Kosta de Alhabaite

Nortenho, do Condado Portucalense

Se em 1628 os Portuenses foram os primeiros a revoltar-se contra o domínio dos Filipes, está na hora de nos levantarmos de novo, agora contra a colonização lisboeta!

O Porto já tem garrafa oficial



A garrafa PORTO. já foi apresentada. Os vencedores do concurso de design "Dás o litro pelo Porto?" foram hoje conhecidos, na cerimónia de entrega de prémios que decorreu na Central Nova Sintra, junto à sede da Águas do Porto(AP). A apresentação contou com a presença do Presidente da Câmara Municipal do Porto, Rui Moreira.

A dupla vencedora, liderada por uma estudante de Design da Escola Superior de Artes e Design (ESAD), obteve a unanimidade junto do júri do concurso. Teresa Soares e Paulo Seco apresentaram uma solução versátil para garrafa mais pequena e uma outra solução mais sofisticada para a garrafa de vidro.

O concurso surge na sequência do Programa de Alteração Comportamental para o Consumo de Água da Torneira, "Beba Água do Porto: É Boa Todos os Dias!", lançada pela AP em Março deste ano.
Consciente da necessidade de alterar comportamentos relativamente ao consumo de água da torneira e tendo por base os resultados obtidos nas análises laboratoriais, que se situam sempre muito próximas dos 100%, a Águas do Porto lançou o referido programa para mudar os hábitos de consumo dos portuenses. Se a segurança dada pelas referidas análises, bem como o reduzido preço da água do Porto quando comparado com a água engarrafada - é 450 vezes mais barata -, são considerados pontos fortes desta campanha, a portabilidade apresentou-se como um problema para o sucesso do programa.

Reconhecendo a portabilidade como o ponto fraco da água da torneira, a AP lançou um concurso para a criação de uma garrafa que pudesse contribuir para o maior consumo da água da torneira, tanto na rua como em casa.

Assim, no concurso lançado em Abril, pedia-se aos concorrentes que apresentassem a concepção e o desenho de uma garrafa de água com capacidade para meio litro, portátil, que deveria ter uma tampa estanque, com um mecanismo que permita que esta não se solte da garrafa; bem como de uma outra, em vidro, para litro e meio de água, sem tampa, para usar em casa.

A proposta vencedora respondeu a todos estes requisitos e venceu ainda no que diz respeito ao design e exequibilidade.

Segundo a memória descritiva apresentada pela equipa, as garrafas pretendem responder "às diferentes necessidades dos potenciais utilizadores". A criação da garrafa de 0,5l exigiu a resposta a várias situações, entre as quais, beber água em situações mais informais, pelo gargalo da garrafa; a criação de um copo que permita beber água através de outro recipiente, de forma a evitar o contacto da boca com a garrafa; e finalmente, para situações mais inclusivas, de utilização por crianças ou por pessoas com dificuldades motoras, foi criada uma "segunda" tampa que possibilita a utilização de uma palhinha.

A proposta vencedora refere ainda que, para a garrafa de vidro, potencialmente usada em situações mais clássicas, pretendeu-se invocar alguma sofisticação no gesto de servir a água, com o conjunto garrafa + base. A base é também um recipiente com características isotérmicas que auxilia à manutenção da temperatura da água.

Os segundos e terceiros lugares foram entregues, respectivamente, a Sónia Soeiro, aluna do 3º ano do curso de Design Industrial da Escola Superior de Estudos Industriais e de Gestão de Vila do Conde (ESEIG) e à equipa da CRU Design, liderada por Rui Pereira, licenciado em Design Industrial pelo Instituto Politécnico do Cávado e do Ave.

A Águas do Porto recebeu 33 propostas, sendo que 18 delas foram excluídas por não cumprirem os requisitos obrigatórios.

Os trabalhos admitidos a concurso encontram-se em exposição na Central de Nova Sintra, junto à sede da Águas do Porto. [daqui]

0 comentários: