Kosta de Alhabaite

Nortenho, do Condado Portucalense

Se em 1628 os Portuenses foram os primeiros a revoltar-se contra o domínio dos Filipes, está na hora de nos levantarmos de novo, agora contra a colonização lisboeta!

Os Burros

Disseram aos burros que as auto-estradas eram sem custos, e os burros acreditaram. Disseram-lhes que o investimento público se pagaria a si próprio e os burros pediram mais. Disseram aos burros que viveriam mais tempo, reformar-se-iam mais cedo e receberiam mais, e os burros acreditaram. Disseram aos burros que a culpa era das agências de rating, que o palheiro estava bem e que não havia nada com que se preocupar, e os burros zurraram contra as agências de rating. Disseram aos burros que bastava o PEC I, depois que bastava o PEC II, depois que bastava o PEC III, mas eles ainda hoje acreditam que teria bastado o PEC IV. Os burros acreditaram sem questionar que era possível escapar sem cortar na ração. Os burros acreditavam que o cavalo dourado vivia à custa da mãe, depois de um empréstimo, depois que o amigo lhe emprestava milhões e agora acham que é tudo culpa dos jornais. Os burros acreditaram que Hollande e Tsipras iriam violar as regras da matemática e ainda hoje acham que foi a matemática que fez jogo sujo. Quando Varoufakis lhes disse que bastava relincharem alto para se tornarem cavalos, os burros cumpriram as instruções.

Os burros acham que a palha é grátis. Mas se parassem um momento e olhassem para trás, veriam que não só a palha não é grátis como são eles que a carregam no lombo. A deles e a dos cavalos que os vão conseguindo enganar.  [Carlos Guimarães Pinto, aqui]

0 comentários: