Kosta de Alhabaite

Nortenho, do Condado Portucalense

Se em 1628 os Portuenses foram os primeiros a revoltar-se contra o domínio dos Filipes, está na hora de nos levantarmos de novo, agora contra a colonização lisboeta!

Azul e Branco em Valença

A inépcia dos deputados eleitos pelos círculos nortenhos, a vergonhosa colonização lisboeta e o despojar do povo do Norte de serviços essenciais, como o SAP de Valença, levou a que, em desespero, alguns membros da Comissão de Utentes do SAP de Valença, andassem a industriar os munícipes, no sentido de hastearem a bandeira espanhola nas suas casas.

A persistirem na patetice espanhola, o descrédito será total e sinónimo de fracasso da luta. Pensem melhor e ajam em conformidade! Azul e branco nos mastros e já: se tiverem um pouco mais de paciência, ponderarão no assunto e poderão manifestar um sinal bem mais firme ao governo colonialista de Lisboa: façam apear a bandeira da carbonária e substituam-na pela Bandeira Nacional de Portugal, a Azul e Branca. Em Lisboa o efeito será devastador, especialmente se começarem por fazê-lo na Câmara Municipal de Valença. Aqueles balofos colonialistas lisboetas ficarão de imediato irritados e decerto reabrirão o SAP. Experimentem. Azul e Branco!