Kosta de Alhabaite

Nortenho, do Condado Portucalense

Se em 1628 os Portuenses foram os primeiros a revoltar-se contra o domínio dos Filipes, está na hora de nos levantarmos de novo, agora contra a colonização lisboeta!

Realidade alucinada: a máquina de propaganda do boifica

Os jornalistas que conduzem estes programas são adeptos do Glorioso. Esta máquina de propaganda vermelha pressiona os agentes


6 jogos, 6 derrotas, 0 pontos, 14 golos sofridos, 2 autogolos, 1 golo marcado. Estes são os números com que Benfica terminou a fase de grupos da Liga dos Campeões edição 2017/18. Um recorde absoluto. Nenhuma equipa portuguesa tinha batido tão fundo nas competições europeias. E vale lembrar que por lá andaram o Estrela da Amadora, Paços de Ferreira, Belenenses… nem estes três portentos do futebol português foram capazes de tamanha proeza. Já os números do Benfica na Liga Portuguesa são bem diferentes. 9 vitórias, 3 empates, 1 derrota, 30 pontos (apenas a 3 pontos do primeiro classificado).

Confesso que não pesquisei se o Benfica tem mais ou menos penalties por marcar, golos contra invalidados pelo VAR, o que sei é que a discrepância entre o Benfica fora e dentro de portas é assustadora. E esta história repete-se ano após ano, há décadas. Perante estes números, diria que existem dois Benficas: o Benfica real, o que leva 7-1 do Celta de Vigo, 5-0 do Basileia e Olympiacos, o que perde 6 jogos em 6. E o Benfica do Portugal dos pequeninos, onde a realidade é distorcida pelos media, 99,9% dos quais, vermelhos-encapotados. Em Espanha existem jornais e estações de televisão que são assumidamente pró Real Madrid ou pró Barcelona. Aqui nos EUA, a Fox News é assumidamente um canal republicano, enquanto a MSNBC é democrata, sem esconder. Sempre que vou a Portugal e ligo a televisão (RTP, SIC, TVI) ou compro um jornal, só vejo um lado da notícia, o vermelho.

Portugal é o único país no mundo onde existem programas de arbitragem, mostram-se os lances que interessam ao Benfica. Repetem-se vezes sem fim lances duvidosos envolvendo os outros dois e escondem-se lances duvidosos que envolvem o Benfica. Os jornalistas que conduzem estes programas são adeptos do Glorioso. Esta máquina de propaganda vermelha pressiona os agentes, forçando-os a cederem. E ai de quem tenha o desplante de pôr em causa a cartilha. Se alguém, como o ex-árbitro Marco Ferreira, declina emails, não aceita vouchers ou decide falar, é despromovido. O Benfica criado pelos media portugueses, faz o Barbas, o José Castelo Branco e mais 6 milhões de portugueses viverem em permanente estado de alucinação.

(...) 

Faz-me pena o estado alucinante em que os adeptos vivem. Quando confrontados com a realidade, como nesta última semana europeia, é penoso de ver. Será que existe uma marca (...) em Portugal que desmascare esta realidade alucinada? Fica o desafio 

0 comentários: