Kosta de Alhabaite

Nortenho, do Condado Portucalense

Se em 1628 os Portuenses foram os primeiros a revoltar-se contra o domínio dos Filipes, está na hora de nos levantarmos de novo, agora contra a colonização lisboeta!

Até faziam fila para andar nestas escadas rolantes




O ambiente é calmo, mas já denuncia que é dia de festa. O Shopping Center Brasília, no Porto, faz 40 anos. Na entrada, junto às "famosas escadas rolantes, André Rego não perde conta aos balões que já encheu para a festa. "hoje foram já 500, mas ontem enchi cinco mil para a decoração".

Verde, amarelo, vermelho. As cores do Shopping Brasília espalham-se pelos corredores para assinalar a data festiva. Os sorrisos multiplicam-se, assim como as memórias. Rosa Araújo é das lojistas mais antigas e começou por ser cliente. "Entrei aqui pela primeira vez faz hoje 40 anos. Estava grávida do meu primeiro filho. Depois voltei muitas vezes".

Com porta aberta há 39 anos, Rosa Araújo vende artigos de decoração. Desfia lembranças como se o passado fosse ontem, porque foram momentos marcantes. "Eram pessoas com uma mentalidade muito aberta. Não era qualquer rapariga que trabalhava por turnos".

Ir ao shopping era um acontecimento. A revolução de Abril ainda estava fresca, mas as mentalidades não tardaram a mudar. A começar pelas mulheres. "Usávamos saltos de dez centímetros. Os homens gostavam de olhar para nós. Até quando fazíamos montras".

João Silva tem menos anos de casa, mas continuam a ser também muitos. A loja no Brasília abriu há 37 anos, porque fazia todo o sentido. "Este era um centro comercial único".

Recorda também que no Natal e na Páscoa, o frenesim era constante. "Nem dava tempo para limpar os corredores".

Para Carlos Pires é quase tudo uma novidade. Tem uma loja de artigos de luxo há um ano. Estudou várias localizações, mas esta, na Boavista, conquistou-o, por causa "da centralidade do espaço".

Tânia Costa nem era nascida quando o Shopping Brasília foi inaugurado, mas os pais contam-lhe tudo sobre a sensação que causou na cidade e arredores, na altura. Tânia Costa não lamenta a opção que fez há dez anos, quando escolheu o Brasília para abrir uma sex shop.

Ana Paula Santos, presidente da Associação de Comerciantes deste shopping, também se lembra dos tempos gloriosos do Brasília, "era um acontecimento, as pessoas gostavam de ver e ser vistas". Para dar a volta à concorrência, a administração não baixa os braços. O presidente, José Rodrigues, fala em diversificação, ao explicar que o shopping também começou a dar espaço a áreas de serviços.

Com muitos espaços por preencher, José Rodrigues garante que o Brasília é uma boa aposta, quer pela localização quer pelos preços competitivos das lojas.

40 anos depois, as famosas escadas rolantes, as originais, cederam ao cansaço e foram substituídas... Nas escadas convencionais, forradas a alumínio, a idade também já se nota... no desgaste do metal. [Sónia Santos]

0 comentários: