Kosta de Alhabaite

Nortenho, do Condado Portucalense

Se em 1628 os Portuenses foram os primeiros a revoltar-se contra o domínio dos Filipes, está na hora de nos levantarmos de novo, agora contra a colonização lisboeta!

O Porto é a cidade mais bonita do mundo à noite



Na primeira noite fiquei arrepiada." 

"O Porto é a cidade mais bonita do mundo à noite”. É assim que começa a conversa com Kiersten Rich, mais conhecida como “The Blonde Abroad”, pelo seu famoso blogue, onde relata as infindáveis viagens que realiza quase permanentemente.

Procuramos desmistificar o tom, perguntando se é isso que diz em todas as cidades que visita. Ri-se, sem timidez, negando-o.
 “De todo”, acrescenta. Vejo sítios muito bonitos e conheço pessoas únicas um pouco por todo o mundo. Mas há poucas cidades em que penso: a esta quero vir todos os anos, ou muitas vezes. O Porto é uma delas. Sem dúvida, é dos melhores sítios que já visitei.
- Porquê?
- Autenticidade. É uma cidade que é autêntica nas ruas, nos prédios e nas pessoas. É uma hospitalidade genuína, não é um sorriso-para-vender
- Então foi o Porto à noite que mais te impressionou?
- Sem dúvida. Levaram-nos ao Yeatman e eu fiquei parada, ali, a pensar: parece Monte Carlo, só que dos dois lados do rio. 
Absolutamente único, inigualável. Mas há outras coisas que me marcaram. É uma cidade europeia, como nós americanos gostamos. Cheia de História, com um cosmopolitismo diferente, autêntico. Curiosamente, não parece muito Espanha, mas Itália. As roupas a secar são uma delícia e fazem-me lembrar Itália….
- Nápoles, Palermo,…
- Isso! É uma cidade que vive sem complexos, não se esconde de si mesma, porque quem cá vive ama esta cidade. O sucesso da vossa página reflecte isso mesmo. Não é normal, mais de 100.000 fãs em meio ano! Nem aqui nem em lado nenhum do mundo. Outra coisa que a cidade tem de único é esta maravilhosa ligação ao Vinho do Porto. A mim também me diz muito, porque sou californiana, e nós compreendemos bem o que é ter um ADN ligado aos vinhos. 
- Já conhecias o Vinho do Porto?
- Sim e não (risos). O vinho do Porto é uma bebida doce, escura. É um óptimo néctar, mas eu não aprecio vinhos doces. Mas quando cheguei percebi que eu não percebia absolutamente nada de Vinho do Porto, e provavelmente muitos americanos também não. Pode ser branco, tawny, rosé, em cocktails com gin, e é óptimo, adoro. Só por isso já tinha valido a pena vir.
- O que é que não gostas no Porto?
- Não sei, acho que gostei de tudo.
- Não sejas cliché, Kiersten. Arrisca, ajuda-nos a melhorar.
- (pensativa)… Hmmmm…. A sério, não me lembro de nada… tipo: os táxis são mais caros do que seria de esperar, mas isso não pode ser uma queixa, é mais uma invenção, porque não me lembro de nada que não tenha gostado… Até a comida é óptima, eu só como vegetariano e peixe e o peixe aqui é estupendo! 
- Mas não vês nada melhorável?
- Melhorável há sempre. Por exemplo, têm edifícios a cair na Baixa e Ribeira. Outros estão renovados e pintados. É uma paisagem linda. Pode melhorar, claro, mas ao mesmo tempo assim é tão autêntica que delicia. 
- Como nos enquadras em termos de desenvolvimento, no espectro mundial?
- É uma cidade normal, integrada na Europa contemporânea. Parece um óptimo sítio para viver, não é como aquelas cidades em que toda a gente está com pressa sabe-se lá para o quê… Aqui até nos engarrafamentos as pessoas parecem apenas moderadamente stressadas, continuam bem dispostas e de bem com a vida, mesmo numa situação económica instável. 
- O que achaste de Lisboa?
- Gostei muito, também. É uma cidade bonita, também cheia de História e de pessoas interessantes. Mas é menos intimista e talvez menos autêntica que o Porto. Gostei das duas, mas pessoalmente o Porto diz-me mais. Mas é uma questão apenas pessoal, outros bloggers podem achar o contrário.
- Como é viver sempre na estrada? Tens casa?
- Sim, tenho casa, em San Diego, onde está a minha família e amigos. Há bloggers que optam por prescindir de um espaço seu e viajar sempre, toda a vida. Eu não, eu adoro ter uma casa. Ando nove ou dez meses por ano em viagens, adoro passar férias em casa.
- Passar férias em casa sem ser por obrigação até deve ser giro ;) Como chegaste até aqui? Sempre tiveste o sonho de ser uma blogger?
- Não, nunca. O meu sonho não era ser uma blogger, era ser feliz. Era e é. Eu trabalhava em finanças, num grande escritório de Los Angeles. Excitante, hm? Umdia, decidi mudar de vida e mudei mesmo. Construi a minha marca e o meu blog (link em baixo) e parti a conhecer o mundo, dando-o a conhecer através dos meus olhos a muitos que não o podem fazer. Conhecer países, culturas e sobretudo pessoas faz-me feliz. Hoje, faz-me feliz, se amanhã não fizer, mudo de vida outra vez.
Antigamente, as pessoas trabalhavam décadas para depois usufruir, nomeadamente viajando. Esse modelo esgotou. A nossa geração quer mais e melhor. Quer viver enquanto vive, quer ser feliz todos os dias. Eu digo sim.

O blog da Kiersten está em 

0 comentários: