Kosta de Alhabaite

Nortenho, do Condado Portucalense

Se em 1628 os Portuenses foram os primeiros a revoltar-se contra o domínio dos Filipes, está na hora de nos levantarmos de novo, agora contra a colonização lisboeta!

Porto: o tesouro da pastelaria Serrana


Numa pastelaria da Rua do Loureiro há um tesouro

Quem pisa a Rua do Loureiro, junto à Estação de São Bento, e olha para o edifício que ladeia a Casa Arcozelo e os seus queijos não adivinhará o “tesouro” que lá mora.
Na fachada já há poucos sinais dos tempos em que este era um dos edifícios mais lustrosos do Porto, mas lá dentro a história é diferente: na Pastelaria A Serrana há um tesouro discreto que cumpre agora 100 anos.
À primeira vista, estamos numa pastelaria normal, com espelhos, mármores e luzes de néon. É preciso olhar para o tecto para ver o “tesouro”: lá está ele, uma tela de Acácio Lino (1878-1956), datada de 1912, com motivos alusivos a jóias, figuras angelicais e um pavão. A obra foi encomendada no início do século XX por Alfredo Pinto da Cunha para a Ourivesaria Cunha, que ali funcionou entre 1880 e 1914 (altura em que se mudou para a Rua de 31 de Janeiro, no espaço onde hoje funciona a Machado Joalheiro).
A pintura e o primeiro piso (com estuque remendado aqui e ali) mereciam ser alvo de restauro, diz a proprietária d’A Serrana, Mónica Dias, ao P24, mas as contas da pastelaria não permitem o investimento.
O negócio é uma sombra dos tempos em que a Rua do Loureiro era das mais dinâmicas do Porto e as receitas só vão servindo para pagar as despesas básicas.

Para além das bolas de Berlim
Mónica Dias quer agora que a pastelaria se torne “famosa” não apenas pelas bolas de Berlim (gabadas pela sua delicadeza e tamanho generoso), mas também pelo património que guarda.
Desde que assumiu a gestão do espaço, Mónica, 41 anos, iniciou um trabalho de divulgação. Meteu-se em arquivos e contactou especialistas para saber um pouco mais do espaço e daquele tecto imponente.
A pouca informação de que dispõe tem sido retirada, a conta-gotas, de uma guia que leva turistas à pastelaria para ver a obra de Lino e o primeiro piso, no estilo Arte Nova, onde estão as esculturas de José de Oliveira Ferreira a pender sobre um varandim.
Era uma pena uma casa como esta não ser divulgada. Há casas tão bonitas na cidade”, diz Mónica.

Nota:
Acácio Lino nasceu em Amarante. Fixou-se no Porto aos 12 anos. Há telas suas em locais como o Palácio de S. Bento, em Lisboa, a biblioteca municipal e câmara do Porto e o teatro de São João

Notícia no Porto24

1 comentários:

esta casa esta agregada ao restaurante o serrano , que serve comida podre aos clientes e falsifica as bebidas e não tem higiene e tem muitos ratos e bicharada, será que a pastelaria também é assim ?