Kosta de Alhabaite

Nortenho, do Condado Portucalense

Se em 1628 os Portuenses foram os primeiros a revoltar-se contra o domínio dos Filipes, está na hora de nos levantarmos de novo, agora contra a colonização lisboeta!

Apito Vermelho (II)

Nesta altura, e tendo em conta o que tem aparecido na comunicação social, já sabemos que o dossiê foi impresso em papel com o timbre da Directoria Nacional da Polícia Judiciária, e terá sido enviado por inspectores da PJ que não querem por agora identificar-se, para não colocarem as carreiras em risco, a diversas entidades, entre as quais a Procuradoria-geral da República, o DIAP do Porto, o presidente da Liga de Clubes, o Conselho Superior de Disciplina da FPF, a produtora Utopia (que está a realizar o filme sobre Carolina Salgado) e o FC Porto.
Os autores dizem estar apenas preocupados com “a descoberta da verdade” e que “nada têm contra o Benfica". Mas dizem ter imagens, sons e documentos, que deveriam ter sido usados por Maria José Morgado para incriminar Luís Filipe Vieira e não ignorados como fez a procuradora. Um resumo:

- Como já tinha sido dito por Ana Salgado e Pinto da Costa, os inspectores da Polícia Judiciária sabem que Filipe Vieira pagou quantias enormes a Carolina Salgado, bem como ao pai da ex-companheira de Pinto da Costa.

- A última entrega de 50 mil euros foi feita pelas mãos da jornalista Leonor Pinhão que depositou o dinheiro numa conta do Banco Santander em Tuy (Espanha).

- Os autores fornecem provas de acusações que focam a época 2004/05, em que o Benfica foi campeão.

- Luís Filipe Vieira e José Veiga são acusados de combinar árbitros para os jogos do Benfica com o então presidente da Comissão Arbitragem da Liga, Luís Guilherme, e de aliciar um jogador do Estoril na véspera do Estoril-Benfica no Algarve.

- Luís Filipe Vieira, ainda como presidente do Alverca, pagou a Fernando Seara cerca de 100 mil contos para que o clube satélite do Benfica ficasse na 1.ª divisão, numa jogada que prejudicou o Gil Vicente.

- Ainda no Alverca, Luís Filipe Vieira é acusado de ter aliciado o guarda-redes Palatsi, que então defendia a baliza do Beira-Mar, que estava em luta com os ribatejanos pela manutenção.

- O fiscalista Saldanha Sanches, marido de Maria José Morgado, trabalha há vários anos para Luís Filipe Vieira

- Maria José Morgado e o marido Saldanha Sanches, estão ligados a vários negócios e questões fiscais das empresas ligadas a Luís Filipe Vieira.

- Existe um processo judicial anterior dirigido por Maria José Morgado, o denominado processo das Finanças, no qual o actual presidente do Benfica terá sido beneficiado - uma empresa da qual Vieira era sócio comprou a Fábrica de Louças de Sacavém a preço simbólico e construiu ali um condomínio privado no qual viviam quatro directores de Finanças.

- Vários inspectores da equipa constituída por Maria José Morgado para a investigação do Apito Dourado são referenciados como estando controlados pelo presidente do Benfica, a quem alguns dos inspectores da PJ deveriam favores, nomeadamente o inspector Sérgio Bagulho.

- Luís Filipe Vieira tem desde há muito "homens seus" dentro da PJ.

- Na PJ existia um dossiê que colocava Luís Filipe Vieira em actividades de tráfico de estupefacientes, mas os inspectores não podem garantir se ele ainda existe ou já desapareceu.