Kosta de Alhabaite

Nortenho, do Condado Portucalense

Se em 1628 os Portuenses foram os primeiros a revoltar-se contra o domínio dos Filipes, está na hora de nos levantarmos de novo, agora contra a colonização lisboeta!

Diário Económico afinal é também VERMELHO!!!


Num artigo de opinião publicado recentemente no Diário Económico, o referido jornal resolveu atacar de forma inexplicável e sem qualquer fundamento legal, a dignidade e a honra de todos os Juízes Portugueses, das pessoas que dirigem os Órgãos da Liga Portuguesa de Futebol Profissional [LPFP] e a Federação Portuguesa de Futebol [FPF], do Presidente do Futebol Clube do Porto há mais de 25 anos, Pinto da Costa e, assim, de todos os Portistas.

No referido Jornal, pode ler-se:

"O Eixo do Mal do futebol. É bom que o Eixo do Mal do nosso futebol, formado por Valentim Loureiro, Pinto da Costa e Pinto de Sousa, esteja a sentir a pressão da justiça portuguesa. Finalmente!"

Não satisfeito, continua "Os poderes do futebol nacional, Federação Portuguesa de Futebol e Liga de Futebol Profissional, foram incapazes de actuar no processo “Apito Dourado”. Talvez porque a promiscuidade entre dirigentes é tão forte, talvez porque os poderes do futebol estão podres e caducos, talvez porque naquelas instituições não existem homens de carácter ou de coragem, eles nada fizeram, e assistem impávidos e serenos à actuação da justiça civil. O que isto infelizmente significa é que o mundo do futebol português não tem qualquer tipo de legitimidade, e está corrompido até ao tutano."

Escondendo-se assim atrás de um artigo de opinião e sem que tenha havido qualquer sentença em tribunal, o Diário Económico resolve desta forma privar do direito ao bom nome e arrastar para a lama pessoas que, por lei, até sentença em contrário são inocentes e, ao questionar a actuação da justiça civil e dos órgãos desportivos, pôr em causa a honorabilidade de todos os juízes portugueses, bem como a de dirigentes desportivos como Hermínio Loureiro e Gilberto Madaíl.

Resta saber, o que irão fazer o Ministério Público, a Associação Sindical dos Juízes Portugueses, a LPFP, a FPF, o Futebol Clube do Porto e demais visados, perante tais afirmações.

Fonte:
http://diarioeconomico.sapo.pt/edicion/diarioeconomico/opinion/columnistas/pt/desarrollo/1022454.html