Kosta de Alhabaite

Nortenho, do Condado Portucalense

Se em 1628 os Portuenses foram os primeiros a revoltar-se contra o domínio dos Filipes, está na hora de nos levantarmos de novo, agora contra a colonização lisboeta!

Jornalismo terrorista do terreiro do paço


Jornal volta a atacar gratuitamente o Dragão, implicando-o em crimes

Noticia publicada nada tem a ver com o F.C. Porto

Usando como pretexto o assassinato do dono da discoteca 'Chic' na zona industrial do Porto, Aurélio Palha, os jornalistas do Correio da Manhã, Tânia Laranjo, Cynthia Valente e o fotojornalista Jose Gageiro, publicaram hoje no referido jornal, mais um ataque gratuito ao Futebol Clube do Porto, tentando arrastá-lo para uma notícia de querelas entre seguranças da noite portuense, fazendo questão em dar à mesma contornos mafiosos mas que, no fundo, nada tem a ver com o Dragão.

Fotografia mostra um líder dos Superdragões

Para que o leitor se aperceba, começam a noticia com uma fotografia da malfadada vítima com um dos líderes da claque dos Superdragões que não esteve envolvido no acontecimento, nem sequer como testemunha, pondo na legenda "Aurélio andava sempre rodeado de elementos dos Superdragões. Na última festa que organizou, estava junto de um dos líderes da claque, o portista Paulo Trilho".

Simpatias clubísticas

Mas o esforço para implicar o Futebol Clube do Porto, neste crime, não se fica por aqui. Um pouco mais abaixo, na mesma notícia, afirmam "um dos mais importantes empresários da noite e incontornável adepto do FC Porto". A que propósito aparecem as simpatias clubísticas da malograda vitima, na narrativa de um assassinato com armas de fogo, apenas quem escreveu o texto saberá.

Tentativa de implicação do líder dos Superdragões

E depois continuam "outra hipótese admitida por próximos de Aurélio Palha era a de que o alvo seria Fernando Madureira, líder da claque dos Superdragões. Minutos antes do crime, deixara o restaurante onde ocorreu o homicídio.". Quem são os "próximos" e a que propósito seria Fernando Madureira o visado, não esclarecem em toda a notícia.

As pretensões de Tânia Laranjo, não se ficam por aqui e não hesitam em colocar em letras garrafais "MADUREIRA ESTEVE COM A VÍTIMA HORAS ANTES", para logo a seguir avançar "Fernando Madureira, líder da claque Superdragões, afecta ao FC Porto".

Tentativa de colagem da noticia ao Futebol Clube do Porto

Em toda a notícia, a relatar a morte a tiro, dum empresário da noite portuense, aparece cinco vezes a palavra "Superdragões" e três vezes "FC Porto". Outras palavras e frases como "ADEPTO DO FC PORTO", "portista", "dragões", "Estádio do Dragão", "Dragão", "A escola gerida pela mulher actuou no Dragão", "Aurélio Palha era adepto “ferrenho” dos azuis e brancos e acompanhava com regularidade a equipa nas suas viagens ao estrangeiro", etc., proliferam em todo o texto. Mais uma vez, qual a intenção de colar esta notícia ao Futebol Clube do Porto, só os autores saberão, dado que Aurélio Palha chegou inclusive a candidatar-se à presidência do Leça.

Correio da Manhã useiro e vezeiro em atacar o FCP

Já não é a
primeira vez que o jornal procura arrastar o Futebol Clube do Porto para actos ilícitos, muitas vezes passando por cima dos mais elementares direitos defendidos pela Constituição da República Portuguesa.

Objectivo alcançado

A julgar pelos comentários que se podem ler no site online do referido Jornal, a noticia alcançou perfeitamente os seus objectivos, uma vez que na maioria deles se podem ler as frases "Está instalada a guerra entre máfias do norte", "Faz-me lembrar os gangsters de Chicago nos anos 20 e 30", "Homem de bem rodeado por gente desta?".

Total desrespeito pela memória da vítima

A ser verdade o facto de Aurélio Palha ser adepto do Futebol Clube do Porto, certamente a ultima coisa que queria ver era o seu nome ligado a uma tentativa de arrastamento do seu clube do coração para a lama.

Nota: Esta notícia teve por base um artigo da edição online do Correio da Manhã. Foi alterado e não reflecte de modo algum o que vinha no original. Pode lê-lo carregando na ligação que se segue:

Ver artigo original do Correio da Manha