Kosta de Alhabaite

Nortenho, do Condado Portucalense

Se em 1628 os Portuenses foram os primeiros a revoltar-se contra o domínio dos Filipes, está na hora de nos levantarmos de novo, agora contra a colonização lisboeta!

Encomendas ao Cosmos (I)


Onde está você?
Num lugar calmo? Confortável? Pacífico?
Está sozinho? Tem algum tempo para si? Pode dispensar uma hora desse tempo, se for preciso?
Óptimo.
O pedido cósmico pode ser feito à pressa... Pode dirigir-se a mim onde quer que esteja, em qualquer altura que precise. Mas existem alguns processos na vida que não vai querer mesmo apressar, especialmente quando tem um pedido profundo para fazer... ou um desejo intenso de transportar a sua vida para um nível novo e mais feliz.
Bom.
Tem um pau de incenso que possa acender?
Ou uma garrafa de um puro e exótico óleo de aromaterapia?
Que tal uma vela? Podemos correr as cortinas e baixar um pouco a luz?
Na verdade, você não precisa de nada disto, nem sequer precisa de estar sozinho. Certamente que não quer ficar dependente dessas regras enquanto fala comigo. Detestaria que pensasse que só o consigo ouvir se criar uma atmosfera romântica. Mas, ao mesmo tempo, se quiser criar um estado de grande concentração e aprofundar realmente a sua ligação comigo, alguns toques como estes podem ser muito úteis.
Hmmm... é uma pergunta disparatada mas... você está sóbrio, não está?
Se tiver bebido álcool, fumado um charro, tomado drunfos, speeds ou ácidos... aconselho-o a esperar até que a influência dos químicos tenha passado. Não é essencial. Aceitarei o seu pedido independentemente do estado de espírito em que se encontrar no momento em que o faz, mas você gostará bastante mais da experiência se, enquanto conversamos, estiver tão calmo e próximo do seu estado natural quanto possível.
Certo.
Vamos respirar um pouco.
Inspire uma vez. Sustenha a respiração por uns momentos.
Saboreie o ar nos seus pulmões.
E agora expire lentamente.
Repita o exercício.
Enquanto o faz, pense no seguinte:
De onde vem esse ar?
O que é que, dentro de si, o continua a inalar... mesmo quando você não está a fazer nenhum esforço para que esse processo aconteça?
Algures dentro de si, existe um poder que o transcende.
Gere sistemas que estão para além dos sistemas submetidos ao seu controlo consciente.
Não se trata, prometo, de um mecanismo automático e "inconsciente".
É uma função da sua própria consciência superior.
É, na verdade, uma evidência do seu eu superior em acção.
Mostremos-lhe algum respeito e juntemo-nos a ele enquanto respiramos fundo mais umas vezes.
Poise o livro por uns momentos e limite-se a respirar.
Veja como o ar entra no seu peito. Veja como sai.
Dê graças à parte de si próprio que vigia incansavelmente a entrada e saída de ar, hora após hora, dia após dia.
Quando estiver preparado, pegue outra vez no livro.

(Jonathan Cainer in Encomendas ao Cosmos)

0 comentários: