Kosta de Alhabaite

Nortenho, do Condado Portucalense

Se em 1628 os Portuenses foram os primeiros a revoltar-se contra o domínio dos Filipes, está na hora de nos levantarmos de novo, agora contra a colonização lisboeta!

No futebol português não há coincidências

Pedro Proença é benfiquista! É público e foi declarado pelo próprio. É, pois, um facto!

No futebol não há coincidências! Basta apenas lembrar as “cirúrgicas” intervenções de Bruno paixão contra o FCPorto. É um facto!

Nos jogos da Taça de Portugal, o árbitro nomeado era sempre de uma associação equidistante dos clube em confronto. Era! Nesta meia final disputada na Madeira, entre o Nacional e o Sporting de lisboa, foi nomeado Pedro Proença, de lisboa, associação a que pertence o Sporting. Os critérios foram alterados. É um facto!

Dizem as crónicas que o árbitro de lisboa inclinou o campo e teve influência na vitória do clube da sua associação. Dirão que ele é do benfica, logo não há coincidência nos actos que desvirtuaram a verdade do jogo. Falso!

Falso porque:

O próximo adversário do “seu” benfica para o campeonato é…. adivinharam, o Nacional.

Se Proença, durante o prélio da Madeira, expulsou o nacionalista Rondón (dizem que injustamente), acabou ainda por expulsar do banco de suplentes João Aurélio e, após o final do jogo, Vladan. Três !!! expulsões.

Proença, se manietou o jogo da taça, favorecendo uma equipa de lisboa, acabou também por dizimar o Nacional da Madeira para o jogo seguinte, com o “seu” benfica, de lisboa.

E o zeloso Vitor Pereira, presidente dos árbitros, outrora super-rápido a marcar conferências de imprensa para defender o amo da 2ª circular, numa atitude lacaia e nada prestigiante para o futebol, agora cala-se que nem uma barata.

No futebol não há coincidências!

Realmente “eles estão a fazer as coisas pelo outro lado”…


1 comentários:

Isto merece divulgação. Como tal partilhei no facebook.