Kosta de Alhabaite

Nortenho, do Condado Portucalense

Se em 1628 os Portuenses foram os primeiros a revoltar-se contra o domínio dos Filipes, está na hora de nos levantarmos de novo, agora contra a colonização lisboeta!

Depois da soberba ... o inglês técnico

As Câmaras de lisboa e de Oeiras terão, juntamente com a ATL, de pagar à Red Bull 3,5 milhões de euros pela corrida, assegurando também todas as suas necessidades logísticas. O acordo é penalizador e bastante diferente daquele que vigorou nas anteriores edições, que tiveram lugar no Douro. As Câmaras de Gaia e do Porto nunca pagaram mais de 400 mil euros cada uma aos organizadores da prova, cujo risco comercial esteve sempre do lado de uma empresa privada, a Extreme, que intermediava o negócio.
Para o vereador do CDS-PP, António Carlos Monteiro, todo o processo tem sido conduzido de forma “pouco transparente e absolutamente leviana”, com consequências gravosas para o erário: “Este contrato estabelece que a carne fica do lado da Red Bull e os ossos do lado da câmara”.
O seu colega do PCP, Ruben de Carvalho, mostrou-se também preocupado: “O contrato entre o Turismo de Lisboa e a Red Bull é inaceitável”. Já o vereador social-democrata Victor Gonçalves exigiu um estudo de viabilidade financeira do evento

Escrito em inglês
Um pormenor que espantou os vereadores da Câmara de Lisboa foi o facto de o acordo assinado entre a Associação Turismo de Lisboa e a Red Bull Air Race estar redigido em língua inglesa. Daí também as dúvidas da sua quinta cláusula, que diz que a Red Bull será a única detentora dos direitos publicitários “on the entire event venue”, isto é, em todo o local do evento, excepto se forem propriedade privada.
Os autarcas ficaram também surpreendidos por o documento remeter a resolução de eventuais diferendos para os tribunais de Viena


VAMOS LÁ VER SE ENTENDO:
Um vereador exige um estudo de viabilidade do projecto!!!! COMO ??
Então "roubam" o evento ao Porto e não tinham previamente apurado o custo da coisa????
Isto só pode dizer que contavam com o ovo no cú da galinha, ou seja, o estado, directa ou indirectamente ir-se-ia chegar à frente, e não fora o bradar Nortenho a coisa ir-se-ia passar na clandestinidade como provavelmente centenas de outras já aconteceram!
Por outro lado, se o problema eram as traduções bem que podiam ter pedido uma perninha ao Sócrates que fez inglês técnico....


Comunicado de Imprensa - Red Bull Air Race
A Direcção da Associação dos Comerciantes do Porto, após informação que a prova Red Bull Air Race pode ser transferida para outro local que não o Porto, faz saber:
As corridas Red Bull Air Race, segundo dados da organização, tiveram a participação de um milhão de pessoas nas margens do Rio Douro. O evento foi transmitido por várias cadeias de televisão para todo o mundo e foi considerado até hoje um dos maiores eventos desportivos realizados em Portugal. As corridas Red Bull Air Race são uma excelente forma de promoção turística da região e uma verdadeira oportunidade para dinamizar e fortalecer o comércio tradicional.
A taxa de desemprego no distrito do Porto é uma das mais elevadas do país, mas mesmo assim não existe preocupação pelo poder central em promover a região. Cada loja que fecha aumenta o número de desempregados. E para esta situação galopante e preocupante o Governo não parece inquietar-se. A ACP olha para o turismo e grandes eventos como mais uma janela de oportunidade para o comércio e não pode ficar indiferente a esta situação.
O comércio tradicional precisa de incentivos. São muitos os turistas a usufruírem de bens e serviços da região. Não se compreende como é que os grandes patrocinadores do evento – TMN, EDP e GALP, têm nos seus conselhos de administração elementos nomeados pelo Governo e não ouvimos vozes de preocupação referentes ao comércio nesta região. São muitos os prejuízos directos e indirectos que a deslocalização do Red Bull Air Race trará para o nosso comércio, para os nossos comerciantes. Falamos de pessoas que contribuem para economia do país, não podem esquecer sempre os mesmos.
A ACP, por tudo isto enunciado, apela ao boicote no consumo dos produtos da TMN, GALP e EDP. É o nosso protesto. Só falta tirarem o Vinho do Porto e o Futebol Clube do Porto à região do Norte.
Nuno Camilo
Presidente da Direcção da ACP

0 comentários: