Kosta de Alhabaite

Nortenho, do Condado Portucalense

Se em 1628 os Portuenses foram os primeiros a revoltar-se contra o domínio dos Filipes, está na hora de nos levantarmos de novo, agora contra a colonização lisboeta!

A mediocridade é sempre premiada. Árbitro incluído.

Acabou.
A isenção naquelas duas jornadas em que os árbitros deixaram de ser telecomandados pela Luz, terminou.
Bastou que em lisboa se tenham apercebido que ali no Dragão há real ameaça ao "sistema encornado", logo um tal de Esteves foi "agraciado" e logo na primeira dezena de minutos perdoou uma penalidade sobre Maxi Pereira. 
Depois aquela repreensão ao nosso goleador, aquele olhar assassino sobre o miúdo diz tudo do ódio que a criatura arbitral tem pelo FC Porto e a reverência aos seus donos boifiquistas...
Depois aquele medíocre Marítimo, equipa tipo-merdosa, toda à defesa, no anti-futebol (aos vinte minutos já havia jogadores madeirenses a cair no chão) que no único remate à baliza do FC Porto marca golo e durante 7 minutos deixou a incerteza no ar...
Realmente, neste país, também no futebol, os medíocres são sempre bafejados pela sorte.


Da parte do FC Porto, foi, na minha opinião, dos jogos que menos oportunidades criou, mas ainda assim, a eficácia prevaleceu. 
Convém que a rapaziada saiba que o melhor resultado e sempre marcar, marcar, continuar a marcar. A gestão pode ser uma coisa ruinosa. Aliás, naqueles 7 minutos (descontos incluídos), deveriam ter sido mais ratos, manter a posse da bola, procurar as faltas e fazer a gestão do tempo com bola nos pés.
Seja como for, a vitória ficou deste lado.
Vencemos, estamos na luta. Assim nos deixem!

0 comentários: