Kosta de Alhabaite

Nortenho, do Condado Portucalense

Se em 1628 os Portuenses foram os primeiros a revoltar-se contra o domínio dos Filipes, está na hora de nos levantarmos de novo, agora contra a colonização lisboeta!

Orçamento (VII): em português nos entendemos

O ministro das Finanças citou Camilo Castelo Branco a propósito das negociações que agora fracassaram entre o Governo Socialista e o PSD sobre o Orçamento do Estado para 2011: "O tempo chega sempre, mas há casos em que não chega a tempo." Teixeira dos Santos faz bem em citar os clássicos da literatura portuguesa – e pode seguir as suas lições. Pena é ter-se esquecido de dizer que Camilo, após proferir esta frase meteu uma bala na caneça...

Esqueceu-se também das sábias e sempre actuais palavras de outros fabuloso escritor português: Ramalho Ortigão !

Dizia ele que: "ordinariamente todos os ministros são inteligentes, escrevem bem, discursam com cortesia e pura dicção, vão a faustosas inaugurações e são excelentes convivas. Porém, são nulos a resolver crises. Não têm a austeridade, nem a concepção, nem o instinto político, nem a experiência que faz o estadista."