Kosta de Alhabaite

Nortenho, do Condado Portucalense

Se em 1628 os Portuenses foram os primeiros a revoltar-se contra o domínio dos Filipes, está na hora de nos levantarmos de novo, agora contra a colonização lisboeta!

O "sistema" que o Ministério Público lisboeta escamoteou

Estoril SAD

Em 16 de Agosto de 2004, a Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM) anunciou que José Veiga tinha aumentado a sua participação no Estoril Praia – Futebol SAD, SA para 80,55%, depois da última Oferta Pública de Aquisição (OPA), que tinha tido lugar em 30 de Julho de 2004. Para além de ser o accionista maioritário da Estoril SAD, cuja posição acabava de reforçar, Veiga era, na mesma altura, também o homem forte do Benfica para o futebol. De salientar que o Estoril tinha subido de divisão e que nessa época (2004/05) iria jogar duas vezes contra o Benfica. Promiscuidade? A verdade desportiva estava em causa?

Preocupado com as aparências (não fosse alguém pensar que ele estava a jogar em dois tabuleiros...), em 18/10/2004, já em pleno campeonato, José Veiga anunciou ter vendido 18% do seu capital à KCK Developments Limited, 18% à Mexes Marketing Limited e 4,767% à Primera Management Limited.
Não será estranho o súbito interesse de três empresas inglesas, ainda por cima sem qualquer ligação anterior ao fenómeno desportivo, em investir numa equipa desconhecida do futebol português?
Mais. Os supostos novos accionistas da Estoril SAD (que nunca foram vistos em Portugal...), não quiseram nomear qualquer administrador e mantiveram como presidente da Estoril SAD o antigo dirigente do Benfica, António Figueiredo, o qual tinha sido nomeado em 15/09/2004.
Nomeado por quem?
Pois, por José Veiga! Ou seja, Veiga, enquanto accionista maioritário da Estoril SAD, mas numa altura que já era o responsável do futebol da Benfica SAD, nomeou um antigo dirigente do Benfica para presidente da Estoril SAD. Lapidar!

Mas afinal, quem eram as tais empresas inglesas a quem, supostamente, José Veiga vendeu parte da sua participação na Estoril SAD?
Nunca se soube mas, em 25 de Julho de 2005, a CMVM emitiu um comunicado onde informou o mercado “da falta de transparência quanto à titularidade das participações qualificadas detidas pela Mexes Marketing Limited e pela KCK Developments Limited na sociedade aberta Estoril Praia – Futebol SAD, SA.” Além disso, as duas empresas tinham o mesmo representante, entre outros dados comuns. Mais palavras para quê?

Resta dizer que durante a época 2004/05, os jogos entre o Benfica e o Estoril foram recheados de casos. Desde contactos (pressões?) sobre jogadores do Estoril, antes dos jogos com o SLB, até à transferência do Estoril – Benfica para o Estádio do Algarve (com a concordância da Administração do Estoril, constituída por ex-dirigentes do Benfica, nomeados por José Veiga), a arbitragens polémicas, houve de tudo. Contudo, o episódio mais caricato talvez seja o que veio a público após o jogo disputado na Luz, em que no intervalo um jogador do Benfica (Petit) se dirigiu a um antigo colega do Boavista (Paulo Sousa), aconselhando os jogadores do Estoril a “terem calma e não forçarem muito na 2ª parte”...

Se no início da época 2004/05 poderia haver dúvidas de que lado iria estar o coração (e a cabeça) de José Veiga nos dois jogos entre o Benfica e o Estoril, no final da época não restavam quaisquer dúvidas."

Neste tempo, a Mizé e o marido andavam entretidos com outras coisas...