Kosta de Alhabaite

Nortenho, do Condado Portucalense

Se em 1628 os Portuenses foram os primeiros a revoltar-se contra o domínio dos Filipes, está na hora de nos levantarmos de novo, agora contra a colonização lisboeta!

Funcionário Público vs Trabalhador do Sector Privado


Escreve o Pacheco Pereira a propósito disto:


Um funcionário público que ganha 1000 euros ilíquidos é tão “rico” ou tão “pobre” como um trabalhador do sector privado com o mesmo salário. Isto no passado, porque hoje já é mais “pobre” e discriminado.


Há várias diferenças:
- Um funcionário do privado que ganhava 1000 euros antes da crise já não ganha. As empresas têm o saudável hábito de cortar na despesa.
- Um funcionário do privado que ganhava 1000 euros antes da crise tem uma probabilidade de cerca de 5% a 10% de estar no desemprego. Essa probabilidade é de cerca de 0% para os funcionários públicos do quadro.
- Um funcionário do privado que ganhava 1000 euros antes da crise tinha um horário de trabalho de mais 5 horas/semana do que um funcionário público.
- Um funcionário do privado que ganhava 1000 euros de salário base antes da crise tinha que ser mais qualificado que um funcionário público com o mesmo salário.
- Se um funcionário privado passar a ganhar menos paga menos impostos,  o défice aumenta. Se um funcionário público passar a ganhar menos, o Estado gasta menos, o défice diminui.
- Se no privado se ganhar mais que no público, os incentivos para passar para o privado aumentam. Reforça-se a competitividade da economia.


Nunca pensei apreciar algo deste Pacheco. Mas do que está acima escrito, gostei. Pronto.

0 comentários: