Kosta de Alhabaite

Nortenho, do Condado Portucalense

Se em 1628 os Portuenses foram os primeiros a revoltar-se contra o domínio dos Filipes, está na hora de nos levantarmos de novo, agora contra a colonização lisboeta!

Desvalorizar o euro: não era muito mais fácil?

Sinceramente não sei onde vai parar esta Europa. Dívidas, endividamento, falta de fundos, coesão, consumo, exportações, risco, ratings, Merkl e aquele sr. francês com uma cara gozada, o Durão que é presidente e não manda nada, o BCE e a incompetência dos seus quadros onde pontifica um tal irresponsável Constâncio... Os constantes alertas do patrão da Reserva Federal Americana. Será que estes "princípes" não percebem que nos estamos TODOS a afundar? Que tal começar a fazer coisas sérias, a tomar medidas que façam a diferença?!

2 comentários:

Nem mais! Esta seria uma medida séria e eficaz para combater a crise... desvalorizar o euro é obrigatória para aumentar a competitividade. Quanto mencionam que a nossa mão de obra é cara tendem a falar em baixar salários o que provoca desmotivação dos trabalhadores e consequente menor produtividade, quando o que torna a mão de obra portuguesa cara é o Euro caro!!!

 

Deixo aqui um exemplo: Os EUA decidem construir um parque solar, o concurso fica avaliado em 100.000 dólares. Concorrem 2 empresas, 1 PT, outra BR... a data do concurso e a data de adjudicação variam como é óbvio, o pagamento é posterior também... a empresa portuguesa concorre mas para poder ser competitiva decide baixar os salários e a margem de lucro... ganha o concurso... logo após o Euro torna a valorizar frente ao dólar... quando o pagamento é efectuado o valor em dólares já é inferior aos custos... resultado a empresa tem prejuízos apesar de ter baixo o valor dos ordenados. Se inversamente houvesse uma desvalorização do Euro, poderia ter pago melhores ordenados e ter tido lucro... o que trava a economia portuguesa é o alto valor do Euro!!