Kosta de Alhabaite

Nortenho, do Condado Portucalense

Se em 1628 os Portuenses foram os primeiros a revoltar-se contra o domínio dos Filipes, está na hora de nos levantarmos de novo, agora contra a colonização lisboeta!

António Tavares Telles RIP


Faleceu ontem aos 77 anos, no Algarve, o jornalista e autor ANTÓNIO TAVARES TELLES. No início da Presidência de Pinto da Costa este grande e ilustre portista que ficou conhecido como autor do novo hino do FC Porto ao incluir a palavra DRAGÃO ao hino do FC Porto. Foi beneficiário da Sociedade Portuguesa de Autores desde 1980 e cooperar da mesma entidade desde 1991. Nasceu no Pinhão em 1942 e afirmou-se como jornalista, nomeadamente na área do desporto e foi também autor de livros e de programas de televisão. Poucos saberão mas foi António Tavares Telles o criador dos textos do Estebes, que Herman José interpretou nos seus programas nos anos 80.
António Tavares Telles estudou no Porto e depois nas Universidades de Lisboa e de Coimbra. Mais tarde partiu para Moçambique, onde integrou a redação do jornal Tribuna. Foi um dos opositores ao regime fascista em Portugal, tendo estado exilado em Paris, Rio de Janeiro e Bruxelas, onde recebeu a notícia da Revolução dos Cravos, a 25 de abril de 1974. Depois do regresso a Portugal foi contratado para dirigir um serviço no Ministério da Comunicação Social. Desligou-se da Função Pública e dedicou-se depois exclusivamente à colaboração com vários órgãos de comunicação como jornais, rádio e televisão.
Publicou vários livros mais recentemente, em 2017, o livro Do Pinhão Ao Porto, pela editora Afrontamento. António Tavares Telles era conhecido nos jornais e nas intervenções regulares que fazia na TSF, pelo seu humor, sentido crítico e pela combatividade.
Destacou-se como letrista de canções, normalmente em parceria com Tozé Brito, tendo escrito o tema Olá Então Como Vais?, que Tozé Brito e Paulo de Carvalho cantaram e ainda para este último fez a letra do tema Pirava-me Daqui, bem como fez letras para as vozes de João Braga ou Rodrigo. Participou por duas vezes no Festival da Canção, a primeira delas nas semifinais de 1980, como letrista do tema Um Girassol No Olhar, interpretada por Carlos Alberto Vidal, que se classificou em 9º lugar com 7 pontos, não sendo finalista. Voltou a participar no Festival da Canção 1984 como letrista do tema Notícias Vêm, Notícias Vão, que Rita Ribeiro interpretou também na semifinal, ficando em 12º lugar com apenas 1 ponto.
Afastou-se do jornalismo em 2009 e foi para o Algarve onde geriu uma galeria de pintura e onde vivia actualmente e acabou por falecer, ainda sem se saber a causa de morte. A seu pedido, as cerimónias fúnebres serão reservadas à família. António Tavares Telles é pai da jornalista Alexandra Tavares Teles, colaboradora de várias publicações do grupo Global Media, que integra, entre outras marcas, o Diário de Notícias, a TSF, o Jornal de Notícias e O Jogo. Descansa em paz ANTÓNIO TAVARES TELLES R.I.P. 

0 comentários: