Kosta de Alhabaite

Nortenho, do Condado Portucalense

Se em 1628 os Portuenses foram os primeiros a revoltar-se contra o domínio dos Filipes, está na hora de nos levantarmos de novo, agora contra a colonização lisboeta!

Mais uma pobreza franciscana: a nossa segunda parte e o árbitro, o jogo todo!

Golo (ilegal) sofrido aos 5 minutos, deixava antever complicações acrescidas. Mas os miúdos lá reagiram e recuperaram. De salientar que no lance do 1º golo, há um penalty clarinho e o algarvio "escolhido" para o jogo fez de conta.

(aqui o juiz de linha viu mas fez de conta)

Uma primeira parte sufocante, mas nem sempre bem esclarecida. Depois, bem depois nem vale a pena falar. Um fracasso total. Mais uma desilusão. Salienta-se contudo uma arbitragem desastrada sempre em prejuízo do FC Porto. Sempre. Esses são os nossos inimigos e alvos a abater, como no longínquo passado dos anos 70. Temos que os amedrontar assim que saem no sorteio... E aos adversários, jamais permitir que, mesmo em nossa casa abusem do jogo violento e da impunidade. Quer queiramos quer não, afinal estamos numa refundação do nosso futebol, por muito que isso nos custe. Não temos SAD activa, não temos comunicação activa e agressiva, por isso só podemos contar com os adeptos, sócios e simpatizantes e fazer o nosso trabalho. O que interessa é ir vencendo. Vencendo sempre, jogando mal ou bem, vencendo sempre.

Nota: para além do fora de jogo, o algarvio que recentemente expulsou, também num jogo com o Boavista um jogador do Porto (num lance idêntico a um anterior de um boavisteiro, mas este sem punição), além de perdoar duas penalidades, permitiu o anti-jogo e a violência (mais uma jornada) sobre os jogadores do Porto sem qualquer punição severa, mas registo o dedo em riste ao miúdo André...
 (aqui o mesmo juiz de linha viu o que não era)

(ao contrário, o jogador do Porto seria expulso)


0 comentários: