Kosta de Alhabaite

Nortenho, do Condado Portucalense

Se em 1628 os Portuenses foram os primeiros a revoltar-se contra o domínio dos Filipes, está na hora de nos levantarmos de novo, agora contra a colonização lisboeta!

Companhia de bandeira anuncia nova ligação aérea entre o Porto e Pequim


Mais uma companhia aérea de bandeira vai reforçar a sua operação no Aeroporto Francisco Sá Carneiro para ligar a cidade do Porto a destinos transcontinentais. Neste caso, é a RAM - Royal Air Maroc e o destino é a cidade de Pequim, o que vem ajudar a fortalecer os laços entre o Porto e a China que a recente visita do presidente da Câmara àquele país foi potenciar e durante a qual, aliás, o sector da mobilidade foi um dos temas mais fortes.

Segundo comunicado da transportadora aérea marroquina, que tem vindo a reforçar a operação no Porto retomada há cerca de dois anos, já estão abertas as reservas para os voos entre o Porto e Pequim, via Casablanca, que têm início marcado para 16 de Janeiro próximo. "Três voos por semana, desde 590 euros" é a oferta da RAM que vai ligar o aeroporto de Casablanca Mohamed V ao aeroporto internacional de Beijing Daxing, pela primeira vez em menos de 13 horas de voo direto operado pelo dreamliner B787-9, com capacidade para 302 lugares, 26 deles em classe Business confort

Articulado com a ligação do Porto à maior cidade de Marrocos, o voo de Casablanca para Pequim será operado às segundas, quintas e sábados, tendo início no dia 16 de Janeiro, enquanto o voo com origem em Pequim será operado às terças, sextas e domingos a partir de 17 de Janeiro. Os voos de Casablanca oferecem ligações com Porto e Lisboa, combinando com tarifas e condições especiais, com a possibilidade de permitir estadias gratuitas em Marrocos até 5 dias. 

Esta nova operação da RAM vem juntar-se às mais de uma dúzia de operações que o Porto tem conseguido fazer iniciar ou reforçar nos últimos anos, ligando o Aeroporto Francisco Sá Carneiro aos mais variados destinos internacionais e transcontinentais, tanto por transportadoras aéreas de bandeira como por operadoras low cost. Essa mesma questão foi sublinhada na recente entrevista que Rui Moreira deu à rádio macaense TDM, durante a visita que efetuou na semana passada a Macau e à região de Shenzhen para aprofundar as relações económicas, turísticas e culturais entre a China e a região do Porto.
(daqui)

0 comentários: