Kosta de Alhabaite

Nortenho, do Condado Portucalense

Se em 1628 os Portuenses foram os primeiros a revoltar-se contra o domínio dos Filipes, está na hora de nos levantarmos de novo, agora contra a colonização lisboeta!

O penalty do dia das mentiras



Claramente não fiquei satisfeito.

  1. Não percebo a escolha dos jogadores: se não "mastigo" a ausência de Layun, Rui Pedro, Depoitre e mesmo Teixeira deveriam ter sido convocados. Num jogo que podia decidir o destino do campeonato (se já não decidiu), estes jogadores deveriam ter ido na comitiva. Chama-se espírito de equipa. Ser convocado para o jogo ou não, isso era outra coisa...
  2. Mudar o esquema, deixando de fora um avançado, optando por um 4-3-3 foi o mesmo que dizer que o empate era o que se pretendia. Pese o discurso, pouca ambição de NES.
  3. Felipe já nos comprometeu demasiado. Depois da escorregadela contra o Setúbal, ontem, outra vez falho de inteligência.
  4. O treinador, no final, poderia, no mínimo,  ter mencionado a tendência caseira do árbitro e não o fez. "Lavou" o penalty marcado contra e esqueceu dois lances minimamente estranhos na área encornada, já sem mencionar o fora de jogo mal assinalado a Diogo Jota e a agressão que sofreu de Jonas
  5. O outrora-presidente-guerreiro dizer que a arbitragem foi boa...
  6. Uma certa alegria de alguns jogadores: afinal deixáramos de depender de nós próprios. Onde está a alegria disso? Empatar na luz? Isso já é meia derrota.
Os adversários:
  1. Xistra: o que há a dizer? 5 amarelos para o Porto, 0 - ZERO - para os encornados!? Chama-se CONDICIONAR. O penalty? Foi rápido a decidir contra o Porto, mas como disse acima, dois passíveis a favor do Porto não conseguiu ver. Na segunda parte, ataques do Porto parados em faltas não assinaladas, contei 7. Xistra? Não foi aquele que deu o tri aos encornados? Bem me parecia. Mais voucher, menos voucher, estamos entendidos.
  2. O primeiro ministro e o ministro das finanças a ladearem o cadastrado e grande devedor (dizem perto de 700 milhões à banca) consolidam a minha impressão: tudo o que é vermelho é merda!
  3. Jonas, esse atleta da natação que acumula com a arte circense, beneficiou de toda a sua arte para ganhar uma penalidade e ainda por cima agrediu sem punição o treinador do Porto. Se o árbitro se chamasse Godinho seria expulso! Seria? Claro que não, pois como sabemos só os portistas são penalizados. Nem um sumaríssimo?! Claro que não, que essa figura foi instituída para penalizar apenas o FC Porto...
  4. Organização do jogo: uma vergonha. Adeptos com bilhetes pagos a serem expulsos dos seus lugares por adeptos encornados incomodados... Adeptos do FC Porto, com bilhete, impedidos de entrar, chegando aos seus lugares 40 minutos depois do jogo ter começado... Já sabia o que haveria de fazer no futuro...
  5. O lixo social: foi giro escutar no início do jogo um fulano da pública Antena 1, pública, certo, significa paga por todos, a enaltecer a exemplar atitude dos boifiquistas. Felizmente, um seu colega do Porto chamou a atenção para as pedradas no início do jogo que, inclusivé, atingiram um super-intendente da polícia. O golo do Porto relatado na católica rádio renascença: parecia que era sexta-feira santa... 

0 comentários: