Kosta de Alhabaite

Nortenho, do Condado Portucalense

Se em 1628 os Portuenses foram os primeiros a revoltar-se contra o domínio dos Filipes, está na hora de nos levantarmos de novo, agora contra a colonização lisboeta!

FC Porto: afinal o que vai mudar na próxima época? Pelo que observamos, nada! Vais ser mais do mesmo.

Sou sócio há décadas. Nasci no tempo do pior FC Porto. Derrota era o verbo. Vergonha. Humilhações. Tristezas domingo após domingo. Época após época em que o sonho dava lugar ao pesadelo.
Passei por isso tudo. 
Depois a revolução verdadeira: senti orgulho nos Homens (e Mulheres) que levantaram o Clube. Que nos trouxeram a conjugação do verbo vencer. Era menino para ir com todos eles até ao fim do Mundo.  Confiança cega, firmeza e dedicação extrema. 
Vieram as conquistas, internas, ao ponto de conseguirmos mesmo ultrapassar as calabotianas conquistas dos inimigos de lisboa. 
Numa era em que o olimpo europeu e mundial é extraordinariamente complexo de conquistar (ao contrário dos triunfos nos anos 60), chegaram as conquistas internacionais, tantas a ponto de termos disparado e ultrapassado todas as conseguidas de pelos nossos inimigos de lisboa. Quem diria! Que orgulho!
Mas de súbito parece que voltamos ao passado negro. E por muito discurso que andem para aí a transmitir, e que quero muito acreditar, tenho, confesso, medo, medo de continuar a cair neste desnorte. 


Antero Henrique.
O suposto homem do futebol, vai continuar a dedicar-se às app's que tem instaladas no seu "magnífico telemóvel"? Sudoku? Candy Crush? Afinal estes incompetentes gestos repetidos durante os jogos valeram-lhe a entrada na SAD. Alguém achou isto normal. Assim...


Pinto da Costa.
Esteve a dormir nestes últimos três anos e agora é que vai ser!!!??? Começar tudo de novo? Afinal porque se deixou cair o Clube neste deserto de títulos? Agora vai mudar a agulha? Aos 79 anos? Muito provavelmente vai voltar a dizer que afinal Artur Soares Dias é um grande e isento árbitro e vai dizer que "esta época até nem temos muitas razões das arbitragens". Lembram-se? Não estou a inventar. Ele disse-o! O Grande Pai das vitórias parece estar completamente ultrapassado e as suas (não) acções são uma sombra daquele homem por quem eu iria até ao fim do mundo! Hoje começo a pensar como Lopetegui: tenho pena dele, naquilo que se está a transformar. Quando as coisas começarem a correr mal lá vem uma entrevista encomendada à suposta televisão do clube (que curiosamente só surge nestes momentos) a dizer aquelas frases que já não convencem ninguém que seja de facto portista desde sempre. A sua famosa ironia começa hoje a merecer-nos um bocejo. 

 

A comunicação do Clube. 
Nunca existiu e agora, que até tem um Canal de Televisão não o sabem usar!  O director-fantasma de comunicação? Temos? Parece que sim: chama-se Rui Cerqueira e é aquele senhor que aparece nas conferências de imprensa depois dos funerais, perdão dos jogos, a ajeitar o microfone e a apontar para os jornalistas. Um vozeirão silencioso este homem. Prima pela inexistência. Seria engraçado medir o salário que LHE PAGAMOS e aquilo que faz pelo FC Porto, na sua defesa. NADA! Até os blogues e as páginas do facebook de centenas e centenas de portistas são mais acutilantes a descobrir e a desmontar os podres que semana após semana assistimos. Já me esquecia: o Presidente continua a viver no século passado e estas modernices dos meios digitais de comunicação ainda não chegaram à sua vida. Talvez a enésima mulher, a Sra D. Fernanda, que já deu provas de ser do século XXI quando atacou um símbolo do Clube, lhe possa ensinar uns truques e quem sabe, o Homem comece a dar algum valor ao importante trabalho que alguns bloggers de investigação fazem...
  

Tratamento dado a figuras ligadas ao FC Porto.
Nem os inimigos tiveram tanta atenção e tanta perseguição por parte desta "magnífica" direcção, como alguns portistas que, com o coração a sangrar dizer verdades incómodas (e não estou a falar em paineleiros que, de facto, deveriam ter alguma preparação e algum cuidado nas afirmações nos programas dedicados-. Ao pé dos processos levantados aos NOSSOS amigos, podemos afirmar que, à semelhança do cconvite ao Serpa, só falta mesmo convidar para a festa anual dos Dragões o vergonhoso e odioso Rui Rio, mesmo Pacheco Pereira, o demónio Gabriel, o badocha calimero-esverdeado, o outro badocha do Gobbern, o duputedo do PSD, antigo ministro, desgraçadamente portuense mais encornado em todos os sentidos, Rui Gomes da Silva e tantos outros encornados ou esverdeados, paineleiros de ocasião dos clubes da 2ª circular, sem falar na imprensa do Estado (RTP e Antena1) - já para não mencionar o outro jornalixo lisboeta que no odeia e nos quer mal.
  
  

 


Política de contratações.
No passado, ríamos com prazer do despesismo encornado, que não dava frutos em campo, e víamos com orgulho as nossas humildes mas lutadoras, abnegadas e orgulhosas e crentes equipas que conquistavam os títulos. Hoje vemos um plantel gordo de dezenas e dezenas de jogadores, pagamos a atletas que nem sequer jogam no clube, temos um obsceno orçamento de 100 milhões e não vemos qualquer resultado. Pior: batemos todos os recordes negativos, de insucessos desportivos e de derrotas. Uma vergonha. O filhinho e os amigos dos amigos vão continuar a receber comissões à nossa custa? Por jogadores medianos e medíocres? Olhem para o diabo do passivo! Olhem para a folha de salários: da SAD ao departamento de futebol sénior! Olhem para o repetido insucesso desportivo. Não chega?  
Temos os jogadores que interessam? Para os lugares e competições que se vão propagar ao longo da época? Temos os tais "jogadores à Porto" que deixam tudo em campo? Que pensam, vivem e sofrem o FC Porto ao invés de começaram logo que chegam a pensar no salto para outro grande europeu? 

  

Relação e exigência de tratamento honesto por parte dos árbitros, da federação e da liga.
Não vale a pena colocar paninhos quentes nas palavras: ELES FAZEM MESMO AS COISAS PELO OUTRO LADO! Vamos continuar a comer e calar? Não temos capacidade de ter também a nossa gente no lado das decisões? Ou pelo menos agir antes de reagir às nomeações e classificações dos observadores? Afinal somos o FC Porto!

Adeptos, sócios e simpatizantes.
"Em casa onde falta o pão..." Como afirma o Jorge Vassalo, no Porto Universal, está na hora de repensar o que significa ser adepto do FC Porto. Precisamos de uma frente unida e coesa desde o primeiro segundo (...) a defender o FC Porto com unhas e dentes. Assim é que tem de ser.  Voltar a transformar o Dragão no estádio mais temível da Europa como chegou a ser designado. Não dar folga nem descanso a adversários e inimigos, aos ardilosos árbitros...  Mas a pergunta impõe-se: o que significa, para cada um de nós ser adepto do FC Porto? Pensemos nisso. Para o ano precisamos de todos a remar para o mesmo lado.

0 comentários: