Ana Maria Salgado já foi classificada pela própria Maria José Morgado como totalmente falsa, considerando "ridícula qualquer hipótese de maus métodos processuais" ou métodos proibidos de recolha de prova. Por estas declarações, a magistrada vai apresentar queixa por difamação, denúncia caluniosa e falso depoimento.
    Leonor Pinhão referida
    Mas a irmã gémea de Carolina continua a garantir a veracidade das suas afirmações, jurando não estar a ser manipulada. Para lá de dar conta de um alegado interesse em fazer com que a ex-companheira do dirigente desportivo não entre em contradição nos depoimentos a prestados e que venha a prestar quando interrogada nos julgamentos dos diversos processos ainda a correr, falou de contactos entre Morgado e Carolina, dizendo que a magistrada lhe deu "força para continuar", num momento em que soube estar "psicologicamente em baixo". E garantiu ainda que a coordenadora do Apito Dourado telefonava a Carolina sempre que era deduzida uma acusação, no âmbito da megainvestigação à corrupção no futebol.
    No depoimento no DIAP, Ana Salgado implica Luís Filipe Vieira e Leonor Pinhão na suposta "trama" contra Pinto da Costa, garantindo que o presidente do Benfica pagou 20 mil euros a Carolina e assegurou antecipadamente a compra de um lote considerável de exemplares do livro "Eu, Carolina", à D. Quixote.
    Ana Salgado vai entregar ao Ministério Público (MP) a versão original do livro "Eu, Carolina", que diz ter em sua posse, apurou o JN. Esta diligência integrar-se-á num processo já a correr no DIAP do Porto centrado nas declarações de Fernanda Freitas já noticiadas pelo JN, segundo as quais o livro que revolucionou o processo Apito Dourado sofreu várias alterações, com suposta intervenção de pelo menos Leonor Pinhão, conhecida jornalista, adepta do Benfica e colaboradora da editora D. Quixote. No depoimento prestado no MP, a irmã gémea de Carolina deu ainda uma explicação para a aparente zanga entre a professora que ajudou a escrever o livro e Carolina. A docente pretenderia 30% daquilo que Carolina viesse a receber mas foi, afinal, paga no montante de apenas 500 euros pela própria editora. As denúncias da irmã vão mais longo e chegam ao ponto de garantir que Carolina já recebeu 10 mil euros por conta do filme "Corrupção", baseado no livro. Diz que foi passado recibo verde e que uma parte do dinheiro foi depositado no BPN e outra parte está no cofre do restaurante do pai. Desde que, por sua iniciativa juntamente com o marido, prestou testemunho, Ana Salgado tem estado em parte incerta para o pai e irmã. Na entrevista de anteontem à SIC, refutou e lamentou a afirmação lançada publicamente por Joaquim Salgado sobre presumíveis problemas mentais, designadamente doença bipolar.

    Figuras sinistras da Nação:

    José Miguel Júdice bateu com a porta do PSD.
    Apoiou António Costa nas eleições para a Câmara de Lisboa.
    Mostrou todo o apoio a Sócrates ao declarar que ninguém fez tanto pelo país como ele.
    Hoje vem propôr a fusão do PSD com o CDS !?!? [
    link]

    Eis um sujeito cuja escorregadia atitude faz dele uma figura sinistra.

    O nobel sem vírgula, traidor da Pátria

    [CARTA ABIERTA A JOSÉ SARAMAGO]

    Muy señor mío

    Me perdonará Usted mi pobre castellano, pero desde anteayer me entero de la urgencia de praticarlo. Al "Diário de Notícias" de Lisboa predijo Usted esto: "acabaremos por integrar-nos" en España. Preguntado por el periodista Joao Ceu e Silva si nuestro país seria entonces "una província Espanha"(le sigo citando en nuestro antiguo idioma), Usted contestó: "Seria isso. Já temos a Andaluzia, a Catalunha, o País Basco, a Galiza, Castilla La Mancha e tínhamos Portugal".

    Claro, nos asegura, podremos conservar nuestra lengua, nuestras costumbres, y así mismo creo yo nuestro fado, pero (no lo dijo, uno entiende) nos gobernaria el jefe de estado madrileño del momento. Y aunque diga Usted que no es profeta, no hay que olvidar su proverbial modestia. En fin, para gente sencilla como yo, sus palabras son un caritativo aviso del destino.

    Pues, señor, no y no. Usted, el más famoso de mis compatriotas, se permite en público unos juegos muy guapos de futurología. Pero se los guarde para sus libros, los cuales están perdiendo el suspense de antaño. Créame, el real futuro de un Portugal integrado en España lo conocemos ya muy de cerca. Está visible en la Galicia de hoy, donde la lengua dominante, y los derechos dominantes, y los partidos dominantes, son los de Madrid. Esto no es futurología, si no lo qué uno ve.

    Si quiere verlo. No creo que sea su caso, Don José. Me contaran que, hace poco, visitó Usted Galicia invitado por el Pen Club. Le rogaran que hiciera su discurso en Portugués. Todos podrían entenderle, sin problema, si hablara en nuestra hermosa variedad de gallego. Usted - como otras veces ya en Galicia - recusó y habló en Español.

    Muchas gracias en realidad. Ahora sabemos cómo hablarán, en la Província española de Portugal, los futuros traidores.


    Amsterdam, 17 de Julio de 2007
    Fernando Venâncio (Professor universitário e crítico de literatura)

    Apito Dourado: Queixa contra Luís Filipe Vieira, José Veiga e João Rodrigues, na CD da Liga

    Clube da I Liga: participação à CD da Liga

    Vai com certeza causar algum impacto na Liga a participação à respectativa Comissão Disciplinar, por parte de um clube da I Liga, de um dossiê contendo uma exposição e diversos recortes da imprensa escrita onde são reveladas algumas escutas telefónicas envolvendo Luís Filipe Vieira, José Veiga e João Rodrigues, e se pergunta por que razão eles não estão a ser investigados. Num desses recortes (do “Público” de 8 de Setembro 2006) pode ler-se inclusive em título: “Apito Dourado/Escutas apanharam Vieira a escolher árbitros para o Benfica”, acrescentando aliás a autora dessa peça – Tânia Laranjo – o seguinte: “Presidente dos encarnados recusou quatro árbitros para apitar as meias-finais da Taça de Portugal na época 2003-2004, no ano em que o Benfica ganhou a final ao FC Porto. Vieira protestou com Valentim Loureiro por não designarem Paulo Paraty, conforme havia sido garantido ao clube semanas antes. Mas, depois de muito reclamar e de recusar árbitros por não lhe darem ‘garantias’ ou por estarem próximos do FC Porto, acabou por avalizar João Ferreira. As conversas estão transcritas no processo principal do Apito Dourado, mas o presidente do Benfica nega a sua existência”. E, com efeito, com alguma aparente razão, porque foi como se essas conversas não tivessem existido uma vez que, pelo menos que se saiba, ele nunca foi incomodado por isso…

    Vieira, Rodrigues, Veiga e Mouco

    … Mas também João Rodrigues teve uma intervenção muito interessante neste e noutros casos. Porque, segundo o “Correio da Manhã” de 22 Junho 2007, “os árbitros do Benfica eram combinados com ele”, já que “Pinto de Sousa lhe telefonava regularmente para que fosse ele a contactar Vieira no sentido de acertar qual o melhor árbitro para os encontros. Exemplos no Apito Dourado da existência dessas conversas abundam”. Mas o “Record” de 23 Junho 2007 vai pelo mesmo caminho, ao titular: “Benfica também pedia árbitros”. E em seguida: “Vieira falava com João Rodrigues e este pressionava Pinto de Sousa”. Quanto a José Veiga: esse (segundo o mesmo “Record”) “pedia ‘favorzinhos’ para o Estoril”. E no entanto também ao que parece nunca ninguém (a ele e a João Rodrigues) os incomodou… Vamos porém ver como reagirá a Comissão Disciplinar a tudo isto.

    PS.: Quem, ao que O PATO julga saber está da disposição de contar tudo o que sabe se for chamado a depôs é o ex-membro da CA da Liga, Júlio Mouco. Deverá ser muito instrutivo ouvi-lo…
    via O Jogo 150/23 Sab, 21 Jul 2007

    Os "artistas" da trama: Carolina, Pedro Rita, Leonor Pinhão e Luís Filipe Vieira

    O cunhado de Carolina, a ex-companheira do presidente do Futebol Clube do Porto, Jorge Nuno Pinto da Costa, também prestou depoimento nos serviços do Ministério Público (MP) dos Juízos Criminais do Porto.
    E arrasou a irmã gémea da mulher, acusando-a, segundo o CM apurou junto de fontes judiciais, de ser impulsiva, irresponsável e egoísta
    .


    De acordo com o depoimento efectuado na 3.ª Secção do MP a uma procuradora-adjunta, no dia 28 de Junho de 2007, César Curado, de 45 anos, terá dito que sempre foi a sua esposa, Ana Maria, quem tomou conta de Carolina Salgado, chegando a colocar em risco o próprio casamento e não dando atenção às filhas. E terá ainda acrescentado que Carolina vivia na sua casa até se mudar para a residência de Pinto da Costa e que aquela sempre o tentou separar da mulher.

    César Curado assegura que Pinto da Costa sempre teve um excelente relacionamento com os filhos de Carolina Salgado – fruto de uma relação anterior – e que era mesmo tratado por “pai”. Adianta que, até à data em que prestou declarações no MP, desconhecia os motivos da separação.

    O cunhado de Carolina Salgado terá admitido que era motorista do presidente do FC Porto e da cunhada, tendo-a transportado várias vezes a Lisboa para aquela se encontrar com os jornalistas Pedro Rita e Leonor Pinhão, para tratarem da venda da casa, carro e objectos de que, alegadamente, Carolina se havia apropriado.

    César terá ainda denunciado ao MPv que era a jornalista Leonor Pinhão quem fazia a ponte entre o presidente do Sport Lisboa e Benfica, Luís Filipe Vieira e Carolina Salgado, confirmando, assim, as declarações prestadas à mesma procuradora pela sua esposa (um dia antes).

    César Curado faz ainda referência a um valioso quadro que Carolina Salgado ofereceu ao presidente do Benfica – em troca do patrocínio do livro ‘Eu, Carolina’ – e que este terá devolvido posteriormente à cunhada. A obra regressou à posse de Pinto da Costa na passada semana.

    O cunhado de Carolina terá também dito à procuradora que o interrogou que chegou a ver inspectores da PJ na casa daquela, mas que nunca ouviu as conversas. A rematar as declarações que prestou às autoridades, terá feito questão de salientar que a sua mulher, Ana Maria, sempre actuou com o propósito de ajudar a irmã.

    Em declarações ao CM, Leonor Pinhão salientou que algo de grave se passou para que Ana Maria, que sempre esteve ao lado de Carolina, tenha mudado repentinamente de opinião e disse esperar que o MP proceda às respectivas investigações. Joaquim Salgado, pai das gémeas, afirma que Ana Maria precisa urgentemente de apoio médico.

    REPÓRTER TAMBÉM INDICIADO

    Pedro Rita, actual repórter do ‘Diário de Notícias’, é uma das figuras centrais nas queixas efectuadas ao Ministério Público por Ana Maria e César Curado. Terá sido acusado de mediar um negócio entre Mourinho e Carolina – para que a ex-companheira de Pinto da Costa retirasse do livro que publicou qualquer referência ao seu nome.

    É ainda referido por pretender ser assessor de Imprensa de Carolina e, ainda, de ter alegadamente tentado subornar o empresário Jorge Mendes com um quadro. Segundo o casal, o jornalista era visita assídua da casa de Carolina e terá mesmo servido de “conselheiro” em algumas declarações por ela proferidas publicamente
    . O CM tentou ontem obter uma reacção às alegadas acusações que lhe são imputadas pela irmã e cunhado de Carolina Salgado, mas Pedro Rita não atendeu o telemóvel.

    APONTAMENTOS

    SEM PROCESSO

    Luís Filipe Vieira, presidente do Sport Lisboa e Benfica, não vai processar Ana Maria, garantiu ao CM fonte do clube encarnado. Sobre o seu envolvimento no lançamento do livro ‘Eu, Carolina’, Vieira limita-se a afirmar que se trata de “um problema pessoal de Pinto da Costa com a Justiça”. O dirigente diz confiar no sistema judicial para o apuramento da verdade.

    INDEPENDENTE

    As denúncias efectuadas por Ana Maria e o marido, César Curado, deram origem a um processo que corre termos na 3.ª Secção do Departamento de Investigação e Acção Penal dos Juízos Criminais do Porto. Como envolvem alegadas queixas contra elementos da equipa especial criada para investigar o ‘Apito Dourado’, liderada pela procuradora Maria José Morgado, será tratado de forma independente. A magistrada já fez saber que vai processar os autores de tais denúncias.

    via Correio da Manhã - Carlos Tomás