Kosta de Alhabaite

Nortenho, do Condado Portucalense

Se em 1628 os Portuenses foram os primeiros a revoltar-se contra o domínio dos Filipes, está na hora de nos levantarmos de novo, agora contra a colonização lisboeta!

POLVO ENCORNADO: Os homens dos "maletines" (*)





No programa "Universo Porto - Da Bancada" da semana passada, Francisco J.Marques proferiu uma frase que tem sido ignorada por praticamente toda a imprensa. Na altura o director de comunicação dos dragões disse:"Os presidentes das equipas que vão defrontar o Benfica, não deixem chegar junto dos seus jogadores nenhum César. É um conselho que eu deixo. Se os Césares ficarem longe dos jogadores dessas equipas, não há necessidade dos próximos capítulos"

Ou seja, há um individuo que consegue "retirar as forças" aos atletas dos clubes que vão jogar contra o Benfica. A dúvida sobre quem seria este "César" ficou no ar durante vários dias, até que um senhor decidiu enfiar a carapuça.

"A César o que é de César"


César Boaventura - CEO da GIC

link da notícia (aqui)
Curiosa a forma como César Boaventura "enfiou a carapuça" após as declarações de Francisco J.Marques. De facto, "Césares" há muitos, mas vamos lá ver se este tem "sumo".

Uma Boaventura

O principal jogador da GIC de César Boaventura é o guarda-redes Mika que no último dia do mercado de transferências do Verão se transferiu do Boavista para o Sunderland, com o consentimento do... Benfica.

Link da notícia (aqui)
Dizia o MaisFutebol que o Benfica detinha 50% do passe do jogador. Curiosamente, Mika era o guarda-redes que não foi capaz de impedir o golo de Jonas nos descontos do encontro Boavista-Benfica na época passada. Um lance onde foi claramente infeliz, uma vez que o "passe" de Jonas passou-lhe por baixo das mãos. Até ao momento, o guardião está com 0 minutos de jogo na Premier League...

Para além de Mika, há um outro jogador em destaque no rol de atletas da GIC. Lembram-se de um tal de Coulibaly, que enquanto jogador do Vianense marcou um golo ao Benfica num eliminatória da Taça?

O rapaz da Taça


Como podem verificar, o jornal Record anunciou na sua edição de 15 de Dezembro de 2015 que Coulibaly estava à experiência no Seixal. No dia 27 de Janeiro, cerca de um mês e meio depois, o jornal Record adiantou que o jogador seria contratado pelos encarnados, assim como Ivan Zlobin, vindo por empréstimo da União de Leiria.


Poucos dias depois o jogador acabou no Farense, que curiosamente é o clube que "ofereceu" a manutenção do Benfica B na temporada passada, através do "caso Harramiz" como podem verificar (aqui). Coincidências...

Mas o jovem Coulibaly não durou muito no Farense. No início desta época foi transferido para o Zimbru da Moldávia, sem sucesso. Curiosamente, o Zimbru tem um protocolo de colaboração com a GIC de César Boaventura.

Zimbru 

Através da parceria entre Joe Lima e a GIC, Rémulo Marques foi colocado na Moldávia como Director Desportivo do Zimbru.



Curiosamente, Rémulo Marques foi jornalista durante 20 anos. Aposto que deve dar jeito a uma empresa de agenciamento de jogadores ter alguém com conhecimentos na imprensa.

Mas esperem lá! Um clube da Moldávia? Mas há futebol para esses lados? Fiz uma breve pesquisa e sobre moldavos em Portugal e no negócio futebol, só encontrei dois artistas: Alexander Tolstikov (Russo nascido na Moldávia) e  Sergiu Renita, respectivamente Presidente e assessor da SAD da União de Leiria. O tal clube que emprestava jogadores ao Benfica.



Curiosamente, estes senhores foram presos no âmbito da "Operação Matrioskas"...
Voltando ao Zimbru. Pouco tempo depois da assinatura do acordo, três atletas do Zimbru ingressaram no Almancilense. Nesta tripla estava incluído Coulibaly.

Almancil 

A parceria entre o Almacilense e César Boaventura acabou a mal e é provável que o problema só fique resolvido nos tribunais. Podem saber mais sobre este caso numa notícia do jornal Record (aqui), onde a versão do empresário foi passada a papel de forma exaustiva. Até cópias de cartas e facturas foram publicadas. Curiosa esta relação entre o Boaventura e o Record, não acham? Por falar em coisas que acabam mal:

Link da notícia (aqui)
Acho que já deu para perceberem o nível aqui do "Jorge Mendes" de segunda categoria. De facto, é raro vermos uma cópia tão boa como o original, mas na questão dos prémios o nosso César está ao nível do "mestre", mesmo não conseguindo fazer a gala no Dubai.

And the winner is...

Agora as agências de jogadores também fazem prémios anuais. Fiquem com o vídeo publicado pela empresa em relação ao prémio de carreira de Luís Filipe Vieira.


Luís Filipe Vieira não esteve presente no evento mas mandou alguém em sua representação. Um senhor chamado Pedro Fonseca que colocou toda a informação no seu Facebook pessoal.


Reza a lenda que este senhor foi "jornalista" e que mais recentemente se virou para a assessoria de Presidente de Câmara.

Com tanto "jornaleiro" metido ao barulho, o jornal Record lá achou que a gala de uma empresa de terceira divisão de agenciamento de jogadores merecia ter destaque. Não havendo "almoços grátis", espero que pelo menos tenham convidado alguém do Record para a jantarada.

Ó Sócio tou concentradíssimo 

De curiosidade em curiosidade, lá fiquei a saber que GIC tem mais um sócio "conhecido" do grande público. Vejamos:


O senhor Abel Silva é um nome sonante nas últimas semanas. Até tem direito a entrevistas de primeira página no jornal Record. Mas já lá vou. Para já é preciso contextualizar o assunto e falar um pouco da carreira do senhor.


Como vimos na peça, Abel Silva representou o Benfica como jogador durante mais de uma década. Mais tarde viria a encontrar Luís Filipe Vieira no Alverca onde jogou durante duas temporadas (1998/1999 e 1999/2000).

O Senhor adjunto...


Link da notícia (aqui)
Ora, muito bem. Reentrou no Benfica pela mão de Luís Filipe Vieira numa fase em que ainda não tinha cumprido o primeiro ano de mandato à frente do clube. Curiosamente, foi adjunto de Rui Vitória nos tempos em que o agora treinador principal treinava os Juniores.

O homem tem olho...

Link da notícia (aqui)
Jogador, treinador-adjunto, treinador principal e olheiro em 2008. Curiosamente, os jornais optaram por esconder a forte ligação de Abel Silva ao Benfica. Por contraste é bem visível a colagem que tentaram fazer ao outro arguido ao Porto, por este alegadamente pertencer aos Super Dragões. Engraçado não é? Mas há coisas mais engraçadas.

O branqueamento

A notícia sobre os novos arguidos no processo Jogo Duplo começou a ser divulgada pela hora de almoço de dia 30 de Março de 2016. No mesmo dia, Abel Silva concedeu uma entrevista ao jornal Record que viria a ser capa no dia seguinte.


Há coisas fantásticas não há!? Se no dia 29 de Março perguntássemos a um jovem com menos de 30 anos se conhecia Abel Silva, qual acham que seria a resposta? Obviamente, a generalidade dos adeptos mais novos não conhece este antigo jogador. Até porque teve uma carreira absolutamente medíocre.

Olhamos para os escaparates diariamente e há quantos meses não aparece alguém na capa de um desportivo sem que o assunto esteja directamente ligado aos três grandes? Por exemplo, quando Portugal ganha uma competição europeia ou mundial numa qualquer modalidade os senhores do Record fazem dessa assunto tema principal?

Eu pergunto: Que justificação poderá ser dada para que uma figura menor do futebol português tenha direito a uma capa de defesa da sua honra? Só pode haver aqui algum ingrediente secreto. Será o efeito "Branca de Neve"?

Vejamos agora as fotos tiradas pelo jornal Record aquando da entrevista.


Como podem verificar, Abel Silva encontra-se na sala de reuniões de um escritório de advogados. Os livros de direito na estante não enganam ninguém. Isto é também um sinal do nível de orquestração a que isto chegou. Uma entrevista controlada num escritório de advogados, mesmo a tempo de apresentar uma verdade alternativa para contrariar o facto de ter sido constituído arguido.

Eu gostava mesmo de perceber qual é o escritório que representa o Abel Silva. Aposto que essa informação vale ouro. Se alguém souber, coloque nos comentários.

O lápis vermelho

Cliquem para aumentar
Aqui fica a entrevista completa para leitura. Quero apenas salientar as notas do "narrador" desta tão linda história de amor pelos 30 mil euros. Coloquei essas partes a marcador amarelo, mas faço questão de as deixar à parte numa imagem à parte:

Não há muito mais a acrescentar senão perguntar se estamos perante uma entrevista ou estamos a ler a narrativa preparada pelo advogado de defesa do sujeito? É que se o jornalista Rui Dias não é licenciado em Direito, tem bastante jeito para a coisa.

Conclusões à moda da cartilha

No dia 4 de Abril, o director de comunicação do Porto diz claramente que anda por ai um "César" a tentar "tirar as forças" aos jogadores das equipas adversários do Benfica. O Ministério Publico e a própria comissão de instrução e inquéritos da Liga fazem de conta que não ouviram estas declarações. Os jornais vão no mesmo sentido e branqueiam estes acusações gravíssimas. Os presidentes dos clubes que jogaram com o Benfica, nomeadamente o Presidente do Moreirense e do Estoril não são confrontados com estas questões. Fica tudo na paz do senhor.

Entretanto, um tal de César Boaventura enfia a carapuça. Vai-se a ver e o senhor está cheio de negócios "espectaculares" com o Benfica com especial destaque para o caso de Mika (que veio-se a saber ainda pertencia ao Benfica) e Coulibaly (o tal jogador que esteve 1 mês e meio a treinar no Seixal e depois acabou por assinar com o Farense, clube que perdeu a manutenção na II Liga na secretaria por um erro infantil. Curiosamente, esse erro permitiu ao Benfica B a manutenção na II Liga).

César Boaventura também faz negócios "maravilhosos" com clubes no leste da Europa, nomeadamente na Moldávia, terra dos senhores da União de Leiria que foram presos na operação Matrioskas. Curiosamente, o Benfica foi buscar ao União de Leiria vários jogadores por empréstimo (Leiria a emprestar jogadores ao Benfica!?).

Um dos sócios de César Boaventura na GIC é precisamente Abel Silva, o tal herói de Riade e que recentemente passou à condição de arguido no caso "Jogo Duplo". Abel Silva que para além dos 12 anos que esteve como jogador do Benfica, passou ainda por mais duas ocasiões pelo clube da Luz. Em 2004 foi contratado para adjunto de Rui Vitória, que na altura era treinador dos Juvenis. Em 2008 regressou como olheiro especialista nos mercados de leste.

Curiosamente, o Record veio logo em socorro de Abel Silva e no próprio dia em que é fica com o estatuto de arguido dá uma entrevista no escritório dos seus advogados ao jornal. Um entrevista que virou capa de jornal e que conta apenas com duas páginas e meia dúzia de perguntas perfeitamente colocadas para passar a mensagem que o homem é inocente.

Vamos todos continuar a assobiar para o lado. Não existem malas nem apostas ilegais, nem dinheiros provenientes da máfia, nem "carregados pelo Benfica" e muito menos "jornalistas no bolso". É tudo um mito...




Agradecer a todos pelo apoio. Se ainda não seguem o Mister do Café nas redes sociais, podem começar já. 

0 comentários: