Kosta de Alhabaite

Nortenho, do Condado Portucalense

Se em 1628 os Portuenses foram os primeiros a revoltar-se contra o domínio dos Filipes, está na hora de nos levantarmos de novo, agora contra a colonização lisboeta!

Arraial Cascata Leceira 2018


Visitas à Cascata Leceira, jogos tradicionais, brinquedos antigos, marchas populares e uma gincana de bicicletas serão o prato forte do próximo Arraial do Museu da Quinta de Santiago, no próximo dia 22 de Junho.

O arraial visa celebrar a tradição dos santos populares, bem como o 8º aniversário de doação da Cascata Leceira (com cerca de 15m2) ao museu, por parte do artesão José Moreira, que desde então se encontra patente ao público, na Casa do Bosque. O evento irá decorrer de manhã até final da tarde e inclui um conjunto de actividades para o público escolar, sénior e com necessidades especiais e conta com a colaboração de diversas instituições do concelho, designadamente na apresentação de marchas populares: ALADI – Associação Lavrense de Apoio ao Diminuído Intelectual, Associação Rumo à Vida, ATI – Amigos da Terceira Idade, Jardim de infância O Barquinho.

O programa abrange visitas guiadas à cascata, jogos tradicionais, demonstração de brinquedos antigos, por João Cadilhe, marchas populares e actuação de rancho sénior, gincana de bicicletas e rádio arraial.

Cascata Leceira retrata com pormenor Leça da Palmeira dos anos 20/30
O mestre José Moreira retratou na sua cascata, com pormenor, a Leça da Palmeira da sua infância, dos anos 20/30 do século XX, época em que era uma importante estância de veraneio, frequentada por artistas, pela burguesia portuense e pela comunidade inglesa. As cerca de 300 peças e bonecos presentes nesta obra, diversas com movimento, foram construídas com perícia, ao longo de décadas.

Na Cascata Leceira cada casa, cada figura tem uma história e um significado para o seu autor. Nela encontramos os principais lugares e monumentos de Leça – o Rio Leça e as suas seis pontes (destruídas durante as obras de construção do Porto de Leixões), as praias, a Igreja Matriz, o Forte de N. Senhora das Neves, o Farol; as vivências e tradições, em parte já perdidas – as romarias de S. João da Boa Nova, Senhor de Matosinhos (com a feira das louças, as bancas, o Teatro dos Robertos, …), as procissões; as artes e os ofícios – a lavoura, a lavadeira, os vendedores, a leiteira, o pescador ou o sapateiro; as figuras ilustres da terra – o poeta António Nobre, o marítimo José Rabumba, o padre.

A entrada é gratuita. Venha divertir-se e festejar os santos populares!

0 comentários: