Kosta de Alhabaite

Nortenho, do Condado Portucalense

Se em 1628 os Portuenses foram os primeiros a revoltar-se contra o domínio dos Filipes, está na hora de nos levantarmos de novo, agora contra a colonização lisboeta!

Monchique: António Costa mostrou ser o incompetente filho da puta do costume, mas onde andou o Rui Rio?

Em Junho de 2017 houve o incêndio de Pedrógão Grande, mais de 60 mortos. Todos se lembrarão dos dias imediatos: Costa ripostou "não me faça rir" ao jornalista que lhe perguntou se haveria responsabilidade governamental no drama. E foi de férias.


A maior mancha vegetal do Algarve desapareceu pelo fogo. A Serra de Monchique foi o lugar onde no início de Junho António Costa garantiu ao País que todos os meios operacionais estavam a postos para salvaguardar novos desastres ambientais, gabando o «trabalho extraordinário» que ali estaria a ser feito.
 
Fatalmente, todo o verde da serra desapareceu assim que terminou a mais fresca Primavera registada  em Portugal neste século.
 
Totalmente calcinada a serra e o pulmão do Algarve, escutamos António Costa ter o desplante propagandístico de falar de  «sucesso», numa ousadia só possível a um filho da puta cujo governo não eleito nas urnas, convém sempre relembrar, e cuja base de sustento são dois "partidos" neo-comunistas que nem um quinto da população eleitoral representa, um governo com as mãos ensanguentadas pela centena de mortos dos incêndios do ano anterior que ainda se mantém em funções devido à falta de tomates de um presidente da república mais dado a selfies do que ser realmente o garante da democracia e integridade do País.
 
Assim, sabemos hoje que no preciso local onde começou o incêndio de Monchique não havia plano de intervenção florestal: este projecto estruturante aguardava luz verde por questões burocráticas. O que tornou tudo ainda mais chocante.
 
E no meio disto onde está a oposição. Aquela que eventualmente poderá ser alternativa? Sem o líder natural, Pedro Passos Coelho, que relembre-se, mesmo após políticas necessárimente difíceis, venceu as eleições depois de ter reerguido o país da bancarrota deixada pelo partido socialista de Sócrates (onde este António Costa foi também um figurão), o PSD, agora chefiado pelo execrável Rui Rio, andou desaparecido.  
 
O presidente do PSD não se dignou comparecer numa zona que foi praticamente abandonada ao fogo pelo incompetente governo. Nem uma palavra de conforto, nem um gesto de solidariedade e amparo às populações flageladas pelo fogo: não lhe ouvimos o mais vago sussurro. Nem um leve reparo nem sequer um tímido franzir de sobrolho perante mais a desastrada actuação do Executivo, reincidente na insensibilidade perante as desprotegidas populações do interior. 
 
Como país e portugueses estamos mesmo bem fodidos...